Conecte-se Conosco

MUNDO

Indonésia: autoridades pedem que moradores evitem áreas de risco

Publicado

em

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Brasil

A Agência de Meteorologia e Geofísica da Indonésia e a Agência de Vulcanologia do país pediram hoje (26) que os moradores evitem qualquer atividade no raio de 500 a 1.000 metros da costa, pois há possibilidade de um segundo tsunami. O primeiro ocorreu há quatro dias e matou pelo menos 429 pessoas, feriu mais de 1,4 mil e deixou muitos desaparecidos.

O porta-voz da Agência Nacional de Gerenciamento de Desastres, Sutopo Purwo Nugroho, afirmou que o trabalho é intenso em busca de sobreviventes que podem estar sob os escombros.

Equipes de resgate da Indonésia se esforçam para chegar às áreas isoladas, na costa do país, atingidas pelo tsunami. Por enquanto, já são 21.921 pessoas que se viram obrigadas a deixar suas casas.

O número pode aumentar, segundo as autoridades, considerando que o balanço anterior era de 16.082 pessoas desalojadas. “As equipes de resgate estão com dificuldades de entrar em seis aldeias em Sumur. Helicópteros foram acionados para a missão de evacuação, buscas e resgate das vítimas”, disse o porta-voz da agência.

Sábado

O tsunami ocorreu no sábado (22), após a erupção do vulcão Anak Krakatau, provocando deslizamentos e elevando o nível do mar. As áreas mais atingidas foram Pandeglang e Serang, na província de Banten, e o distrito de Lampung Selatan, na província de Lampung.

De acordo com os dados oficiais, o tsunami devastou uma área costeira de 312,75 quilômetros de extensão em uma região turística que reúne resorts, hotéis, residências e comércio.

Uma imagem de satélite mostrou a causa do tsunami que atingiu as áreas costeiras do Estreito de Sunda, já que a maioria das áreas de flanco, no sudoeste do vulcão Anak Krakatau, desmoronou durante a noite, disse Sutopo.

Continue lendo
Clique para comentar

MUNDO

Nasa detectou asteroide maior que o Cristo Redentor se aproximando da Terra

Publicado

em

Nasa detectou asteroide de 95 metros de diâmetro Foto: Pixabay

De acordo com a Nasa, agência espacial americana, cinco asteroides estão vindo em direção à Terra. O maior deles tem um diâmetro maior que a altura do Cristo Redentor, e foi batizado de 2019 TM7.

O asteroide apresenta cerca de 95 metros de diâmetro. Sua passagem acontecerá na sexta-feira (18), mas especialistas garantem que não é necessário se preocupar, visto que corpo celeste deverá passar a aproximadamente 40 milhões de quilômetros da Terra.

A cada semana, a Nasa detecta 30 novos objetos no espaço. Desde o começo deste ano, foram encontrados mais de 19 mil novos asteroides, segundo o jornal britânico Mirror. O objetivo da Nasa é monitorar possíveis ameaças à Terra e por isso procura aqueles que tenham mais de 140 metros de diâmetro.

Continue lendo

MUNDO

Brasil pode perder vaga em conselho da ONU

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

A entrada da Costa Rica na disputa por uma vaga no Conselho dos Direitos Humanos (CDH) da Organização das Nações Unidas (ONU) coloca em risco a cadeira do Brasil no órgão. Criado em 2006, o CDH escolhe seus 47 membros por meio de uma votação secreta feita pelos 193 países que compõem a Assembleia-Geral da ONU. Os candidatos são divididos por região e, para o mandato de 2020 a 2022, o Brasil disputa com Venezuela e Costa Rica duas vagas disponíveis para os países da América Latina e do Caribe. A eleição ocorre nesta quinta-feira, 17.

Para ocupar o posto para o qual foi eleito em 2006, 2008, 2012 e 2016 – o País é recordista de participação, ao lado de Argentina, México e Cuba -, o Brasil precisa conquistar pelo menos 97 votos. A vaga pleiteada estava praticamente certa até o último dia 3, quando Carlos Alvarado Quesada, presidente da Costa Rica, colocou sua candidatura, como forma de impedir que a Venezuela assumisse um posto no conselho. Apesar da intenção oficial de barrar o governo de Nicolás Maduro, o movimento foi encarado como uma ameaça também à vaga brasileira, cuja relação com outros países-membros da organização tem se desgastado nos últimos meses.

Desconforto

Além da candidatura repentina da Costa Rica, há ainda os desconfortos diplomáticos protagonizados por Jair Bolsonaro. Não bastasse o ataque a Michelle Bachelet, ex-presidente do Chile e comissária para Direitos Humanos da ONU, a relação do presidente com o próprio órgão já começou conturbada. Ainda na campanha, Bolsonaro afirmou que pretendia retirar o Brasil da ONU caso fosse eleito. Mais tarde, ele se retratou, esclarecendo que se referia apenas ao Conselho de Direitos Humanos, para o qual concorrerá nesta quinta.

Elaini Silva, doutora em Direito pela USP e professora de Relações Internacionais da PUC-SP, afirma que a premissa do órgão é combater a violação de direitos humanos, o que pode ser um problema tanto para a Venezuela quanto para o Brasil. “O CDH é novo na história da ONU. Espera-se que os Estados envolvidos com grandes violações não sejam eleitos ou, caso já estejam lá, possam ser suspensos, como previsto na resolução que criou o conselho.”

“É uma situação inédita, com uma nova dinâmica. Esse elemento competitivo não costumava acontecer no contexto latino-americano, e gerou uma repercussão interessante. É o fim de uma espécie de cordialidade latino-americana que pautava as relações até agora”, diz Oliver Stuenkel, professor de Relações Internacionais na FGV.

A ministra da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos, Damares Alves, condenou a candidatura do governo de Nicolás Maduro para o órgão. “A Venezuela está mostrando violações de direitos humanos para o mundo. Não consigo imaginar como consegue ter a coragem de se candidatar para esse cargo”, declarou à reportagem.

Continue lendo

MUNDO

Reino Unido e União Europeia chegam a acordo sobre Brexit

Publicado

em

Boris Johnson anunciou acordo sobre o Brexit Foto: EFE/Andrew Parsons

Os representantes do Reino Unido e da União Europeia anunciaram na manhã desta quinta-feira (17) que, após diversas negociações, chegaram a um acordo sobre o Brexit, a saída do Reino Unido do organismo europeu. O primeiro ministro britânico, Boris Johnson, disse que a medida deve passar pela análise do Parlamento ainda esta semana.

– Temos um ótimo novo acordo. Agora o parlamento deve concluir o Brexit no sábado, para que possamos passar para outras prioridades, como o custo de vida, o [combate] ao crime violento e [a defesa do] meio ambiente – declarou Boris Johnson.

Em uma rede social, o presidente da União Europeia, Jean-Claude Juncker, também comentou o ajuste feito entre os dois.

– Onde há vontade, há acordo. Nós temos um! É um acordo justo e equilibrado para a UE e o Reino Unido. Recomendo ao Conselho Europeu que respalde este acordo – afirmou.

Uma reunião entre representantes europeus acontecerá ainda nesta quinta, em Bruxelas, para apreciar e votar o acordo. Após isso, o texto deve ser aprovado pelo Parlamento britânico. Três acordos fechados anteriormente pela antecessora de Boris Johnson, Theresa May, foram rejeitados pelo legislativo do Reino Unido.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaque

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital