Conecte-se Conosco

SANTARÉM

Agricultura orgânica beneficiará crianças indígenas e quilombolas de Santarém

Primeiro edital no Pará de merenda escolar exclusiva de orgânicos foi lançado com o apoio da Emater-PA

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

Publicado

em

A partir de outubro, cerca 100 crianças indígenas da etnia Borari, de Alter-do-Chão, distrito balneário de Santarém, oeste do Pará, começarão a receber kits de merenda escolar com artigos orgânicos, como farinha e pupunha. Crianças quilombolas também serão contempladas.

A nutrição valorativa e regionalizada dos cinco mil e oitocentos alunos de 0 a cinco anos dos 37 estabelecimentos de creche, pré-escola e nível fundamental da rede pública do município é uma conquista da Associação dos Produtores Orgânicos do Tapajós (Tapajós Orgânicos), com o apoio do escritório local da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado do Pará (Emater), entre outras entidades. 

A ideia é que, durante a suspensão das aulas presenciais por conta da pandemia do novo coronavírus, as famílias continuem amparadas, a partir de logística especial de distribuição dos ingredientes para lanches e refeições.

O contrato do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE), via edital da Prefeitura, é o primeiro na história do Pará direcionado com exclusividade para a agricultura orgânica. Em relação a chamadas públicas convencionais, a negociação de agora representa, para os agricultores, um faturamento 30% maior, sob o entendimento das peculiaridades dos sistemas produtivos e da qualidade de cada alimento. 

“Transformamos as necessidades de todos os envolvidos em uma asserção homogênea e realista. De maneira paulatina e progressiva, estamos criando e experimentando estratégias de raiz e base para que não só a cadeia produtiva de orgânicos se profissionalize e se consolide, mas que os consumidores finais conheçam a importância e consigam se aproximar com facilidade”, explica Ana Cláudia Siviero, engenheira agrônoma do escritório local da Emater. 

A perspectiva é reforçada pela coordenadora da Divisão de Atendimento ao Educando (DAE) da Secretaria Municipal de Educação (Semed), Vanda Maia. “O edital é pioneiro. Podemos dizer que o objetivo é ir muito adiante do que é previsto pelo FNDE (Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação) como mínimo de aquisição da agricultura familiar”, esclarece. 

Modelo Participativo

Em caráter preliminar, 15 famílias fornecerão, pelo período de um ano, mais de 30 toneladas de 13 produtos cultivados e beneficiados sem nada de agrotóxicos e fertilizantes químicos, em conformidade à legislação do setor, a um valor total de R$ 200 mil.  

“Todos ganham: os recursos movimentarão a socioeconomia, os agricultores se sentirão mais estimulados e agregarão renda significativa e as milhares de crianças terão oportunidade de mais saúde”, resume a socióloga do escritório local da Emater, Nívea Araújo.

Para Cristiane Corrêa, representante da Emater na CTCAPOS e coordenadora do Grupo de Trabalho (GT) de Comercialização, a iniciativa de Santarém é um exemplo que pode ser seguido por todos os municípios do Pará: “Relaciona-se a mobilização e organização coletiva. Prestigiar os orgânicos como política pública é uma vertente de desenvolvimento sustentável e segurança alimentar”, concorda. 

Mercados

De acordo com o presidente da Associação Tapajós Orgânicos, José Cunha, a inserção de gêneros orgânicos em uma chamada exclusiva engrandece o segmento. “Vamos fornecer alimentos diferenciados com garantia de mercado, com preço justo. É um incentivo muito grande. O difícil não é produzir, é comercializar”, comenta.

Ele diz que a venda pelo PNAE absorverá pelo menos 30% da produção anual. O objetivo é, em 2021, ampliar o percentual. Além de merenda escolar, os produtores já entregam em domicílio, em contato por aplicativo de conversa e redes sociais. 

O maior escoamento, porém, é a Feira de Orgânicos, evento semanal promovido pela Emater há oito anos: a princípio, em modalidade itinerante; em 2017, virou instalação fixa no estacionamento da sede da Emater, toda quarta-feira, de 6h às 10h, com entrada livre e gratuita.

“Houve uma interrupção por causa da pandemia, mas já retomamos o evento. É um canal muito interessante como divulgação e geração de renda”, encoraja o engenheiro ambiental da Emater Adenauer Beling. 

Serviço: 

O Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos (CNPO) atualizado pode ser consultado online por qualquer cidadão (clique aqui).

A Feira de Orgânicos acontece toda quarta-feira, de 6h às 10h, no estacionamento do escritório local da Emater. O endereço é avenida Curuá-Una, sem número, bairro Prainha. Entrada livre. Quem tiver interesse pelo delivery na microrregião de Santarém pode contactar a Associação pelos seguintes números (whatsapp): (93) 99177-6240 e (93) 99199-3563.

Por Aline Miranda (EMATER)

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual