Conecte-se Conosco

ECONOMIA

Azul faz proposta para compra da Avianca

Publicado

em

Luciano Nascimento / Agência Brasil 

 Brasília- A companhia aérea Azul informou hoje (11) que assinou uma proposta de aquisição de ativos da Avianca Brasil, que incluem aviões e slots (termo usado na aviação para se referir ao direito de pousar ou decolar em aeroportos congestionados). A aquisição soma US$ 105 milhões. De acordo com o comunicado, a aquisição envolve o direito de a Azul usar 30 aeronaves Airbus 320 da frota da Avianca Brasil e a cessão de 70 slots de aeroportos hoje ocupados pela Avianca.

Segundo o comunicado ao mercado, a aquisição será por meio de uma Unidade Produtiva Isolada (UPI). O mecanismo é previsto na Lei de Falências e Recuperações Judiciais para venda de ativos rentáveis de companhias que enfrentam problemas financeiros. Pela proposta, a Avianca seria desmembrada e uma parte da empresa constituída por meio de UPI seria comprada pela concorrente.

A proposta não é vinculante, mas pode gerar um aporte considerável de recursos para a Avianca que, desde dezembro, está em recuperação judicial, com dívidas de cerca de R$ 500 milhões.

A Azul informou ainda que o acordo depende de uma diligência sobre os ativos da Avianca. A compra também deve passar pela análise dos órgãos reguladores, dos próprios credores da Avianca. O processo deve durar três meses.

Continue lendo
Clique para comentar

ECONOMIA

Contribuintes podem baixar programa do Imposto de Renda 2020

Publicado

em

Foto: Secom/PR / Fonte: Com informações da Receita Federal

A partir das 8h desta quinta-feira (20), contribuintes poderão baixar o programa do Imposto de Renda para Pessoa Física (IRPF 2020) para realizar o preenchimento da declaração anual. O envio das informações poderá ser feito a partir do dia 2 de março. Ao todo, cerca de 32 milhões de cidadãos devem fazer a declaração.

As informações foram divulgadas por representantes da Receita Federal do Brasil (RFB), na tarde desta quarta-feira (19). Durante entrevista coletiva, também foram anunciadas as novas regras para o preenchimento e o prazo de entrega das declarações.

A principal novidade deste ano é a declaração pré-preenchida para os contribuintes que têm certificado digital. Ela será feita de forma automática pelo programa com base nos dados que a Receita tem sobre o contribuinte.

“A partir de agora, a declaração já vem pré-preenchida com a imensa base de dados que a Receita tem, de forma que ele [o contribuinte] possa simplesmente validar os dados que estão ali. Isso está em linha com as administrações tributárias mais modernas do mundo e que permite essa facilidade”, destacou o subsecretário da Receita Federal, Decio Rui Pialarissi.

Para o supervisor nacional do Imposto de Renda, Joaquim Adir, outro destaque são as melhorias feitas no programa deste ano. “São melhorias na navegação e informações bem mais transparentes, a exemplo das doações que o contribuinte faz ao Estatuto da Criança e do Adolescente e, neste ano, na própria declaração, também do [Estatuto] do Idoso. Neste ano, eles aparecem mais claro para o contribuinte”, detalhou.

O contribuinte que atrasar a entrega do IRPF 2020 terá de pagar multa de 1% sobre o imposto devido ao mês. O valor mínimo é de R$ 165,74 e o máximo é de 20% do imposto devido.

Quem deve declarar?

  • Cidadão que recebeu mais de R$ 28.559,70 de renda tributável em 2019 (salário, aposentadoria, aluguel, etc.);
  • ganhou mais de R$ 40 mil em rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados na fonte no ano (Ex.: poupança ou indenização trabalhista;
  • teve algum rendimento com a venda de bens (móveis e imóveis);
  • comprou e/ou vendeu ações na Bolsa de Valores;
  • teve receita de atividade rural superior a R$ 142.798,50 ou que tenha prejuízo rural a ser compensado no ano-calendário de 2019 ou nos próximos anos;
  • foi proprietário, até 31 de dezembro, de bens ou direitos com valor superior a R$ 300 mil;
  • passaram a residir no Brasil durante qualquer período de 2019 e permaneceu no país até 31 de dezembro;
  • tiveram isenção de IR na venda de um imóvel residencial e comprou outro num prazo de até 180 dias.

Deduções permitidas em 2020

No IRPF deste ano, o contribuinte poderá deduzir:

  • Despesas com dependentes – Até R$ 2.275,08 (se atendidas as regras da Receita);
  • despesas com educação – Até R$ 3.561,50 (do contribuinte, dependentes ou alimentandos)
  • doações – Até 6% do imposto devido (para os Estatutos da Criança e adolescente, e do Idoso;
  • previdência complementar – Até 12% de rendimentos tributáveis
  • gastos com saúde (ilimitado, desde que siga as regras da Receita).

Deduções excluídas

A partir deste ano, os contribuintes não poderão abater despesas relativas aos gastos com empregados domésticos (antigo código 50 da Declaração). Até o ano passado, era permitida a dedução de até R$ 1.251,07 dos gastos dos patrões de empregados domésticos com a Previdência Social e com a cota de acidente de trabalho. A dedução perdeu a validade com a caducidade da lei que estabelecia essa possibilidade.

Continue lendo

ECONOMIA

Caixa Econômica leva cerca de 100 imóveis a leilão em Março. Saiba como participar

O leilão da Caixa irá contemplar 40 cidades do estado de São Paulo na modalidade online. Lances começam com R$ 29.799,41.

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Caixa Econômica

A Caixa Econômica Federal vai levar cerca de 100 imóveis a leilão em todo o estado de São Paulo no início do próximo mês. No dia 2 de março de 2020 à partir das 10h serão leiloados diversos tipos de imóveis, como apartamentos, casas, terrenos, prédios, entre outras propriedades disponíveis pelo banco.

Os imóveis estão localizados em mais de 40 cidades em todo o estado, inclusive na capital. No entanto, o mais atrativo é o valor dos imóveis, que prometem ser bem abaixo do preço de mercado. Segundo os organizadores, é possível arrematar o seu imóvel a partir de R$ 29.799,41.

Como participar do leilão

Outra grande novidade é que o leilão será um grande evento online, onde o participante poderá ofertar seu lance de qualquer local, bastando apenas ter acesso à internet e fazer o cadastro no site do leiloeiro. Este grande leilão é uma excelente oportunidade para quem busca uma nova moradia, ou um investimento econômico. Os interessados podem conferir as informações sobre cada um dos imóveis, como fotos e localização exclusivamente no site da Sato Leilões, que é o leiloeiro oficial da Caixa para este lote de imóveis.

Segundo a Sato Leilões, qualquer pessoa física ou jurídica pode comprar imóveis da Caixa Econômica Federal. Clientes que desejarem participar poderão verificar antes do Leilão em qualquer agência da Caixa o financiamento em seu nome, bem como usar o saldo do FGTS, desde que consulte condições de pagamento do imóvel. Todos os participantes poderão acompanhar os leilões na modalidade online e ofertar seu lance.

Continue lendo

ECONOMIA

Caixa lança linha de crédito imobiliário com taxa fixa

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Governo do Brasil

Caixa Econômica Federal lançou nesta quinta-feira, 20, a linha de crédito imobiliário do banco com taxa fixa, sem correção. As taxas de juros vão começar a partir de 8% ao ano, até 9,75%.

As condições são válidas para imóveis residenciais novos e usados, com quota de financiamento de até 80%. As contratações estarão vigentes a partir da sexta-feira, 21. A taxa fixa varia até 9,75%. Com relacionamento, a taxa é de 8% a 9,50%. Sem relacionamento, é de 9,75%.

De acordo com a Caixa, o cliente poderá escolher entre os sistemas de amortização SAC, para contratos de até 360 meses, e PRICE, para financiamentos de até 240 meses.

A modalidade, que foi anunciada em janeiro pelo presidente da Caixa, Pedro Guimarães, foi divulgada oficialmente em cerimônia no Palácio do Planalto, com a presença do presidente da República, Jair Bolsonaro.

Com o lançamento, a Caixa passa a oferecer a seus clientes três modalidades de crédito imobiliário: Taxa Referencial (TR) mais juros; com lastro no IPCA e sem correção. No ano passado, em agosto, o banco estatal lançou a linha com correção pelo IPCA.

Na nova linha, o juro será fixo e não terá outros indicadores de correção. Na modalidade pós-fixada corrigida pela TR, a Caixa cobra juros de 6,5% a 8,5% ao ano, além da TR, e o prazo máximo de pagamento é de 420 meses; os recursos vêm da poupança e do FGTS.

Já na linha pós-fixada corrigida pelo IPCA, a Caixa cobra juros de 2,95% a 4,95% ao ano, além da inflação; o prazo máximo do financiamento é de 360 meses, e o funding só permite o uso de recursos da poupança.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital