Conecte-se Conosco

Sem categoria

Márcio Miranda denúncia trama do PMDB para prejudicá-lo na corrida pelo governo do Pará

Foto: Reprodução

Publicado

em

O  candidato ao governo do Pará, Márcio Miranda (DEM),  denunciou  à Procuradoria Geral de Justiça do Pará e ao Conselho Nacional de Justiça (CNMP), por meio de sua assessoria jurídica,  uma suposta trama, que teria sido urgida pela cúpula do MDB no Pará, a fim de causar impacto no processo eleitoral em curso no Estado, com a finalidade de atingir o candidato  Márcio Miranda  e beneficiar o candidato Helder Barbalho (MDB).

Segundo a denúncia, em apuração no inquérito policial, que tramita na Divisão de Repressão a Crimes Tecnológicos, partidários do candidato Helder Barbalho, conseguiram de forma ilegal, dados do processo, que levou Márcio Miranda à reserva da Polícia Militar, em 2002, após assumir o mandato de deputado estadual. Os emedebistas usaram um “laranja” com senha e login de uma policial de Parauapebas, que se apresentou no Cartório Conduru, em Belém e conseguiu acessar o sistema da Polícia Militar e retirar os dados oficiais do candidato do DEM.

Esses dados “roubados” do cartório basearam a denúncia ao Ministério Público, que levou o promotor militar, Armando Brasil, a denúnciar Márcio Miranda por improbidade administrativa e peculato (crime cometido por servidor público de subtração de dinheiro ou bem público), segundo constam na denúncia apresentada no MP e CNMP. Miranda foi acusado de ter forjado a data de entrada na Polícia Militar para conseguir a reserva remunerada.

No inquérito policial, a delegada Karina Correia Campelo, segundo mostram os documentos, ouviu o depoimento do tabelião do Cartório Conduru, Antônio Carlos Pinheiro, que afirmou, que no dia 6 de julho de 2018, recebeu o telefonema do dirigente da Associação dos Notários e Registradores do Pará (Anoreg) Luiziel Guedes de Oliveira, que também exerce a função de delegado memorial do MDB, solicitando a elaboração de ata notarial.

Luiziel Guedes retornou ao cartório, acompanhado do coronel da reserva da Polícia Militar,  Artur Moraes

Quatro dias depois, Luiziel Guedes retornou ao cartório, acompanhado do coronel da reserva da Polícia Militar,  Artur Moraes, que mesmo na inatividade estava fardado. Arthur é marido da ex-vereadora e jornalista Vanessa Vasconcelos, candidata deputada pelo PMDB

Eles apresentaram um login e senha, escrito em um papel para a assistente do cartório, que foi orientada pelo coronel a abrir o site www.sigpol.gov.pa, de gerenciamento de pessoal da Polícia Militar do Pará. Os dois pediram a funcionária para digitar o nome Márcio Desidério, o primeiro sobrenome do candidato do DEM e de posse dos dados do registro, eles imprimiram todos os documentos.

Porém, quando a funcionária do cartório pediu para assinarem a ata memorial, comprovando a retirada das cópias dos documentos do processo de aposentadoria de Márcio Miranda, eles apresentaram uma outra pessoa chamada Fábio Luiz Araújo Coutinho.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual