Conecte-se Conosco

CIDADE

Helder Barbalho se iguala a agressor de Bolsonaro e parece dar razão ao candidato Mário Couto

Publicado

em

A agressão praticada pelo candidato do MDB ao governo do Pará, Helder Barbalho, ao eleitor Samuel Benassulli Pinheiro, morador do  da Marambaia, em Belém, na sexta-feira (7), viralizou nas redes sociais e tem sido condenada por políticos, advogados e cidadãos comuns. Na opinião de alguns, o ato de Helder Barbalho, ajudado por seus seguranças, tem praticamente o mesmo simbolismo do caso envolvendo o candidato à Presidência da República, Jair Bolsonaro, em Juiz de Fora (MG). Significa a exacerbação da intolerância política, algo contraditório num candidato que promete, se eleito, governar para todos, sem ódio e sem rancor – desde que não seja contrariado, pelo visto na Marambaia.

Por outro lado – pela motivação da agressão: uma pergunta do eleitor sobre o seu envolvimento na Lava Jato e a questão da Sudam, fatos  públicos e notórios (como bem lembra Samuel Benassuli no vídeo que postou apresentando a sua versão dos fatos), e que não estão correndo em segredo de Justiça), o triste episódio acaba dando razão ao  Senado, Mário Couto Filho (PP), que, ao ser excluído da chapa de senadores do MDB ao Senado, disse que que “os Barbalho (Helder e o seu pai, o senador Jader Barbalho), não podem ouvir a palavra corrupção, que ficam indignados”. Mário Couto usou essa expressão por considerar que o seu afastamento da chapa se deu em decorrência de uma entrevista que concedeu a uma canal de televisão, logo depois da convenção do MDB, dizendo que queria voltar ao Senado para continua sua luta “contra a corrupção que grassa no país”.

A agressão cometida por  Helder Barbalho já foi denunciada à polícia, Samuel Benassuli o acusa de ter invadido a sua casa e tomado o seu celular, juntamente com seus seguranças. O boletim de ocorrência foi registrado na sexta-feira (7) na Seccional da Marambaia.

Samuel gravou um vídeo de quase 15 minutos no Facebook, onde conta detalhes da ação, que segundo ele, ocorreu quando Helder Barbalho fazia uma caminhada na rua onde mora, Alameda Água Cristal. Quando o candidato passava  em frente à sua casa, Samuel resolveu fazer uma foto de sua mãe com Helder, a pedido dela, depois de ter sido instruída por um assessor do candidato. Mas Samuel também gravou um vídeo perguntando:  ” Helder,  como tu vais te livrar das acusações da operação Lava Jato e onde está o dinheiro da Sudam?”,  conforme declarou à polícia no boletim de ocorrência, cuja  cópia  está ilustrando esta matéria.

De acordo  Samuel Benasulli, Helder, num gesto violento,  tentou tomar o celular de sua mão. O rapaz conta que saiu correndo e  entrou em casa, mas o candidato, possesso,  foi atrás dele, e,  juntamente com seus jagunços, invadiu o local, desrespeitando a lei da inviolabilidade do lar,  e conseguiram pegar o aparelho e o não devolveram mais.

Além da truculência dos seguranças e do próprio candidato, agora Samuel diz que está com medo, pois está sendo ameaçado nos comentários de seu post no Facebook.  Ele também não acredita que o caso vá ter alguma consequência para Helder Barbalho, por se tratar de uma pessoal poderosa, que já foi ministro da república três vezes, tem pais poderosos  e amigos importantes. O pai é senador e a mãe,  deputada federal. Por fim, Samuel Benassuli pede que seus amigos e o povo em geral rezem por sua segurança e agradece à Polícia Militar por tê-lo protegido da  fúria dos seguranças de Helder e de um candidato a deputado federal, Joaquim Campos, cujo filho, embriagado,  recentemente, se envolveu num grave acidente de trânsito, em Salinópolis

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual