Conecte-se Conosco

BELÉM

Atendimento veterinário em casa é alternativa no isolamento social

Publicado

em

‘Home care veterinário’ ganhou novos adeptos durante a pandemia

Levar um ou vários bichinhos de estimação à uma clínica veterinária para consulta ou algum procedimento mais detalhado pode dar trabalho. Geralmente, o animal estranha ficar preso na caixinha de transporte e no ambiente longe de casa. Além disso, se estiver doente, pode exigir cuidados e correr risco ao se expor diante de outros animai enfermos. Mas e se a consulta fosse até a residência dos tutores? Muitos desses problemas estariam resolvidos!

Esse é o atendimento veterinário em casa, conhecido como “home care veterinário”, que permite a realização de procedimentos básicos como check-ups, coleta de exames laboratoriais, vacinação e vermifugação, além de permitir a avaliação do animal em casa, no seu espaço, com mais segurança e menos transtornos. Essa modalidade foi adotada há anos pelo casal Simone Queiroz e Waldir Júnior, ambos de 50 anos, de Belém, que dedicam muito carinho e amor para 12 gatos.

“Uma das vantagens é que sai mais em conta o preço da consulta. E eles não estranham. A veterinária vem em casa para vacinar, castrar. Ela traz a maleta, vitaminas, todos os equipamentos necessários. Já teve até uma cirurgia que salvou uma gatinha que estava quase morrendo com tumor. Nem conhecia o termo home care, mas a doutora atende meus filhos há muitos anos. Uso água sanitária para limpar bem o espaço”, contou Simone, que se descreveu apaixonada por cães e gatos desde criança.

Romeu, o mais velho, de 14 anos. Lanna, a caçula, de seis meses. Pantera, que foi resgatada após ter sido abandonada grávida em uma praça. Penélope, Thalyta e Tyson, que são filhos da Pantera. Thienny, que quase morreu com o tumor, mas conseguiu se recuperar após cirurgia. “São apenas alguns, mas já tive uns 25 gatos ao todo. Optamos por não ter filhos. Mas eles são como se fossem nossos filhos. Eles têm um colchão e brinquedos. Evito até viajar, porque fico agoniada longe deles”, detalhou Simone.

Levar um ou vários bichinhos de estimação à uma clínica veterinária para consulta ou algum procedimento mais detalhado pode dar trabalho. Geralmente, o animal estranha ficar preso na caixinha de transporte e no ambiente longe de casa. Além disso, se estiver doente, pode exigir cuidados e correr risco ao se expor diante de outros animai enfermos. Mas e se a consulta fosse até a residência dos tutores? Muitos desses problemas estariam resolvidos!

Esse é o atendimento veterinário em casa, conhecido como “home care veterinário”, que permite a realização de procedimentos básicos como check-ups, coleta de exames laboratoriais, vacinação e vermifugação, além de permitir a avaliação do animal em casa, no seu espaço, com mais segurança e menos transtornos. Essa modalidade foi adotada há anos pelo casal Simone Queiroz e Waldir Júnior, ambos de 50 anos, de Belém, que dedicam muito carinho e amor para 12 gatos.

“Uma das vantagens é que sai mais em conta o preço da consulta. E eles não estranham. A veterinária vem em casa para vacinar, castrar. Ela traz a maleta, vitaminas, todos os equipamentos necessários. Já teve até uma cirurgia que salvou uma gatinha que estava quase morrendo com tumor. Nem conhecia o termo home care, mas a doutora atende meus filhos há muitos anos. Uso água sanitária para limpar bem o espaço”, contou Simone, que se descreveu apaixonada por cães e gatos desde criança.

Romeu, o mais velho, de 14 anos. Lanna, a caçula, de seis meses. Pantera, que foi resgatada após ter sido abandonada grávida em uma praça. Penélope, Thalyta e Tyson, que são filhos da Pantera. Thienny, que quase morreu com o tumor, mas conseguiu se recuperar após cirurgia. “São apenas alguns, mas já tive uns 25 gatos ao todo. Optamos por não ter filhos. Mas eles são como se fossem nossos filhos. Eles têm um colchão e brinquedos. Evito até viajar, porque fico agoniada longe deles”, detalhou Simone.

Casal optou pelo home care veterinário para os 12 "filhos"

Casal optou pelo home care veterinário para os 12 “filhos” (Ivan Duarte / O Liberal)

Mais adeptos durante a pandemia

De acordo com a veterinária Erika Mendonça, de Belém, que atende os gatinhos de Simone e Waldir, o home care veterinário, que ainda é pouco conhecido por esse nome, ganhou bastante adeptos por conta do isolamento social imposto pelo contexto de pandemia da covid-19. “A maioria dos meus clientes são por indicação. Uma pessoa fala para outra e alguns pegam meu contato nas lojas em que eu atendo também. Nesse período de pandemia e lockdown, tive uma procura muito grande desse serviço”, contou.

Dentre as vantagens que o home care veterinário permite em muitos casos: flexibilidade, com horário comercial ou não e no local onde o cliente quiser; custos menores; redução de riscos contra o contato com outros animais doentes nas clínicas; menos estresse para o animal, uma vez que ele estará no habitat dele; frequência de atendimento garantida, já que muitos tutores deixam de ir às clínicas por falta de tempo.

“Geralmente, o cliente não tem tempo ou transporte para levar os animais ao consultório. Às vezes, o animal é grande ou está bem doente já para fazer o deslocamento. O cliente liga e passa a localização do endereço e eu vou à residência. Faço o atendimento, no caso a consulta. Se necessário, ali mesmo, já coleto material para exames. Se for algum procedimento simples, também já faço no local”, detalhou a veterinária Erika.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/aprovincia/public_html/wp-includes/functions.php on line 4556