Conecte-se Conosco

TECNOLOGIA

Brasil, Bolsonaro, Lula… veja os termos mais tuitados pelos políticos

Foto: Reprodução / Fonte: Correio Braziliense

Publicado

em

Quais são os temas que mais preocupam os políticos brasileiros? Para chegar à resposta, o Correio analisou mais de 19 mil publicações de 22 políticos (veja a lista de nomes ao fim da matéria) no Twitter, postadas entre 1º de janeiro e o fim de setembro. Brasil, governo, educação, previdência, meio ambiente, Bolsonaro, Lula, Moro… Essas são algumas das palavras usadas com mais frequência em 2019 pelas personalidades analisadas (imagem acima). 

Para especialistas, esses termos refletem bem o cenário político atual e são coerentes com a atuação de cada político. O presidente da República, por exemplo,usa bastante as palavras “Brasil”, “governo”, “país” e “economia”. Para o cientista político Cristiano Noronha, isso indica que a estratégia de comunicação de Jair Bolsonaro está voltada para a divulgação das medidas adotadas pelo pesselista e seus ministros. 

O nome Bolsonaro, aliás, é muito mencionado tanto pela situação quanto pela oposição. Os filhos CarlosEduardo Flávio usam os perfis virtuais, com frequência, para defender as medidas e o governo do pai. “Apesar de ser vereador do Rio de Janeiro, Carlos tem usado o Twitter por questões nacionais e de crítica à oposição, o que gera bastante repercussão”, aponta Noronha. 

Um dado curioso é que os filhos do presidente mencionam mais os partidos de oposição — PTPSol e PCdoB — do que o PSL PSC, legendas das quais fazem parte. Para o cientista político Lucio Rennó, esse resultado indica, na verdade, que, quando falam do campo político deles, os três preferem se referir ao Bolsonaro do que ao partido.

“Já quando falam dos adversários, não falam do Lula, falam dos partidos. Tem algo de muito personalista na retórica deles. No linguajar deles, a polarização é ente Bolsonaro, a figura, e os partidos [PT, Psol e PCdoB]”, analisa o especialista.

Por falar em oposição

Bolsonaro está na boca do povo — e nos dedos da oposição. Os adversários políticos do presidente o mencionam com frequência no Twitter, conforme mostra o levantamento. Cristiano Noronha explica que essa postura é natural. “O objetivo é manter o clima polarizado”, explica. 

Fernando Haddad, candidato derrotado do PT à Presidência em 2018, é um dos que continua se opondo ao atual governo nas redes sociais. O ex-prefeiro de São Paulo, argumenta Noronha, pode ter como objetivo manter acesa a contraposição pensando no cenário eleitoral de 2022, quando Haddad pode voltar a se candidatar.

Já Guilherme Boulos, nome do PSol nas últimas eleições, foca agora na pauta previdenciária. Marina Silva é quem puxa a pauta ambiental. O Twitter de Lula, gerenciado pela equipe do petista, foca a campanha pela liberdade do ex-presidente e contém também ataques ao atual ministro da Justiça, Sergio Moro.

Foram selecionados políticos que têm ou tiveram destaque no cenário nacional em 2018 e 2019 e com forte presença nas redes sociais:

  • Cabo Daciolo (deputado federal, Avante-RJ)
  • Carlos Bolsonaro (vereador, PSC-RJ)
  • Ciro Gomes (PDT)
  • David Miranda (deputado federal, PSOL-RJ)
  • Eduardo Bolsonaro (deputado federal, PSL-SP)
  • Fernando Haddad (PT)
  • Flavio Bolsonaro (senador, PSL-RJ)
  • Geraldo Alckmin (PSDB)
  • Guilherme Boulos (PSOL)
  • Henrique Meirelles (MDB)
  • Jair Bolsonaro (presidente da República, PSL)
  • João Amoêdo (Novo)
  • João Doria (governador de São Paulo, PSDB)
  • Joice Hasselmann (deputada federal, PSL-SP)
  • Kim Kataguiri (deputado federal, DEM-SP)
  • Luciana Genro (deputada estadual, PSOL-RS)
  • Luiz Inácio Lula da Silva (PT)
  • Manuela D’Ávila (PCdoB)
  • Marina Silva (Rede)
  • Rodrigo Maia (presidente da Câmara dos Deputados, DEM-RJ)
  • Sergio Moro (ministro da Justiça)
  • Tabata Amaral (deputada federal, PDT-SP)
  • Túlio Gadêlha (deputado federal, PDT-PE)
Continue lendo
Clique para comentar

TECNOLOGIA

Xiaomi Mi 10 Pro: veja como ele é por dentro

Publicado

em

Xiaomi Mi 10 Pro: veja como ele é por dentro Fonte: Fonte: tecmundo Foto: Reproducao

O Mi 10 Pro, versão mais poderosa do novo celular da Xiaomi, teve a sua estrutura interna revelada pela gigante chinesa, mostrando a localização dos principais elementos de hardware e como eles se encaixam.

Ao remover a tampa traseira, aparecem em destaque o chip NFC, utilizado para pagamentos por aproximação e compartilhamento de arquivos, entre outras funcionalidades, e a bobina para carregamento por indução, além das borrachas que protegem contra umidade e poeira. Esta parte é coberta com grafite, para maior proteção térmica.

Já nas partes inferior e superior ficam os alto-falantes do Xiaomi Mi 10 Pro, que de acordo com a fabricante apresentam uma melhora de 100% no nível do volume, quando comparado com os modelos anteriores, graças ao design em aço magnético com cavidade de 1,22 cc.

Retirando esta parte, surge a bateria de 4.500 mAh, que ocupa um bom espaço, à direita, e abaixo dela o scanner óptico de impressão digital, além da placa-mãe de camada dupla e do módulo de câmera quádrupla com sensor principal de 108 MP, flash de LED e módulo de foco a laser, estes últimos localizados à esquerda.

Placa-mãe e outros componentes

Revelando mais detalhadamente esta última parte, a Xiaomi mostra a placa-mãe do Mi 10 Pro, com design em L e as presenças do chip WiFi 6 acima, módulos de gerenciamento de energia e decodificação de áudio na área central e chip de radiofrequência na metade inferior.

Nela também ficam o processador Snapdragon 865, o modem X55 5G, as duas unidades de memória LPDDR5 e o armazenamento UFS 3.0, que oferece maior velocidade de leitura, transferência e gravação de dados.

A fabricante destaca ainda a presença da placa de imersão VC, boas quantidades de cobre e gel condutor e sensores de temperatura espalhados pelo corpo do aparelho, que contribuem para um melhor desempenho geral do Mi 10 Pro.

Continue lendo

TECNOLOGIA

Mac Pro começa a ser vendido no Brasil por até R$ 442 mil

Publicado

em

Fonte: tecmundo Foto: Reproducao

O novo Mac Pro, computador poderoso da Apple que virou piada pelo visual similar a um ralador de queijo, chegou oficialmente ao Brasil. O aparelho é totalmente voltado para o uso profissional — e chega com um valor bastante salgado por aqui, sendo igualmente caro ao preço original em dólares.

Em sua versão mais básica na forma de torre ou rack (vertical ou horizontal, respectivamente), o Mac Pro custa R$ 55.999. Esse valor pode cair em 10% para o caso de pagamentos à vista, mas você pode parcelar a compra em até 12x.

Porém, é possível mexer nas configurações e deixar o aparelho mais poderoso e completo — e é aí que os gastos ficam ainda mais assustadores. Próximo ao valor vazado anteriormente, a versão mais cara custa R$ 241.247,80, com as especificações listadas abaixo:

  • Processador: Intel Xeon W de 28 núcleos e 2,5 GHz (Turbo Boost até 4,4 GHz)
  • Memória: ECC DDR4 de 32 GB (4 x 8 GB)
  • Dois Radeon Pro Vega II Duo com 2 x 32 GB de memória HBM2 cada
  • SSD: 8 TB
  • Placa Apple Afterburner
  • Estrutura em aço inoxidável com rodízios
  • Magic Mouse 2 e Magic Trackpad 2
  • Magic Keyboard com teclado numérico – idioma Inglês (EUA)
  • Softwares: Final Cut Pro X e Logic Pro X

Ficou interessado e tem essas economias guardadas? Então clique aqui para acessar a página do produto. Quem adquirir o modelo recebe a encomenda entre duas e três semanas depois da confirmação do pagamento. Caso sirva de consolo ao consumidor, o frete é grátis.

Continue lendo

TECNOLOGIA

iPhone SE 2 ainda deve ser lançado em março, apesar do coronavírus

Publicado

em

Fonte: Canal Tech Foto: Reproducao

Não é de hoje que rolam os boatos sobre um novo iPhone de entrada, o tão falado “sucessor do iPhone SE”. Contudo, será que você deveria esperar por ele? É o que vamos tentar responder aqui.

Em poucas palavras, se você está lendo este artigo em busca de um veredito, a minha resposta é: sim. Pronto, até a próxima!

Contudo, a resposta não é tão simples assim, e dependerá de uma série de fatores que vão desde rumores e vazamentos até as informações oficiais que devem ser reveladas em meados de março.

Se lembrarmos o que foi o iPhone SE, e usarmos os boatos sobre o novo iPhone 9, podemos tirar algumas conclusões baseadas em expectativas. Vamos lá!

iPhone 9: o que dizem os boatos?

Assim como o iPhone SE original usava a mesma carcaça do iPhone 5s, equipado com o processador do iPhone 6s, os rumores apontam que o iPhone 9 (ou iPhone SE 2) será parecido com o iPhone 8 por fora, mas por dentro trará o novo processador A13 usado no iPhone 11.

Outras especificações indicam que o Touch ID será mantido, assim como a tela de 4,7 polegadas, além de 3 GB de memória RAM (contra 2 GB do iPhone 8 e 3 GB do iPhone 8 Plus). Ficariam de fora recursos como o Face ID, 3D Touch e câmeras traseiras adicionais.

iPhone 9 deve reviver o visual padrão do iPhone 8 / Imagem: Evan Blass

iPhone 9: se você quer comprar um iPhone 8

Melhor esperar para ver se o boato se confirma. O iPhone 9 trará especificações atualizadas, com um preço não muito diferente do atual iPhone 8. Os analistas de mercado esperam que o modelo custe até mais barato que o iPhone 8 (pelo menos nos EUA). Na pior das hipóteses, o lançamento do iPhone 9 empurraria para baixo os preços da geração anterior, assim como aconteceu com o 5s em 2016.

A principal vantagem das especificações apresentadas para o iPhone 9 até aqui é o processador atualizado. Com o mesmo chip do iPhone 11 – mesmo que com menos GHz de processamento – o iPhone 9 teria quase 40% a mais de desempenho que o modelo anterior (o A13, atualmente, é 20% mais rápido do que o A12 que, por sua vez, entrega 15% mais desempenho do que o A11), de acordo com os números da Apple.

Já o salto de eficiência energética divulgada pela fabricante chega a quase 100%. Ou seja, além do maior desempenho, o processador atualizado abre espaço para maior autonomia de uso caso o iPhone 9 use uma bateria equivalente.

Visual com tela sem entalhe e Touch ID físico devem estar presentes no iPhone 9 / Imagem: OnLeaks

Outra vantagem, é que o novo modelo terá atualizações por pelo menos um ano a mais, tradicionalmente, a Apple usa o processador como linha de corte para o suporte nas atualizações do iOS. O iPhone 5s e 6, por exemplo, ficarão restritos ao iOS 12, enquanto o SE (que divide o processador com o 6s) recebeu o iOS 13.

iPhone 9: se você quer comprar um iPhone 11

Não vale a pena esperar, o iPhone 9 poderá até ter o mesmo processador do iPhone 11, mas outras características importantes não. O iPhone 11 tem 4 GB de memória RAM, um conjunto de câmeras de respeito, Face ID e, claro, a tela maior com bordas reduzidas que o diferenciam dos iPhones antigos.

Além disso, o lançamento de um novo iPhone de entrada tem pouca chance de afetar o preço do iPhone 11, assim como a chegada do iPhone SE não impactou o preço do 6s – que caiu apenas com a chegada do iPhone 7.

iPhone 9: quais são as alternativas?

Para quem prefere uma tela grandona, uma alternativa a considerar no lugar do iPhone 8 Plus é o iPhone XR, o visual atualizado com bordas reduzidas, processador mais moderno e preço sugerido menos de 10% mais alto (R$ 4.299 contra R$ 3.999), sem contar os descontos que são frequentes. Fica a dica.

E na sua opinião, os rumores sobre o iPhone 9 chamaram sua atenção? Compartilhe sua opinião através dos comentários abaixo.

Gostou dessa matéria?

Inscreva seu email no Canaltech para receber atualizações diárias com as últimas notícias do mundo da tecnologia.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital