Conecte-se Conosco

CIDADE

Cosanpa atende pedidos de moradores após reunião sobre residenciais de Icoaraci

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

A Companhia de Saneamento do Pará (Cosanpa) recebeu moradores dos residenciais Viver Maracá e Quinta dos Paricás, em Icoaraci, distrito de Belém, nesta segunda-feira (24). O encontro foi para discutir a situação do abastecimento de água nesses condomínios, que possuem sistemas construídos pelos programas “Minha Casa, Minha Vida” e que foram entregues para a operação do órgão estadual. A reunião contou com a presença do presidente da Companhia, José Antonio De Angelis, e o Secretário de Habitação de Belém, Maikenn Souza.

Os dois residenciais foram construídos pelos programas do governo municipal, “Viver Belém”, e federal, “Minha Casa Minha Vida”, em uma parceria da Prefeitura Municipal de Belém e o Governo Federal. O residencial Viver Maracá, bairro Maracacuera, foi entregue pela prefeitura em julho do ano passado, e possui 550 apartamentos. Abastecido pelo poço do bairro de Águas Negras, em Icoaraci, tem a medição da água feita de forma individualizada e por hidrômetro, um aparelho de precisão que mede e registra o consumo de água.

Os moradores pediram que uma equipe técnica da Cosanpa avalie a qualidade da água que está sendo distribuída para o residencial. “Nós já estávamos em contato com o secretário da Sehab e ele disse que o presidente da Cosanpa estava disposto a nos receber e nos ouvir. Poucas pessoas nos dão essa oportunidade. Nos reunimos com o seu José Antonio de Angelis, expomos todos os nossos problemas e estamos saindo daqui acordados e aguardando a visita de equipes da Cosanpa no nosso condomínio, foi uma reunião muito produtiva”, contou Marcilene Vilhena, moradora do residencial Viver Maracá.

De Angelis enfatizou o compromisso da Cosanpa em busca de soluções para satisfazer o cliente. “Eu vou solicitar para que seja feita a análise da água que está saindo do nosso poço e também da que está chegando na casa dos moradores. Vou pedir também que seja feita uma vistoria no poço do Águas Negras e, se for necessário, uma limpeza. Equipes vão até o local fazer ações sociais sobre o uso racional da água e explicar como funciona a tarifa da Cosanpa. Estaremos dentro do condomínio para atender aos moradores e tirar as dúvidas de cada um”.

Quinta dos Paricás – O segundo residencial teve a primeira e segunda etapas do entregues no primeiro semestre desse ano, e a terceira ainda está em andamento. O condomínio tem sistema de abastecimento de água e tratamento de esgoto próprios. Entre os assuntos debatidos esteve o valor das contas.

“Nós viemos aqui fazer reclamações semelhantes às dos moradores do Viver Maracá, também estamos com problemas com a qualidade da água e nossas contas estão vindo muito altas”, explicou Fernando Souza, morador do residencial Quinta dos Paricás.

O titular da Cosanpa informou aos moradores que será feita uma revisão nos valores das contas e, se houver cobrança injusta, o valor será descontado. José De Angelis esclareceu também que todos os moradores têm hidrômetros, aparelho que mede o consumo dos clientes e é a forma mais justa de cobrança, já que o cliente paga pelo que consome. Além disso, o medidor ajuda a identificar perdas entre a produção e a distribuição de água, quando há vazamentos, por exemplo.

Ficou definido que a equipe técnica da Cosanpa também irá até o residencial Quinta dos Paricás para que sejam feitas as análises da água e dos hidrômetros. Ações sobre uso consciente da água também serão realizadas pelas equipes sociais da Companhia.

“Fiquei muito feliz com essa reunião. A Cosanpa abriu as portas pra Sehab e para os moradores, dando voz para cada representante. Eu, em nome da Sehab, me comprometo a ajudar a Companhia com essas ações, vamos dar suporte, caminhar juntos”, pontuou o secretário de Habitação de Belém, Maikenn Souza.

Continue lendo
Clique para comentar

CIDADE

Sazonalidade faz preço do pescado subir e outras espécies viram alternativas de consumo

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Belém

Após cinco meses consecutivos de queda no valor do pescado comercializado nos mercados municipais da capital, o peixe apresentou elevação de preço no mês de novembro. É o que aponta o estudo divulgado nesta quarta-feira, 11, pela Secretaria Municipal de Economia (Secon) e o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese).

“O aumento do preço do peixe do final do ano é esperado devido à sazonalidade típica desta época. Entretanto, o que alavancou ainda mais o disparo no valor do peixe é a elevação do preço da carne bovina também no mês de novembro, levando a população a consumir mais o peixe e o frango”, explicou o supervisor técnico do Dieese, Roberto Sena.

Entre os pescados com maiores elevações de preço no mês de novembro, segundo pesquisa Secon/Dieese estão o camurim, com alta de 14,40%; seguido do xaréu, com 9,29%; da sarda, 9,06%; do bagre, 7,88%; do mapará, 6,85%; da dourada, 6,45%; da pirapema, 5,63%; da gurijuba, 5,09%; do cachorro de padre, 5,02%; do aracu, 4,51%; da piramutaba, 4,44%; do filhote, 4,30%; do curimatã, 3,25%; do peixe pedra, 3,05%; da pescada branca,1,98%; do peixe serra, 1,96%; e do pacu, com alta de 1,61%.

Como alternativa, o secretário municipal de economia, Rosivaldo Batista, destacou “a necessidade do diálogo direto com os peixeiros, a fim de barganhar descontos ou, ainda, a opção pela compra dos pescados que tiveram queda de valor, apresentados mensalmente nas pesquisas da Secon com o Dieese”.

As principais espécies que apresentaram quedas de preços no mês de novembro foram a traíra, com recuo de 18,54%; seguida da tainha, com queda de 8,48%; da corvina, com -8,31%; da uritinga, com -7,82%; do cação, -3,39%; do surubim, -2,61%; da arraia, -1,75%; do tambaqui, -1,55%; e da pratiqueira, com queda de 1,06%.

Média geral – Mesmo com o aumento no mês anterior, houve queda no comportamento do preço do pescado nos últimos 12 meses, devido às sequenciais baixas nos valores do produto, conforme o estudo Secon/Dieese.

Em destaque na análise dos últimos 12 meses estão a piramutaba, com recuo de 15,96%; seguida do surubim, com queda de preço de 12,69%; da corvina, -11,74%; do cachorro de padre, -11,08%; da tainha, -8,75%; da uritinga, -8,32%; da traíra, -7,26%; da pescada amarela, -7,05%; do bagre, -7,02%; da dourada, -6,96%; da gurijuba, -6,50%; da pescada gó, -5,94%; da pescada branca, -4,98%; do tucunaré, -4,74%; do tambaqui, -2,82%; e do mapará com queda de preço de 2,67%.

Ainda segundo as pesquisas, também no período de janeiro a novembro de 2019 várias espécies de pescado continuaram apresentando quedas de preços, como a traíra, com recuo de 29,70; seguida da corvina, com queda de 17,96%; da uritinga, com -14%; do tambaqui, -13,38%; do surubim, -11,93%; do tamuatá, -11,50%; do filhote, -7,08%; da tainha, -6,08%; da piramutaba, -5,78%; do peixe serra, -5,64%; do tucunaré, -4,87%; da pescada amarela, -3,68%; e da pratiqueira, com queda de preço de 2%.

Texto: Roberta Corrêa

Continue lendo

CIDADE

Mosqueiro celebra o 151º Círio de N. Senhora do Ó

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Agência Belém

O tema “Com Maria, Anunciamos Jesus na Amazônia Missionária” guiou os milhares de fiéis que participaram neste domingo, 08, do Círio de Nossa Senhora do Ó, na ilha de Mosqueiro. Presidida pelo bispo Dom Irineu Roman a tradicional missa teve início às 7h, na capela do Sagrado Coração de Jesus, na praia do Chapéu Virado. Em seguida os fiéis saíram em romaria para a igreja Matriz, na praça da Vila.A 151ª edição da festividade é uma realização da paróquia Nossa Senhora do Ó com o apoio da Prefeitura de Belém, por meio da Agência Distrital de Mosqueiro (Admos). Ao todo serão 15 dias de festa em homenagem à padroeira do distrito, com missas, novenas e programação cultural gratuita para o público.

 As principais ruas por onde a romaria seguiu foram cuidadosamente preparadas pelos fiéis com tapetes de serragem colorida e emocionaram ainda mais quem participou da celebração. A pedagoga Nazaré Barbosa, de 47 anos, nasceu na ilha de Mosqueiro e é devota desde criança. Para ela o clima de fraternidade que o Círio proporciona, é emocionante. “Todos os anos eu participo assiduamente da festividade. É uma forma de agradecer pelas bênçãos alcançadas. Ver as nossas ruas ganhando esse brilho de fé e amor (das pinturas) é incrível”, afirmou. 

O auxiliar de serviços gerais Murilo Johnson, 52 anos, que carregava junto ao corpo uma imagem da padroeira local, se preparava para a caminhada pelas ruas de Mosqueiro. “Há oito anos eu obtive a graça de ver um parente sendo salvo, graças à intercessão de Nossa Senhora. Por isso venho todos os anos participar da romaria”. 

Para a realização do Círio a Admos contou com o apoio da Secretaria Municipal de Saneamento (Sesan) que intensificou a coleta de lixo, fez o recapeamento asfáltico nas principais ruas da ilha e retirou a serragem das vias após a passagem da imagem. Já a Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de Belém (Semob) atuou com 11 agentes de trânsito e disponibilizou cinco ônibus extras na sexta-feira, 06; dez ônibus, no sábado, 07; e mais cinco neste domingo, 08, somados aos 16 que fazem o trajeto, normalmente.

A Guarda Municipal de Belém (GMB) atuou com 23 homens, três viaturas e seis motocicletas durante todo o evento religioso.

De acordo com o titular da Admos, Benedito Cavallero, este foi mais um ano em que a Prefeitura de Belém atuou junto aos principais organizadores do evento para garantir aos fiéis um Círio com tranquilidade. “Nossos trabalhos iniciaram bem antes do domingo, especialmente por saber que muitas pessoas visitam a ilha neste período do ano.

Desejamos que os próximos dias que seguem, de festas, sejam da mesma forma que foi hoje”.  A imagem da padroeira de Mosqueiro chegou à igreja Matriz por volta de 9h30, e foi recebida com fogos pelos promesseiros.

Texto: Karla Pereira

Continue lendo

CIDADE

Vídeo: mototáxista assalta jovem após realizar corrida em Ananindeua

Publicado

em

Foto: Crédito: Reprodução/Twitter Belém Notícias / Fonte: Roma News

Uma jovem, ainda não identificada, foi assaltada por um mototáxista após realizar uma corrida em Ananindeua. O crime foi registrado por câmeras se segurança próximo ao destino final da corrida.

Nas imagens, é possível ver que uma outra pessoa passa pela rua enquanto a jovem desce da moto. No momento em que a jovem tenta abrir o portão da casa, a câmera registra apenas ela e o mototáxista.

A ação foi extremamente rápida. O homem desce da moto, rouba um objeto pessoal da vítima, amassa a placa da moto para não ser identificado e, em seguida, foge levando o objeto. Até o momento não se sabe o bairro em que o crime foi cometido.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital