Conecte-se Conosco

ESPORTES

Grêmio leva virada na Arena para o River, cai na semi e adia sonho do tetra da Libertadores

Publicado

em

 

O dilúvio que caiu sobre Porto Alegre ao final do segundo jogo entre Grêmio e River Plate, na semifinal da Libertadores, parecia as lágrimas dos mais de 50 mil tricolores que foram à Arena na noite desta terça-feira. O sonho do tetra ficou pelo caminho. Endossado pelo uso da tecnologia, os argentinos viraram sobre os brasileiros e classificaram-se para a final. O VAR foi definitivo na partida, quando o árbitro Andrés Cunha consultou as imagens para conceder um pênalti aos argentinos aos 41 minutos do segundo tempo. E Pity Martínez saiu do banco para calar o estádio.

De virada, Grêmio perde para o River Plate e está fora da Libertadores - Crédito: Nelson Almeida/AFP

River Plate a virada de 2 a 1, resultado que classifica o time argentino para a decisão contra Boca Juniors ou Palmeiras

O QUE RESTA?

O River Plate agora fica no aguardo do vencedor de Palmeiras e Boca Juniors, que se enfrentam às 21h45 de quarta-feira, na Arena Palmeiras. O time argentino bateu os brasileiros por 2 a 0 na Bombonera e tem vantagem no confronto. As finais serão disputadas nos dias 7 e 28 de novembro. Resta o Brasileirão ao Grêmio. No sábado, vai ao Independência bater de frente com o Atlético-MG, às 17h.

  • Bressan sai de campo aos prantos

    Bressan sai de campo aos prantos (Foto: Reuters)

    Paulo Miranda, em atuação impecável na vaga do suspenso Kannemann, sentiu cãibras e precisou sair aos 24 minutos do segundo tempo. Bressan entrou e, sem tocar na bola, recebeu cartão amarelo. Borré empatou de cabeça aos 36. A classificação ainda era gremista. Porém, aos 41, o lance que definiu o jogo. Scocco recebeu na entrada da área, girou e chutou alto. A bola desviou no braço de Bressan, algo que o árbitro Andrés Cunha não flagrou. Mas o VAR, sim. Alertado pelo assistente de vídeo, Cunha observou as imagens e marcou o pênalti. O zagueiro gremista entrou em desespero, foi para cima da arbitragem e acabou expulso. Saiu de campo em prantos. Após nove minutos de paralisação, Pity Martínez converteu a cobrança e deu a vitória ao River. Depois do apito final, os gremistas voltaram a pressionar a arbitragem, mas por pouco tempo.

    GRÊMIO CHAMA O RIVER, MAS ACHA GOL

    Leonardo marca contra o River Plate

    Leonardo marca contra o River Plate (Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital)

    Renato Gaúcho armou o Grêmio para esperar o River e sair no contra-ataque. Mas o time ficou espremido na intermediária e apresentou dificuldades para jogar. Assim, os argentinos começaram a experimentar em chutes de fora da área, com Ponzio e Palacios. Alisson também mandou para fora uma finalização. Aos 31, Ponzio sentiu lesão muscular e deu lugar a Enzo Perez. Quando menos se esperava, um escanteio mal batido por Alisson caiu à feição de Leonardo, da entrada da área, acertar um belo chute à direita de Armani. Foi o desafogo gremista.

    TEMPORAL ARGENTINO SOBRE O TRICOLOR

  • Pity Martínez chora após marcar o gol da vitória

    Pity Martínez chora após marcar o gol da vitória (Foto: Wesley Santos/Press Digital)

    Marcelo Gallardo tornou seu time mais ofensivo com a entrada de Pity Martínez, mas quem teve as primeiras melhores chances foi o Grêmio. Everton substituiu Maicon, com dores na coxa, aos oito minutos, e finalizou para defesa de Armani aos 16. Cinco minutos depois, o Cebolinha recebeu lançamento de Cícero e saiu na cara do goleiro, que salvou o River. A chuva que já caía sobre Porto Alegre aumentou, bem como a pressão argentina. Até que, aos 36, Borré cabeceou livre na área e empatou. Aos 41, o lance que definiu o jogo. Com o auxílio do VAR, o árbitro Andrés Cunha marcou pênalti em toque no braço de Bressan na área. O zagueiro foi expulso, teve confusão e, ao fim de tudo, Pity Martínez converteu a penalidade.

    CEBOLINHA PERDE A CHANCE DO GRÊMIO

    Recuperado de lesão muscular que o tirou do primeiro jogo, Everton voltou aos gramados com oito minutos do segundo tempo, pois Maicon sentiu problema na coxa. E ele mostrou por que é o melhor jogador gremista da temporada. Experimentou o goleiro do River aos 16 em chute de fora da área. Aos 21, perdeu grande chance ao chegar cara a cara com Armani e esbarrar em defesa do arqueiro. Por fim, o gol perdido fez falta. E o Grêmio não teve forças para se recuperar.

    CHUVA E LÁGRIMAS, DOS DOIS LADOS

    Torcida do River faz a festa na Arena

    Brazil’s Gremio Maicon (R), vies for the ball with Argentina’s River Plate Leonardo Ponzio (L), during their 2018 Copa Libertadores semifinal match held at Gremio Arena, in Porto Alegre, Brazil, on October 30, 2018. (Photo by NELSON ALMEIDA / AFP)

    Torcida do River faz a festa na Arena (Foto: Wesley Santos / Agência PressDigital)

    Enquanto os mais de 50 mil gremistas choraram a eliminação e a chance perdida de se tornar tetracampeões da Libertadores, os 4 mil argentinos que foram à Arena tomaram um banho de chuva e de alegria. No campo e nas arquibancadas, as lágrimas escorreram, e o estádio gremista virou o Monumental de Nuñez. Uma noite de terror na zona norte de Porto Alegre.

     

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual