Conecte-se Conosco

Esportes

Desde 2015, Neymar desfalcou a Seleção em 41% dos jogos

Publicado

em

Neymar, durante treino da Seleção Brasileira na Granja Comary, em Teresópolis Foto: Ricardo Moraes / Reuters

De agosto de 2010, quando de sua estreia num amistoso contra os EUA, até o final de 2014, Neymar mitou na Seleção brasileira. Nesse período, marcou 42 gols e levou parte da torcida a esquecer um pouco de Ronaldo Fenômeno e Romário. Mas, a partir de 2015, sua produção na Seleção principal passou a ser questionada. Desde então, fez apenas 18 gols pela equipe.

Isso tem a ver com uma sequência de problemas que o deixaram várias vezes fora do time – em geral, suspensão por cartões amarelos e contusões – e com seu envolvimento em polêmicas extracampo. Nos últimos quatro anos, Neymar desfalcou a Seleção em 41% dos jogos – números expressivos.

Ou seja, o Brasil disputou, desde 2015, 61 partidas. Ele atuou em 36 e esteve ausente em 25. Apesar da conquista da Copa América, encerrada no domingo, sem a presença de Neymar, não se pode dizer que a equipe obteve melhores resultados com o desfalque de seu camisa 10.

Ao contrário. Nas 36 vezes que Neymar jogou, a partir de janeiro de 2015, o aproveitamento da Seleção foi de 79%, com 28 vitórias, seis empates e somente duas derrotas. Já nas 25 partidas sem Neymar, no período, o Brasil se saiu bem em apenas 64% dos compromissos (16 vitórias, seis empates e três derrotas).

Antes, de agosto de 2010 até o final de 2014, Neymar foi presença constante na Seleção. Ao todo, em 67 jogos realizados pelo Brasil ao longo daqueles quatro anos, não participou de apenas oito, o que representa 7,7%. Atuou em 59 partidas (92,3%) desse total.

O aproveitamento da Seleção sem Neymar, de 2010 a 2014, foi ruim (62%), com cinco vitórias e três derrotas. Com ele, em 59 vezes, melhorou um pouco (67%): a Seleção ganhou 40 jogos, empatou 12 e perdeu sete.

O Brasil vai fazer mais seis amistosos até o final de 2019 e existe a expectativa de saber se Neymar vai ou não estar em campo. O primeiro deles será contra a Colômbia, em 6 de setembro. Pode ser a chance também de o atacante voltar a marcar pelo time. A última vez que fez isso foi em 16 de novembro do ano passado, em amistoso com o Uruguai (1 a 0).

Na lista dos maiores artilheiros da Seleção, Neymar está em quarto lugar, com 60 gols. Pelé é o líder com 95, seguido por Ronaldo (67) e Zico (66).

Continue lendo
Clique para comentar

Esportes

Remo pede mudança de jogo contra a Tombense para o Baenão

Publicado

em

Roma News Foto: Ney Marcondes

No próximo dia 1º de agosto, o Remo quer enfrentar a Tombense-MG no Baenão e não no Mangueirão – palco onde o confronto foi marcado, inicialmente. Os azulinos, segundo a diretoria de futebol do clube, preferem atuar no Estádio Evandro Almeida até o final da competição – com exceção dos confrontos decisivos em uma eventual classificação à próxima fase.

O problema é que a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pode não confirmar a mudança, já que a partida teria que ser deslocada para o dia 3 de agosto, um sábado, havendo necessidade de mudança na logística dos adversários do Leão, como troca de passagens aéreas, etc.

Nesta sexta-feira, 19, o Remo enfrenta o Ypiranga, no Rio Grande do Sul, pela 13ª rodada da competição de clubes. Já no dia 27, um sábado, os azulinos encaram o Atlético Acreano, em Rio Branco.

Continue lendo

Esportes

Barça teria oferecido R$ 422 milhões e jogadores por Neymar

Publicado

em

Neymar não sabe se fica no PSG (Foto: AFP) Foto: LANCE!

A novela envolvendo o futuro de Neymar ganha novos capítulos a cada dia que passa. Desta vez, de acordo com a ‘Sky Sports’, o Barcelona fez sua primeira proposta oficial pelo craque, no valor de 100 milhões de euros (R$422 milhões) e mais dois jogadores, pelo craque brasileiro.

Os dois jogadores em questão seriam de acordo com uma lista enviada pelo Barcelona, na qual o Paris Saint-Germain escolheria dois nomes entre seis, sendo eles Philippe Coutinho, Ousmane Dembele, Ivan Rakitic, Nelson Semedo, e Malcom, sendo o sexto nome ainda não informado.

Ainda segundo a emissora, no entanto, o Paris Saint-Germain está irredutível e quer os mesmos 222 milhões de euros pagos (R$937 milhões) para contratar Neymar em 2017.

A situação de Neymar no Paris Saint-Germain parece estar bem desgastada. O jogador já teria comunicado o seu desejo de deixar o clube, e o diretor de futebol Leonardo, e o treinador da equipe, Thomas Tuchel, também já admitiram que o brasileiro quer sair.

Continue lendo

Esportes

“Não somos imbatíveis”, diz Felipão após eliminação

Publicado

em

Felipão deu méritos ao rival (Foto: Everton Pereira/Ofotografico/Lancepress!) Foto: LANCE!

Em um jogo marcado por novas polêmicas com o VAR para ambos os lados, o Internacional venceu o Palmeiras nos pênaltis, por 5 a 4, depois de de devolver o placar do jogo de ida, de 1 a 0. Após a partida no Beira-Rio, o técnico Luiz Felipe Scolari evitou comentar sobre a arbitragem e reconheceu a superioridade do adversário dentro de campo.

“O Internacional jogou melhor, teve mais qualidade. A minha equipe teve menos qualidade que. Vamos conversar e ver os erros que aconteceram, para não cometer em outros jogos. Os jogadores participaram de todos os jogos com toda a vontade que têm, às vezes, uma ou outra equipe é superior a nossa. Nós não somos imbatíveis. Ninguém morreu. Não tem nada. Perdemos uma competição. Outros perdem, outros ganham, alguém vai ganhar. Não tem que crucificar A ou B, temos que jogar futebol com a mesma qualidade que nós temos”, disse Felipão.

Os espaços no meio-campo palmeirense foi o principal motivo apontado pelo técnico para um maior volume de jogo da equipe gaúcha, que teve maior posse de bola e finalizou mais.

“Além da vontade e da qualidade do time do Internacional, nós não encurtamos no meio. O setor de meio estava dando muitas condições para que o Internacional pudesse tocar. No segundo tempo, mudou um pouco, ficou meio parelho. Só fomos equilibrar no segundo tempo, com a entrada do Moisés. Tinha que segurar o Inter bem antes, eles estavam comandando muitas ações. Não conseguimos fazer uma marcação para apertar e não ganhamos uma dividida no primeiro tempo. Esses detalhes fizeram com que o eles crescessem na partida. No segundo tempo equilibrou, foi para os pênaltis e pronto”, analisou.

O Palmeiras volta a campo, no sábado, às 19h. O time de Scolari visita o Ceará, no Castelão, em Fortaleza, pela 11ª rodada do torneio.

Continue lendo

Destaque