Conecte-se Conosco

ECONOMIA

Igarapé-Miri é o novo líder de exportação de commodities agrícolas do Pará

Publicado

em

Igarapé-Miri é o novo líder de exportação de commodities agrícolas do Pará. Movimentou R$890,66 milhões em 2018.

Grande parte das exportações são de açaí, cada vez mais internacionalizado. Conquista muito importe para o estado do Pará pois significa aumento de renda e geração de emprego no estado.

Continue lendo
Clique para comentar

ECONOMIA

Economia brasileira apresenta crescimento em setembro

Publicado

em

Economia apresentou ótimo resultado em setembro Foto: Pixabay

A quinta-feira (14) começou com boas notícias para a economia do Brasil. O motivo foi a divulgação do Índice de Atividade Econômica do BC (IBC-Br), que apontou uma alta de 0,44% em setembro na comparação com agosto. O dado, que é medido pelo Banco Central, é considerado uma prévia do Produto Interno Bruto (PIB).

Com o percentual, o 3° trimestre fechou com crescimento de 0,91% se comparado aos três meses anteriores. No comparativo com setembro de 2018, a análise é ainda melhor, aumento de 2,11%. Já no acumulado de 12 meses, o crescimento é de 0,99%.

Outro ponto positivo retirado do percentual de setembro foi que o resultado ficou acima do esperado pelo mercado, que era uma alta de 0,39%. O resultado de setembro também significou uma aceleração na economia, já que agosto registrou uma alta de 0,22% na comparação com julho.

O resultado oficial do PIB para o 3º trimestre será divulgado pelo IBGE no dia 3 de dezembro. No 1º trimestre, houve queda de 0,1% e, no 2º trimestre, alta de 0,4%.

Continue lendo

ECONOMIA

Caixa reduz juros da casa própria e cheque especial

Publicado

em

Fonte/Foto: editalconcursosbrasil
Cliente que optar pela nova modalidade terá a prestação da casa própria inicial 40% menor.

A Caixa Econômica Federal (CEF) anunciou redução de juros no cheque especial, nesta terça-feira, dia 12 de novembro. A partir do próximo mês, a taxa mínima cobrada pela instituição será de 4,99% ao mês – hoje é 9,99%. Esta é a quarta vez, este ano, que há redução neste tipo de juros.

A nova linha de crédito imobiliário com recursos do Sistema Financeiro de Habitação (SFH) e Sistema Financeiro Imobiliário (SFI) terá taxas a partir de 2,95% ao ano mais o IPCA (Índice de Preços para o Consumidor Amplo) e juros máximos serão de 4,95% ao ano. A medida já está vigente e disponível para novos contratos.

De acordo com a Caixa, o cliente que optar pela nova modalidade terá a prestação da casa própria inicial 40% menor que o financiamento corrigido pela Taxa Referencial (TR).

Segundo o banco, o resultado demonstra o direcionamento da instituição em relação ao foco negocial com o segmento de habitação, o que reforça a atuação no setor de crédito imobiliário por meio de recursos da poupança, SBPE e moradia popular.

Cheque especial

O banco também divulgou a redução dos juros do cheque especial de 8,99% para 4,99% ao mês, que, segundo poderá significar uma queda de 63%. A percentual valer a partir de 1º de dezembro.

Segundo o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, a nova taxa continua gerando resultado e existe mais espaço para novas reduções. Ele afirma, também, que a iniciativa partiu da própria instituição.

Atualmente, o mercado pode elevar ou reduzir limites conforme o perfil do cliente. Com o corte, haverá possibilidade dos bancos cobrarem tarifas do cliente que quiser manter determinado limite do cheque especial, o que poderá abrir espaço para a redução dos juros na operação.

Continue lendo

ECONOMIA

Administradora recomenda à Justiça falência da Avianca Brasil

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Notícias ao Minuto

A administradora judicial Alvarez & Masal recomendou à Justiça a decretação da falência a Avianca Brasil (Oceanair Linhas Aéreas).

Responsável pelo acompanhamento da recuperação judicial da empresa, a administradora afirmou que a Avianca Brasil não é viável e que não vislumbra condições para o cumprimento do plano de pagamento de suas dívidas.

“Os rumos tomados pela empresa parecem tornar inviável a manutenção da recuperação judicial em face do completo esvaziamento da atividade empresarial”, diz.

Em petição apresentada à 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais, cita que a empresa não detém mais a posse de nenhuma aeronave, assim como diz ter verificado a inexistência de funcionários nas suas dependências.

A administradora afirma que o mecanismo da recuperação judicial serve para superação de uma situação de crise econômica temporária de um devedor, tendo como pilares a manutenção da fonte produtora, do emprego dos trabalhadores e dos interesses dos credores.

“Se a empresa não é viável, o remédio previsto para tal situação é a falência”, diz.Em dezembro de 2018, sem condições de pagar dívidas estimadas à época em R$ 494 milhões, a Avianca Brasil entrou com pedido de recuperação. Posteriormente, o valor foi corrigido para cerca de R$ 2,7 bilhões.

Recuperação judicial é uma medida prevista em lei pela qual uma empresa ganha um fôlego para tentar evitar a falência. Ações de execução são suspensas pela justiça por 180 dias, prazo que a empresa tem para apresentar um plano de pagamento aos credores, que precisam aprová-lo.

Em maio, no entanto, a Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) suspendeu todos os voos da Avianca Brasil, alegando temer pela falta de capacidade da empresa para operar com segurança.

Após a decisão da Anac, o desembargador Ricardo Negrão propôs a falência da Avianca por considerá-la economicamente inviável. “Inexiste atividade a ser preservada”, afirmou em seu relatório.

“É nítida a impossibilidade de soerguimento da empresa.”

A maioria dos desembargadores da 2ª Câmara de Direito Empresarial rejeitou a medida, mantendo o processo de recuperação judicial. Considerou que não poderia impedir a empresa de tentar cumprir os compromissos.

Mas afirmou que, “se o plano de pagamentos aprovado não for cumprido, a convolação da recuperação em falência é a consequência lógica”.

O novo pedido será analisado pela 1ª Vara de Falências e Recuperações Judiciais após manifestação da própria empresa, dos seus credores e do Ministério Público.

A administradora judicial solicitou ainda que seja determinado o imediato bloqueio de todo e qualquer ativo financeiro da empresa.

A reportagem não conseguiu contato com os administradores da Avianca Brasil.

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital