Conecte-se Conosco

Cultura

Helder Barbalho e Úrsula Vidal revitalizam Memorial da Cabanagem

Publicado

em

A Secretaria de Estado de Cultura (Secult), do Governo do  Pará, realiza, a partir de hoje (7) a 12 de janeiro (data em que Belém foi fundada em 1516) , a programação “Belém Cabana”, uma semana alusiva ao Movimento da Cabanagem (1835-1840), culminando com as comemorações pelos 403 anos de Belém.

Helder reabilita obra que seu pai,  o hoje senador Jader Barbalho, realizou há 34 anos, em homwnagem à maior revolução popular do Brasil

O governador Helder Barbalho fará a abertura da programação, nesta segunda-feira (7), a partir das 17h30, prestando homenagem à memória dos Cabanos, com a inauguração de uma iluminação especial no Memorial da Cabanagem, no Entroncamento. A programação seguirá nos dias 11 e 12, com atrações em diversos espaços culturais da capital, sempre com entrada franca.

Projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, o Memorial da Cabanagem foi inaugurado há exatos 34 anos, em 7 de janeiro de 1985, pelo então governador Jader Barbalho, marcando os 150 anos do movimento que ocorreu na Província do Grão-Pará. A ideia foi do historiador Carlos Roque, à época diretor de A Província do Pará.

O Monumento abriga os restos mortais do Cônego Batista Campos e dos cabanos Félix Clemente Malcher, Francisco Pedro Vinagre e Eduardo Angelim. Segundo a concepção de Niemeyer, a rampa elevada em direção ao firmamento representa a grandiosidade da revolta popular, que chegou perto de atingir seus objetivos, e a “fratura” faz alusão à ruptura do processo revolucionário.

 

Eduardo Angelim, 3º governador cabano

Único projeto de Niemeyer no Pará, o memorial foi abandonado pelo poder público nos últimos anos, sendo alvo de depredação e vandalismo.  Com a programação “Belém Cabana”, o Governo do Estado pretende reforçar a importância de valorizar a memória e a história do Pará.

Úrsula Vidal, secretária de Cultura do Pará, marca um gol de letra

Ursula Vidal, secretária de Estado de Cultura, observa que o Memorial da Cabanagem, há muito anos, deixou de fazer parte do cotidiano da cidade, como uma referência arquitetônica importante de um dos períodos mais marcantes da história do Estado.

“A Cabanagem foi um movimento que teve como característica a luta pela participação popular nas construções e decisões políticas. A programação vem para marcar essa valorização ao nosso patrimônio histórico e arquitetônico, dos nossos movimentos da cultura popular, além deste tempo novo que estamos inaugurando na Secult, com portas abertas, construção coletiva e fortalecimento dos instrumentos democráticos de gestão”, disse a secretária, que, assim. marca um gol de letra. logo no começo da sua atidsade.

A programação cultural reúne música, artes cênicas e visuais, visita aos museus, arte de rua e cultura popular, com trabalhos artísticos inspirados na Cabanagem e outras atrações, tanto nos espaços gerenciados pela Secult e também nas ruas da Cidade Velha, cenário da revolução cabana há 184 anos.

Na próxima sexta-feira (11), a partir de 19h, no Mercado de São Braz, será realizado o Sarau da Cabanagem, com o Slam Dandaras do Norte. No mesmo dia, no Theatro da Paz, a partir de 19h30, haverá o relançamento do livro “Cabanagem Poemas” e do CD “Poemas da Cabanagem”, do professor Valdecir Palhares, seguido da apresentação do coro infanto-juvenil Vale Música, e finalizando com o espetáculo “Cabanos”, do Grupo Encenação.

No sábado (12), aniversário de Belém, a programação começa às 10h, no Teatro Gasômetro, com apresentação de cortejo afro, seguida pelo Cordão de Pássaro Colibri, Grupo Madalenas e do Coletivo In Bust. Também a partir de 10h, no Museu Histórico do Estado do Pará (MHEP), além da exposição “Saramago”, haverá a “Imersão Cabana”, uma visita educativa ao acervo do museu com materiais históricos sobre a Cabanagem.

A partir de 18h, em frente ao MHEP, o público poderá prestigiar vídeo mapping com os VJs Lobo e Luan, intervenção cênica com a atriz Esther Sá, cortejo com o Batalhão da Estrela até o Píer das Onze Janelas, culminando com Batuque Vozes de Fulô e Cobra Venenosa.

Serviço: A programação “Belém Cabana”, com a semana alusiva ao Movimento da Cabanagem (1835-8140) integrando as comemorações pelo Aniversário de Belém, será aberta nesta segunda-feira (7), a partir de 17h30, com inauguração da iluminação do Memorial da Cabanagem (Entroncamento) pelo governador Helder Barbalho. Nos dias 11 (sexta-feira) e 12 (sábado), acontece programação cultural no Mercado de São Braz, no Teatro Gasômetro, no Theatro da Paz, no Museu Histórico do Estado do Pará e no bairro da Cidade Velha. Todas as atrações terão entrada franca.

A realização é do Governo do Estado do Pará por meio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

Cultura

Prefeitura de Belém anuncia restauro do Solar da Beira

Publicado

em

A partir desta quarta-feira, 20, inicia o trabalho para a reforma e restauro de um dos prédios históricos da capital paraense, o Solar da Beira. O anúncio foi feito durante uma reunião com os permissionários do Complexo do Ver-o-Peso, na tarde desta terça, 19, no auditório do Mercado de Carne.

A Prefeitura de Belém, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo (Seurb) irá coordenar o andamento do processo de restauro, que tem tempo estimado de conclusão de oito meses. Para a titular de Seurb, Annete Klautau, essa é mais uma conquista para a cidade de Belém. “Além de resgatar o espaço público, dando uso ao mesmo para benefício da população, preservamos o nosso patrimônio histórico arquitetônico e a memória de nossa história, sobretudo, do complexo Ver-o-Peso, ao qual esse belíssimo prédio faz parte”, enfatizou.

O Solar da Beira é uma obra criada no século XIX, após o surgimento do Ver-o-Peso, que no próximo dia 27, completa 392 anos. A última vez que o espaço passou por uma reforma conservativa foi no ano de 2000, o que levou ao processo de degradação, com surgimento de infiltrações e comprometimento nas instalações elétricas e estruturais.

Durante o anúncio aos permissionários do Ver-o-Peso, a Prefeitura de Belém informou que o investimento para o trabalho já está assegurado e será de R$ 4 milhões. Além disso, por se tratar de um projeto de restauração e conservação, e estar inserido em área de tombamento federal e municipal, já passou pela aprovação e está licenciado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan Pará) e Fundação Cultural do Município de Belém (Fumbel).

Para a dona Maria da Graça Araújo, 52 anos, que há 32 anos trabalha com a venda de refeições no Ver-o-Peso, a reforma do Solar é um grande passo para a estética do Complexo. “A gente que vive neste local, sabe das necessidades de fazer uma reforma, então, começar pelo Solar já faz uma diferença, é um espaço que a gente tinha até medo de desabar”, relatou a permissionária.

De acordo com Annete Klautau, pelo fato da Prefeitura de Belém possuir os recursos financeiros, o projeto e a empresa para execução da obra, a expectativa é a melhor possível para a conclusão. “O Solar da Beira vai voltar para a população e isso é maravilhoso. Além disso, ele contemplará um espaço para exposição permanente, com divulgação cultural de produtos da Região Amazônica, assim como o artesanato do espaço da Feira do Ver-o-Peso. Também terá uma sala para exposições temporárias, cursos e eventos. Um verdadeiro benefício à população, que além de ter seu patrimônio arquitetônico histórico preservado, passa a ter um novo espaço cultural e comercial na cidade para ser explorado”.

Intervenções

O trabalho de restauro inclui ainda, o anexo que fica ao lado do Solar, e que atualmente é um local de venda de lanche.

As ações para início e execução da obra no espaço inclui o deslocamento de alguns ambulantes no entorno do prédio, para instalação de tapume, para isso, a Secretaria Municipal de Economia (Secon) já iniciou este processo, visando a proteção dos feirantes e transeuntes.

Reforma do Ver-o-Peso

Um dos mais importantes espaços arquitetônicos de Belém e cartão-postal da cidade, o Ver-o-Peso, também já tem recursos financeiros para o processo de revitalização garantidos pela Prefeitura de Belém, que desde 2014 vem passando por adequações no projeto, para a obra ser liberada pelo Iphan. Cerca de R$ 40 milhões já estão garantidos para a execução das obras.

Desde que o projeto foi apresentado à Superintendência do Instituto de Patrimônio Histórico Nacional no Pará, diversas modificações foram solicitadas pelo órgão, onde os técnicos da Seurb e representantes do instituto realizam reuniões para definir uma versão final da proposta.

Em virtude dos inúmeros pedidos de complementação do projeto, Prefeitura e Iphan, além de outros órgãos, decidiram realizar reuniões técnicas para selecionar e definir as alterações. Além disso, para que fosse um projeto com aprovação de todos, a Prefeitura chegou a realizar consultas públicas e um plebiscito junto aos permissionários do espaço, o que resultou na concordância dos mesmos.

O diretor de Planejamento da Seurb, Edinaldo Mácola, enfatiza que o projeto da obra já tem 80% aprovado, aguardando apenas o parecer final do Iphan para início do processo licitatório para início da obra. “Esperamos que no próximo mês o projeto executivo esteja pronto, a expectativa continua sendo a liberação do órgão competente, visto que o valor já está garantido junto ao Banco do Brasil”.

Durante a execução da obra no Solar da Beira, a Seurb e a Secretaria de Saneamento (Sesan) farão serviços de manutenção no Ver-o-Peso.

Karla Pereira/ Comus

Continue lendo

Cultura

Theatro da Paz receberá investimento de R$ 1 milhão

Publicado

em

O Theatro da Paz, um dos locais mais representativos e importantes da cultura paraense, passará por obras de manutenção e restauro nos próximos meses. A reforma ocorre em função de problemas na cobertura estrutural do prédio, que vem causando infiltrações e fissuras no forro de estuque, além de haver a presença de vegetação aérea na fachada. A casa completou, no último dia 15 de fevereiro, 141 anos de história.

O investimento do Governo do Estado nas obras será de R$ 1 milhão de reais, divididos em duas etapas. A primeira inicia nesta quarta-feira (13) e vai até o dia 30 deste mês, quando serão beneficiadas com melhorias a entrada e a fachada do prédio, locais de circulação de pessoas. Por conta disso, o teatro fica fechado para espetáculos e visitações até a conclusão dos trabalhos.

Na segunda fase, já com o local aberto, serão realizados serviços internos para tratar principalmente as infiltrações. Serão feitos o grampeio e a reforma da cobertura; troca da manta por um revestimento de alumínio; reforma da estrutura da calha, que está com fissuras; dos camarins; das cadeiras de palha que compõem a sala de espetáculo; e a pintura total do Theatro da Paz. A estimativa é que toda a obra seja concluída no fim do mês de julho.

A Secretária de Estado de Cultura, Úrsula Vidal (foto acima), afirma que esse será um trabalho constante e realizado dentro do tempo previsto, para liberar o espaço o mais rápido possível ao povo paraense.

“O teatro precisa de uma manutenção permanente. Estamos em uma região com muita chuva e umidade, esse cuidado tem que ser constante. A última grande reforma foi em 2002. É um prédio histórico, qualquer tipo de intervenção que se faça tem que ter cuidado com as linhas originais. Mas vamos dar celeridade, para que possamos entregar dentro do prazo previsto”, enfatizou.

Para quem é responsável por administrar o Theatro da Paz, buscar melhorias para um local tão rico em história se trata de uma oportunidade única. É o caso do diretor da casa, Daniel Araújo, que teve o Da Paz como palco da sua estreia como artista, quando viveu sua primeira experiência como cantor.

“É um teatro monumento, uma coisa suntuosa. Pisar nesse palco é uma honra. Fico feliz de poder trabalhar no reparo, porque é um patrimônio nosso, do povo, e nós que estamos passando pela administração pública e gerenciamento desse espaço estamos com o bastão nas mãos para poder manter viva essa história, para que dure mais 200 anos”, disse Daniel.

Quem tem o local como um patrimônio do estado, sabe a importância de manter o espaço sempre em boas condições. “Com certeza essa reforma será muito bem vista pela população. Um monumento desses é para manter preservado por muito tempo. Beneficia todo o povo paraense e sua história”, acredita o belenense Manoel Menezes, que costuma sempre passar em frente ao TP.

A importância desse ponto turístico é reconhecida não só pelo povo paraense, como explicam os sul-mato-grossenses Henrique Barrios e Bianca Segati, que estão na capital paraense a passeio. O casal ficou triste de não conhecer o interior do prédio, mas feliz por saber que o espaço está sendo bem cuidado pela administração pública.

“Eu tenho muito interesse por lugares históricos da região Norte do país, em especial Belém, e o Theatro da Paz é muito famoso. Quem se interessa pela cultura da região sabe da importância do local. Só de ver aqui da porta os ladrilhos e o piso já fiquei encantada”, comentou a turista.

Ações Secult – O Theatro da Paz não será o único local que será reformado. Foi escolhido como primeiro por conta das demandas devido ao calendário de eventos quase sempre cheio durante todo o ano, mas ainda será contemplado o Museu do Estado do Pará (MEP), que teve danos recentes, e, posteriormente, o Museu de Arte Sacra, que apresenta infiltrações, mas por não ter risco de desabamento será beneficiado em uma segunda etapa.

Por Raphael Graim/ Agência Pará

 

Continue lendo

Cultura

Diretora da biblioteca pública de Breves lança livro sobre a sua cidade no Marajó

Publicado

em

Foi em clima de muita  alegria e confraternização que a bibliotecária Rita Sanches, lançou o seu livro, Conhecendo a Terra dos Breves na noite deste último sábado (16). O momento foi realizado no auditório do CEDEP e contou com a participação de autoridades políticas, escritores, amigos da escritora e artistas locais. O trabalho marca a culminância de uma grande pesquisa que mostra um pouco da geografia do município de Breves, a economia, a política, costumes e personagens.
Rita Sanches, em sua visão profunda oferece a todos nós, uma maneira geral de entender um pouco mais da querida e amada Terra dos Breves.

SALVATERRA DÁ EXEMPLO

No município de Salvaterra, no arquipélago do Marajó, um grupo de pessoas se reúne para promover a limpeza das praias próximas a cidade. São voluntários que tomaram a iniciativa de proteger a natureza daquilo que o próprio homem faz. Sandra Modesto, idealizadora do grupo, que se organiza pelo whatsapp, fala neste áudio, como a ação está sendo implementada e onde pretendem chegar.

Direito à educação

O que diz a Lei?

 

Tanira Paes

 

Dentro do rol dos direitos humanos fundamentais encontra-se o direito à educação, amparado por normas nacionais e internacionais (1). Trata-se de um direito fundamental, porque inclui um processo de desenvolvimento individual próprio à condição humana. Além dessa perspectiva individual, este direito deve ser visto, sobretudo, de forma coletiva, como um direito a uma política educacional, a ações afirmativas do Estado que ofereçam à sociedade instrumentos para alcançar seus fins.

Nesse sentido, iluminado pelo valor da igualdade entre as pessoas, o direito à educação foi consagrado pela primeira vez em nossa Constituição Federal de 1988 como um direito social (artigo 6º da CF/88). Com isso, o Estado passou formalmente a ter a obrigação de garantir educação de qualidade a todos os brasileiros.

É importante ressaltar, porém, que o Poder Público não é o único responsável pela garantia desse direito. Conforme previsto no artigo 205 da Constituição Federal, a educação também é dever da família e à sociedade cabe promover, incentivar e colaborar para a realização desse direito.

Especificamente em relação às crianças e aos adolescentes, tanto a Constituição Federal (artigo 227, CF/88) como o Estatuto da Criança e do Adolescente (artigo 4º da Lei 8.069/90) prevêem que a família, a sociedade e o Estado devem assegurar os direitos fundamentais desses sujeitos, e aí se inclui a educação, com absoluta prioridade.

Continue lendo

Destaques

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com