Conecte-se Conosco

SEGURANÇA

Avanços em tecnologia são discutidos entre Susipe e Polícia Federal

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

Avanços tecnológicos destinados à diminuição da criminalidade, aprimoramento constante e investimentos foram discutidos na reunião entre o superintendente da Polícia Federal, delegado Wellington Santiago da Silva, e o secretário para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, na manhã desta quinta-feira (18), na sede da Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe). Também participaram representantes da Diretoria de Execução Criminal (DEC), Diretoria de Administração Penitenciária (DAP), da Assessoria de Segurança Institucional (ASI) e do Batalhão de Polícia Penitenciária (Bpop).

A Susipe possui 21 unidades interligadas por fibra óptica, o que desperta o interesse da Polícia Federal para a realização de videoaudiências. Após conhecer o funcionamento do sistema carcerário no Pará, o delegado Wellington Santiago da Silva informou que a perspectiva é contribuir e levar a tecnologia utilizada no Pará como modelo para os demais órgãos e estados. Segundo ele, parcerias devem ser firmadas.

O titular da Susipe disse que a base de dados da Superintendência estará à disposição da inteligência da Polícia Federal. “É necessário o cadastro nacional dos presos, identificação dos aprisionados e apresentação de situações pontuais. A Polícia Federal faz resoluções de alguns casos e coleta do local do crime, mas saber como está o funcionamento do sistema é essencial. Estamos disponíveis para qualquer demanda e necessidade da Superintendência. Nosso objetivo é estreitar os relacionamentos, principalmente com os núcleos de Inteligência”, explicou.

Jarbas Vasconcelos apresentou ainda o plano de distribuição dos novos agentes prisionais aprovados no concurso C-199. Os agentes da Susipe, treinados e capacitados nos padrões do Departamento Penitenciário Nacional (Depen), contribuirão para a segurança no cárcere. Serão criados grupos de operações penitenciárias, escolta, recaptura e monitoramento, comandados pelo Batalhão de Polícia Penitenciária.

De acordo com Jarbas Vasconcelos, é necessário ser receptivo às demandas de outros parceiros, porque a Susipe possui inteligência voltada a organizações criminosas e um conhecimento muito amplo sobre atuação dentro e fora do cárcere. “A Susipe se mantém disponível para receber demandas da Polícia Federal sempre que necessário. O governador tem estimulado o contato entre os representantes das secretarias e órgãos para promover a integração. O que não pode é uma ação se perder por uma burocracia. É necessária a comunicação, sempre”, destacou o secretário.

Tecnologia – A Susipe está implementando a identificação biométrica e coletando os DNAs dos internos. Até o momento, 1.500 identificações já foram realizadas. O objetivo é identificar quem entra no cárcere.

Na última terça-feira (16), o secretário Jarbas Vasconcelos e o diretor do Núcleo de Tecnologia da Informação, Renan de Almeida, representante da Inteligência da Susipe, estiveram em Brasília (DF), participando de um evento voltado às inovações tecnológicas no sistema carcerário.

O evento “Câmara das Inovações e dos Negócios Estrangeiros (Cine-Brasil)” apresentou os mais novos equipamentos e softwares de Inteligências, com empresas de segurança de Israel. Houve demonstração exclusiva das inovações e discussões acerca da importância da tecnologia para a segurança do sistema penitenciário.

Continue lendo
Clique para comentar

SEGURANÇA

Internos são transferidos para novo complexo penitenciário de Vitória do Xingu

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Pará

Todos os 166 internos do Centro de Recuperação Regional de Altamira (CRRALT) e outros 66 da Central de Triagem de Altamira foram transferidos, nesta terça-feira (5), para o Complexo Penitenciário de Vitória do Xingu, inaugurado na segunda (4). A operação foi coordenada pela Superintendência do Sistema Penitenciário do Pará (Susipe) com o apoio dos agentes prisionais concursados e Comando de Operações Penitenciárias (Cope). Para garantir a segurança, a transferência ocorreu de forma sigilosa, com início às 5h da manhã e chegada ao complexo às 9h.

O Centro de Recuperação Regional de Altamira será desativado e passará por reforma, anunciada pelo governador do Estado, Helder Barbalho, durante a inauguração do novo complexo penitenciário. Os internos passam a ser custodiados no Centro de Recuperação Masculino de Vitória do Xingu, com capacidade para 306 vagas. O complexo é formado por três unidades e oferta ao todo 612 vagas, incluindo feminino e semiaberto. A nova unidade garante maior segurança e dignidade para o cumprimento de pena, além de tecnologia e espaços destinados para reinserção social.

Mais de 50 agentes de segurança pública trabalharam na operação, que também teve apoio da Ronda Tática Metropolitana (Rocam) e do Grupo Tático Operacional (GOT). A transferência dos internos e fechamento do centro de recuperação de Altamira são medidas adotadas pelo governo do Estado, que retomou o controle do sistema prisional, que há anos não recebia investimentos e encontrava-se em situação precária.

De acordo com o diretor de Administração Penitenciária da Susipe, Ringo Alex Farias, o novo complexo de Vitória do Xingu cumpre todos os padrões de segurança do Departamento Penitenciário Nacional (Depen). “A transferência abre, oficialmente, o funcionamento desse novo complexo. Isso vai trazer uma mudança significativa para a população carcerária em Altamira. A segurança da nova penitenciária segue todas as normas do Depen e traz medidas para impedir a comunicação dentro do presídio”, ressaltou.

O secretário extraordinário para Assuntos Penitenciários, Jarbas Vasconcelos, explicou que a primeira transferência de internos é uma medida imediata para manter o controle do sistema prisional na região de Altamira. “Além desta operação, outros internos da região metropolitana de Belém também devem ser transferidos para o novo complexo. Nosso foco é a segurança dentro do cárcere, proporcionando condições para que o interno passe pela ressocialização”, finalizou.

Vagas – Ainda neste mês de novembro, 306 novas vagas serão abertas em Abaetetuba, 306 em Tucuruí e mais 306 em Parauapebas. Ao todo, serão 1.530 novas vagas abertas no sistema carcerário do Pará, contabilizando ainda as mais de 600 do novo complexo de Vitória do Xingu.

Continue lendo

SEGURANÇA

Com Moro, presídios federais batem recordes de presos

Publicado

em

Sergio Moro bateu recorde de presos em unidades prisionais federais Foto: Reprodução

O trabalho realizado nos primeiros dez meses de governo pelo ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, tem sido comprovado não apenas pelo aumento da sensação de segurança pela população, mas em números. E um dos principais deles é o de presos isolados nos presídios federais.

De acordo com números divulgados pela revista Veja, o ministro já isolou 307 bandidos de facções nas unidades prisionais federais.

Alguns dos pedidos foram feitos por solicitação de governos estaduais, como São Paulo e o Pará, que requisitou a transferência dos envolvidos no massacre que terminou com 58 mortos em uma prisão de Altamira no dia 29 de julho.

Durante os primeiros meses de governo, o ministro da Justiça transferiu Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, chefe máximo do Primeiro Comando da Capital (PCC), para um presídio federal. A operação, apesar de complexa, foi realizada com sucesso.

Continue lendo

SEGURANÇA

Bairros do Guamá e Jurunas não registram homicídios no mês de outubro

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

Populações de bairros que já foram marcados pela criminalidade e total ausência de segurança pública vivem, atualmente, uma nova realidade. Após a massificação do policiamento a partir das ações integradas do Programa de Estado Territórios Pela Paz (TerPaz), coordenado pela Secretaria de Articulação e Cidadania (Seac), a violência teve uma queda significativa. Os bairros do Guamá e Jurunas não registraram homicídios, no período de 1º a 30 de outubro.

Dados da Secretaria de Segurança Pública e Defesa Social (Segup) apontam ainda a redução de 30% nos casos de roubos no Jurunas e 11% no Guamá. Os resultados demostram o êxito do trabalho de policiamento, investigação e prevenção que vem sendo realizado desde o início do ano nessas áreas da cidade, com reforço das ações do Terpaz. O programa chegou ao bairro do Guamá no último dia 23 de setembro, e no Jurunas, no último dia 16.

Dado acumulado – Ao comparar o período de 1º de janeiro a 30 de outubro, dos anos de 2018 e 2019, o número de homicídios no Guamá caiu 25%; o de latrocínio, 100%, e de roubos, 26%. Já no bairro do Jurunas, as reduções foram de 63%, 100% e 35% nos registros de homicídio, latrocínio e roubos, respectivamente.

O TerPaz é dividido em dois eixos: segurança pública e ações sociais, reunindo ações de diversas secretarias. O programa tem um leque com mais de 200 ações, nas áreas de saúde, educação, lazer e capacitação.

Em todos os sete bairros contemplados pelas ações do Terpaz – Cabanagem, Benguí, Guamá e Jurunas, em Belém; Icuí, em Ananindeua, e Nova União, em Marituba -, as forças de segurança atuaram na primeira fase, correspondente ao choque operacional, prevista no eixo de segurança pública. “Nós percebemos onde havia uma maior incidência da violência e elencamos os sete bairros para a instalação do TerPaz. Hoje, é possível perceber os benefícios que as ações de segurança, cidadania, entre tantas outras, trouxeram e são importantes para que os bairros possam permanecer com os baixos índices de criminalidade. Nós avaliamos positivamente as reduções e continuaremos no intuito de reduzir sempre, e cada vez mais, a violência, e proporcionar uma sociedade de paz”, disse o secretário Ualame Machado, titular da Segup.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital