Conecte-se Conosco

POLÍCIA

Corregedoria apura conduta de policiais em caso de médica espancada

Ticyana D’Azambuja foi agredida após reclamar de barulhos em uma festa no Rio

Foto: Reprodução /Fonte: NOTÍCIAS AO MINUTO

Publicado

em

esta quarta-feira (3), a 20ª DP (Vila Isabel) e a Corregedoria da PM abriram procedimentos para apurar a conduta sargento da Polícia Militar Luiz Eduardo dos Santos Salgueiro, de 43 anos, que foi identificado como um dos suspeitos de terem agredido a médica Ticyana D’Azambuja, no Grajaú, no último sábado.

Ticyana, que é médica plantonista na linha de frente da luta conta a covid-19, foi brutalmente agredida após tentar reclamar de barulhos em uma festa. Na ocasião, como não foi escutada pelo organizador da festa, ela danificou o carro do policial e acabou sofrendo agressões dos convidados da confraternização.

Segundo informações do jornal ‘Extra’, o PM já foi ouvido no Batalhão de Polícia de Choque, no Estácio, onde é lotado. A unidade e a Corregedoria da PM abriram procedimentos para apurar também a conduta dos policiais que foram acionados para a ocorrência.

Abrigada na casa de parentes, a médica de 35 anos, não pretende voltar a morar no Grajaú, após ter sido espancada por cinco frequentadores da “festa do corona”, realizada numa casa vizinha à dela. “Depois da denúncia, estou com medo. Infelizmente vou ter que sair da minha casa. Seria imprudente continuar ali”, desabafou.

Moradores do bairro realizaram nesta quarta (4) uma passeata para apoiarem Ticyana. A médica foi procurada por integrantes da Comissão de Direitos Humanos da Alerj, da Defensora Pública do Estado e de profissionais como psicólogos e fisioterapeutas.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual