Conecte-se Conosco

MEIO AMBIENTE

Estrangeiros conhecem avanços do Pará na gestão ambiental e produção agrícola

Grupo de profissionais interessados  em fortalecer a participação política de organizações sociais, públicas e o setor empresarial. Foto: Cristino Martins/Ag. Pará

Publicado

em

Cerca de 60 integrantes de entidades governamentais de cinco países começaram a conhecer nesta terça-feira (13), ações do Governo do Pará nas gestões ambiental e comercial na área de produção agrícola. A ação é organizada pelo Instituto Solidaridad, um grupo de profissionais com interesse em fortalecer a participação política de organizações sociais, públicas e o setor empresarial.

O encontro aconteceu no auditório do Palácio do Governo e contou com a presença dos secretários Hildegardo Nunes, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme); e Thales Belo, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas); além de Maria Gertrudes e Juliane Marta, respectivamente diretora-geral e coordenadora de Gestão Ambiental do Programa Municípios Verdes.

Os visitantes representam entidades governamentais da
Argentina, Bolívia, Paraguai e China. O objetivo da missão é conhecer ações estratégicas, os desafios da gestão ambiental no Estado do Pará e as atuações dos Programas Municípios Verdes e Pará 2030.

Entre as finalidades da comitiva internacional estão observações da evolução, mudanças ao longo do tempo, os obstáculos superados e as diferentes ferramentas e tecnologias utilizadas, para elaboração do plano de ação regional no monitoramento do desmatamento. A identificação de oportunidades para a adoção de ferramentas de controle, com foco no aprendizado da cadeia da soja no Pará, desafios e planos de crescimento e expansão, bem como o fortalecimento das relações comerciais regionais, também estão na pauta de ação dos países visitantes.

Nas exposições desta terça-feira, o secretário Thales Belo falou sobre o trabalho do Centro Integrado de Monitoramento Ambiental (Cimam), ferramenta desenvolvida pelo Governo do Pará que permite o acompanhamento eficiente do manejo florestal no território paraense utilizando imagens de satélites. “O Pará tem hoje um trabalho não apenas de combate às agressões ambientais, mas também preventivo, sendo referência a organismos internacionais”, disse Thales Belo.

Hildegardo Nunes falou sobre as perspectivas de produção agrícola do estado dentro do Programa Pará 2030. “Nosso objetivo e verticalizar cada vez mais nossa produção e alcançar, até 2030, de 2 a 3 mil hectares de área plantada de soja”, disse o secretário.

Osvaldo Carvalho Júnior, pesquisador do Earth Innovation Institute, elogiou as metas paraenses, que combinam “produção com sustentabilidade e respeito ao meio ambiente”. O mesmo fez Gustavo Paúl, da província argentina de Salta, consultor do Instituto Solidaridad. “As exposições dos secretários me deram várias ideias para implantar em Salta modelos como os utilizados aqui no Pará, buscando desenvolvimento econômico e produção sem agredir a natureza”, disse Gustavo.

As melhorias da integração e da harmonização regional e global da cadeia da soja e de outros assuntos ambientais significativos com a China, em termos de manejo florestal, combate ao desmatamento e compartilhamento de informações, também estão previstas na programação dos visitantes.

Interesse – Na delegação estão incluídas autoridades nacionais e provinciais nas áreas do meio ambiente e agricultura, como o Ministério da Indústria e Meio Ambiente da Província de Salta, associações de produtores, organizações da sociedade civil, bem como câmeras e empresas de transformação e comercialização de soja na Argentina, Bolívia, China e Paraguai.

Organizações dos setores privado, público e sem fins lucrativos da Argentina, Bolívia, Brasil, China e Paraguai, incluindo ABT, ANAPO, e CAO da Bolívia; INTA, CIARA e CAAF da Argentina; Jiusan, COFCO, Hopeful Group, Soybean Association Heliongjiang da China, integram o grupo dos países, que observam os métodos ambientais e comerciais utilizados no território paraense.

Após as exposições, os integrantes da comitiva foram ao Centro Integrado de Monitoramento Ambiental da Semas conhecer como funciona a ferramenta na prática.

Nesta quinta-feira, 15, a programação inclui a visita a uma fazenda produtora de soja em Paragominas, na região Sudeste do Estado.

Por Pascoal Gemaque/Agência Pará

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual