O treinador Dado Cavalcanti comandou mais um treinamento para definir o time que vai estrear no Campeonato Paraense, segunda-feira, contra Paragominas, na Curuzu. Ainda sem o volante Ricardo Capanema e o meia Celsinho, que estão em tratamento médico, o comandante bicolor optou por Ilaílson e Marcelo Costa. O restante da equipe foi a mesma que vem sendo trabalhada.

No trabalho, Dado priorizou as jogadas ofensivas e defensivas de bola parada, além dos contra-ataques. A equipe testada teve Emerson; Crystian, Fernando Lombardi, Gilvan e Raí; Ilaílson, Augusto Recife, Raphael Luz e Marcelo Costa; Leandro Cearense e Fabinho Alves.

O Paysandu estreia no Parazão na próxima segunda-feira, a partir das 20h30, na Curuzu, contra o Paragominas.

Fonte:g1
Foto: Fernando Torres/Assessoria do Paysandu

Policiais civis e rodoviários estaduais apreenderam nesta quinta-feira (28) cerca de cinco quilos de haxixe que eram transportados no interior de um ônibus que seguia pela estrada da Alça Viária, em Marituba, na Grande Belém. Segundo a Polícia Civil, um homem foi preso e autuado em flagrante na Delegacia de Repressão a Entorpecentes (DRE), localizada em Ananindeua.

Segundo o delegado Hennison, os policiais receberam a denúncia de que um carregamento de drogas estaria vindo desde a capital goiana, passando por Redenção, no sul do Pará, com destino a Belém. A polícia informou que continuará com as investigações para apurar a origem da droga.

Ao cruzar a barreira de fiscalização na estrada, o ônibus foi revistado e a droga, derivada da maconha, foi encontrada escondida nas bagagens do suspeito que, após a prisão, foi conduzido a uma unidade do sistema penal, na Grande Belém, onde deverá responder por tráfico de drogas. As investigações serão aprofundadas para apurar a origem da droga.

Fonte:g1
Foto: Divulgação/Polícia Civil do Pará

Um homem de 31 anos, suspeito de envolvimento em pelo menos três assaltos, foi preso na última quarta-feira (27) em Marabá, no sudeste do Pará. Segundo a polícia, ele foi indiciado pelos crimes após ter sua fotografia reconhecida pelas vítimas. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (28).

Após o reconhecimento, o delegado Luiz Otávio Barros requereu a custodia preventiva do acusado à Justiça. O delegado e os investigadores Josimar Ribeiro e José Santos localizaram o procurado após ele ter sido reconhecido pelas pessoas que foram assaltadas em via pública com uso de moto.

“O suspeito foi identificado por uma das vítimas como sendo o carona de uma moto usada em três ocorrências de roubos distintas”, explica o delegado. Nas três ocasiões, o suspeito ameaçava as vítimas com uma arma de fogo.

Fonte:g1

A prefeitura de Belém adiou o pagamento dos funcionários públicos referente ao mês de janeiro para o dia 3 de fevereiro. Segundo a Secretaria Municipal de Administração, erros de cálculo fizeram com que os contra-cheques disponibilizados entre os dias 25 e 27 tivessem de ser excluídos. Com esta medida, o pagamento dos servidores ativos e aposentados, que deveria acontecer até o dia 29 de janeiro, será feito no dia 3 de fevereiro.

A prefeitura também informou que os funcionários que recebem salário abaixo de R$ 880 – que corresponde ao  valor do salário mínimo desde o dia 1º de janeiro de 2016 – vão receber a diferença entre o salário mínimo do ano passado e o atual na forma de abono, que só será incorporado aos vencimentos em maio, na data-base da categoria.

Política salarial
Em julho de 2015 a presidente Dilma Rousseff assinou a lei 13.152, que dispõe sobre a política de valorização do salário-mínimo. Nesta lei,  a presidência determina que “os reajustes para a preservação do poder aquisitivo do salário-mínimo corresponderão à variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC), calculado e divulgado pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), acumulada nos 12 (doze) meses anteriores ao mês do reajuste” para preservar o poder de compra do consumidor.

Com a política salarial da prefeitura de incorporar o benefício apenas na data-base, os funcionários municipais que recebem o salário mínimo ficam, na prática, sem o reajuste de 11,6% determinado pela presidência ser incorporado nos seus salários até o mês de maio.

Segundo a prefeitura de Belém, fazer o pagamento do salário mínimo levando em consideração as gratificações acrescidas ao valor base é legal. A prefeitura se baseia em súmulas vinculantes do Supremo Tribunal Federal para afirmar que nenhum servidor deve ter remuneração menor que o salário mínimo acrescido de gratificações.

Veja, na íntegra, a nota da prefeiturasobre o pagamento dos servidores:

A Secretaria Municipal de Administração-Semad informa que, em razão de cálculos indevidos, os contra-cheques disponibilizados entre o dia 25 e a manhã do dia 27 foram excluídos. Os contra-cheques estão sendo reprocessados e, por esse motivo, o pagamento dos servidores ativos e inativos será feito excepcionalmente até o próximo dia 3 de fevereiro.Os servidores que recebem remuneração abaixo do novo salário mínimo, de R$ 880,00, receberão a diferença em forma de abono, que será incorporado ao vencimento na data-base de maio próximo. Os demais servidores terão seus reajustes negociados na data-base, em maio.

Entendimento do STF

De acordo com as súmulas vinculantes 15 e 16, do Supremo Tribunal Federal, nenhum servidor deve ter remuneração menor que o salário mínimo, sendo que o reajuste do salário mínimo deve ser aplicado sobre a remuneração total (vencimento base mais gratificações). Por outro lado, de acordo com a Constituição Federal (artigo 37, inciso XIII), é vedada a vinculação do valor do salário mínimo para qualquer outra finalidade. Portanto, qualquer reajuste automático baseado no mínimo é considerado vinculação, o que é inconstitucional.

Conjuntura nacional

No momento em que a crise econômica nacional se torna mais aguda, vários Estados e inúmeros municípios brasileiros se encontram na situação de ter que atrasar e parcelar o pagamento dos salários dos funcionários públicos.

A Prefeitura de Belém vem pagando os salários em dia, inclusive o 13o salário, e quer continuar honrando seus compromissos com todos os servidores, garantindo os reajustes dentro da lei, de forma responsável, com o pagamento do salário mínimo e do piso de acordo com a legislação.

Fonte:g1

Vigilantes da Universidade do Estado do Pará (Uepa) protestaram contra os salários atrasados na manhã desta quinta-feira (28), em frente ao campus do bairro do Telégrafo, em Belém. Eles chegaram a instituição durante a divulgação do listão de aprovados no vestibular 2016.

A Secretaria de Administração do Governo do Estado (Sead) informou que cada órgão gera um contrato com a empresa de vigilância e é reponsável pelos pagamentos.

Os trabalhadores, que atendem uma empresa terceirizada contratada pela Uepa, disseram que além de salários atrasados o 13° salário de dezembro de 2015 não foi pago. A manifestação foi organizada pelo Sindicato dos Vigilantes do Pará.

Segundo o presidente do sindicato o problema afeta 50 trabalhadores na Uepa. “O problema está em vários órgãos do Governo do Estado, chegam a 600 terceirizados com salários atrasados. Aqui na Uepa eles não receberam o salário de dezembro e nem o décimo, o que significa que estamos caminhando para mais um atraso. O Governo não está repassando para as empresas, algumas tem suporte para pagar seus funcionários mesmo sem o repasse”, afirma.

Fonte:g1

Um grupo de manifestantes bloqueia desde a madrugada desta quinta-feira (28) um trecho da rodovia BR-230, a Transamazônia, no município de Itaituba, no sudoeste paraense.

O protesto se concentra no quilômetro seis da rodovia e seria coordenado por agricultores de 10 comunidades da região que reivindicam a realização de obras de infra-estrutura e a implementação de programas como o “Luz para Todos”.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), equipes de agentes de Marabá estão se deslocando para a área com o objetivo de negociar o fim da manifestação.

Fonte:g1

Atravessando um dos piores momentos de sua história, a Petrobras vai cortar pelo menos 30% do número de funções gerenciais em áreas não operacionais. Em comunicado enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) nesta quinta-feira (28), a estatal afirma que há cerca de 7,5 mil funções gerenciais aprovadas, das quais 5,3 mil são em áreas não operacionais.

O corte faz parte da revisão do modelo de gestão e governança da estatal, divulgado nesta quinta. As medidas podem resultar em uma redução de custos de R$ 1,8 bilhão por ano.

“É um passo muito importante para a companhia, não só para o presente, mas notadamente para o futuro da companhia”, disse o presidente da estatal, Aldemir Bendine, à imprensa após a divulgação da reestruturação. “É um processo bastante abrangente, estruturante de grande complexidade (…). Chegamos a um modelo que eu julgo que é algo revolucionário para a empresa.”

Em comunicado, a Petrobras afirma que a revisão do modelo “ocorre em função da necessidade de alinhamento da organização à nova realidade do setor de óleo e gás e da priorização da rentabilidade e disciplina de capital, além de fortalecer a governança da companhia através de maior controle e conformidade nos processos e da ampliação dos níveis de responsabilização dos executivos”.

As ações da Petrobras operavam em alta após o anúncio, chegando a subir mais de 12%.

Duas fases
Segundo a Petrobras, na primeira fase da reestruturação, prevista para os próximos 30 dias, haverá redução de 14 funções na alta administração, e o número de diretorias cairá de sete para seis, com a junção das diretorias de Abastecimento e de Gás e Energia.

As funções gerenciais ligadas diretamente ao Conselho de Administração, diretores e presidentes serão reduzidas de 54 para 41.

A segunda fase, prevista para fevereiro, vai envolver os demais cortes entre funções gerenciais. As nomeações e a alocação de equipes ocorrerão a partir de março. As contratações, que eram feitas de forma descentralizada, passam a ser feitas pela diretoria de Recursos Humanos.

Segundo Bendine, a reforma da parte operacional da companhia só será feita depois de concluídas as mudanças na parte não operacional – e não há prazo determinado para isso. Já os efeitos das mudanças anunciadas nesta quinta-feira, em termos de economia para a companhia, devem ser sentidos gradualmente, ao logo deste ano e dos próximos.

Fonte:g1

A inflação do aluguel, medida pelo Índice Geral de Preços – Mercado) registrou variação de 1,14% em janeiro, mais do que o dobro de dezembro, quando o indicador variou 0,49%, segundo informou nesta quinta-feira (28) a Fundação Getulio Vargas (FGV). No primeiro mês de 2014, a taxa havia ficado em 0,76%.

Em 12 meses, o índice acumula alta de 10,95%.

Usado no cálculo do IGP-M, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que mede os preços no atacado, avançou de 0,39% para 1,14%.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que avalia os preços no varejo e também entra no cálculo do IGP-M, registrou variação de 1,48%, em janeiro, ante 0,92%, em dezembro, com destaque para o grupo de gastos relativos a educação, leitura e recreação (de 1,05% para 3,67%).

Com peso menor que o dos outros subíndices, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) variou 0,32%, acima do resultado de dezembro, de 0,12%.

Fonte:g1