Conecte-se Conosco

ESPORTES

Em 2018, Palmeiras venceu no Morumbi, quebrou tabu e abriu caminho para o título

Publicado

em

Foto: Reprodução

Adversários na próxima rodada do Campeonato Brasileiro, a primeira depois da Copa América, São Paulo e Palmeiras fizeram um duelo decisivo pelo título do Brasileirão em outubro do ano passado, na 28ª rodada. No Morumbi, o Verdão não só quebrou um longo tabu, como deu mais um grande passo rumo à conquista e praticamente acabou com as chances do Tricolor.

Vindo de três empates consecutivos (contra Santos, América-MG e Botafogo), o São Paulo precisava da vitória para se recolocar como um dos fortes candidatos ao troféu, status que chegou a ter quando assumiu a liderança da competição. O Tricolor apostava na força de sua torcida e no tabu de 16 anos sem perder para o rival no Morumbi.

O Palmeiras, por outro lado, defendia uma série de 12 jogos sem derrota e estava em um grande momento, já ocupando a primeira posição. Contudo, apesar de encarar o Choque-Rei como confronto direto, o técnico Felipão escalou apenas quatro titulares (Weverton, Moisés, Felipe Melo e Dudu).

E os reservas do clube alviverde deram conta do recado. Letal, o Verdão aproveitou a falta de eficiência dos setores ofensivo e defensivo do Tricolor e foi cirúrgico no primeiro tempo. Sem sofrer muito na defesa, o Palmeiras abriu 2 a 0 nos últimos 15 minutos da primeira etapa, com Gustavo Gómez e Deyverson, ambos de cabeça.

Um lance de Sidão retratou exatamente o nível técnico do futebol apresentado pelo São Paulo. Aos nove minutos de jogo, o goleiro foi repor a bola, mas a soltou, deixando-a livre para Deyverson. O atacante bateu e o arqueiro espalmou fora da área, porém o árbitro não viu e não marcou a falta.

O segundo tempo foi irretocável pelo lado do Palmeiras. Vendo o adversário falhar na criação e nas jogadas trabalhadas, a equipe se postou bem na defesa e não deu espaço para os donos da casa. No entanto, faltando eficiência nas finalizações, o Verdão não conseguiu concluir os contra-ataques e ampliar a vantagem, mantendo o 2 a 0 no placar final.

Com o importante triunfo, o Palmeiras abriu três pontos de vantagem para o vice-líder Internacional e elevou a moral da equipe, abrindo o caminho para o título do Campeonato Brasileiro e quebrando o tabu na casa do rival. O São Paulo, por sua vez, passou a acumular mais resultados ruins do que bons, culminando na demissão de Diego Aguirre e no insucesso na busca pelo objetivo de se classificar à Copa Libertadores de forma direta.

Continue lendo
Clique para comentar

ESPORTES

Paysandu vence o Cuiabá e está em vantagem na final da Copa Verde

Publicado

em

O Liberal

Em um jogo dominado pelo Cuiabá, o Papão soube ser mais efetivo e garantir o gol, marcado por Nicolas, para buscar o tri

O Paysandu está em vantagem para conquistar o título da Copa Verde. Isso porque o time bicolor venceu o Cuiabá por 1 a 0, na primeira partida realizada na Arena Pantanal, na noite desta quinta-feira. O gol foi marcado pelo artilheiro do Papão na temporada, o atacante Nicolas. Ele soma agora 12 gols.

Para o jogo da volta, que será na quarta (20), às 21 horas, no Mangueirão, em Belém (PA), o Paysandu pode empatar que conquista o terceiro título da Copa Verde. Se o Cuiabá vencer por um gol de diferença, a decisão será nos pênaltis.  

Pressão do Dourado

Mas o gol da vantagem só iria sair no segundo tempo. Na primeira etapa, o Cuiabá pressionou o Paysandu, mostrando a força do time de Série B contra um que disputa a Série C. Com um minuto, Paulinho cobrou escanteio e Edinei desviou de cabeça para quase abrir o placar na Arena Pantanal. Depois, Marino finalizou de fora da área e a bola passou perto do gol. Depois, Felipe Marques roubou a bola e chutou forte para o gol. Para a sorte bicolor, Giovanni estava atento e fez boa defesa.

Papão só chutou uma vez

O Paysandu só conseguiu chutar para o gol aos 26 minutos do primeiro tempo. Nicolas recebeu, puxou para o meio e tocou para Vinícius Leite. O atacante ajeita, mas chuta pra fora.

Substituição no Dourado

Ainda no primeiro tempo, o Cuiabá precisou mexer. Marino sofreu uma falta de Tomas Bastos, que levou amarelo, e acabou sem condição para voltar a jogar. Escudero assumiu a posição.

Papão com dificuldade

O Paysandu não conseguia achar espaço para sair jogando. Tentava trocar passes, mas a marcação e o recuou do Cuiabá acabava bloqueando as jogadas. Já o Cuiabá distribuía as jogadas. Só faltou caprichar na hora de finalizar.

Segundo tempo

Os times voltaram sem qualquer mudança do intervalo. O Cuiabá continuou jogando do mesmo jeito e, assim como no primeiro, o time mato-grossense teve chance de abrir o placar na Arena Pantanal. O Paysandu tentou sair para o ataque mas sem sucesso.

Troca bicolor efetiva

Aos 10 minutos, o técnico Hélio dos Anjos decidiu fazer a primeira substituição. Leandro Lima entrou no lugar de Tomas Bastos, que não correspondeu ao que era esperado. Mas Leandro Lima sim.

Gol do Paysandu

Aos 23 minutos, o meia cobrou uma falta e mandou na área. Nicolas sobe e, de cabeça, abre o placar para o Paysandu na Arena Pantanal. O gol veio no momento que o Papão começava a crescer na partida e saiu da cabeça do artilheiro. Nicolas chegou ao 12º gol na temporada.

Dourado vai pra cima

O Cuiabá teve chance para empatar, mas o time paraense contou com a boa defesa do goleiro. A jogada começou com Paulinho. Ele mandou para Léo na área. O lateral chutou cruzado. A bola desvia em Victor Oliveira e Giovanni espalma.

Expulsão no Cuiabá

O jogo teve seis minutos de acréscimos e foi de ambos os times tentando balançar as redes. Mas o que marcou foi a expulsão de Léo, que derrubou Vinícius Leite perto da área. Como já tinha amarelo, levou o segundo, e veio o vermelho.

Ficha técnica

CUIABÁ X PAYSANDU

1º JOGO DA FINAL DA COPA VERDE

Local: Arena Pantanal – Cuiabá (MT)

Cuiabá: Victor Souza; Léo, Ednei, Anderson Conceição e Paulinho (Alex Ruan); Marino (Escudero), Escobar, Alê, Toty (Gutierrez); Jefinho e Felipe Marques

Técnico: Marcelo Chamusca

Paysandu – Giovanni; Tony (Bruno Oliveira), Micael, Victor Oliveira e Bruno Collaço; Wellington Reis, Caíque Oliveira (Thiago Primão), Tomas Bastos; Nicolas, Vinícius Leite e Elielton

Técnico: Hélio dos Anjos

Cartão Amarelo: Escobar, Léo (Cuiabá); Tomas Bastos, Elielton, Vinícius Leite (Paysandu)

Cartão vermelho: Léo (Cuiabá)

Gol: Nicolas (23’/2ºT)

Árbitro: André Luiz de Freitas Castro – MTR/GO

Assistente 1: Cristhian Passos Sorence – AB/GO

Assistente 2: Leone Carvalho Rocha – AB/GO

Quarto Árbitro: Eduardo Tomaz de Aquino Valadao – AB/GO

Quinto Árbitro: Hugo Savio Xavier Correa – AB/GO

Árbitro de Vídeo: Elmo Alves Resende Cunha – MTR/GO

Assistente de Árbitro de Vídeo 1: Jefferson Ferreira de Moraes – AB/GO

Assistente de Árbitro de Vídeo 2: Edson Antonio de Sousa – AB/GO

Observador de VAR: Cláudio Vinícius Cerdeira – CBF/BR

 

Continue lendo

ESPORTES

Atacante Ruan afirma que deseja vestir camisa do Paysandu na temporada 2020

Publicado

em

Foto: Reprodução/ Instagram

Herói do acesso em 2014 e com uma outra passagem pela Curuzu em 2016, o atacante Ruan afirmou que deseja vestir a camisa do Paysandu na próxima temporada. Passando férias em Belém, o jogador treina com o atual elenco que disputará a final da Copa Verde já pensando na temporada do ano que vem e, quem sabe, por um novo contrato com o clube Alviceleste.

“Sempre falo para as pessoas que me perguntam, porque não sou um cara de ficar em cima do muro, tenho mercado, deixo claro que quero ficar no Paysandu. (…) Tenho o desejo muito grande de jogar um Paraense. Jogar com a camisa do Paysandu, disputar um título e ser campeão, isso vai ser algo especial demais”.

Continue lendo

ESPORTES

Ribamar diz o que falou a Marí, do Fla, antes de confusão pós-clássico e revela reação inusitada sua

Publicado

em

Fonte/Foto: foxsports
Camisa 9 do Vasco marcou o quarto e último gol da sua equipe, no empate em 4 a 4 com o Rubro-Negro no Maracanã

Nesta última quarta-feira (13 de novembro) Flamengo Vasco empataram em 4 a 4 no Maracanã, em partida que foi uma das mais emocionantes da atual edição do Brasileirão. Autor do quarto gol do Cruz-Maltino, já nos acréscimos da etapa final, Ribamar concedeu entrevista exclusiva ao Expediente Futebol desta quinta (14).

Veja as últimas do Mercado da Bola e quem pode chegar ao seu time

E questionado sobre a confusão após a partida, que começou com ele e o zagueiro rubro-negro Pablo Marí e depois se generalizou entre as duas equipes, o camisa 9 afirmou que foi apenas cumprimentar o defensor espanhol.

“É uma situação de clássico, né? O clima esquenta. No lance que fui falar com o Pablo Marí, fui só cumprimentá-lo, acho que ele não gostou e deu a confusão, mas já passou”, disse Ribamar, que ainda revelou ter tido uma reação inusitada após cumprimentar Marí.

“Ele me respondeu em espanhol, não entendi (risos)”, prosseguiu.

Por último, o atacante também falou acreditar que o Vasco poderia, no fim das contas, ter vencido o clássico, válido por jogo antecipado da 34ª rodada.

“Dava para ter vencido. Foi um jogo de igual para igual, o Flamengo também poderia ter vencido a partida, tivemos oportunidades de gol, eles também. Foi um jogo duro, truncado, mas terminou em empate”, completou.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital