Conecte-se Conosco

EDUCAÇÃO

Aluno no Brasil falta mais e perde mais tempo de aula com bagunça, mostra Pisa

Publicado

em

Fatia dos brasileiros que se sentem tristes é maior que a média; apesar de melhor nota, meninas se sentem menos confiantes

Alunos brasileiros faltam mais na escola e perdem mais tempo de aula por indisciplina do que a média dos países que participaram do Pisa, principal avaliação internacional da educação básica. 

Além disso, demonstram ter menos confiança em sua capacidade, cooperam menos que os outros e têm visto aumentar casos de bullying, além de ter uma parcela maior de estudantes que se sentem “sempre tristes”.

As conclusões podem ser obtidas pelas respostas dos estudantes no questionário que acompanha a prova. Aplicada pela OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico) a cada três anos, ela avaliou em 2018 alunos de 15 anos de 79 países ou regiões.

Alunos da Escola Maestro Fabiano Lozano, na zona sul de São Paulo; Pisa 2018 mostra que alunos brasileiros faltam mais na escola e perdem mais tempo de aula por indisciplina do que a média dos países que participam da avaliação.

O exame abrange as áreas de leitura, destaque do relatório deste ano, matemática e ciências.

Segundo o relatório, 41% dos alunos brasileiros relataram que nas aulas de linguagem (no caso, óbvio, o português), o professor tem que esperar um longo tempo para os estudantes ficarem quietos. Eles alcançaram 19 pontos a menos na prova de leitura do que os estudantes que declararam que isso ou não acontece nunca ou ocorre raramente.

A média de alunos dos países da OCDE que registraram essa mesma constatação é de 26%.

O resultado contribuiu para que o Brasil fosse classificado como um dos países com pior clima disciplinar, ao lado de Argentina, Grécia e Espanha. 

Outra disparidade do Brasil em relação aos países da OCDE são as faltas: metade dos alunos não foi algum dia à escola nas duas semanas anteriores ao Pisa. A média da organização é menos da metade: 21%.

Por outro lado, o país se junta aos Estados Unidos e ao Reino Unido como um dos países em que há mais competição do que colaboração na escola, ao contrário de Alemanha, Dinamarca, Holanda e Japão.

A proporção de alunos brasileiros que diz que seus colegas cooperam uns com os outros é de 62%, e a dos que dizem competir, de 57%. Ambas são maiores que as da média da OCDE.

Por outro lado, a parcela de alunos sem autoconfiança é maior. No Brasil, 77% acham que conseguem normalmente achar a saída para situações difíceis. Na OCDE, o índice sobe para 84%.

No recorte de gênero, é possível perceber que as meninas são, em geral, menos competitivas e mais motivadas que os meninos, segundo o relatório. E, embora tenham desempenho superior em leitura e semelhante em ciência, a boa performance superior não impede que elas tenham mais medo de falhar, de acordo com as conclusões da avaliação. Há outros indícios de piora no clima escolar.

De modo geral, considerando meninos e meninas, o relatório mostra que a satisfação dos adolescentes de 15 anos com a vida diminuiu no mundo, em média 0,3 ponto em uma escala de 0 a 10, e 0,5 ponto em países como Brasil, onde chegou a 7,05, Estados Unidos (6,75), Japão (6,18) e Reino Unido, que teve a queda mais drástica, de 0,81, caindo para 6,16.

A fatia de alunos brasileiros que declara se sentir sempre triste é consideravelmente mais que o dobro da média da OCDE: 13% do total, contra 6%, só menor que a de Brunei, Macau e Malásia.

O índice de pessoas que sofre bullying também aumentou no Brasil, assim como em outros países como Colômbia e República Dominicana. Os alunos que disseram sofrer a prática algumas vezes por mês passou de 17,5%, em 2015, para 29% em 2018.

Nem tudo, porém, são más notícias: apesar de todas as dificuldades, 83% dos alunos brasileiros relataram que seu professor demonstra satisfação em lecionar, mais do que a média de 74%. O interesse do educador está relacionado a maiores notas no mundo todo.

Leitura

Desempenho por país

PosiçãoPaísPontuação
1Beijing, Shanghai, Jiangsu e Zhejiang (China)555
2Cingapura549
3Macau (China)525
4Hong Kong524
5Estônia523
6Canadá520
6Finlândia520
7Irlanda518
8Coréia do Sul514
9Polônia512
10Suécia506
10Nova Zelândia506
11Estados Unidos505
12Reino Unido504
12Japão504
13Austrália503
13Taiwan503
14Dinamarca501
15Noruega499
16Alemanha498
17Eslovênia495
18Bélgica493
18França493
19Portugal492
20República Tcheca490
21Holanda485
22Áustria484
22Suíça484
23Croácia479
23Letônia479
23Rússia479
24Itália476
24Hungria476
24Lituânia476
25Islândia474
25Bielorrúsia474
26Israel470
26Luxemburgo470
27Ucrânia466
27Turquia466
28Eslováquia458
29Grécia457
30Chile452
31Malta448
32Sérvia439
33Emirados Árabes Unidos432
34Romênia428
35Uruguai427
36Costa Rica426
37Chipre424
37Moldávia424
38Montenegro421
39México420
39Bulgária420
40Jordânia419
41Malásia415
42Brasil413
43Colômbia412
44Brunei408
45Catar407
46Albânia405
47Bósnia e Herzegovina403
48Argentina402
49Peru401
50Arábia Saudita399
51Tailândia393
51Macedônia393
52Azerbaijão389
53Casaquistão387
54Geórgia380
55Panamá377
56Indonésia371
57Marrocos359
58Líbano353
58Kosovo353
59República Dominicana342
60Filipinas340

Média da OCDE: 487

As cidades de Beijing, Xangai, Jiangsu e Zhejiang, na China, ficaram 1º lugar, com 555 pontos em média; nota média do Brasil foi de 413.

EDUCAÇÃO

Sisu oferta 237.128 vagas, em 128 instituições públicas de ensino superior

Publicado

em

Fonte: Com informações de Agência Brasil Foto: Reprodução

Após detectar falhas nas notas do Enem, MEC estende prazo para inscrições no Sisu. A inscrição é online e agora vai de de terça-feira, 21, a domingo, 26.

Após os erros com as notas dos candidatos do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019, o Ministério da Educação estendeu por mais dois dias o prazo para as inscrições ao Sistema de Seleção Unificada (Sisu). As inscrições para o Sisu vão de hoje, 21 de janeiro, até o próximo domingo, 26 de janeiro.

Em 2020, o programa oferece 237.128 vagas, distribuídas pelas 128 instituições públicas de todo o Brasil. O requisito básico para participação no Sisu 2020 é ter realizado o Enem 2019 e não ter zerado a redação.

No ato da inscrição, o candidato deve inserir o número de inscrição do Enem e a senha cadastrada. A inscrição é online e deve ser feita na página do Sisu.

Cronograma

Conforme o calendário atual, as inscrições devem ser realizadas entre os dias 21 e 26 de janeiro. Já o resultado será divulgado uma semana depois, no dia 28 de janeiro, ambos no site do Sisu.

Os aprovados devem realizar a matrícula na instituição em que foram aprovados, entre 29 de janeiro e 4 de fevereiro.

Além disso, os que não foram selecionados ainda podem inserir o nome na lista de espera, dos dias 29 de janeiro a 4 de fevereiro.

Mas, nesse caso, eles serão convocados pelas instituição almejada, entre 7 de fevereiro e 30 de abril.

Média da nota

No momento da inscrição é permitido optar por até duas opções de curso. Entretanto, alguns cursos possuem restrições.

A forma em que o Sisu será utilizado é de autonomia de cada instituição. Desse modo, determinado curso pode solicitar uma média ou uma nota mínima na prova. Assim, mesmo que com uma nota considerada boa, alguns candidatos podem não conseguir adentrar a alguns cursos e universidades.

Outra forma de classificação é com a atribuição de pesos distintos para as provas. Com isso, o cálculo da nota do aluno vai depender do curso em que está concorrendo.

Na ocasião, as instituições divulgam em seus sites o edital com as regras do programa.

Nota de corte

Ao longo do período de inscrição, uma vez ao dia, o MEC disponibiliza na página do Sisu as notas de corte.

Considerada a menor nota para o candidato concorrer a uma vaga, em determinado curso e instituição, a nota de corte é calculada conforme o número de vagas, a quantidade de inscritos e a nota deles.

Sendo assim, a nota de corte é uma base para o monitoramento da inscrição. Porém, não é pelo fato de possuir a nota de corte que será garantida a seleção.

Até o final das inscrições é possível modificar as opções de curso. Contudo, o Sisu considera apenas a última opção selecionada pelo estudante.

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Começou hoje o ano letivo nas Escolas Municipais

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Belém

Mais de 70 mil estudantes da educação infantil e ensino fundamental da rede municipal de ensino voltam às aulas nesta terça-feira, 21, e a Secretaria Municipal de Educação (Semec) preparou uma acolhida especial para apresentar o tema que vai acompanhar a programação em todas, este ano “Da Escola que Temos à Escola que Queremos: Vivências e Perspectivas da Rede Municipal de Educação de Belém”.

As boas vindas terão uma programação lúdica recreativa, buscando a socialização com jogos, palestras, contação de histórias e exibição de filmes. Durante as atividades, serão apresentados o cronograma escolar e as normas da escola. A intenção é promover a socialização entre alunos, escola e família, bem como mostrar que a escola é um lugar atrativo para aquisição de conhecimento e construção de aprendizado.

Programação – Cada escola terá sua programação própria, que vai envolver ações com música, arte, pintura, dobradura, pula-pula, etc. Para 50% desses alunos a escola é um ambiente desconhecido, e esse é um momento especial em que eles precisam sentir-se bem acolhidos, cuidados e reconhecer o espaço. A proposta é tornar as famílias participantes desse primeiro momento, o que  dará confiança e mostrará segurança para ambos, aluno e responsável. As atividades devem mostrar ao público de casa, – alunos antigos – e os recém-chegados que, onde se brinca, há também aprendizado.

Na escola Manuela Freitas, em São Brás, preparou o “Circuito Cultural e Artístico” para os mais de 1.000 alunos. As atividades vão ser realizadas, simultaneamente, e dentro da programação estão dança circular, pintura no rosto, arte e pintura coletiva, jogos de tabuleiro, contação de história, palestra “A Boa Convivência na Escola”, sessão de vídeo “Normas de Cortesias” e curta-metragem “Cuide-se”, nos turnos de manhã e à tarde.

Sismube – O Sistema Municipal de Bibliotecas Escolares (Sismube), tomando como base o tema anual, vai promover ações de promoção da leitura e de caráter literário artístico a partir do subtema “Da Biblioteca que temos à Biblioteca que Queremos: Desafios e Perspectivas do Trabalho com a Leitura”. E o projeto Baú das Histórias terá o subtema “Práticas Leitoras na Perspectiva Inclusiva”.

Os eixos temáticos são: Tradição Oral, Educação Patrimonial, Produção Artística, Cultura Ambiental e Cultura da Paz, que fazem reflexões a valores relacionados à vida, generosidade, solidariedade, tolerância, diversidade e ao diálogo como estratégia para a resolução de problemas relacionais e o limite para um comportamento inadequado e abusivo.

Texto: Tábita Oliveira

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Órgão do Ministério Público pede ao MEC suspensão de inscrições no Sisu

Publicado

em

Correção das notas do Enem traz alívio a milhares de estudantes Fonte: G1 Foto: Reproducao

Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão defende a suspensão até a correção de falhas no Enem. Inscrições no Sisu começam nesta terça-feira (21) e vão até domingo (26).

A Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão (PDFC), que faz parte do Ministério Público, pediu nesta segunda-feira (20), ao Ministério da Educação, a suspensão da abertura das inscrições do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) até que sejam corrigidas as falhas no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2019.

No documento, dirigido ao ministro Abraham Weintraub, a procuradora Deborah Duprat diz que “as inconsistências na correção podem prejudicar milhares de estudantes que participarão do Sisu”.

Segundo a assessoria do Ministério Público Federal, a PDFC também pediu ao Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais (Inep) que informe, em até 24 horas, as circunstâncias que criaram os problemas na correção das provas do Enem.

Procurado, o Ministério da Educação informou que já recebeu o pedido e ainda não se manifestou sobre o assunto.

Correção das notas do Enem traz alívio a milhares de estudantes

Inscrições prorrogadas

As inscrições para o primeiro semestre de 2020 do Sisu começam nesta terça-feira (21). Inicialmente, o prazo se encerraria na próxima sexta-feira (24), mas o Ministério da Educação e o Inep informaram que as inscrições foram prorrogadas até às 23:59 de domingo (26).

O sistema permite que candidatos que fizeram o exame disputem uma vaga nas universidades públicas participantes. São 237.128 vagas em 128 instituições de todo o país. A inscrição é feita pela internet com a nota do Enem.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital