Conecte-se Conosco

MUNDO

Confrontos na boliviana Cochabamba deixam 20 feridos

Agência France-Presse/(foto: JORGE BERNAL/AFP)

Publicado

em

Opositores seguem com protestos por toda a Bolívia por novas eleições presidenciais; manifestantes fecharam repartições públicas e bloqueiam estradas

Ao menos 20 pessoas ficaram feridas em confrontos nesta quarta-feira entre governistas e opositores na cidade de Cochabamba, no centro da Bolívia, em meio aos protestos contra a questionada reeleição do presidente Evo Morales, informou a Defensoria do Povo.
“Temos 20 pessoas feridas, muitas gravemente”, disse a defensora Nadia Cruz, acrescentando que a violência na cidade “atingiu um dos picos mais altos”.
Os dois grupos se enfrentaram com paus, pedras e rojões, e alguns estudantes utilizaram uma espécie de bazuca artesanal. 
O canal de TV Unitel mostrou estudantes com escudos de metal para se proteger dos objetos lançados.
Em meio aos confrontos, a sede da prefeitura da vizinha cidade de Vinto, controlada pelo governista  MAS, foi incendiada.
A prefeita de Vinto, Patricia Arce, foi humilhada publicamente pela multidão por transportar camponeses pró-Morales para confrontar os manifestantes.

Arce teve o cabelo cortado, foi pintada de rosa e obrigada a andar descalça por vários quarteirões em meios aos gritos de “assassina! assassina!”. A prefeita foi resgatada pela polícia horas depois.
No início da manhã, sindicatos de camponeses iniciaram uma marcha para restabelecer o tráfego em estradas bloqueadas há dias em Cochabamba por manifestantes opositores
“Evo, amigo, o povo está contigo”, gritavam os manifestantes pró-Morales quando foram confrontados por universitários opositores na Praça Bush e em outras zonas de Cochabamba.
Também ocorreram protestos nesta quarta-feira nas cidades de Santa Cruz (leste), Sucre (sudeste), Tarija (sul) e Potosí (oeste) contra a polêmica reeleição de Morales, no poder desde 2006.
Em quase todas estas cidades os opositores fecharam as repartições públicas e os escritórios das empresas estatais, como a Entel (telecomunicações), a YPFB (petroleira) e a BOA (aérea).
Os opositores exigem a realização de novas eleições e a renúncia de Evo Morales e de todas as autoridades eleitorais.
A Agência Nacional de Hidrocarbonetos advertiu para um possível desabastecimento de gasolina caso persistam os bloqueios de estrada.

Continue lendo
Clique para comentar

MUNDO

Secretário do Tesouro dos EUA a Greta: ‘Vá estudar economia’

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Com informações da EFE

O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, questionou nesta quinta-feira (23), no Fórum Econômico Mundial de Davos, “quem é Greta Thunberg?” e aconselhou a jovem ativista que estude economia e depois voltar para contar a história.

Durante entrevista coletiva ao lado do secretário de Comércio, Wilbur Ross, Mnuchin criticou duramente a ativista sueca, que visitou o Fórum e reclamou do pouco que governos e empresas fazem para mitigar ou reduzir os danos “irreversíveis” para o planeta.

Mnuchin, por sua vez, questionou o impacto econômico da mudança climática e a necessidade de eliminar completamente os combustíveis fósseis; portanto, ele aconselhou Greta Thunberg a se preparar e estudar a economia, e depois “voltar e explicar tudo”.

– Ela é economista-chefe? Estou confuso… Depois que ela estudar economia na universidade, ela pode voltar e explicar isso para nós – afirmou.

O comentário foi feito depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, que também participou do Fórum, ter criticado ontem os “profetas” que preveem um apocalipse climático.

Sobre essa questão, Mnuchin afirmou que os EUA lideram a implementação de energias limpas e redução de emissões e indicou que muitos países trabalham nessa direção sem receber pressão dos investidores.

Ele disse ainda que o que é realmente importante para uma economia é a criação de empregos.

Continue lendo

MUNDO

Por que o príncipe da Arábia Saudita hackeou celular de Jeff Bezos, segundo investigação da ONU

Publicado

em

Mohammad bin Salman e Jeff Bezos, em foto de arquivo; saudita é acusado de mandar, via WhatsApp, um malware que hackeou o celular do bilionário Getty Images Fonte: BBC

Uma intriga internacional envolve, desde 2018, o homem mais rico do mundo e uma ditadura ultrafechada acusada de matar seus inimigos com requintes de crueldade. E, agora, o caso está sendo investigado por especialistas em direitos humanos da ONU.

Segundo essa investigação, Jeff Bezos — dono da gigante Amazon e do jornal The Washington Post — recebeu, em maio de 2018, uma mensagem de WhastApp da conta pessoal de Mohammed bin Salman (conhecido como MBS), príncipe herdeiro da Arábia Saudita, considerado um dos regimes mais rígidos do mundo.

Os dois haviam se encontrado algumas semanas antes em uma festa. Na mensagem de WhatsApp vinda do príncipe saudita, diz a apuração da ONU, havia um arquivo de vídeo em MP4 que continha um “malware” — um arquivo malicioso que hackeou o celular de Bezos e extraiu dezenas de arquivos do aparelho.

Um contexto importante nessa história: na época da invasão do telefone de Bezos, seu jornal, o Washington Post, publicava regularmente as colunas do jornalista Jamal Khashoggi, fervoroso crítico do regime saudita.

Khashoggi foi morto poucos meses depois desse episódio, em outubro de 2018, dentro do consulado da Arábia Saudita em Istambul. Como seu corpo desapareceu, as autoridades turcas concluíram que ele foi esquartejado e dissolvido em ácido.

Fontes da CIA (agência de inteligência americana) ouvidas pela agência Reuters naquele ano acreditavam que Mohammed Bin Salman havia ordenado a morte de Khashoggi. O príncipe negou e afirmou que a morte do jornalista havia sido ordenada por oficiais sauditas agindo por conta própria.

Desde então, cinco pessoas foram condenadas à morte na Arábia Saudita pelo caso Khashoggi — algo que a ONU considerou uma “farsa”.

Da mesma forma, o regime saudita negou ter invadido o celular de Bezos, afirmando se tratar de uma acusação “absurda”.

“A ideia de que o príncipe herdeiro hackearia o telefone de Bezos é absolutamente tola”, afirmou à Reuters o chanceler saudita, príncipe Faisal Bin Farhan Al Saud.

No entanto, comunicado emitido nesta quarta-feira (22/01) por Agnes Callamard, relatora especial da ONU sobre execuções extrajudiciais, e David Kaye, relator especial da ONU sobre liberdade de expressão, afirmaram terem recebido uma análise forense de 2019 que dizia, com “nível médio a alto de confiança”, que o celular do bilionário americano fora alvo de “extrações (de arquivos) sem precedentes” poucas horas depois de ter recebido o vídeo enviado pela conta pessoal do príncipe saudita.

A análise forense do celular indicou que ele foi hackeado por um malware que “segundo foi amplamente reportado, havia sido comprado e utilizado por oficiais sauditas” e “é alvo de um processo judicial movido pelo Facebook/WhatsApp” contra o NSO Group, criador do malware.

“A informação que recebemos indica o possível envolvimento do príncipe herdeiro na espionagem de Bezos, em uma tentativa de influenciar, senão silenciar, a cobertura do Washington Post sobre a Arábia Saudita”, dizem os relatores da ONU, pedindo “investigação imediata pelos EUA e outras autoridades relevantes.”

Segundo a ONU, a invasão no celular de Bezos teria permitido aos hackers extrair informações de cunho pessoal do bilionário.

Entra aqui mais um agente na intriga: o tabloide americano National Enquirer, próximo tanto do presidente americano Donald Trump quanto do regime saudita.

Em fevereiro de 2019, Bezos fez um post público acusando o National Enquirer de chantageá-lo com a publicação de fotos e informações sobre um suposto caso extraconjugal seu.

Um investigador contratado por Bezos concluiu, no mês seguinte, que o material pessoal teria sido fornecido pelos sauditas ao National Enquirer.

“Nossa investigação e diversos especialistas concluíram, com alto grau de confiança, que os sauditas tiveram acesso ao telefone de Bezos e obtiveram informação confidencial”, escreveu o investigador, Gavin de Becker, em março do ano passado.

O tabloide, por sua vez, afirmou que obteve os dados de outra fonte.

Há, porém, registros obtidos pelo jornal The New York Times de que o príncipe MBS tenha se encontrado com David Pecker, executivo-chefe do National Enquirer, em setembro de 2017.

Além disso, segundo os relatores especiais da ONU, a invasão do celular de Bezos “é reforçada por outras evidências de sauditas que alvejaram dissidentes e pessoas que consideravam oponentes”.

“Cabe aos EUA e à comunidade internacional dizerem ‘basta'”, disse, segundo a Reuters, a relatora Agnes Callamard. “Esse tipo de comportamento, incluindo no mais alto nível de governo, é absolutamente inaceitável e não deve ser tolerado.”

A mesma Callamard foi quem, em junho de 2019, liderou a investigação da ONU em Istambul que concluiu que a morte de Khashoggi havia sido premeditada e que o príncipe MBS deveria ser investigado pelo caso.

Continue lendo

MUNDO

Super Nintendo World chegará ao Epic Universal dos EUA a partir de 2023

Publicado

em

Fonte: Com informações: CNET.

Parque estará dentro do ainda não inaugurado Epic Universal

A inauguração do Super Nintendo World no Japão já vai acontecer neste ano e se você ficou desanimado por ter que dar meia volta ao redor do planeta (ou seguir em longa linha reta, terraplanista), saiba que o parque terá uma versão em Orlando, aqui perto, nos Estados Unidos. Só que isso só vai acontecer a partir de 2023.

A informação da chegada não é tão nova, ela já foi confirmada por Thomas Williams, CEO da Universal Parks, só que agora temos um prazo e ele será menor do que o prazo pra construir o trem bala que liga São Paulo até o Rio. Além de bater o martelo no ano de 2023, agora sabemos que o parque estará dentro do Epic Universal, que é uma nova área do parque da Universal, lá em Orlando.

No Japão o Super Nintendo World é tudo que qualquer nintendista, como eu, sonhou: um parque temático de coisas da Nintendo – ou pode dizer que a imensa maioria dele será de Mario, mas deve ter algum espaço pra outras coisas. Nele os visitantes encontrarão atrações que lembram os jogos, com duas confirmadas em uma corrida com Mario Kart e outra chamada Yoshi’s Adventures – ainda sem informação do que rolará lá.

Também há espaço pra comida e cacarecos como camisas, nada que já não exista em outros parques da Universal, como é o caso de The Wizarding World of Harry Potter e que recria muito do dos livros e filmes de Potter (indo até mesmo no Beco Diagonal) em um espaço enorme dentro do parque de Orlando.

A data de 2023 está na cabeça por ser o ano de inauguração do Epic Universal, então é seguro afirmar que o Super Nintendo World será inaugurado a partir desta data.


Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital