Conecte-se Conosco

EDUCAÇÃO

Manifestantes voltam às ruas em defesa de mais recursos para educação

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Brasil

Publicado

em

Convocados por entidades sindicais e movimentos estudantis, professores, técnico-administrativos e estudantes participam hoje (13), em várias cidades do país, de atos contra o contingenciamento de recursos da educação, em defesa da autonomia das universidades públicas e contra a reforma da Previdência.

Segundo a Confederação Nacional dos Trabalhadores em Educação (CNTE), há atos agendados em ao menos 170 cidades dos 26 estados, além do Distrito Federal. A manifestação nacional é uma continuidade da mobilização de maio, organizada em defesa da manutenção das verbas para o ensino superior. Para a União Nacional dos Estudantes (UNE), os contingenciamentos anunciados pelo governo afetam não só o ensino superior, mas também a educação básica, o ensino médio e programas de alfabetização.

De acordo com a UNE, os protestos também são contra a proposta do Ministério da Educação (MEC) de instaurar o programa Future-se, que, segundo a pasta, busca o fortalecimento da autonomia administrativa, financeira e da gestão das universidades e institutos federais. Para as entidades sindicais e movimentos estudantis, o projeto transfere atribuições dos governos para o mercado.

Distrito Federal

Um pequeno grupo de manifestantes começou o dia fechando parte da Rodovia DF-075, também conhecida como Estrada Parque Núcleo Bandeirante (EPNB), que liga o centro da capital federal a outras regiões administrativas no sentido de Goiânia. Portando faixas e cartazes com palavras de ordem contra o bloqueio de verbas para a educação, o grupo queimou pneus, interrompendo parcialmente o tráfego de veículos.

Pouco antes das 9h, profissionais da educação, estudantes, sindicalistas e outros manifestantes começaram a se concentrar no Conjunto Cultural da República, na Esplanada dos Ministérios. Devido à concentração de pessoas, três faixas do Eixo Monumental tiveram que ser bloqueadas ao tráfego de veículos enquanto os manifestantes caminhavam em direção ao Congresso Nacional. A certa altura, participantes da 1ª Marcha das Mulheres Indígenas, que também protestavam na Esplanada dos Ministérios, uniram-se ao ato.

A Secretaria de Educação do Distrito Federal não suspendeu as aulas nas quase 700 escolas públicas da rede de ensino, mas ainda aguarda informações das coordenações regionais para fazer um balanço do impacto dos atos. “A pasta terá o balanço no decorrer do dia e reitera que as aulas não ministradas durante a paralisação deverão ser repostas, em datas a serem definidas pelas direções das escolas, ainda neste semestre, garantindo o cumprimento dos 100 dias letivos por semestre”, informou a secretaria, em nota.

Principal instituição universitária da capital, a Universidade de Brasília (UnB) suspendeu as atividades. A paralisação dos docentes foi aprovada em assembleia geral realizada ontem (12), pela associação que representa a categoria, mas a adesão efetiva caberá a cada professor.

Pernambuco

No Recife, embora a Universidade Federal de Pernambuco não tenha suspendido as aulas, professores e técnicos de vários departamentos dos três campi (Recife, Caruaru e Vitória de Santo Antão) da instituição aderiram ao movimento e não compareceram ao trabalho. Alunos de outras instituições, como o Instituto Federal, também não tiveram aulas. Um grande ato está agendado para as 14h, na Rua da Aurora, em frente ao Ginásio Pernambucano. Além da capital, manifestações foram agendadas em, pelo menos, outras quatro cidades do estado: Arco Verde, Caruaru, Garanhuns e Petrolina, de acordo com a CNTE.

Bahia

Em Salvador, manifestantes se reuniram no Largo do Campo Grande, de onde saíram em caminhada até a Praça Castro Alves. Expondo faixas e cartazes, o grupo pediu mais investimentos em educação. No mesmo horário (10h), uma manifestação semelhante ocorria em Feira de Santana.

Ceará

Em Fortaleza, os manifestantes se concentraram na Praça da Gentilândia, no bairro Benfica. Participam professores, estudantes e outros trabalhadores da educação. Segundo a Central Única dos Trabalhadores (CUT), ao menos 12 cidades cearenses devem sediar alguma atividade alusiva à mobilização ao longo do dia, entre elas Juazeiro do Norte, Sobral e Itapipoca.

Continue lendo
Clique para comentar

EDUCAÇÃO

Sisu encerra neste domingo as inscrições; saiba o que avaliar para decidir se muda a opção de curso

Publicado

em

Fonte: G1Foto: Reprodução

As inscrições para o Sistema de Seleção Unificada (Sisu) terminam às 23h59 deste domingo (26). Depois da tensão por causa dos erros na correção do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 e das instabilidades no sistema, os candidatos têm, até o último minuto do prazo, chance de alterar as opções de curso que fizeram ao longo da semana.

A decisão costuma ser guiada pelas notas de corte parciais, atualizadas sempre à meia-noite, com base no desempenho daqueles que já se inscreveram. Quando o aluno percebe que está muito distante do patamar exigido em determinado curso, tende a querer mudar de opção. De acordo com especialistas, este é o momento mais delicado do processo.

Abaixo, confira o que os especialistas recomendam aos alunos na data final de inscrição. Um spoiler: é preciso ter cuidado.

Vale a pena escolher outro curso ou universidade no último dia?

O ideal é que o candidato avalie, com antecedência, quais são os cursos de maior interesse. E considere, a partir disso, em quais universidades deseja estudar.

É comum, no entanto, que o aluno se desespere ao perceber que sua nota não será suficiente. Diante do risco de não ser aprovado, pode procurar qualquer outra graduação, que tenha notas de corte menores. “A escolha deve ser planejada. Não vale a pena marcar qualquer curso, só para dizer que passou, se depois não fará a matrícula”, afirma JP Ferreira, diretor do Oficina do Estudante.

O desafio é encontrar o equilíbrio. Se o sonho do aluno for cursar medicina na Universidade Federal do Rio de Janeiro, cuja nota de corte é 804, mas ele tirou 600, não vale a pena desperdiçar uma das opções. Mas também não deve escolher pedagogia, que tem nota menor, se não for um curso que lhe interesse.

Como saber se tem chance de ser aprovado?

Não existe um cálculo que permita afirmar, com segurança, de quantos pontos um aluno precisa para ser aprovado em determinado curso. Mas há algumas dicas:

  • Observe o número de vagas ofertadas. Se forem apenas duas, por exemplo, a nota de corte parcial não pode estar tão distante do seu desempenho.
  • Pesquise as notas de corte dos anos anteriores e a quantidade de nomes convocados nas listas de segunda chamada.
  • Principalmente em grandes cidades, como São Paulo e Rio de Janeiro, resultados de universidades importantes, que não participam do Sisu, são divulgados em fevereiro. Candidatos aprovados podem desistir do Sisu para estudar nessas outras instituições. Consequentemente, novos alunos serão convocados na segunda chamada.

Compensa preencher a segunda opção com qualquer curso?

Não. Preste atenção à regra informada no edital do Sisu: o candidato que for aprovado – seja na primeira ou na segunda opção – perde o direito de concorrer a uma vaga da lista de espera.

Exemplo: João se inscreveu em engenharia na Universidade de São Paulo (USP, primeira opção) e em arquitetura na Universidade Federal do Piauí (UFPI, segunda opção). Sua nota não foi suficiente para passar na USP, mas alcançou a pontuação exigida na UFPI. Ele não terá a opção de concorrer à lista de espera de engenharia. Apenas poderá escolher se quer ou não se matricular em arquitetura.

“As duas opções devem ser escolhidas com muito critério. O candidato deve apenas se inscrever em cursos que realmente faria. Caso contrário, poderá jogar sua chance fora”, explica João Pitoscio Filho, coordenador de química do Grupo Etapa.

Obviamente, critérios práticos também precisam ser avaliados. Inscrever-se para instituições em outros estados pode aumentar as chances de aprovação. Mas a transferência de moradia é viável? De quanto é o auxílio-estudantil pago pela universidade? Financeiramente, é possível se manter em outra cidade? Se a resposta for não, foque apenas em opções em seu município.

Atenção: o aluno não é obrigado a escolher duas opções de curso. Se estiver certo de que quer apenas uma universidade, pode se inscrever somente nela.

É arriscado deixar para mexer no sistema na última hora?

Sim. O Sisu ficou instável no primeiro dia de inscrições e apresentou problemas na tela de login. Segundo o Ministério da Educação (MEC), a falha ocorreu pelo alto número de acessos ao site.

Sempre existe o risco de que, nas últimas horas do domingo, o fluxo de visitas ao Sisu seja alto – ou seja, existe o risco de, novamente, haver instabilidade. “O candidato deve concluir sua inscrição até sábado, para garantir. No domingo, pode entrar de novo e pensar se fará alguma alteração. Mas jamais deixe para se inscrever no último dia”, alerta Pitoscio Filho. “E imagine o azar de ficar sem luz ou sem internet. Não corram o risco.”

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Acompanhe o listão dos aprovados no Prosel 2020 na Rádio Mix FM nessa quarta 29

Publicado

em

Fonte: Ascom Uepa Foto: Nailana Thiely/ Ascom Uepa

A Universidade do Estado do Pará (Uepa) divulgará nessa quarta-feira, dia 29 de janeiro, às 10h,  o listão dos aprovados no Processo Seletivo (Prosel) 2020. A Rádio Mix FM Belém irá fazer a cobertura do Listão do aprovados, o resultado também será publicado no site da Instituição e em suas redes sociais oficiais. Calouros devem ficar atentos ao período de matrícula, que será do dia 4 a 7 de fevereiro. As aulas iniciam no dia 10 de fevereiro. 

A Reitoria da Uepa receberá o público que deseja ter acesso físico ao listão, afixado em  painéis que serão posicionados em frente ao prédio, às 10h, mesmo horário em que as listas com os nomes dos aprovados são entregues à imprensa e liberadas no site www.uepa.br . Antes disso, às 9h30, o reitor Rubens Cardoso receberá a imprensa para uma coletiva, quando serão conhecidos os três primeiros lugares do vestibular 2020.

No total, a Uepa oferta 3.656 vagas, distribuídas em 28 cursos de graduação, com destaque para a graduação em Engenharia de Software, ofertada pela primeira vez nos municípios de Castanhal (30 vagas) e Redenção (30 vagas). No total, o Prosel reforça a presença de cursos da Uepa em 16 municípios, sendo 1.532 vagas ofertadas na capital e 2.124 vagas no interior.

Do total de vagas ofertadas,  50% são destinadas a candidatos cotistas, ou seja, candidatos que cursaram e concluíram todas as séries do Ensino Médio, ou curso equivalente, na rede pública e optaram por concorrer a vagas para cotistas; e 50% para candidatos Não Cotistas. Para concorrer às vagas, os interessados devem estar inscritos no Prosel, além de ter feito as provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) em 2019. 

ENEM

Estará automaticamente eliminado no processo de classificação do Prosel, o candidato que faltou em, pelo menos, um dia de prova do Enem 2019 ou obteve nota inferior a 500  na Redação do Enem, numa escala de 0 a 1000, ou ainda obteve média aritmética das notas do Enem 2019 inferior a 500. 

Ainda será atribuído um bônus de 10%, sobre a média aritmética das notas obtidas no Enem 2019, aos candidatos que tenham declarado no ato da sua solicitação de inscrição que concluíram ou estão concluindo, no Estado do Pará, a última série do Ensino Médio (ou equivalente), ou ainda que obtiveram a certificação do ensino médio por meio de exames, expedida por instituição localizada no Estado do Pará. 

A comprovação dessas condições será feita no ato da matrícula. O candidato que não provar a veracidade das informações será eliminado do Processo e perderá o direito à vaga.

CONCORRÊNCIA

Para o Prosel 2020, entre os cotistas, o curso mais concorrido é o de Fisioterapia em Belém, com 185 candidatos inscritos para cada vaga. Em seguida, o curso de Biomedicina em Belém, com 101,33 candidatos por vaga, e o curso de Medicina em Marabá, com 92,20 por vaga.

Entre os não cotistas, o curso mais concorrido do certame é Fisioterapia em Belém, com 72,35 candidatos inscritos para cada vaga. Em segundo ficou Medicina em Marabá, com 69,35 inscritos por vaga, e Medicina em Belém, com 67,38 candidatos por vaga.

MATRÍCULA

O período de matrícula de calouros será do dia 4 a 7 de fevereiro. Para realizar sua matrícula, o candidato do PROSEL/2020 selecionado para as vagas nos Cursos de Graduação da UEPA, deverá comparecer ao Campus da Universidade no qual realizará o curso para o qual foi selecionado, a fim de protocolar a entrega das cópias dos documentos comprobatórios e obrigatórios, originais (para confirmação) e cópias, a saber: 

a) Carteira de Identidade; 

b) Cadastro de Pessoas Físicas (CPF); 

c) Certidão de Nascimento ou Casamento;

 d) Certificado de Alistamento Militar (candidatos do sexo masculino); 

e) 01  foto 3 x 4 recente (colorida); 

f)Título de Eleitor, acompanhado do comprovante de votação na última eleição, ou declaração de quitação eleitoral, emitida pelo site do Tribunal Regional Eleitoral; 

g) Histórico Escolar do Ensino Médio; 

h) Certificado de Conclusão do Ensino Médio;

i) Declaração de autenticidade emitida pela Coordenação de Documento Escolar – CODOE, da Secretaria de Educação do Estado do Pará – SEDUC, obrigatória aos candidatos que concluíram ou estão concluindo a última série do Ensino Médio, no Sistema de Ensino (escolas de ensino médio públicas e privadas) do Estado do Pará.

 j) Comprovante de Residência (recente e que contenha CEP).

NÚMEROS DO PROCESSO SELETIVO UEPA 2020 

Total de vagas ofertadas: 3.656 

Vagas cotistas: 1828

Vagas não cotistas: 1828

Cursos de Graduação ofertados em 2020: 28

Total de Inscritos:  83.035

Total de Inscrições de Candidatos Cotistas: 57.648

Total de Inscrições de Candidatos Não Cotistas: 25.387

1. PROSEL2020 – Cursos mais concorridos (concorrência CANDIDATO / VAGA)

1.1 – COTISTA

Fisioterapia (Belém): 3.700 candidatos inscritos/  20 vagas/ 185 candidatos por vaga.

Biomedicina (Belém): 1.520  candidatos inscritos/ 15  vagas/ 101,33 candidatos por vaga. 

 Medicina (Marabá): 1.844  candidatos inscritos/ 20 vagas/ 92,20 candidatos por vaga.

1.2 – NÃO COTISTA

 Fisioterapia (Belém): 1.447  candidatos inscritos/ 20 vagas/ 72,35 candidatos por vaga. 

Medicina (Marabá):  1.387 candidatos inscritos/ 20 vagas/ 69,35 candidatos por vaga. 

Medicina (Belém):  3.369 candidatos inscritos/ 50 vagas/ 67,38 candidatos por vaga.

Mais informações:

Diretoria de Acesso e Avaliação (DAA) da Uepa. Fone: (91) 3299-2216

Endereço eletrônico do Prosel Uepa: https://www2.uepa.br/prosel/ 

Texto : Nailana Thiely/ Ascom Uepa

Continue lendo

EDUCAÇÃO

UFPA divulgará resultado do PS 2020 na próxima terça-feira, 28

Publicado

em

Fonte: Assessoria de Comunicação da UFPA Foto: Marketing Ascom UFPA

A Universidade Federal do Pará (UFPA) informa que irá divulgar o resultado de seu Processo Seletivo 2020 (PS 2020) na próxima terça-feira, 28 de janeiro, às 9h, no Centro de Eventos Benedito Nunes.

Antes da divulgação dos nomes dos candidatos classificados, a Comissão Permanente de Processos Seletivos (Coperps) entregará oficialmente o resultado ao reitor, Emmanuel Tourinho, em uma cerimônia na Reitoria.

Em seguida, o reitor e os integrantes da Coperps irão participar de Coletiva de Imprensa no Centro de Eventos Benedito Nunes (CEBN), local de onde será transmitido o resultado, ao vivo, pelas rádios cadastradas e onde será disponibilizado um quadro com a Lista de Classificados para que o público possa conferir o resultado. Posteriormente, a lista com os nomes dos classificados será disponibilizada no Portal UFPA.

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital