Conecte-se Conosco

Cidade

Vice-presidente do Rancho é morto a tiros no bairro do Jurunas

Publicado

em

Félix Carlos Lopes, 50 anos, foi morto com três tiros na tarde desta quarta-feira (16), no bairro do Jurunas, em Belém

Félix Carlos Lopes foi assinado na Rua Bom Jardim

 Félix Carlos Lopes, 50, vice-presidente da escola de samba Rancho Não Posso Me Amofiná, foi morto com três tiros na tarde desta quarta-feira (16), no bairro do Jurunas, em Belém.

O crime aconteceu na Rua Bom Jardim, entre as ruas Timbiras e Caripunas. Não há informações sobre o que pode ter motivado o assassinato e principal hipótese é crime de execução.

No Jurunas, a morte de Félix causou comoção na vizinhança

Crime comoveu a comunidade jurunense. Feliz Lopes era muito popular e querido

O  vice-presidente da escola de samba Rancho Não Posso Me Amofiná, Félix Carlos Lopes, 50 anos, foi morto com três tiros na tarde desta quarta-feira (16), no bairro do Jurunas, em Belém. O local do crime foi a Rua Bom Jardim, entre as ruas Timbiras e Caripunas. Félix Carlos Lopes era também administrador da Feira do Jurunas, segundo a Secretaria de Economia de Belém (Secon) e teria acabado de deixar uma reunião de trabalho, e seguia  para tratar de assuntos da  escola de samba, que se prepara para participar do Carnaval de Belém.  Na casa onde o carro prata – modelo Chevrolet Meriva – que Félix dirigia parou funciona uma pequena empresa de confecção de assessórios usados pelos brincantes do Rancho.

Félix Carlos Lopes conversava com o dono do estabelecimento quando, segundo  testemunhas, e um carro preto, Chevrolet Prisma, passou e  mas deixou dois homens encapuzados no meio do quarteirão. Ele foram andando até a frente da casa e um deles se pôs entre Félix e o outro homem, disparando quatro vezes.Três tiros atingiram o carnavalesco, que morreu no local.

“A vítima primeiro foi atingida por um tiro na face esquerda e tombou, ainda dentro de seu carro. Em seguida, mais um tiro atingiu a parte posterior da cabeça e um terceiro o feriu nas costas. Encontramos no local do crime estojos de munição ponto 40”, relatou o perito Ivanildo Rodrigues, do Centro de Perícias Científicas Renato Chaves, que informou ainda que um dos projéteis ficou alojado no corpo de Félix Carlos Lopes.

A Polícia trabalha com a  hipótese de morte por execução, já que nada foi levado da vítima. Com o corpo, a perícia encontrou o celular de Félix Carlos Lopes R$ 485,00, além de outros objetos de valor no interior do carro.

A Divisão de Homicídios Polícia Civil deve usar imagens de câmeras de segurança da rua para identificar os assassinos mas, até o momento, nenhum suspeito foi preso.

Félix foi morto dentro de seu carro: os assassinos fugiramFélix foi morto dentro de seu carro: assassinos fugiram (Cláudio Pinheiro)

PESAR

Em nota, o presidente do Grêmio Recreativo Jurunense Rancho Não Posso Me Amofiná, Fernando Guga Gomes, lamentou o falecimento do vice-presidente da escola. Além de vice-presidente, Félix era diretor de carnaval e responsável pela Sedução Ranchista.

“Toda comunidade ranchista presta sua homenagem a este grande homem, que dedicou parte de sua vida à escola. O velório deve acontecer na quadra da escola no bairro do Jurunas, em Belém”.

 

Continue lendo
Clique para comentar

Cidade

Programação cultural celebra Theatro da Paz e Waldemar Henrique nesta sexta-feira 15

Publicado

em

Theatro da Paz, nos traços espetaculares de Sebastão Piani Godinho, também um fã do m\estro Waldemar Henrique

O Theatro da Paz, nesta sexta-feira (15),  comemora 141 anos de fundação e a maior parte dessa história foi acompanhada de perto pelo maestro Waldemar Henrique. O maestro paraense ( embora tenha nascido no Rio de Janeiro), predestinado à música e à arte, nasceu no mesmo dia em que foi inaugurado o TP e completaria 114 anos. Para celebrar a data e a obra do compositor, a Secretaria de Estado de Cultura (Secult) organizou uma programação especial no local considerado por ele sua segunda casa: o Da Paz.

O Maestro, como era carinhosamente chamado, transitava entre o mundo erudito e popular, não estabelecendo barreiras entre os dois gêneros. O show ‘Da Paz, de Todos os Cantos!’ é eclético, e conta com a participação de artistas paraenses atuantes no cenário musical erudito e popular.

No repertório serão executadas 16 canções de Waldemar Henrique por: Andréa Pinheiro, Lucinha Bastos, Alba Maria, Gigi Furtado, Léo Menezes, Coro Carlos Gomes, Dione Colares, Joelma Kláudia, Madalena Aliverte, Idaias Souto, Antônio Wilson, Jade Guilhon, Eduardo Nascimento, Elias Hage, Milton Monte e André Leemax. Para acompanhar este seleto grupo, teremos os músicos: Edgar Matos, Ana Maria Adade, Augusto Meireles, Pardal e Trio Manari,

A produção é assinada por Nandressa Nuñez, com colaboração de Jena Vieira (Diretora Técnica da Fundação Carlos Gomes), e direção geral de Daniel Araujo.

Visitas guiadas – Com muitas histórias para contar, o projeto Portas Abertas receberá gratuitamente o público durante a semana de aniversário do Theatro e de Waldemar Henrique. Serão realizadas visitas guiadas por um dos teatros mais importantes do país, considerado símbolo da prosperidade do ciclo da borracha em Belém.

A programação inicia pela manhã, na quinta-feira (15), e segue até o dia 22. Serão oito dias de visitação em suas instalações, nos horários de 9h, 10h, 11h, 12h e 14h, 15h, 16h, 17h; aos sábados às 9h, 10h, 11h, 12h; e aos domingos, às 09h, 10h e 11h.

Sem necessidade de agendamento, os bilhetes de entrada deverão ser retirados no dia escolhido para a visitação, no hall de entrada da Bilheteria do Theatro da Paz. Cada visita guiada atenderá grupos de até 80 visitantes por vez.

Serviço – O show ‘Da Paz, de Todos os Cantos!’ será apresentado no dia 15 de fevereiro, às 20h, no Theatro da Paz. Os ingressos já estão à venda na bilheteria do Theatro e custam o valor simbólico de R$ 2,00 (dois reais).

As visitas monitoradas do projeto Portas Abertas serão oferecidas gratuitamente de 15 à 22 de fevereiro. Durante a semana, as visitas serão a cada uma hora, no período de 9h às 17h; sábado de 9h às 12h; e domingo de 9h às 11h.

Por Úrsula Pereira

Continue lendo

Cidade

Polícia Civil leva Academia Itinerante pela primeira vez ao município de Breves, no Marajó

Publicado

em

A diretora da Acadepol, delegada Karina Campelo, explica que todos os policiais civis passaram por preparação física para se tornarem aptos a participar da capacitação, que segue até a próxima sexta-feira (15)

A Polícia Civil do Pará deu início, na terça-feira (12), em Breves, na Ilha do Marajó, ao projeto Academia Itinerante que leva, aos policiais civis da região, treinamentos e cursos de capacitação visando o aperfeiçoamento profissional dos agentes de segurança pública.

A cidade de Breves, sede da região do Marajó Ocidental, é a primeira a receber o projeto que vai percorrer todas as regionais do interior do Pará, levando conhecimentos atualizados sobre crimes tecnológicos, armamento e tiro policial, investigação policial moderna e operações policiais.

Na oportunidade, foi anunciada a implantação de uma Unidade da Polícia Civil na região de Breves: o Núcleo de Apoio à Investigação (NAI), que faz parte do Núcleo de Inteligência Policial (NIP). A abertura dos cursos em Breves contou com as presenças do secretário de Segurança pública, Ualame Machado; do delegado geral Alberto Teixeira; do diretor do Núcleo de Inteligência da Polícia Civil, delegado Samuelson Igaki, e do diretor de Polícia do Interior, delegado José Humberto Melo.

O projeto Academia Itinerante é coordenado pela delegada Karina Campelo, diretora da Academia de Polícia Civil (Acadepol) e conta em Breves com apoio da Superintendência Regional do Marajó Ocidental, sob comando da superintendente regional, delegada Vanessa Macedo. Ao todo, 26 policiais civis irão participar da capacitação em Breves.

O delegado-geral explica que a cidade de Breves foi o primeiro local escolhido para receber os cursos pela sua posição geográfica, como colocado como prioridade. “Queremos renovar aquilo que foi aprendido pelos policiais civis durante a formação na Academia de Polícia Civil no que concerne às investigações de crimes, inclusive, investigações mais aprimoradas como as de crimes cibernéticos”, detalha. Teixeira salienta que a meta é atingir todos os policiais civis do interior do Estado e, dessa forma, quem vai ganhar é a sociedade, com policiais civis mais preparados e com mais suporte técnico para atuar perante as demandas da Segurança Pública.

O secretário Ualame Machado, destaca a importância de se levar capacitação. “Sabemos sabe que a região do Marajó

tem demanda e uma logística diferenciada, por isso, nada melhor que capacitar os policiais para que atuem na região de forma ainda mais eficaz”, explica o secretário. A diretora da Acadepol, delegada Karina Campelo, explica que todos os policiais civis passaram por preparação física para se tornarem aptos a participar da capacitação, que segue até a próxima sexta-feira (15).

Conforme a delegada, a próxima região que receberá a capacitação será o Marajó Oriental, sediado em Soure, no Marajó. Para a titular da Polícia Civil na Região, delegada Vanessa Macedo, a vinda da capacitação pela primeira vez a Breves, é uma mostra do início de um olhar diferenciado da Polícia Civil para a região.

 

Por Walrimar Santos

Continue lendo

Cidade

Abastecimento de água a quatro bairros de Belém deve ser normalizado hoje, diz Cosanpa

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) informa a interrupção do fornecimento de água nos bairros da Pedreira, Sacramenta, Telégrafo e parte do Barreiro, a partir das 23h desta terça-feira (12). A previsão é que o abastecimento seja normalizado na quarta-feira (13), às 15h.

A suspensão do serviço se deve à necessidade de interligação da adutora localizada no Canal da Pirajá, que corta a travessa Lomas Valentinas no perímetro entre a avenida Senador Lemos e a rua Nova, em Belém.

A Cosanpa pede a compreensão da população e informa que está demandando todos os esforços necessários para resolver o problema.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaques