Conecte-se Conosco

MUNICÍPIOS

Ação requer bloqueio de verbas de ex-secretário de Obras e empresária em Pacajá

Publicado

em

O Ministério Público do Estado do Pará ajuizou na última quarta-feira (12) uma Ação Civil Pública contra o antigo titular da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop) e a responsável legal pela Construtora Lorenzoni. Em 2018, a empresa recebeu R$ 3 milhões da Sedop para asfaltar 4km de vias do município de Pacajá, contudo somente 2 km foram entregues, com serviço de péssima qualidade e mal acabado. A Promotoria requer de forma liminar o bloqueio de verbas do ex-secretário e da empresária e a indisponibilidade de bens dos acusados.

Localizado no sudoeste do Pará, à 600 km da capital, o município de Pacajá têm a população estimada de 47 mil habitantes, que sofrem diariamente com a poeira e lama das ruas não asfaltadas da cidade. Nos 2 km que foram contemplados com o serviço, o asfalto não comporta sequer o peso de motos, além de apresentar rachaduras, falta de sinalização horizontal, drenagem inadequada e outros problemas.

O inquérito civil que deu origem à ACP foi instaurado após a Promotoria de Justiça de Pacajá receber denúncias durante a execução do serviço. Cidadãos do município relataram a péssima qualidade dos serviços de asfaltamento e urbanização realizados pela Construtora Lorenzoni.

Além das denúncias, um relatório de fiscalização realizado pela Prefeitura de Pacajá aponta uma série de problemas nas obras de pavimentação asfáltica.

Em 2019, durante as investigações do inquérito civil, a Auditoria Geral do Estado (AGE) apurou irregularidades no serviço, que faz parte do programa “Asfalto na Cidade”. O programa é do Governo Estadual e tem como objetivo melhorar a malha viária dos municípios paraenses.

Para o promotor de Justiça responsável pelo município, Gerson Alberto de França, houve irregularidades na execução das obras. O promotor entende que a culpa pelo serviço mal executado é de Pedro Torres do Carmo, antigo chefe da Secretaria de Obras Públicas, e da representante da construtora, Norma Abucater Lorenzoni, pois “o ex-secretário da Sedop era, à época dos fatos, o titular da Secretaria Estadual responsável pela obra em questão, e tinha a obrigação de zelar para que a execução da obra transcorresse sem irregularidades, o que não foi o caso. O mesmo raciocínio serve à Norma Lorenzoni, tendo que foi beneficiada com recursos públicos pagos para custear uma obra pública de péssima qualidade” explica Gerson França.

Texto: Sarah Barbosa (estagiária de jornalismo)
Edição: Edyr Falcão

MARAJÓ

Secretário regional do Marajó em rede nacional por desvio de dinheiro em campanha; Vídeo

Publicado

em

Fonte: Portal Marajó

Levantamento feito pela TV GLOBO revela que, na última eleição, partidos se valeram de candidaturas de mulheres com desempenho eleitoral inexpressivo para cumprir a cota de 30% do uso do fundo eleitoral. Muitas nem sequer chegaram a fazer campanha.

No Pará, a candidata a deputada estadual Clivia Pinheiro Leão, pelo PROS, gastou R$ 170 mil de dinheiro público, mas converteu só 49 votos. Em sua página do Facebook, Clivia aparece fazendo campanha para o candidato a deputado federal Xarão Leão, um parente seu, e não para si mesma. Xarão, ou José Antonio Azevedo Leão, é o presidente do partido no estado.

Clivia registrou gastos de R$ 70 mil em uma gráfica que também consta na prestação de contas de Xarão. Ex-prefeito de Breves (PA), Xarão já foi condenado em primeira instância à inelegibilidade por desvio de dinheiro público, mas teve o registro deferido no ano passado. Ele não se elegeu a deputado.

Na prestação de contas de Clivia, R$ 33 mil foram gastos em locação de veículos. Os donos dos carros são Eline das Graças Azevedo Leão, Karen Nunes Leão e Gustavo Silva Leão. Procurada, Clivia não quis atender a reportagem. Após o contato, ela apagou todas as publicações no Facebook em que fazia propaganda para Xarão.

A reportagem será exibida em rede nacional pelo Fanático do próximo domingo (23).

Veja a Chamada do Jornal 

Xarão Leão ocupa atualmente o cargo de articulador do governo do estado no marajó como secretário regional, segundo pessoas mais próximas ao politico é um dos possíveis candidatos a prefeitura de Breves, a maior cidade do arquipélago.  

Continue lendo

MARABÁ

PF apreende 40 toneladas de minério manganês transportados sem autorização

Publicado

em

Fonte: G1 Foto Reproducao

Ação ocorreu no município de Marabá


A Polícia Federal apreendeu, na madrugada desta sexta-feira, 14, um caminhão de grande porte que transportava, sem autorização legal, aproximadamente quarenta toneladas de minério manganês. A apreensão ocorreu no município de Marabá, no sudeste do Pará, durante a continuação da operação Rota do Minério, que foi deflagrada no dia 7 de fevereiro deste ano, com objetivo de desarticular o esquema criminoso de extração ilegal de minério na região do Pará, que tem um histórico recorrente dessa prática criminosa, segundo a PF.

De acordo com a PF, a matéria prima encontrada pertence no caminhão à União Federal, constituindo crime contra o patrimônio, na modalidade usurpação, além de crime ambiental.

Após o flagrante, foi lavrado auto de prisão contra o condutor do veiculo, que irá responder por crime contra o patrimônio, com pena prevista de até cinco anos de detenção, e crimes ambientais, com pena de detenção de até um ano.

Na sexta-feira passada, 7, foram apreendidos oito caminhões de grande porte, que transportavam aproximadamente 500 toneladas de minério de manganês acondicionados em oito veículos, que também foram apreendidos.Segundo a PF, os caminhões tinham como destino o porto de Barcarena, de onde a mercadoria seria exportada. Na ocasião foram presas sete pessoas.

Continue lendo

MARAJÓ

Três homens foram presos por coletar caranguejo em período de defeso em Soure

Publicado

em

Fonte: Portal Marajó

Três homens foram presos nesta quinta (13) em Soure, no Marajó, suspeitos de prática de crime ambiental ao coletar caranguejos no período de defeso, quando a prática é proibida por lei.

Segundo a Polícia Civil, a coleta irregular foi constatada no rio Paracauari.

Os policiais averiguaram as embarcações e recolheram os animais, que foram entregues ao Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Icmbio).

Em seguida, os caranguejos foram devolvidos para a natureza.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital