Conecte-se Conosco

BELÉM

Em Belém, alunos da rede municipal de ensino têm garantido o direito à alimentação

Foto: Divulgação / Fonte: Agencia Belém

Publicado

em

“Antes de a minha filha ser aluna da creche, ela tinha uma dificuldade imensa para se alimentar porque não aceitava comer certos alimentos. Até chorava para comer. Foi na creche que ela aprendeu a comer de tudo, como verduras, legumes, frutas e a ter mais independência. Desde do berçário a minha filha é muito bem tratada pelas professoras e a alimentação é ótima”, diz manicure Catharine Ferreira, de 42 anos, mãe da Isadora Freitas, 3, aluna do Maternal I da Escola Municipal de Educação Infantil Professor Jaime da Costa Teixeira, no bairro do Tenoné.

Por conta da suspensão das aulas pelo Decreto Municipal 95.955, de combate à proliferação da covid-19, a Prefeitura de Belém criou o kit merenda escolar para continuar atendendo aos estudantes em casa. Na última quinta-feira, 6, Catharine foi buscar os alimentos de Isadora, que já consome a terceira remessa entregue pela unidade de educação infantil que atende 260 crianças do Berçário ao Jardim II.
A mãe ressalta a importância desta ação após sua renda diminuir por conta da pandemia. “Fiquei muito feliz de receber mais uma vez o kit merenda escolar porque perdi muito cliente e ficou difícil em casa. Graças a Deus temos essa ajuda maravilhosa. Vieram todos os alimentos que minha filha está acostumada a comer na escola. Sou muito grata”, conta Catharine.

A Fundação Municipal de Assistência ao Estudante (Fmae) é responsável pela elaboração do cardápio da merenda escolar distribuída nas 203 escolas da Secretaria Municipal de Educação (Semec). A qualidade da merenda escolar oferecida para os mais de 74 mil alunos tem reconhecimento em premiações do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), comprovando melhorias, também, na qualidade do ensino. Agora, em 2020, a Prefeitura investiu mais de R$ 8 milhões do Programa Nacional de Alimentação Escolar (PNAE) e, principalmente, do tesouro municipal.

Investimento – Neste terceiro lote de kit merenda escolar, com distribuição de 5 a 20 de agosto, foram investidos mais de R$ 3 milhões. A iniciativa atende a recomendação do PNAE no que compete à qualidade nutricional e sanitária, com a inclusão de gêneros in natura, incentivando hábitos alimentares saudáveis, respeitando a cultura do lugar, além de fomentar a produção local da agricultura familiar, propiciando uma fonte de renda também neste momento de pandemia.

O titular da Fmae, Igor Fonseca, reforça a relevância deste trabalho. “Uma alimentação escolar de qualidade é muito importante tanto nas escolas, como agora em casa, neste momento tão delicado com a pandemia. Os alunos do município recebem uma diversidade de produtos alimentícios, incluindo os da agricultura familiar, seguindo um cardápio regionalizado elaborado por nutricionistas e por meio de fornecedores que garantem a qualidade desses produtos para que os alunos sejam bem alimentados na escola ou na educação em casa. Afinal, todos os alunos permanecem recebendo educação com atividades à distância”, declara.

Cardápio – Antes do distanciamento social, as unidades escolares de tempo integral ofereciam três refeições aos alunos: café da manhã, almoço e lanche da tarde. Nas escolas das ilhas eram duas refeições: café da manhã e almoço. Nas unidades de educação infantil eram fornecidas quatro refeições diárias: café da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. E para o ensino fundamental e educação de jovens e adultos (EJA) um lanche diário.

O cardápio escolar é composto alimentos perecíveis e não-perecíveis, incluindo itens básicos como peito de frango sem osso, leite em pó, feijão, biscoito, arroz, açúcar, farinha de mandioca, óleo de soja e fubá de milho, que também fazem parte do kit de merenda escolar. E itens da agricultura familiar, que agora foram inseridos na terceira remessa do kit para atender aproximadamente 9 mil crianças matriculadas em unidades de educação infantil, compostos por batata doce ou macaxeira, banana, laranja e farinha de tapioca.

“Com a distribuição desse kit para casa, a equipe de nutricionista pensou numa alimentação capaz de suprir uma quantidade calórica, ou seja, de nutrientes equivalente ao que é destinado às escolas em tempo regular de aulas presenciais. Queremos assegurar aos alunos em casa a segurança alimentar num momento em que a gente vive a diminuição da renda de muitas famílias”, explica Juliane Costa Leite, nutricionista da Fmae.

A distribuição dos kits de merenda escolar durante a pandemia segue as orientações preconizadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) no que se refere ao distanciamento social, higienização dos produtos, dos servidores e da comunidade, assim como do espaço físico utilizado. Até o momento, a Prefeitura de Belém já entregou mais de 200 mil kits nas escolas da capital, distritos e ilhas.

Por Tábita Oliveira

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual

Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/aprovincia/public_html/wp-includes/functions.php on line 4552