Conecte-se Conosco

Cidade

Aprovados em processo seletivo iniciam atividade na Funbosque, em Outeiro

Publicado

em

O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, deu as boas-vindas aos novos servidores da Funbosque

Mais de 70 aprovados no Processo Seletivo Simplificado (PSS) da Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira (Funbosque) iniciaram as atividades na manhã desta segunda-feira(11). São pedagogos,professores

Mais de 70 aprovados no Processo Seletivo Simplificado (PSS) da Fundação Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira (Funbosque) iniciaram as atividades na manhã desta segunda-feira, 11. São pedagogos, professores, merendeiras, porteiros, agentes de serviços gerais, assistentes administrativos e auxiliares que irão atuar na sede da Escola Bosque, Casa Escola da Pesca e Unidades Pedagógicas localizadas nas ilhas do Seringal, Faveira, Jamaci, Jutuba, Flecheira e Urubuoca.

Os novos professores chegam para somar com os educadores que atuam nas áreas de ciências da natureza, exatas, humanas e sociais. “Com o PSS, ofertamos 119 vagas e estamos, neste momento, iniciando as atividades com 74 profissionais das mais diversas áreas, bem como professores que atuarão na Fundação”, explicou Beatriz Padovani, presidente da Funbosque.

“Deste total de 74 profissionais, 69 estão aptos para atuar, pois apresentaram toda a documentação solicitada. O contrato tem validade de um ano, podendo ser renovado por mais um ano”, completou Beatriz.

A presidente também destacou que os aprovados no PSS darão ajuda valorosa nas atividades desenvolvidas com os alunos. “Tudo isso foi construído por meio de um processo democrático e participativo e temos certeza de que com o engajamento de todos os novos profissionais teremos resultados significativos em benefício dos nossos alunos”, pontuou.

Avanços – O prefeito de Belém, Zenaldo Coutinho, deu as boas-vindas aos novos profissionais e destacou os recentes avanços alcançados na Escola Bosque “Este ano, ampliamos o número de alunos atendidos em mais de 600, totalizando 2.200 alunos devidamente matriculados. Tudo isso foi possível graças a uma grande engenharia, uma equação que integrou comunidade, escola e famílias”, pontuou o prefeito.

“Os novos profissionais que estão sendo acolhidos serão fundamentais para garantir a continuidade da educação de qualidade e da boa prestação de serviços por parte dos servidores da área administrativa”, destacou Zenaldo Coutinho.

A professora de História, Eliane Costa, participou do PSS e ficou com a primeira colocação, entre 1.400 inscritos. “Estou muito feliz em saber que irei contribuir na formação desses alunos, ajudando a construir um caminho de conhecimento pautado na realidade vivenciada por eles. Sempre facilitando esse processo de ensino, educação e aprendizagem”, disse.

Fundação – A Fundação Escola Bosque atende 2.200 alunos da educação infantil, ensino fundamental, ensino médio, técnico em meio ambiente, e recurso pesqueiro; além da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

No mês de abril, a Funbosque vai oferecer cursos livres e de qualificação profissional para formação de agentes de portaria e operadores de caixa, com inscrição grátis, aberta para toda a comunidade.

Escola Bosque oferta 80 vagas para curso de agente de portaria

A Escola Bosque Professor Eidorfe Moreira, no distrito de Puteiro, em  Belém do  Pará, está ofertando  80 vagas para o curso de agente de portaria. As inscrições vão até amanhã.(12) ou enquanto durarem as ofertas de vagas. Os interessados devem ter idade a partir de 18 anos e está cursando ou ter concluído o Ensino Médio.

Os interessados devem comparecer no CDC/FunBosque das 08h ás 12h e das 14h ás 16h, munidos com a cópia do certificado de conclusão ou declaração escolar do ensino médio, RG, CPF e comprovante de residência.

As aulas acontecem em 3 sábados das 09h ás 12h com certificação ao final.

Lauro Lima/ Comus PMB

Continue lendo
Clique para comentar

Cidade

Ioepa vai emitir certificado digital nas unidades da Jucepa

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa) firmou parceria com a Junta Comercial do Pará (Jucepa) para ampliar a oferta de serviços à população em todo o Estado. O trabalho integrado dos dois órgãos vai garantir aos usuários das Unidades Descentralizadas (UDs) da Jucepa em 30 municípios o acesso à emissão dos certificados digitais nos procedimentos de abertura de empresas.

Segundo o presidente da Imprensa Oficial, Jorge Panzera, a parceria faz parte das estratégias para ampliar a emissão do certificado digital pela Ioepa, considerada autoridade de registro vinculada à ICP Brasil – Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira. “Queremos levar estes serviços à população de todo o Pará, e este acordo é um grande passo. A Jucepa tem presença física em muitos municípios e oferece o serviço de abertura de empresa”, informou Jorge Panzera, que se reuniu com a presidente da Jucepa, Cilene Sabino, na última quarta-feira (22), na sede da Ioepa.

O plano de expansão para emissão do certificado digital deve, inicialmente, envolver, além da Jucepa, a Secretaria Regional de Governo do Sul e Sudeste e a Secretaria do Centro Regional de Governo do Baixo Amazonas, com sedes em Marabá e Santarém, respectivamente, além de expandir o serviço na sede da Junta Comercial, em Belém. “Com atendimento de 80% de CNPJ (Cadastro Nacional de Pessoa Jurídica) no Estado do Pará, em torno de 400 mil, a Jucepa oferece uma clientela de certificado digital importante para nós. É um serviço que estas empresas vão ter, e uma forma de ampliar nossa receita”, ressaltou o presidente da Imprensa Oficial.

Ampliação – Os dois órgãos querem ampliar a parceria para outros estados brasileiros, por meio da Associação Brasileira de Imprensas Oficiais (Abio), da qual Jorge Panzera é representante na Região Norte. Recentemente, Cilene Sabino também assumiu a presidência da Federação Nacional das Juntas (Fanaju). As duas entidades de representação nacional podem repassar a experiência da parceria firmada no Pará aos demais associados.

Para acertar os detalhes da parceria, haverá um encontro nos dias 18 e 19 de junho, em São Paulo (SP), com a participação de Jorge Panzera, Cilene Sabino e representantes da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, da Abio e da Fenaju.

“Esse é um trabalho que está iniciando aqui no norte do Brasil e, se Deus quiser, chegará a todo o território nacional. Por meio dessa parceria, a gente vai conseguir levar mais facilidade para que o cidadão brasileiro possa realizar a abertura de empresa de maneira correta, adequada, célere, e, principalmente, com toda a segurança jurídica que essa parceria vai trazer para o empreendedor do Pará e de outros estados brasileiros”, ressaltou Cilene Sabino.

Certificação – O certificado digital é um documento eletrônico que contém dados sobre a pessoa ou empresa que o utiliza para comprovação mútua de autenticidade. O serviço é um compromisso social da Imprensa Oficial do Estado, e garante o controle e a segurança de informações de diversos tipos de transações eletrônicas, com o objetivo de acabar com a distância física, evitar fraudes e falsificações de documentos, além de reduzir custos com papel e simplificar a rotina de instituições que precisam de agilidade nos processos, com total sigilo das informações eletrônicas.

Atualmente, a emissão do certificado digital é feita somente na sede da Imprensa Oficial, localizada na Travessa do Chaco, 2271, no bairro do Marco, em Belém. A emissão do e-CPF (para pessoa física) e do e-CNPJ (pessoa jurídica), pode ser feita mediante agendamento, pelos telefones (91) 4009-7843 / 4009-7828, ou e-mail: ar@ioe.pa.gov.br. Outras informações estão disponíveis no site http://www.ioepa.com.br/2012/#1

Por Julie Rocha

Continue lendo

Cidade

Natura vira 5º maior grupo de cosméticos do mundo

Publicado

em

A informação foi publicada originalmente no Financial Times, reproduzida pelo site Infomoney e já confirmada pela maior multinacional brasileira de cosméticos. Às vésperas de completar 50 anos de atividades, a Natura mantém cerca de 1,7 milhão de consultoras de vendas em sete países e obteve, em 2018, receita líquida de  R$ 8,447 bilhões em 2018. Um crescimento de quase 10% em comparação com 2017.

A Avon Cosméticos é uma empresa norte-americana criada em 1886 como  Califórnia Perfume Company, em Manhattan, Nova York. Somente em 1939, em homenagem a William Shakespeare, passou a ser conhecida como Avon, nome inspirado na cidade natal do escritor, Stratford-upon-Avon. A empresa opera no Brasil há 67 anos.

Com a compra da Avon, a Natura avança no projeto de expansão da multinacional brasileira, que já adquiriu a Aesop, em 2012, e a The Body Shop, em 2017. Este ano, a Natura consolida a criação de um grupo global, multimarca e multicanal, denominado Natura&Co, incluindo agora a Avon.

A Natura&Co já tem, sem contar a chegada da Avon, mais de 18 mil profissionais, atuando em 73 países, nos cinco continentes. Só na Natura são 6,6 mil colaboradores, com uma plataforma online de vendas no Brasil que ultrapassa 5 milhões de consumidores registrados e foi eleita, em 2018, como o melhor e-commerce do País.

Além das fábricas em Benevides (PA) e Cajamar (SP), a Natura tem estrutura formada pela sede administrativa, em São Paulo, pelo Hub logístico de Itupeva (SP) e por 13 centros de distribuição. Incluindo o CD de Castanhal, são oito no Brasil e cinco na América Latina), fora os dois centros de pesquisa e tecnologia instalados em Cajamar e Benevides.

Segundo o Relatório de Resultados de 2018, a Natura ultrapassou em mais de 50%  a meta para 2020 na Panamazônica, que previa a geração de R$ 1 bilhão em volume de negócios na região.

O Programa Amazônia foi lançado em 2011, com o objetivo de direcionar investimentos para a região. E o Ecoparque em Benevides (PA), centro empresarial baseado no conceito de simbiose industrial, foi inaugurado em 2014.

Com a compra que será anunciada nesta quarta-feira, a empresa brasileira ficará com 76% da empresa, enquanto o restante será detido por acionistas da Avon. Tão logo a notícia começou a circular, a Natura passou de uma queda recente de 6% para a alta de 5% das ações na Bolsa de Valores.

Segundo estimativas de analistas, o resultado do acordo de compra transformaria a Natura na 5ª maior empresa do setor de cosméticos, com vendas de US$ 10 bilhões.

 

Fonte: Rede Pará
Foto: Reprodução

Continue lendo

Cidade

Justiça Federal revoga último embargo de produção da Hydro-Alunorte

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Ver-o-fato
O embargo de produção da refinaria de alumina Alunorte, desta vez na área criminal, foi suspenso nesta segunda-feira, 20, por decisão do juiz federal Arthur Pinheiro Chaves, o mesmo que na quarta-feira passada, 15, havia revogado o embargo no processo civil. Com a decisão de hoje, a Alunorte, do grupo Norks Hydro, deverá retomar a totalidade de sua produção, que funcionava pela metade desde fevereiro do ano passado. O Depósito de Resíduos de Bauxita (DRS2), onde são armazenados os rejeitos da alumina, porém, continua sob embargo.
A produção na mina de bauxita da Hydro em Paragominas, segundo nota enviada pela empresa ao Ver-o-Fato, será ampliada conforme a velocidade da retomada de produção na Alunorte. A decisão de aumentar também a produção na planta de alumínio primário Albras, da qual a Hydro é acionista, é esperada em breve.
“Estou satisfeita e encorajada por ver os grandes esforços de nossos empregados na Alunorte, na Albras e em Paragominas, em cooperação com as comunidades e autoridades locais. A retomada da produção na Alunorte é um passo importante para a produção normal em nossas operações estrategicamente importantes no Pará e uma base para nossa agenda para fortalecer a robustez e a lucratividade em toda a cadeia de valor”, afirma a presidente e CEO Hilde Merete Aasheim.
De acordo com John Thuestad, vice-presidente executivo da área de negócios de Bauxita e Alumina, a decisão federal “é muito importante para nossos empregados, comunidades locais, contratados e clientes. É a confirmação final de que a Alunorte pode operar com segurança e significa que reiniciaremos toda a cadeia de valor do alumínio, o que é positivo tanto para nós quanto para o estado do Pará”.
Ele disse ainda que a empresa vai se concentrar em elevar a produção de forma segura, após vários meses de operações interrompidas, bem como continuar trabalhando para também retirar os embargos da nova área de depósito de resíduos de bauxita, o DRS-2”.
Aumento de capacidade
A Alunorte, que tem capacidade de produção anual de 6,3 milhões de toneladas, deverá atingir 75-85% da capacidade dentro de dois meses. A previsão é que um filtro prensa adicional entre em operação no terceiro trimestre de 2019, aumentando ainda mais a capacidade.
Com o embargo da Justiça Federal que impede a Alunorte de usar sua nova área de Depósito de Resíduos de Sólidos – DRS2 permanece em vigor, a Alunorte continua a utilizar o depósito DRS1com a moderna tecnologia do filtro prensa.

Continue lendo

Destaques

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com