Conecte-se Conosco

CÍRIO DE NAZARÉ

Corda dos promesseiros já está na Basílica de Nazaré

Publicado

em

A “corda dos promesseiros”, um dos ícones do Círio de Nazaré, que todos os anos, sempre no segundo domingo de outubro,  é realizado em Belém,  já está na capital paraense. A corda, que este ano terá 300 metros e cerca de 800 quilo, é sempre um motivo de preocupação para os organizadores d romaria e autoridades policiais. Pouco antes da procissão adentrar na Praça Santuário, à frente da Basília de Nazaré, os fiéis costumam corta-las em pedacinho que carregam como souvenir ou até mesmo como peça a ser comercializada com incautos ansiosos por levar uma lembrança da maior processão  religiosa do mundo, que reúne mais de dois milhões de pessoas nas ruas de Belém.

Esse objeto de desejo de milhares de fiéis foi apresentado ao público, na manhã desta quinta-feira (20),pelos organizadores da festa. A peça, que mede 300 metros de comprimento, veio de Santa Catarina, e foi confeccionada em sisal. O transporte  foi uma cortesia de uma a empresa ;

Como começou a tradição

A corda passou a fazer parte do Círio desde 1885, quando uma enchente da Baía do Guajará alagou a orla desde próximo ao Ver-o-Peso até as Mercês, no momento da procissão, fazendo com que a berlinda ficasse atolada e os cavalos não conseguissem puxá-la. Os animais então foram desatrelados e um comerciante local emprestou uma corda para que os fieis puxassem a berlinda. A partir daí a corda então foi introduzida no Círio e ao longo de sua permanência já foi alvo de diversas polêmicas, sendo inclusive sendo abolida da festa entre 1926 e 1930, pelo Arcebispo Dom Irineu Jofily.

 

 

Atualmente é um dos maiores ícones da festa, utilizada na Trasladação e no Círio. Confeccionada em sisal torcido, possui 300 metros de comprimento (para cada uma das romarias) e duas polegadas de diâmetro. Até 2003, o formato da corda era de “U” com as duas extremidades atreladas à berlinda. A partir de 2004, por motivos de segurança, a corda ganhou formato linear dividida em cinco estações confeccionadas em duralumínio que ajudam a dar tração à corda e ritmo às romarias. Em cada uma das estações há a presença constante dos chamados animadores da corda que têm a função de estimular os promesseiros por meio de palavras de ordem, cânticos e orações. Atualmente, o atrelamento à berlinda ocorre de forma planejada.

Nota-se o esforço incansável da Diretoria do Círio e órgãos de segurança em fazer com que, especialmente no Círio, a corda chegue até seu destino final sem que seja cortada pelos próprios promesseiros. As campanhas de conscientização começaram em 2011 e são lançadas próximo ao Círio como forma de tentar fazer com que os objetos cortantes não sejam utilizados.

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual