Conecte-se Conosco

Sem categoria

Helder Barbalho é o governador eleito do Pará

Helder Barbalho (MDB) vence a disputa pelo governo do Pará. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Publicado

em

Candidato do MDB venceu adversário Marcio Miranda, do DEM

Helder Barbalho (MDB)39 anosfoi eleito governador do Pará, neste domingo (28). Ele concorreu pela Coligação ” O Pará Daqui pra Frente” e teve como candidato a vice-governador o deputado federal Lúcio Vale (PR). O mandato do novo governador começará em 1º de janeiro de 2019 até 31 de dezembro de 2022.

Helder Barbalho disputou o cargo pela segunda vez. Em 2014, ele foi derrotado nas urnas pelo atual governador Simão Jatene (PSDB).

Helder Barbalho  é casado com Daniela Lima Barbalho, com quem tem três filhos. Integra a oligarquia política dos Barbalho no Pará. É filho do senador Jader Barbalho e deputada federal Elcione Barbalho. Tem ainda os primos José Priante como deputado federal e Igor Normando, eleito deputado estadual.

No primeiro turno da eleição 2018, Helder Barbalho ficou em primeiro lugar com 47,82% do votos válidos.

O governador eleito começou a vida política em 2000, quando se elegeu vereador por Ananindeua. Em 2002,  foi eleito deputado estadual.  Em 2004, foi eleito prefeito de Ananindeua, reeleito em 2008. Após perder a eleição pro governo do Pará, em 2014, no ano seguinte se tornou ministro da Pesca no governo Dilma Roussef (PT). Em 2006 assumiu o Ministério da Integração Nacional, no governo Michel Temer.

Em maio deste ano, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Luiz Facchin, determinou a abertura de inquérito para investigar o repasse de cerca de R$ 40 milhões da J&F a políticos do MDB durante a campanha eleitoral de 2014, em que Helder Barbalho é suspeito de ter recebido R$ 1,5 milhão de propina para a campanha ao governo do Pará.

. Com 92,17% das urnas apuradas, Barbalho acumulava 55,22% dos votos válidos contra 44,78 do seu adversário, Marcio Miranda, do DEM.

Entre os votos totais computados, o Estado registra até agora 9,67% de votos nulos e 1,96%, brancos. Cerca de 23% dos eleitores não compareceram às urnas, conforme os resultados parciais divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

 Helder Barbalho tem 39 anos e já foi vereador e prefeito de Ananindeua, e deputado estadual pelo Pará. É filho do ex-governador do Estado Jader Barbalho.

Confusão

 Logo no início da votação no Estado, um eleitor foi preso ao gravar um vídeo no Facebook em que denuncia uma suposta “fraude” em uma das urnas de seção eleitoral em Belém (PA) após digitar o número 17 para o cargo de governador e se deparar com a mensagem de “voto nulo”, segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral do Pará (TRE-PA).

Na gravação, ele se identifica como Paulo Roberto Duarte Pereira e afirma ter apertado o “17 Bolsonaro”, apesar de a tela da urna eletrônica evidenciar que, naquele momento, o equipamento registrava o voto para o cargo de governador do Estado. O PSL, partido do capitão reformado, não tem candidato ao governo paraense no segundo turno.

“Está aparecendo nulo aqui. Eu vou mostrar a cara. Ministro Raul Jungmann, vocês estão falsificando as urnas”, grita o eleitor. Em seguida, ele se dirige a outras pessoas esperando para votar e pergunta se um outro homem “viu” a suposta “falsificação”. “Estão falsificando as urnas, olha aqui. 17 está aparecendo nulo”, ele repete, voltando a filmar a urna.

Segundo o TRE-PA, o episódio ocorreu na seção 455, na Escola Manoel Leite Carneiro, no bairro do Tenoné. A supervisora dessa mesa, informa a assessoria de comunicação do órgão, tentou impedir a ação de filmagem, que é crime eleitoral, e foi empurrada pelo homem. “A polícia foi acionada, e (como) o eleitor teria se apresentado como policial militar da reserva, a guarnição não pôde prendê-lo por motivos hierárquicos”, descreve a corte.

A mesária, identificada como Patricia Susy Santos do Amaral do Carmo, registrou boletim de ocorrência. O caso foi tipificado pelo crime eleitoral de “promover desordem que prejudique os trabalhos eleitorais”, segundo a lei 4.737/1965. A confusão ocorreu por volta das 8h20 (de Brasília), segundo o documento.

O TRE-PA relata que a juíza Ana Patrícia Fernandes, da 97ª zona eleitoral de Belém, decretou a busca e a prisão do suspeito. “Caso não seja possível realizar a prisão em flagrante dentro do prazo de 24 horas, será instaurado um procedimento criminal visto que todos os acontecimentos foram registrado em ata”, acrescenta a nota.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual