Conecte-se Conosco

POLÍTICA

Bolsonaro caminha pelo corredor do hospital

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Brasil

O presidente Jair Bolsonaro caminhou três vezes hoje (13), informou o porta-voz da Presidência da República, Otávio Rêgo Barros. Nesta tarde, a assessoria da Presidência divulgou um vídeo em que Bolsonaro aparece caminhando, orientado pela equipe médica, no corredor do Hospital Vila Nova Star, onde ele está internado desde o último sábado (7).

Segundo Rêgo Barros, o presidente está “muito bem”. O cirurgião-chefe da equipe que acompanha Bolsonaro, Antônio Luiz Macedo, passou pelo hospital hoje, por volta de 12h, e voltará no fim da noite para nova visita a Bolsonaro. O presidente está acompanhado pela esposa, Michele Bolsonaro, e pelo filho, o vereador Carlos Bolsonaro.

Os planos de viagem de Bolsonaro aos Estados Unidos para participar da abertura da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU) estão mantidos. A previsão é de ida no dia 22 deste mês e volta no dia 25, disse Rêgo Barros. O porta-voz informou que, antes da viagem, a equipe médica que assiste o presidente vai a Brasília para sua condição de saúde.

Alta

A previsão médica é que Bolsonaro tenha alta em três ou quatro dias, dependendo da evolução do quadro de saúde. Para isso, o intestino do presidente precisa ser capaz de suportar ao menos a dieta cremosa ou pastosa, com alimentos mais consistentes e que fornecem a quantidade de calorias necessárias para as atividades cotidianas.

Na manhã desta sexta-feira (13), foi retirada a sonda nasogástrica do presidente, que havia sido colocada na quarta-feira (11). O tubo entrava pelo nariz e ia até o sistema digestivo para retirar o excesso de gases e de líquido. Com a resposta do intestino, voltou a ser administrada, gradualmente, a dieta líquida.

Ontem (12), foi estendido o prazo de afastamento de Bolsonaro da Presidência por quatro dias, a partir de uma decisão da equipe médica. A previsão inicial era de que ele reassumisse o cargo hoje (13). No entanto, a recuperação sofreu uma “intercorrência” na quarta-feira, quando foi introduzida a sonda nasogástrica.

Desde a segunda-feira (9), Bolsonaro recebia a dieta líquida. Porém, devido ao trauma e à presença de gases, o intestino do presidente deixou de funcionar adequadamente, levando à necessidade de que a alimentação voltasse a ser feita de forma endovenosa. Assim, o vice-presidente, Hamilton Mourão, segue no exercício da Presidência por este novo período.

Continue lendo
Clique para comentar

POLÍTICA

Fux arquiva ação do PT contra declaração de Bolsonaro

Publicado

em

Ministro Luiz Fux determinou arquivamento de ação do PT contra Bolsonaro Foto: SCO/ STF/Nelson Jr.

O ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), arquivou uma ação protocolada pelo Partido dos Trabalhadores (PT) contra uma declaração feita pelo presidente Jair Bolsonaro.

O pedido exigia explicações do mandatário sobre uma declaração dele de que o PT havia colocado médicos cubanos, através do programa Mais Médicos, para integrar células de guerrilha e doutrinação no Brasil.

A ação, porém, foi considerada “manifestamente incabível” pelo ministro Fux, que pediu o arquivamento do processo sem sequer notificar o presidente da República para qualquer posicionamento.

O governo Bolsonaro substituiu o programa Mais Médicos pelo programa Médicos Pelo Brasil, lançado em agosto. A proposta cria uma carreira com formação e salários de até R$ 31 mil. A medida provisória ainda precisa ser aprovada no Congresso.

Continue lendo

POLÍTICA

FHC: “Huck vai deixar de ser celebridade para ser líder?”

Publicado

em

Ex-presidente Fernando Henrique Cardoso Foto: Agência Brasil/Tânia Rêgo

O ex-presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, falou sobre a atual situação política do país em entrevista ao jornal Estado de São Paulo. Na ocasião, FHC foi perguntado sobre a possibilidade do apresentador Luciano Huck concorrer ao cargo de presidente da República e afirmou que o apresentador precisa mudar de perfil.

– Sou amigo do Luciano, etc. Agora, preciso ver se ele vai deixar de ser celebridade para ser líder. Celebridade é uma coisa importante, tem acesso ao povo, mas líder é outra coisa – questionou.

O ex-mandatário também respondeu sobre a possibilidade do atual governador de São Paulo, João Doria, exercer o cargo de presidente. Ele disse ver poucas possibilidades em uma possível eleição do chefe do executivo paulista.

– Ser eleito presidente depende de você entender e lidar com a diversidade do Brasil. Não sei se o Doria tem capacidade de expressar um sentimento nacional – declarou.

FHC falou sobre atual governo do presidente Jair Bolsonaro, ele afirmou que mesmo sem apoiar o atual mandatário, concorda que todas as medidas tomadas pelo governo estão dentro da lei.

– Não teve nada no governo Bolsonaro até agora que tivesse sido contra a lei. Não votei no Bolsonaro e não apoio o governo, mas é preciso ter equilíbrio nessas coisas. Há liberdade, imprensa livre, Justiça e Congresso funcionando – completou.

Continue lendo

POLÍTICA

Presidente sanciona lei que divide recursos do megaleilão

Publicado

em

Presidente Jair Bolsonaro Foto: Isac Nóbrega/PR

O presidente da República, Jair Bolsonaro, sancionou nesta quinta-feira (17) a lei que define como será feita a divisão dos valores obtidos a partir do megaleilão do petróleo, que deve acontecer em novembro. O texto foi publicado em uma edição extra do Diário Oficial da União.

A medida, que foi assinada pelo presidente, foi aprovada pelo Senado Federal nesta semana e também havia passado pela aprovação da Câmara dos Deputados. A previsão de arrecadação do governo com o pregão é de R$ 106 bilhões.

O texto sancionado nesta quinta prevê que 15% do recurso obtido vá para os estados e para o Distrito Federal, outros 15% para os municípios e 3% para os estados onde as jazidas de petróleo estiverem localizadas.

O megaleilão que está programado para novembro acontece por conta do volume excedente de barris de petróleo que o governo estima para as reservas do pré-sal. Em 2010, a Petrobras assinou um acordo que permitiu a exploração de 5 bilhões de barris de petróleo na Bacia de Santos, para isso, a estatal pagou R$ 74,8 bilhões. A estimativa do governo, porém, é que a área pode render mais 6 bilhões de barris, justamente o que será leiloado.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaque

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital