Conecte-se Conosco

GOVERNO DO PARÁ

Convênio com o Estado garante reabertura do Instituto Miguel Chamon

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A saúde pública no município de Curionópolis, no sudeste paraense, ganhou um importante reforço nesta quarta-feira (14), com a reinauguração do Instituto Miguel Chamon, iniciativa do deputado estadual Wanderson Chamon (Chamonzinho), com apoio do governo do Estado. A solenidade, que ocorreu no início da noite na sede do Instituto, na Rua das Palmeiras, contou com a participação do governador Helder Barbalho, de secretários de Estado e vários deputados estaduais, além de colaboradores da instituição e moradores.

áO deputado Chamonzinho contou que o Instituto foi inaugurado em 2003, quando ele ainda era vereador de Curionópolis. A entidade, que leva o nome do avô do parlamentar, inicialmente oferecia serviços de capacitação profissional e assistência em saúde. Chegou a formar 1.200 jovens em cursos de informática.

Entre 2008 e 2016, o Instituto esteve sob a gestão do município. O parlamentar, que era o prefeito na época, transformou a entidade em um posto de saúde. Agora, volta a funcionar por meio de convênio com o governo do Estado, que garante ajuda para o custeio do espaço. A expectativa da direção é atender cerca de 600 pessoas por mês, em várias especialidades, como clínica médica, oftalmologia e odontologia. Também serão realizados, gratuitamente, exames de ultrassom.

O deputado Chamonzinho agradeceu ao governo do Estado pela parceria, e garantiu que o espaço vai oferecer um serviço humanizado e de qualidade. “O Instituto é a prova de que, quando se quer, é possível fazer, mesmo sem o apoio do Executivo municipal”, declarou.

O governador Helder Barbalho descerrou a placa de reinauguração ao lado das autoridades. Em seguida, percorreu as dependências do Instituto, que conta com salas para atendimentos e exames, além de dois consultórios móveis, instalados em duas carretas, que levarão os serviços às comunidades e bairros mais distantes. Helder Barbalho conversou ainda com profissionais de saúde e pacientes. “Tenho certeza de que o trabalho desenvolvido aqui terá muita qualidade e vai oferecer dignidade à população de Curionópolis, que sabe que pode contar com o governo do Estado”, ressaltou. Ele também foi conhecer os consultórios móveis e recebeu demandas de lideranças da região.

A aposentada Antônia Aguiar, 66 anos, moradora de Curionópolis, disse que estava ansiosa para voltar a ser atendida no Instituto. “Pra gente, que é pobre e vive de salário mínimo, é muito importante, porque muitas vezes o município não oferece o serviço e a gente precisa pagar pra fazer um exame. Eu mesma acabei de gastar R$ 200,00 para ter um atendimento particular. Então, vai nos ajudar muito”, afirmou.

Educação – Antes de participar da solenidade de reinauguração do Instituto Miguel Chamon, o governador atendeu um grupo de alunos da Escola Estadual Tancredo Neves, localizada na sede municipal. Eles falaram sobre a reforma da unidade de ensino, iniciada no governo passado e até agora não concluída.

Helder Barbalho explicou aos estudantes a situação precária em que foram encontradas cerca de 600 escolas em todo o Estado, e enfatizou o esforço que a atual gestão tem feito para melhorar a rede pública de ensino.

O governador se comprometeu a inaugurar a reforma da escola em janeiro de 2020 e a resolver o problema de falta de professores de algumas disciplinas, também relatado pelos estudantes, com a contratação de novos profissionais por meio de processo seletivo, que já está ocorrendo, e de novo concurso público, que deve ser realizado no próximo ano.

Os alunos saíram confiantes do encontro com Helder Barbalho. “A gente não sabia das providências que estão sendo tomadas, por isso foi importante vir até aqui conversar com o governador. Agora, temos a certeza de que nossos problemas serão resolvidos”, disse Janaira Silva, 17 anos, estudante do 2º ano do ensino médio.

Continue lendo
Clique para comentar

GOVERNO DO PARÁ

Obras de manutenção na ponte do Rio Guamá estarão prontas em 2020

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A Secretaria de Estado de Transportes (Setran) continua realizando serviços de manutenção na ponte sobre o rio Guamá, no quilômetro 14 da PA-483 (Alça Viária). A obra tem como finalidade a troca dos cabos-estais (que dão sustentação à estrutura) e a revitalização de toda a ponte, com a premissa de reduzir ao mínimo o impacto aos usuários.

Com mais de 60 funcionários na obra e com investimento superior a R$ 19 milhões, o serviço tem prazo de entrega até abril de 2020 e neste mês de agosto iniciou a substituição dos cabos-estais de maiores comprimentos da ponte, denominados cabos de retaguarda, aqueles que ligam os mastros aos apoios de extremidades. As obras na ponte rio Guamá, que tem comprimento total 1.976,80 metros, com o segundo maior vão livre estaidado do Brasil 320 m, foram reiniciadas em janeiro deste ano.

Entre os serviços de manutenção executados na ponte sobre o rio Guamá estão os levantamentos topográficos, substituição dos cabos-estais, protensão dos cabos-estais, instalação do sistema de para-raios, instalação de portas e alçapões metálicos de acesso aos mastros, substituição de todos os aparelhos de apoio e instalação de novos aparelhos de dilatação nas juntas estruturais de toda a ponte, vãos de acesso ao trecho estaiado.

Para executar as obras de manutenção da ponte com a mínima interferência no tráfego na pista, foi adotado o sistema de interrupções “pare e siga”, onde alternadamente somente uma das mãos da via é fechada em minutos para manobras de equipamentos apenas, garantindo assim, a movimentação de cargas, com o menor impacto possível ao tráfego. A operação tem apoio diário de agentes do Detran e da Polícia Rodoviária Estadual.

A Alça Viária é um complexo rodoviário que conta com mais de 74 quilômetros de via equipada com pontes de grandes vãos que ligam a região metropolitana de Belém ao porto de vila do Conde e ao sudeste e sul do Pará permitindo acesso às cidades como Barcarena, Moju e Acará. A rodovia também liga o nordeste paraense à PA-150, chegando à região sudeste do Pará.

A ponte Rio Moju, terceira ponte no sentido de saída de Belém, também está em obras de reconstrução do vão central que foi destruído por uma embarcação em abril passado. A construção está na fase final de concretagem do bloco do mastro, que servirá de base para os pilares que suportarão o piso da ponte onde passarão os veículos, o chamado tabuleiro ou estrado. O novo trecho central da ponte sobre o Moju será a segunda maior ponte estaiada do Norte do Brasil, com comprimento total de 268 m.

Para dar ainda mais rapidez à construção, a Setran adotou método construtivo inovador na concretagem do bloco da ponte com a execução compartilhada de cravação de estacas e moldagem “concretagem” parcial dos blocos em 5 módulos, sendo um central, de onde sairão os dois pilares do mastro e os demais 4 partes de formação da aba perimetral do bloco, ou seja, uma modular com construção simultânea para solidarização quando o mastro atingir a altura total de 85,1m. Assim inicia-se construção do mastro na parte central do bloco de fundação, enquanto as estacas e as partes periféricas do bloco são construídas simultaneamente em outros dois estados. A solidarização final se dará com cabos transversais de protensão, que garantirão o comportamento solidário do bloco e a ativação das estacas periféricas.

Continue lendo

GOVERNO DO PARÁ

Conselheiros discutem saneamento básico, regularização fundiária e mobilidade urbana

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A 15ª Reunião Ordinária do Conselho das Cidades (Concidades), que teve início na última terça-feira (20), em Belém, contou com a participação de conselheiros de entidades civis e do poder público do Estado, além de representantes de movimentos sociais e associações. Temas como moradia, regularização fundiária, saneamento, rede de esgoto e mobilidade urbana foram tratados durante os três dias de programação

O Carlos Silvestre, da Associação de Moradores de Terrenos de Marinha do Estado do Pará (AMTEMEPA), participou do encontro para ter acesso a mais informações sobre as políticas voltadas para habitação e moradia no Estado. “A discussão sobre o assunto nos trouxe até aqui, porque queremos dar início ao nosso projeto de habitação. Então a gente veio para escutar as sugestões e ver de que forma podemos proceder e, de repente, buscar de alguma maneira uma resposta benéfica para a nossa luta”.

Nesta quinta-feira (22), no auditório da Imprensa Oficial do Estado (Ioepa) e, pela parte da tarde, na sede da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Obras Públicas (Sedop), os conselheiros apresentaram, para aprovação, os encaminhamentos definidos durante os encontros das Câmaras Técnicas de Habitação, Saneamento Ambiental e Resíduos Sólidos, Planejamento e Gestão Territorial, e Transporte e Mobilidade Urbana, realizadas no dia anterior.

“A partir do conselho, podemos levar aos municípios de áreas mais distantes da capital paraense, projetos de interesse social. Por isso, é importante que nós, conselheiros, sejamos atuantes, para dar força ao Concidades e conseguir representatividade com a atual gestão”, ressaltou a conselheira do município de Santarém, localizado na região do Baixo Amazonas.

Dentre as principais pautas discutidas, as câmaras reafirmaram a importância em se definir, pelos órgãos envolvidos, os planos estaduais de saneamento básico, regularização fundiária e mobilidade, além da participação mais incisiva das administrações municipais nestas questões.

“O conselho se reúne, também, para cobrar e auxiliar o próprio governo estadual na cobrança de prefeitos e vereadores no envolvimento destas problemáticas. Porque não é possível pensar os temas separadamente, eles se complementam e afetam principalmente crianças e idosos do interior do Estado, que precisam de educação e saúde de qualidade, de água tratada e saneamento”, afirmou o conselheiro do município de Salvaterra, representante da região do Marajó, Pedro Paulo Duarte.

O próximo encontro está previsto para os dias 26, 27, 28 e 29 de novembro, em Belém, para cobrar retorno das exigências firmadas nesta reunião e avançar nas discussões referentes ao desenvolvimento do Pará.

“Eu fico grato pelo esforço dos conselheiros em se manterem presentes e participarem do nosso trabalho, porque nós temos em comum a vontade de trazer melhorias para o nosso Estado e buscar o seu crescimento. Então, tornar estes encontros frequentes é fundamental para o avanço destas ações por todo o Pará”, concluiu o secretário executivo da Sedop, Ruy Cabral.

Continue lendo

GOVERNO DO PARÁ

Hospital Regional dos Caetés será inaugurado em outubro

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

Nesta  quinta-feira (22), o Governador do Pará, Helder Barbalho e o Secretário de Estado de Saúde, Alberto Beltrame, assinaram o contrato de gestão qualificada como organização social em Saúde – OSS com a Irmandade de Santa Casa de Birigui, escolhida para o gerenciamento do Hospital público Regional dos Caetés, que deve ser entregue no início do mês de outubro.

Segundo o prefeito de Capanema, Francisco Neto,  o hospital foi entregue em março mas com a configuração de hospital materno infantil, que cobriria apenas 9% da demanda de atendimento de saúde pública do município. “Esse hospital é um sonho que agora será concretizado com a abertura no mês de outubro. Esse hospital vai trazer tranquilidade, não só para a população de Capanema, mas dos 16 municípios da região”, comemorou o prefeito.

O novo Hospital dos Caetés terá 60 leitos, com atendimentos especializados em traumatologia e cirurgia geral. A cidade de Capanema,  bem como toda a região, possui uma grande demanda de pacientes acidentados. Com a chegada desse hospital, os atendimentos poderão ser feitos no município evitando o deslocamento de pacientes até a região metropolitana de Belém. Os investimentos para manter os  serviços serão  do tesouro estadual, cerca de 22 milhões/ano

Para  o secretário de saúde do Estado, a abertura desta unidade hospitalar representa mais um avanço no serviço de saúde pública, trazendo atendimento rápido e de qualidade para a população. “O hospital terá 60 leitos e é um perfil referenciado para traumas e para cirurgia geral. É uma  grande demanda da região, e vai ajudar a desafogar a UPA de Capanema que chega a atender quase 20 mil pessoas por mês”, ressaltou o secretário Alberto Beltrame.

Continue lendo

Destaque