Conecte-se Conosco

POLÍTICA

Deputado do PSL oferece R$ 10 mil a quem matar assassino

Publicado

em

Nesta quarta-feira (11), um fato inusitado chamou a atenção dos presentes na Assembleia Legislativa do Espírito Santo (Alesp). O deputado Capitão Assumção (PSL) ofereceu uma recompensa no valor de R$ 10 mil para quem matar o assassino de uma mulher que foi morta na frente da filha de quatro anos.

O crime aconteceu na madrugada desta quarta no município de Cariacica. De acordo com a Polícia Civil, dois criminosos encapuzados pularam o muro da casa de Mayara Oliveira Freitas, e 26 anos, feriram seu pai e realizaram vários disparos contra a jovem. O parlamentar comentou o crime no plenário da Casa e disse que iria tirar o dinheiro do próprio bolso.

– [Dou] R$ 10 mil do meu bolso para quem mandar matar esse vagabundo. Isso não merece estar vivo não. Eu tiro do meu bolso para quem matar esse vagabundo aí. Não vale dar onde ele está localizado. Tem que entregar o cara morto, aí eu pago. Porque vagabundo, vagabundo, que tira a vida de inocente vai lá usar o sistema para ser beneficiado? – ressaltou.

De acordo com os familiares da jovem, o motivo do crime pode ter sido vingança, já que ela havia ajudado na prisão dos suspeitos de terem assassinado seu namorado. Mayara Oliveira havia se mudado para Minas Gerais após sofrer ameaças, mas voltou ao Espírito Santo há duas semanas.

A declaração gerou polêmica e críticas, apesar da imunidade parlamentar. Em entrevista à TV Gazeta, Capitão Assumção disse que só não ofereceu um valor maior por não possuir dinheiro.

– Mantenho. Eu tinha oferecido R$ 10 mil e só não ofereço mais porque não tenho dinheiro. Tem muitos colaboradores se mostrando solícitos querendo oferecer dinheiro [para quem matar o assassino]. Esse bandido é um exemplo do que pode acontecer daqui para frente quando um bandido atentar contra a vida do trabalhador – destacou.

Ao ser questionado sobre a possibilidade sua fala ter sido um crime, o deputado disse que vai tratar a questão dentro do Parlamento.

– Eu não vou modificar nada do que eu falei e vou tratar essa questão dentro do parlamento e da imunidade parlamentar. Antiético é essa barbárie cometida com os capixabas. O cidadão perdeu o direito de ir e vir e quem está tendo todas as garantias do estado é o bandido. Isso que está errado – afirmou.

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual