Conecte-se Conosco

Sem categoria

Mario Couto é sacado da coligação do MDB ao Senado, sai atirando nos Barbalho e promete apoiar Márcio Miranda

Publicado

em

 

Antonio José Soares

O ex-senador Mário Couto, que se havia lançado como candidato ao Senado, com apoio do MDB, deu uma reviravolta em sua posição. Ele disse que foi traído pelos Barbalho – referindo-se ao senador Jader Barbalho, candidato à reeleição, e a seu filho, Helder Barbalho, candidato ao governo do Estado. Couto disse que os Barbalho não podem ouvir falar de corrupção que se sentem atingidos, e que eles serão punidos pela Lava Jato com tornozeleira eletrônica ou com cadeira.

Nas redes sociais, o ex-senador Couto deu a sua versão dos fatos, dirigindo-se especificamente aos seus amigos do Marajó – Soure, Salvaterra, Cachoeira do Arari, Ponta de Pedras. Santa Cruz do Arari, Breves, Portel, Anajás, Melgaço, Curralinho, Muaná, Afuá, enfim – “toda essa região maravilhosa onde nasci”.

E prosseguiu: “quero, neste momento, agradecer as vocês todas as visitas que fiz, de cidade em cidade, A acolhida singular, sentimental e carinhosa, que vocês deram a esse humilde Mário Couto. – disse para então entrar no âmago da questão:

– A minha candidatura ao Senado, infelizmente, foi derrubada pelo MDB. Fui eu, amigos e amigas, na convenção do meu partido (PP)junto com a convenção do MDB, lá no ginásio do Sesi. E ao terminar, dei uma entrevista na TV Liberal, falando que eu ia paro o Senado novamente para combater fortemente a corrupção. Bastou isso para que na calada da noite eles tirassem o meu nome da ata e impugnassem a minha candidatura ao senado,

“Os Barbalho – prossegue o ex-senador – não podem ouvir falar em corrupção. Ficaram magoados porque estão sendo investigados na Lava Jato. E indubitavelmente, certamente, serão punidos, ou com tornozeleira ou com prisão, mas serão punidos, porque as investigações estão adiantadas. Não podia eu ser covarde de esconder aquilo que eu mais tenho de sentimento que é o combate à corrupção, no Pará, no Brasil ou em qualquer lugar.

Mário Couto lembrou que passou 18 anos no Senado e que foi “um gigante combatendo a corrupção”,

“E não seria por covardia que eu indo a uma reunião política e não expressar a minha vontade e o meu sentimento. Por isso não existe nenhum arrependimento, nenhum sentimento de recuar com o meu objetivo, esteja onde estive. Esse sentimento sempre será muito forte dentro de mim porque estou vendo momentos difíceis por que passa a nação brasileira em virtude da imensa corrupção implantada pelo MDB, PT, PSDB e tantos partidos”.

 

E dirigindo novamente ao povo disse: “Você que está me ouvindo, não tem uma vida melhor porque o seu dinheiro que você paga o imposto, os corruptos roubam e por isso eles ficam incomodados quando se fala em corrupção. Foi este o motivo do desligamento da minha candidatura. Foi apenas uma fala de corrupção. Que irritou os Barbalho e eles me tiraram,  às 24h de ontem, da ata em que estava meu nome para o Senado”

 

Resignado, Mário Couto acrescentou: “Nada me atinge, continuo eu com a minha luta constante contra esta praga que assola o nosso país. Estarei participando desta eleição, Vou conversar com pessoas que eu conheço, com pessoas que tenham caráter, sejam limpas e não pratiquem a corrupção, com as quais eu possa me sentir bem ao seu lado”.

Ao encerrar sua fala, Mário Couto disse que estará “lado a lado com Márcio Miranda, se Deus quiser, no governo do Estado do Pará”.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual