Conecte-se Conosco

MEIO AMBIENTE

Ideflor-bio já monitora pesca no Lago de Tucuruí

Publicado

em

Já está disponível ao público o Sistema de Monitoramento das Unidades de Conservação Lago de Tucuruí (SisMULT), desenvolvido pela Gerência da Região Administrativa do Lago de Tucuruí do Instituto de Desenvolvimento Florestal e da Biodiversidade (GRTUC/Ideflor-bio). O sistema possibilita o monitoramento do desembarque pesqueiro na região do Lago de Tucuruí, no sudeste paraense.

“O SisMULT foi idealizado para concentrar importantes informações do setor da pesca na região do Mosaico Lago de Tucuruí, que vão desde a socioeconomia dos pescadores ao monitoramento do desembarque de pescado nos portos da região”, destaca Mariana Bogéa, gerente do Mosaico.

A ferramenta foi elaborada de forma participativa, a partir de diversas reuniões e conversas com os pescadores dos municípios que compõem o mosaico de Unidades de Conservação do Lago: Tucuruí, Breu Branco, Novo Repartimento, Goianésia do Pará, Jacundá, Nova Ipixuna e Itupiranga.

Decisões e informações

Para esses pescadores, a ferramenta auxiliará na tomada de decisões e no acúmulo de informações sobre as condições de trabalho e de pesca no lago. “O sistema era um antigo sonho do setor da pesca na região, pois vai ser um aliado das entidades da pesca no que se refere ao conhecimento, controle e administração dos seus filiados, valorizando os pescadores”, afirma Nonato Silva, presidente da Colônia de Pescadores de Goianésia do Pará Z-61.

As informações do SisMULT serão atualizadas frequentemente, com dados sobre os pescadores e os comprovantes de produção, que são informações sobre os desembarques de pescado realizados ao longo do ano. Para acessar o sistema basta fazer o cadastro no link http://sismult.ideflorbio.pa.gov.br/#/. As informações dos comprovantes de produção de cada pescador cadastrado podem ser consultadas pelos interessados munidos de CPF do pescador.

Ainda segundo Mariana Bogéa, o novo sistema é uma plataforma fundamental para a criação de políticas públicas, principalmente relativas à gestão de Unidades de Conservação no Pará. “O SisMULT permitirá que essas importantes informações subsidiem de forma consistente as tomadas de decisões no que tange à gestão dos recursos pesqueiros na região do Mosaico Lago de Tucuruí, em ações como o dimensionamento da capacidade de suporte pesqueiro do lago e o acompanhamento da estrutura de tamanho do pescado desembarcado, entre outras utilidades”, ressaltou.

A região do Mosaico Lago de Tucuruí é formada por três UCs estaduais: a Área de Proteção Ambiental (APA) Lago de Tucuruí e as Reservas de Desenvolvimento Sustentável (RDS) Alcobaça e Pucuruí-Ararão. Na categoria Uso Sustentável, as UCs permitem a habitação e a utilização sustentável e racional dos recursos naturais da área, principalmente os pesqueiros, que são o forte das unidades por conta do Lago de Tucuruí, criado a partir do represamento da Usina Hidrelétrica de Tucuruí.

Modelo nacional

O SisMULT já foi reconhecido como modelo para o Brasil. O Sistema foi apresentado, no início de 2018, durante uma oficina do Programa Nacional de Monitoramento da Biodiversidade (Monitora), promovida pelo ICMBio (Instituto Chico Mendes de Biodiversidade), em Manaus (AM).

“Durante a apresentação os especialistas cogitaram que essa ferramenta tem grandes chances de se tornar um protocolo para o monitoramento dos desembarques pesqueiros e, posteriormente, representantes do ICMbio fizeram um intercâmbio no Mosaico para conhecer de perto o SisMULT e o Projeto de Monitoramento do Desembarque Pesqueiro”, informa Jossandra Pinheiro, engenheira de pesca e servidora do Ideflor-bio.

Por Dilermando Gadelha/Agência Brasil

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual