Conecte-se Conosco

BRASIL GERAL

Açude se rompe no Vale do Jequitinhonha, em Minas Gerais

Foto: Reprodução / Fonte: Notícias ao Minuto

Publicado

em

Um açude se rompeu em Aricanduva, no Vale do Jequitinhonha, na manhã desta quinta-feira, 23. Segundo a Defesa Civil de Minas Gerais, a água elevou em um metro o nível de rio que corta a zona rural do município e provocou inundação.

Até o momento, não há registro de mortos, feridos ou desalojados.

Chove forte em vários pontos do Estado nesta quinta. A Defesa Civil informou que monitora a situação no município.

Ainda não há informações sobre as causas do rompimento do açude.

A elevação do rio impediu a circulação de pessoas, além de ter atingido casas, estabelecimentos comerciais e carros.

Na Grande Belo Horizonte, a expectativa da Defesa Civil é que o volume de chuvas chegue a 250 milímetros entre esta quinta e sábado, 25. Para sexta-feira, 24, são esperadas fortes tempestades na capital.

BRASIL GERAL

Bolsonaro inaugura alça que liga Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha

Publicado

em

Por Mariana Tokarnia - Repórter da Agência Brasil - Rio de Janeiro

O presidente Jair Bolsonaro e representantes do governo federal participaram hoje (15) da cerimônia de inauguração da alça de ligação da Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha, no Rio de Janeiro. Em discurso, o presidente exaltou os militares e destacou a estratégia de concessões e parcerias com o setor privado como forma de desenvolver o país.

“Esta ponte aqui [Ponte Rio-Niterói] foi um decreto de Costa e Silva, eleito, de acordo com a Constituição de 1967, presidente da República; e foi inaugurada no governo [do presidente Emílio Garrastazu] Médici. Esta parte aqui [alça de ligação à Linha Vermelha] é uma extensão dela”, disse. “O Brasil não existiria se não fossem as obras realizadas no governo militar”, completou.

O presidente também se comprometeu a entregar obras que foram iniciadas em governos anteriores, mas que gostaria de fazer mais se não fosse a limitação do orçamento. “Nosso orçamento não nos contempla naquilo que nós gostaríamos de ter, mas procuramos fazer o melhor de nós para todos no Brasil”.

Presente na cerimônia, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio de Freitas, reforçou a estratégia de parcerias com o setor privado como forma de melhorar a infraestrutura do país. Segundo ele, as concessões ao setor privado são um “acerto” e o Brasil “está entrando no caminho certo”.

Participaram também do evento o chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, o general Augusto Heleno; o juiz Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal, além de prefeitos e parlamentares.

Alça de ligação

A partir deste sábado, os veículos coletivos e de passeio que têm permissão de passar na Linha Vermelha poderão trafegar pelo trecho. A alça é um caminho mais rápido para quem sai de Niterói e acessa a Linha Vermelha, no Rio de Janeiro.

A Linha Vermelha é uma das principais vias expressas da capital fluminense, que liga os municípios do Rio e São João de Meriti, passando também por Duque de Caxias.

O viaduto tem 2,5 quilômetros de extensão em trecho elevado e duas faixas de rolamento. Segundo a concessionária Ecoponte, responsável pelo empreendimento, a obra também vai melhorar o trânsito na Avenida Brasil, no sentido zona oeste, atravessando o bairro do Caju. Assim, cerca de 15 mil veículos deixarão de cruzar a via para acessar a Linha Vermelha pela saída da ponte diariamente.

Em paralelo à alça com a Linha Vermelha, a Ecoponte também está construindo a Avenida Portuária, via expressa com dois sentidos, exclusiva para veículos de cargas, que ligará Manguinhos, na Avenida Brasil, com o portão 32 do Cais do Porto, no Caju. Segundo a concessionária, a Avenida Portuária está com 75% da obra concluída e com previsão de ser entregue em agosto de 2020.

O investimento da concessionária é de R$ 450 milhões na alça de ligação da Ponte Rio-Niterói à Linha Vermelha e na Avenida Portuária.

Após a cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro participa, na tarde de hoje de celebração religiosa comemorativa dos 40 Anos da Igreja Internacional da Graça de Deus, em Botafogo. Após o evento religioso, Bolsonaro retorna para Brasília.

Continue lendo

BRASIL GERAL

Grupo Boticário cresce 9% em 2019,com receita de R$ 14,9 bilhões

Publicado

em

Foto Reprodução

Desempenho, mais uma vez, ficou acima do mercado de Perfumaria e Cosméticos. Investimentos chegaram a R$ 330 milhões

São Paulo, 14 de fevereiro – O Grupo Boticário cresceu 9% em 2019, com receita líquida de R$ 14,9 bilhões. O resultado foi acima da média do mercado, que deve variar entre 5% e 7%, de acordo com a Abihpec (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), e superior ao crescimento do setor de varejo no ano, de 1,8%, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Se forem considerados os resultados de Beleza na Web, plataforma digital de beleza que o Grupo adquiriu em 2019, o crescimento foi de 11,7% e a receita passa para R$ 15,3 bilhões. A informação foi dada nesta quinta (13) pelo CEO do Grupo, Artur Grynbaum. Para 2020, a expectativa é manter o ritmo de crescimento no mesmo patamar.

Para impulsionar ainda mais os negócios, o Grupo Boticário prevê aumentar os investimentos, passando dos R$ 330 milhões investidos no ano passado para uma faixa que varia entre R$ 350 e R$ 400 milhões em 2020, com foco em aumento da capacidade de produção e capacidade logística.

Evolução

Neste ano, em que o Grupo Boticário completa dez anos, Grynbaum aproveitou para fazer uma análise comparativa do período. A receita do Grupo passou de R$ 4,5 bilhões para R$ 14,9 bilhões – excluindo Beleza na Web. O número de empregos diretos passou de 6 mil para 12 mil funcionários. Ao todo, são 47 mil empregos diretos e indiretos.

Com forte investimento na área de Inovação, Pesquisa e Desenvolvimento, o Grupo lançou 1,7 mil produtos em 2019, somando cerca de 30 projetos de pesquisa, entre eles, a fragrância Linda Felicidade, produzida a partir de técnicas de neurociência para ativar a sensação de felicidade, a primeira base do mercado com FPS 70 e ácido hialurônico e a nova linha de cabelos, Eume, que já está sendo distribuída pela Multi B em canais como farmácias, perfumarias e lojas multimarcas.

Em termos de estrutura, a companhia opera duas fábricas, uma em São José dos Pinhais, no Paraná, e outra em Camaçari, na Bahia, onde foram fabricados 435 milhões de produtos em 2019, e seis centros de distribuição, por onde expediu cerca de 430 milhões de produtos, uma média de 35,7 milhões ao mês, mais de 1 milhão por dia. Do total de centros de distribuição, um foi inaugurado em Varginha, Minas Gerais, e outros dois foram incorporados após a aquisição de Beleza na Web, dos quais um em São Paulo e outro em Tocantins.

Internacionalização

O Grupo Boticário segue reforçando sua estratégia de internacionalização, iniciada há 34 anos quando abriu o primeiro O Boticário em Portugal, país em que hoje soma 56 lojas do Boticário e quem disse, berenice?. As operações no exterior são próprias ou com parceiros estratégicos. O Grupo fortaleceu a presença na Colômbia, onde opera com dez lojas e no canal de venda direta.

No final do ano passado, inaugurou a segunda loja do Boticário no Paraguai. Nos Estados Unidos, atua por meio de e-commerce, em parceria com a Amazon e a Boots para ampliar a presença da marca Nativa SPA. A companhia está com três lojas em Dubai e estuda ampliar a presença nos Emirados Árabes. Ao todo, o Grupo está presente em 15 países, além do Brasil.

Sobre o Grupo Boticário

Constituído em 2010 e referência internacional no varejo de beleza, o Grupo Boticário é controlador das marcas O Boticário, Eudora, quem disse, berenice?, The Beauty Box, Multi B e Vult, além de mantenedor da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza. Está presente em 15 países e conta com uma força de trabalho composta por 12 mil colaboradores diretos que acreditam que beleza não é o que a gente sonha, imagina ou quer. Beleza é o que a gente faz.

Continue lendo

BRASIL GERAL

Comissão mista pode votar na terça 13° para beneficiário do Bolsa Família

Publicado

em

Fonte: Com informações da Agência Senado

A comissão mista da medida provisória que estabelece o pagamento de 13° para beneficiários do Bolsa Família (MP 898/19) pode votar na terça-feira (18), o relatório do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

A deliberação foi adiada pela quarta vez na quarta-feira (12) porque não houve entendimento com o governo para a aprovação do texto modificado pelo relator.

Na versão original, a MP garantiu o 13º do Bolsa-Família apenas em 2019 para compensar a alta da inflação no ano. Randolfe optou por tornar permanente a iniciativa e estender o 13° anual também para quem recebe o Benefício de Prestação Continuada (BPC), que atende idosos e pessoas de baixa renda com deficiência.

O relator retirou alguns pontos que havia incluído em relatórios anteriores, como a previsão de reajuste anual dos benefícios do Bolsa Família. Apesar de ressaltar o mérito que teria a mudança para garantir a manutenção do poder de compra dos beneficiários e compensar a inflação, Randolfe propôs que o reajuste seja analisado por projeto de lei, em debate mais amplo para o aperfeiçoamento do programa.

O senador também alterou a fonte de financiamento destinada ao pagamento do 13°. A versão anterior do relatório indicava como fonte de recursos a tributação sobre lucros e dividendos pagos por empresas aos acionistas. Na nova versão, os recursos sairão da tributação das aplicações em fundos de investimentos fechados.

A reunião será realizada as 14h30, no plenário 19 da ala Alexandre Costa, no Senado.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital