Conecte-se Conosco

CÍRIO DE NAZARÉ

Mais de US$ 30 milhões aquecerão a economia paraense

Publicado

em

Josué Silva de Araújo / Da Redação

Pesquisa do Dieese/Pará, o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócio Econômico, para o Círio deste ano é otimista, mesmo com crise na economia.
Por exemplo, o número de turistas de outros estados será de (mais ou menos) 80,4 mil. Ano passado, o número foi de 78,4 mil.   
Em termos financeiros serão injetados (economia local) algo em torno de 30,4 milhões de dólares, aproximadamente R$ 1 bilhão. 
Em 2017, o total foi de 29,5 milhões de dólares – variação percentual de 3%. 
Entre 2007/2017 – portanto 10 anos – houve crescimento no gasto médio (de turistas) de 26,6%.    
O estado de onde vem mais turista é o Maranhão – 16,40%.
São Paulo vem em segundo lugar, com 11,30%, seguido de Rio de Janeiro (9,80% de turistas), Ceará (9%), Amazonas (5,50%), Minas Gerais (5,10%) e Bahia, com 4,70%. 
Essa dinâmica na economia incrementada pelo Círio gera emprego temporário e renda, principalmente para quem ganha a vida na informalidade. E tem muitos nessa situação por causa do alto índice de desemprego.  
A pesquisa acrescenta outras informações, mas referentes ao Círio/2017. 
Os turistas com faixa salarial entre 3 e 5 salários mínimos são maioria: são 27,32%.
Depois estão aqueles entre 5 e 8 salários mínimos, totalizando 22,23%. De 8 a 12 salários são 11,67% – e acima de 12 salários, 7,75%.   
Dos 78 mil turistas (2017), 78,5% estavam empregados – e 21,5% desempregados. 
Os meios de hospedagem utilizados foram hotel, 38,2%. Casa de parente, 35,1%. Casa de amigos, 20,3%.
Pensão, 1,9%. Casa alugada, 1,7% – e igrejas, 0,5%. 
Outros, 0,4%. 
No Círio de 2008, portanto há dez anos, o turismo injetou U$ 24 milhões de dólares. 
Os pontos mais visitados ano passado foram a Basílica, com 25%.  Depois a Estação das Docas, com 22%.
O Ver-o-Peso, com 20,2% e o Mangal das Garças, 9,1%.  
Os meios de transporte mais utilizados pelos turistas foram avião (59%). Ônibus regular de empresa, 14,20%.
Carro particular, 8,90%. Ônibus de excursão, 10,50% e navio, com 3,40%.  
Ainda sobre o Círio 2017 a pesquisa do Dieese revelou que 98,1% dos turistas têm a intenção de voltar para as festividades deste ano. Apenas 1,2% disse que não retornaria.
Os turistas permanecem na cidade, em média, seis dias.

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual