Conecte-se Conosco

Governo

Bolsonaro está com pneumonia, mas permanece na unidade semi-intensiva

Publicado

em

O presidente Jair Bolsonaro teve febre de aproximadamente 38 graus Celsius, na noite de ontem (6), e o exame de imagem realizado mostrou quadro de pneumonia, de acordo com boletim médico divulgado nesta tarde pelo Hospital Israelita Albert Einstein. O presidente permanece internado na unidade semi-intensiva.

Logo após o porta-voz da Presidência, Otavio do Rêgo Barros, ter informado o estado de saúde do presidente, Bolsonaro foi ao Twitter dizer que estava bem. “Estamos muito tranquilos, bem e seguimos firmes”, disse o presidente, encerrando o texto com sinal de positivo.

Jair M. Bolsonaro

@jairbolsonaro

Nosso estado de saúde comentado pelo porta-voz da Presidência da República, General Rêgo Barros. Cuidado com o sensacionalismo. Estamos muito tranquilos, bem e seguimos firmes, 👍🏻 

Depois do episódio isolado de febre sem outros sintomas associados, Bolsonaro “foi submetido à tomografia de tórax e abdome que evidenciou boa evolução do quadro intestinal e imagem compatível com pneumonia”, conforme o boletim.

Foram realizados exames para identificação de bactéria ou vírus. “Eles fizeram os exames tanto viral quanto bacteriano e descartaram o viral. Então trata-se de uma questão bacteriana”, disse o porta-voz.

Brazil's President Jair Bolsonaro thumbs up as he is hospitalised at Albert Einstein Hospital in Sao Paulo, Brazil, February 7, 2019. Brazilian Presidency/Handout via REUTERS ATTENTION EDITORS - THIS IMAGE HAS BEEN SUPPLIED BY A THIRD PARTY.

Bolsonaro permanece internado no Hospital Albert Einstein – Divulgação/Presidência da República

Tratamento

A equipe médica aumentou o tratamento com antibióticos de amplo espectro, acrescentando nova medicação. “Os médicos acharam por bem acrescentar à antibioticoterapia um novo componente, uma nova droga, de forma que esse espectro possa ser ainda maior”, disse Rêgo Barros.

O tratamento com antibióticos começou na noite do último domingo (3), após elevação da temperatura e aumento dos leucócitos nos exames laboratoriais na ocasião, o que poderia indicar um processo infeccioso.

Bolsonaro continua sem dor, com sonda nasogástrica e dreno no abdome para retirada de líquidos, e segue recebendo água por via oral em associação à nutrição parenteral.

Hoje ele realizou exercícios respiratórios e caminhou no corredor. Segundo o porta-voz, Bolsonaro está com dificuldades para dormir, a equipe médica avalia possibilidade “de auxiliá-lo para que ele durma um pouco mais”.

Telefone

Por ordem médica, as visitas permanecem restritas. O ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esteve na capital paulista hoje, mas não visitou o presidente devido à restrição. Bolsonaro falou hoje por telefone com o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, sobre assuntos da pasta. Ele deve conversar, ainda hoje, com o ministro da Economia, Paulo Guedes, de acordo com Barros.

Mourão: ‘Vamos aguardar o que é esta questão da pneumonia’

 O vice-presidente Hamilton Mourão está ainda aguardando mais informações sobre a pneumonia de Jair Bolsonaro. Segundo o general, ele não conseguiu conversar com o presidente “porque ele não está falando”, mas que buscará mais informações com os familiares dele. “Vamos aguardar o que é esta questão da pneumonia. O dado que temos aí ainda é incipiente e é normal de acontecer quando a pessoa fica muito tempo deitada. Ambiente de hospital tem esses problemas. Vamos aguardar”, afirmou Mourão.

Continue lendo
Clique para comentar

Governo

Decreto determina mais critérios para contratação de OSs pelo Estado

Publicado

em

O processo de contratação de Organizações Sociais (OS) por parte do Estado para a prestação de serviços, em especial voltados à Saúde, passa a obedecer critérios mais rígidos. Publicado no Diário Oficial (DOE) desta sexta-feira (15), o Decreto no. 21, assinado pelo governador Helder Barbalho, regulamenta a Lei Estadual 5.980/1996, que trata sobre o assunto, especificando pontos antes pouco detalhados, portanto sujeitos a interpretações subjetivas.

Dentre as determinações estão, por exemplo, o impedimento de contratação de OSs com contas julgadas irregulares ou rejeitadas por Tribunal ou Conselho de Contas de qualquer ente federativo, em decisão irrecorrível, nos últimos 8 anos; a exigência de parecer jurídico da secretaria ou outro órgão da administração estadual para contratação sem chamamento público ou em caráter emergencial; a especificação das metas quantitativas e qualitativas a serem atingidas, com respectivos prazos de execução e os resultados a serem atingidos; dentre outros.

No total, 46 artigos esmiuçam critérios sobre qualificação, seleção, contrato de gestão e intervenção. Nos dois últimos constam ainda a possibilidade de responsabilização solidária do secretário de Estado e demais responsáveis pela fiscalização do contrato em caso de irregularidades ou ilegalidades constatadas que não sejam informadas ao Tribunal de Contas do Estado e ao Ministério Público, e ainda a obrigatoriedade direcionada ao Estado de assumir a execução dos servidos oferecidos pela OS em hipótese de risco grave quanto ao cumprimento das obrigações assumidas contratualmente.

Há trechos específicos citando serviços de Saúde, como por exemplo a obrigatoriedade de atendimento exclusivo a usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) e a disponibilidade, por parte da Organização Social contratada, de se submeter a fiscalização realizada pelo Conselho Estadual de Saúde (CES) e pela Auditoria Geral do SUS.

Para todos os tipos de serviço, passa a constar a limitação de três contratos com uma única OS por cada órgão da administração direta – com exceção para situações motivadas por razões de interesse público. Esse impedimento só vale para convênios firmados a partir da publicação do contrato, ou seja, não atinge os que estão vigentes.

Por Carol Menezes

Continue lendo

Governo

Após polêmica com nome de Chico Mendes, Salles posta foto na Amazônia, com índios de MT

Publicado

em

Na foto, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, aparece ao lado de indígenas e usa um cocar

Correio Braziliense

Dias depois de se envolver em uma polêmica envolvendo o nome do seringueiro Chico mendes, reconhecido como um dos maiores defensores da Amazônia, o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, publicou no Twitter uma foto em que aparece na maior floresta tropical do mundo.

Na foto, Salles usa um cocar e posa ao lado de indígenas. “Estivemos hoje na Festa da Colheita dos índios Parecis, que plantam e produzem com muita competência, demonstrando que podem se integrar ao agro sem perder suas origens e tradições”, escreveu. A aldeia fica no município de Campo Novo dos Parecis (MT), em uma região denominada Amazônia Oriental.

O jornal Folha de S. Paulo apurou que o Ibama já acusou práticas ilegais de plantio na área visitada pelo ministro. Segundo o órgão, agricultores brancos plantam soja transgênica de forma mecânizada e repassa parte dos lucros aos indígenas. A prática é considerada ilegal pelo Ministério Público Federal (MPF).

“Que diferença faz quem é Chico Mendes?”

A publicação foi feita três dias após o ministro se envolver em uma polêmica durante o programa Roda Vida, da TV Cultura. Durante a entrevista, Salles questionou: “Que diferença faz quem é Chico Mendes?”. De acordo com o jornal O Globo, a Fundação Nacional do Índio (Funai) esclareceu que a viagem já estava programada e não tem relação com o episódio.

 

Ricardo Salles MMA@rsallesmma

Estivemos hoje na Festa da Colheita dos índios Parecis, que plantam e produzem com muita competência, demonstrando que podem se integrar ao agro sem perder suas origens e tradições.

 

Continue lendo

Governo

Bolsonaro deve ter alta nesta quarta-feira (13)

Publicado

em

Ele está internado desde 27 de janeiro para a retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal.

O presidente Jair Bolsonaro mantém boa evolução clínica, informou o novo boletim do Hospital Israelita Albert Einstein, divulgado nesta terça-feira (12/2). Ele está internado desde 27 de janeiro para a retirada da bolsa de colostomia e reconstrução do trânsito intestinal.
A unidade de saúde também informou que Bolsonaro segue sem febre, sem dor abdominal e o quadro pulmonar encontra-se em resolução. “Segue com dieta leve e suplemento nutricional, com boa tolerabilidade. Prossegue realizando exercícios respiratórios e de fortalecimento muscular, alternados a períodos de caminhada”, diz a nota.
A expectativa é que o presidente tenha alta até quarta-feira (13) — quando termina o período de medicação com antibióticos. Na semana passada, ele foi diagnosticado com pneumonia, mas também houve melhora clínica do quadro.
Apesar de seguir sem compromissos oficiais, Bolsonaro tem recebido chefes de estado, ministros de governo e outras autoridades no hospital. Pelo Twitter, o presidente postou na segunda-feira (11/2) uma foto com o chefe do gabinete pessoal, Pedro César Sousa e Célio Faria, assessor-chefe da Assessoria Especial da Presidência.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaques