Conecte-se Conosco

Cultura

Helder Barbalho e Úrsula Vidal revitalizam Memorial da Cabanagem

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Cultura (Secult), do Governo do  Pará, realiza, a partir de hoje (7) a 12 de janeiro (data em que Belém foi fundada em 1516) , a programação “Belém Cabana”, uma semana alusiva ao Movimento da Cabanagem (1835-1840), culminando com as comemorações pelos 403 anos de Belém.

Helder reabilita obra que seu pai,  o hoje senador Jader Barbalho, realizou há 34 anos, em homwnagem à maior revolução popular do Brasil

O governador Helder Barbalho fará a abertura da programação, nesta segunda-feira (7), a partir das 17h30, prestando homenagem à memória dos Cabanos, com a inauguração de uma iluminação especial no Memorial da Cabanagem, no Entroncamento. A programação seguirá nos dias 11 e 12, com atrações em diversos espaços culturais da capital, sempre com entrada franca.

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Memorial da Cabanagem foi inaugurado há exatos 34 anos, em 7 de janeiro de 1985, pelo então governador Jader Barbalho, marcando os 150 anos do movimento que ocorreu na Província do Grão-Pará. A ideia foi do historiador Carlos Roque, à época diretor de A Província do Pará.

O Monumento abriga os restos mortais do Cônego Batista Campos e dos cabanos Félix Clemente Malcher, Francisco Pedro Vinagre e Eduardo Angelim. Segundo a concepção de Niemeyer, a rampa elevada em direção ao firmamento representa a grandiosidade da revolta popular, que chegou perto de atingir seus objetivos, e a “fratura” faz alusão à ruptura do processo revolucionário.

 

Eduardo Angelim, 3º governador cabano

Único projeto de Niemeyer no Pará, o memorial foi abandonado pelo poder público nos últimos anos, sendo alvo de depredação e vandalismo.  Com a programação “Belém Cabana”, o Governo do Estado pretende reforçar a importância de valorizar a memória e a história do Pará.

Úrsula Vidal, secretária de Cultura do Pará, marca um gol de letra

Ursula Vidal, secretária de Estado de Cultura, observa que o Memorial da Cabanagem, há muito anos, deixou de fazer parte do cotidiano da cidade, como uma referência arquitetônica importante de um dos períodos mais marcantes da história do Estado.

“A Cabanagem foi um movimento que teve como característica a luta pela participação popular nas construções e decisões políticas. A programação vem para marcar essa valorização ao nosso patrimônio histórico e arquitetônico, dos nossos movimentos da cultura popular, além deste tempo novo que estamos inaugurando na Secult, com portas abertas, construção coletiva e fortalecimento dos instrumentos democráticos de gestão”, disse a secretária, que, assim. marca um gol de letra. logo no começo da sua atidsade.

A programação cultural reúne música, artes cênicas e visuais, visita aos museus, arte de rua e cultura popular, com trabalhos artísticos inspirados na Cabanagem e outras atrações, tanto nos espaços gerenciados pela Secult e também nas ruas da Cidade Velha, cenário da revolução cabana há 184 anos.

Na próxima sexta-feira (11), a partir de 19h, no Mercado de São Braz, será realizado o Sarau da Cabanagem, com o Slam Dandaras do Norte. No mesmo dia, no Theatro da Paz, a partir de 19h30, haverá o relançamento do livro “Cabanagem Poemas” e do CD “Poemas da Cabanagem”, do professor Valdecir Palhares, seguido da apresentação do coro infanto-juvenil Vale Música, e finalizando com o espetáculo “Cabanos”, do Grupo Encenação.

No sábado (12), aniversário de Belém, a programação começa às 10h, no Teatro Gasômetro, com apresentação de cortejo afro, seguida pelo Cordão de Pássaro Colibri, Grupo Madalenas e do Coletivo In Bust. Também a partir de 10h, no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP), além da exposição “Saramago”, haverá a “Imersão Cabana”, uma visita educativa ao acervo do museu com materiais históricos sobre a Cabanagem.

A partir de 18h, em frente ao MHEP, o público poderá prestigiar vídeo mapping com os VJs Lobo e Luan, intervenção cênica com a atriz Esther Sá, cortejo com o Batalhão da Estrela até o Píer das Onze Janelas, culminando com Batuque Vozes de Fulô e Cobra Venenosa.

Serviço: A programação “Belém Cabana”, com a semana alusiva ao Movimento da Cabanagem (1835-8140) integrando as comemorações pelo Aniversário de Belém, será aberta nesta segunda-feira (7), a partir de 17h30, com inauguração da iluminação do Memorial da Cabanagem (Entroncamento) pelo governador Helder Barbalho. Nos dias 11 (sexta-feira) e 12 (sábado), acontece programação cultural no Mercado de São Braz, no Teatro Gasômetro, no Theatro da Paz, no Museu Histórico do Estado do Pará e no bairro da Cidade Velha. Todas as atrações terão entrada franca.

A realização é do Governo do Estado do Pará por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Cultura

Amazônia Groove – Dona Onete promove os ritmos paraenses, do carimbó ao brega

Publicado

em

Foto: Reprodução / As informações são do jornal O Estado de S. Paulo

Outra personagem de Amazônia Groove – o documentário de Bruno Murtinho que explora os caminhos da música paraense e chega aos cinemas nesta quinta, 6 – é Dona Onete, como não poderia deixar de ser.

Em maio, ela lançou Rebujo, seu terceiro disco, prestes a completar 80 anos. Professora de história e estudos amazônicos durante toda a vida, sempre com um fraco pela música e pela cultura local, foi apenas na sua sétima década de vida que ela entrou de fato na indústria da música – e os dois primeiros discos a colocaram num tipo de evidência nacional que nem ela nem seus produtores imaginavam (No Meio do Pitiú e Jamburana se tornaram obrigatórias em espaços de música brasileira em São Paulo nos últimos anos). Ela apresenta o novo trabalho nesta sexta-feira, 7, no Cine Joia.

“O que está acontecendo é um grande rebujo musical no Pará”, diz Dona Onete, por telefone desde Belém, pouco antes de embarcar para São Paulo (leia mais ao lado) – a palavra diz respeito a trazer à tona o que estava no fundo do rio.

As canções do álbum trazem o carimbó “chamegado”, marca característica de Dona Onete, mas passeiam pelo brega, pelo bolero e até pelo samba – Musa da Babilônia, uma parceria com BNegão, que fala sobre uma musa do Leme, no Rio, no ritmo de Noel Rosa e Beth Carvalho.

“Sempre vou mesclando alguma coisa, porque não sou cantora de só um ritmo”, afirma. “Não quis usar o carimbó como escudo. E eu não escrevo nada, só canto e os meninos gravam. Na hora de compor, vem de uma vez, a letra, o ritmo e tom. Essa é uma vantagem que levo por ser compositora e cantora.”

A alegria permanente de sua voz, cantando e falando, entrega o motivo de ela continuar fazendo e produzindo música nova, mas a própria Ionete da Silveira Gama acredita que precisa seguir abrindo os caminhos nos ritmos dominados historicamente por homens. “No sertanejo, você vê o que aconteceu. As mulheres só ficavam na parte de trás, mas agora vieram para o palco e deu certo. Mulher canta, toca de tudo, guitarra, banjo, maracas”, completa.

Antes de subir ao palco, porém, Dona Onete apresenta, também em São Paulo, seu “cooking show” a Cozinha Maravilhosa de Dona Onete, nesta quinta-feira, 6, no Centro Cultural Rio Verde. Com habilidades culinárias testadas e famosas inclusive na cena musical do Pará (como Gaby Amarantos garantiu, em uma entrevista recente), a cantora apresenta a experiência gastronômica, cozinhando durante um bate-papo com o público – que, ao final, tem direito ao prato principal (peixada ao molho caboclo) e sobremesa (pudim parauara). Os ingressos custam R$ 180. O evento já foi apresentado na Austrália e Nova Zelândia, onde Dona Onete esteve no início deste ano.

“Não dá para desligar a culinária do que eu falo, com tanto tempo de estrada”, conta. “Está totalmente ligada ao trabalho artístico.” Balanço do Açaí é uma das faixas do novo disco, mas, desde o sucesso de Jamburana, de 2013, as comidas típicas aparecem nas suas letras, numa mistura típica e inconfundível.

Continue lendo

Cultura

Planetário participa da 17ª Semana de Museus com ampla programação

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

O Centro de Ciências e Planetário do Pará, vinculado à Universidade do Estado do Pará (Uepa), participa nesta sexta-feira (17) e no sábado (18) da 17ª Semana de Museus, promovida no Estado pela Secretaria de Cultura (Secult). A iniciativa nacional começou no último dia 13 (segunda-feira) e prossegue até 19 de maio (domingo), em 1.114 instituições de cultura de todo o País. O evento é alusivo ao Dia Internacional de Museus, celebrado em 18 de Maio. O tema deste ano é “Museus como Núcleos Culturais: O Futuro das Tradições”.

Nesta sexta-feira haverá palestras no Planetário sobre diversos assuntos, como “Museus como núcleos culturais: o futuro das tradições”, e “Entre a Tradição e a Ciência: Bruno de Menezes em experiências etnográficas”. A programação inclui ainda a exposição “Tabela Periódica dos Elementos: uma descoberta da humanidade”, em comemoração ao Ano Internacional da Tabela Periódica e aos 20 anos do Centro de Ciências e Planetário do Pará. O público participará do lançamento do Projeto Planetário Curioso, que consiste na distribuição de marcadores de páginas com uma curiosidade das áreas em que o Planetário atua, como ciência, física e matemática.

Ainda no dia 17 haverá a apresentação do Quarteto de Cordas Paulino Chaves, do ­Núcleo de Arte e Cultura­ (NAC), da Universidade do Estado do Pará (Uepa), e sessões na Cúpula Kwarahy.

No dia 18 (sábado), a programação oferece visitas gratuitas ao Centro, com o “Planetário de Portas Abertas”. As sessões na cúpula serão das 15 às 18 h. Os interessados devem ir ao local para retirar os ingressos, que serão distribuídos uma hora antes do início das sessões.

A diretora do Planetário, Sinaida Vasconcelos, ressalta a importância da participação na Semana de Museus. “Já é uma tradição fazer parte desse evento, que é uma forma de divulgar o conhecimento científico e popularizar a ciência”, disse a diretora.

Programação:

Dia 17 de maio – Abertura do Evento 17ª Semana Nacional de Museus, das 8h30 às 8h45, no Planetário, na Rodovia Augusto Montenegro, KM-03, bairro Mangueirão.

Palestra “Museus como núcleos culturais: o futuro das tradições”, às 09 h.

Palestrante: Prof. Dr. Diego Ramon Silva Machado (Uepa).

Sessão na Cúpula – às 10h30.

Palestra “Entre a Tradição e a Ciência: Bruno de Menezes em experiências etnográficas”, às 14h30.

Palestrante: Prof. Dr. Rodrigo Wanzeler (Instituto Federal do Pará – IFPA).

Abertura da Exposição “Tabela Periódica dos Elementos: uma descoberta da humanidade”, às 15h45.

Visitação à Exposição “Tabela Periódica dos Elementos: uma descoberta da humanidade”, às 16 h.

Atração Cultural – Quarteto de Cordas Paulino Chaves­, do Núcleo de Arte e Cultura­ da Uepa, às 16 h.

Dia 18 maio

“Planetário de Portas Abertas” – visitação gratuita ao Centro de Ciências e Planetário do Pará, das 15 às 18 h.

Por Ize Sena

Continue lendo

Cultura

Fumbel abre inscrições para grupos artísticos e folclóricos do Arraiá da Capitá 2019

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Belém

A Prefeitura de Belém, por meio da Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel), abriu na sexta-feira, 10, as inscrições para os grupos artísticos e folclóricos interessados em participar da programação oficial do Arraiá da Capitá 2019.

Serão contemplados pelo edital 56 grupos e o processo de seleção dos inscritos terá caráter classificatório. As vagas estão distribuídas em 12 grupos de pássaros juninos, quatro grupos de cordões de bichos, 20 grupos parafolclóricos de dança e música, oito grupos de bois-bumbá e oito grupos musicais de carimbó pau e corda.

Os grupos artísticos e folclóricos interessados em se apresentar nos eventos do Arraiá, sem participar de concurso, serão selecionados por uma comissão formada no âmbito da Fumbel.

As inscrições vão até o dia 26 de maio e são voltadas, especificamente, para os grupos que desejam fazer parte da programação junina oficial de Belém, por meio da Mostra Cultural. Os interessados devem imprimir a ficha cadastral, preenchê-la, assiná-la, digitalizá-la e envia-lá, junto com a documentação exigida, para o e-mail edital006.2019fumbel@gmail.com.

Os artistas devem preencher todos os quesitos do edital, que são trajetória artística do grupo, tempo de experiência e relevância do trabalho artístico no âmbito do município de Belém e juntar material comprobatório.

Os interessados podem acompanhar o edital, por meio do link http://www.cinbesa.com.br/site/wp-content/uploads/2019/05/EDITAL-MOSTRA-CULTURAL-N%C2%B0-006-2019-ARRAIA-DA-CAPITA-2019.pdf.

 

Texto: Jamyla Magno

Continue lendo

Destaque