Conecte-se Conosco

ESPORTES

Cruzeiro e Atlético-MG frustam torcedores: 0x0; e Corinthians vira sobre Sport no finalzinho

Publicado

em

São Paulo , SP  – Cruzeiro e Atlético-MG passaram longe de fazer do clássico deste domingo (16) um dos mais marcantes da história. No Mineirão, pela 25ª rodada do Campeonato Brasileiro, as equipes deixaram a desejar e não saíram do zero, em empate que saiu com gosto de vitória para o lado celeste, que entrou em campo com o time reserva e conseguiu segurar os titulares do rival.

Em termos de tabela, o resultado, porém, é ruim para ambos. O time dirigido por Mano Menezes foi a 34 pontos ganhos e, na sétima colocação, continuam distantes dos primeiros colocados. Os comandados de Thiago Larghi, por sua vez, continuam na sexta posição, com 42, e perderam a oportunidade de se aproximar do primeiro pelotão.

Na próxima rodada, a Raposa enfrenta o Santos, na Vila Belmiro, enquanto o Galo volta a jogar fora de casa, desta vez contra o Flamengo, no Maracanã. Ambos os confrontos acontecem no próximo domingo, sendo o primeiro às 19h (no horário de Brasília), e o segundo um pouco mais cedo, às 16h.

 Galo melhor primeiro tempo

O jogo começou pegado no Mineirão. O primeiro lance de perigo, inclusive, surgiu em uma das muitas faltas que foram cometidas nos primeiros minutos. Pela direita, Cazares levantou na segunda trave e Maidana apareceu bem para cabecear. No entanto, a bola passou por cima do travessão de Rafael.

A partida continuou dura e, com 10 minutos jogados, o árbitro já havia dado um cartão amarelo para cada lado. Com os reservas em campo, o Cruzeiro viu o Atlético controlar a posse de bola e tomar a iniciativa. Aos 15, Chará chegou ao fundo e cruzou à meia altura na área. Luan se antecipou à marcação e testou para o gol, mas Rafael, mostrando reflexo, fez ótima defesa.

Aos 27, o Galo voltou a assustar, desta vez em rápido contra-ataque. Após cobrança de escanteio do Cruzeiro, Cazares roubou a bola na intermediária, tabelou com Chará e saiu em boas condições de finalizar dentro da área. Rafael, porém, saiu bem do gol, fechou o ângulo e ficou com ela.

O Cruzeiro cresceu antes do intervalo e a primeira boa chance aconteceu somente aos 42 minutos, quando Raniel recebeu na entrada da área e deu de primeira para Sóbis, que estava bem posicionado para finalizar. O camisa sete dominou com a direita e bateu com a esquerda, mas o chute foi no meio do gol e ficou fácil para Victor defender.

Em primeiro tempo de muita disputa e pouco futebol, o zero a zero ficou de bom tamanho.

Segundo tempo ruim: 0x0

A etapa final começou, senão com mais perigoso, com o lance mais bonito do jogo. Marcelo Hermes recebeu pela esquerda, carregou na intermediária e soltou uma bomba em direção ao gol. O chute tinha endereço, mas Victor, de mão trocada, fez uma espetacular defesa para evitar o gol da Raposa.

A resposta alvinegra veio aos oito, com Cazares dominando pela esquerda, trazendo para o meio e batendo rasteiro com a perna direita. A bola passou raspando a trave esquerda.

Apesar do bom início, o ritmo caiu, junto com o rendimento das equipes, que pouco criaram a partir de então. Na reta final, a melhor chance foi do Cruzeiro. Sassá, que havia acabado de entrar, recebeu pela esquerda, cortou para dentro e soltou o pé. O chute levou perigo ao gol de Victor, que viu a redonda lamber o pé da trave esquerda.

De resto, foi muito pouco para um clássico, e menos ainda ao se tratar de duas equipes que lutam por algo neste Brasileirão. Atuações frustrantes e empate merecido em Minas Gerais.

FICHA TÉCNICA
CRUZEIRO 0 X 0 ATLÉTICO-MG

Local: Estádio Mineirão, Belo Horizonte (MG)
Data: 16 de Setembro de 2018, Domingo
Horário: 16h (de Brasília)
Árbitro: Rafael Traci (PR)
Auxiliar: Ivan Carlos Bohn (PR) e Rafael Trombeta (PR)
Cartões amarelos: Lucas Romero, Ariel Cabral e Ezequiel (Cruzeiro); Adilson (Atlético-MG)
Cartões vermelhos: 
Gols: 

CRUZEIRO: Rafael; Ezequiel, Manoel, Murilo e Marcelo Hermes; Lucas Romero, Ariel Cabral, Bruno Silva, Mancuello (Rafael Sobis) e David (Thiago Neves); Raniel (Sassá)
Técnico: Mano Menezes

ATLÉTICO-MG: Victor; Emerson, Leonardo Silva, Igor Maidana e Fábio Santos; Adilson (Matheus Galdezani), Elias, Luan (Edinho), Cazares (Chará) e Terans; Ricardo Oliveira
Técnico: Thiago Larghi

Corinthians vira sobre o Sport no final do jogo

 videos.gazetaesportiva.com

O Corinthians conseguiu uma emocionante vitória na noite deste domingo, a primeira do técnico Jair Ventura no comando da equipe. Depois de sair atrás em um lance infeliz do zagueiro Henrique, que cometeu pênalti e deu a chance para Hernane abrir o placar. Contando com grande atuação do meia Jadson, autor de um dos gols, o Alvinegro chegou ao 2 a 1 com Danilo Avelar, aos 44 minutos do segundo tempo.

Com o resultado, o Timão chega aos 33 pontos, voltando a vencer depois de quatro rodadas e chegando à oitava colocação, um ponto atrás do Cruzeiro, ambos ainda distantes do G6. Além disso, mantém o Leão com 24, deixando o adversário e a zona de rebaixamento longe de si.

Na próxima rodada, os comandados de Jair Ventura encaram o Internacional, que entrou neste final de semana como líder da competição. O duelo está marcado para as 16h (de Brasília) do domingo, na Arena Corinthians. Eduardo Baptista e seus atletas, por outro lado, voltam ao Recife, local do embate contra o Palmeiras, às 18h (de Brasília) do mesmo dia, na Ilha do Retiro.

Roger perde gols; Hernane “broca”

A partida começou em um ritmo acelerado por parte dos donos da casa, tentando apertar o Sport no seu campo de defesa. Roger, em duas oportunidades, sairia na cara do gol, mas acabou sendo pego em impedimento pela arbitragem. Quando foi dele o passe, porém, a jogada saiu: boa enfiada para Clayson, que limpou Magrão e cruzou na pequena área. A bola foi desviada levemente pelo goleiro, o suficiente para o camisa 9 perder o tempo e mandar a cabeçada por cima do gol.

O Timão seguiu em bom ritmo, buscando aproximação entre Romero e Jadson pela direita para criar as chances de gol. Em uma boa trama da dupla, auxiliada pela esporádica subida de Paulo Roberto. O camisa 10 alvinegro mostrou muita visão de jogo e precisão para acionar Roger na marca do pênalti, mas o companheiro mostrou exatamente o contrário ao pegar mal na bola e mandar à esquerda de Magrão.

O erro, que deixou irritada a torcida, ainda cobrou seu preço logo depois. Em escapada pela esquerda do ataque, Sander ultrapassou a intermediária e cruzou para Hernane. O centroavante aparentemente não alcançaria a bola, mas foi deslocado por Henrique, pelas costas, e o juiz marcou pênalti para a equipe visitante. O próprio “Brocador” foi para a cobrança, esperou Cássio cair para o canto e mandou no meio, abrindo o placar.

O jogo ficou mais nervoso para os alvinegros em desvantagem, sempre buscando acelerar as jogadas sem tanta precisão. O cenário ficou bom para os pernambucanos, que viram o contra-ataque se apresentar. Na melhor chance, porém, Neto Moura preferiu tentar um gol do meio-campo, vendo, de longe, Cássio matar o chute no peito e sair jogando, em um dos poucos momentos de delírio da torcida até o intervalo.

Jadson comanda a virada

Jair Ventura percebeu a inabilidade do Corinthians para criar jogadas no meio-campo e sacou Douglas, que pouco participava da partida, para promover a entrada de Mateus Vital. Com mais aproximação no meio-campo, o Alvinegro conseguiu construir jogadas por baixo e poderia ter aberto o placar antes dos dez minutos, quando Romero recebeu na área e chutou cruzado. Roger poderia tentar fechar na segunda trave, mas não tentou e viu a bola sair pela linha de fundo.

A pressão corintiana seguiu, com o Sport muito recuado na tentativa de proteger o resultado. Depois de tanto martelar, os donos da casa enfim conseguiram o empate. Após falta cobrada na área, a zaga afastou parcialmente e Clayson, pela esquerda, recolocou o a redonda na zona de perigo. Roger, Léo Santos e Henrique, os três sem marcação, não conseguiram finalizar e a zaga deu um toque, deixando o lance limpo para Jadson chutar de esquerda e marcar um lindo gol.

O ímpeto corintiano foi freado após muitas substituições, com os dois treinadores chegando aos 27 minutos do segundo tempo já sem alteração, fosse por cansaço ou lesão de quem estava jogando. Jair procurou abrir a defesa adversária com a entrada de Pedrinho na vaga de Roger, mas teve de queimar uma outra mexida com a contusão de Paulo Roberto, contando apenas com esse fator para chegar à vitória.

E ela veio depois de muita insistência. Sem deixar de sofrer com o perigo de ataques do Sport, que ameaçou em lances de Rogério e Neto Moura, o Alvinegro viu Clayson deixar a ponta esquerda e abrir para Gabriel. O volante, que entrou na lateral, devolveu e viu o companheiro ganhar de Sander no corpo. O cruzamento foi na primeira trave, Romero ganhou pelo alto e Avelar, livre na segunda, empurrou para a rede.

FICHA TÉCNICA
CORINTHIANS 2 X 1 SPORT

Local: Arena Corinthians, em São Paulo (SP)
Data: 16 de setembro de 2018, domingo
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Assistentes: Helton Nunes e Alex dos Santos (ambos de SC)
Público: 20.901 pagantes
Renda: R$ 731.299,30
Cartões amarelos: Ralf e Pedrinho (Corinthians); Sander (Sport)
Gols:
CORINTHIANS: Jadson, aos 14, e Danilo Avelar, aos 44 minutos do segundo tempo
SPORT: Hernane, de pênalti, aos 22 minutos do primeiro tempo

CORINTHIANS: Cássio; Paulo Roberto (Gabriel), Léo Santos, Henrique e Danilo Avelar; Ralf e Douglas (Mateus Vital); Romero, Jadson e Clayson; Roger (Pedrinho)
Técnico: Jair Ventura

SPORT: Magrão; Ernando, Léo Ortiz, Durval e Sander; Marcão, Jair (Ferreira), Neto Moura, Morato (Andrigo) e Rogério; Hernane (Matheus Peixoto)
Técnico: Eduardo Baptista

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual