Conecte-se Conosco

Eleições 2018 Pará

Mário Couto pede que os pais ensinem dignidade aos filho

Publicado

em

Em seu perfil no Facebook, o ex-senador Mário Couto, enquanto aguarda uma definição de sua candidatura ao Senado, depois que considerado carta fora do baralho, aproveitou o Dia dos Pais para fustigar seus adversários, com uma sutileza invulgar diante das circunstâncias e do estilo do que ele consagrou. Não citou nominalmente ninguém, mas todos sabem para que lado estão apontando as suas  ogivas nucleares.

A mensagem de Mário Couto, travestida de recado aos pais paraenses, na verdade é uma nota irônica com nome e sobrenomes subentendidos. E o propósito que ele tentou usar não é  nada difícil de ser decifrado. Sua mensagem  foi direcionada ao presidente regional do MDB, o senador Jader Barbalho, e de seu filho, Helder Barbalho, candidato ao governo do Pará, numa coligação com 18 partido. “Dia dos Pais, esse dia maravilhoso, Estou aqui com minha esposa e meus filhos e quero falar para vocês o que penso desse momento”, disse no introito de  seus monólogo. Mário Couto já anunciou que vai apoiar a candidatura do principal adversário de Helder Barbalho, o presidente da Assembléia Legislativa, Márcio Miranda.

“Eu quero transmitir uma mensagem muito rápida pra vocês. Família, meus amigos, é dignidade, é honra. Você precisa  pensar  o que você faz para demonstrar ao seus filho a seriedade de uma família”, afirmou sem querer querendo…

“Eu e minha mulher, quando estivemos em Brasília, sofremos um choque muito grande. Nós íamos perdendo os nosso dois filhos menores: um de três meses e a outra de quatro anos, Minha filha foi jogada de encontro a uma parede. Meu filho, no braço da mãe, chorava e ela gritava. Uma explodiu na sala da minha casa. Tudo isso para me curvarem, para tentar sujar a minha honra, a minha dignidade, e  me levar para o campo da corrupção. E neste momento só pensei em Cristo e na minha família. Como eu ia me sentir, olhando para os meus filhos, quando setassem à mesa e eu soubesse que o alimento que eles estavam ali consumindo era fruto de corrupção, que o dinheiro não era meu. Era de outras família que pagaram os seus impostos”.

Meus amigos e minhas amigas  a honradez e a dignidade quem dá para a sua família é você, pai: é você, mãe querida, que esteve  comigo em todos omentos da minha, transmitindo dignidade”, falou dirigindo para sua mulher. E, volta-se para os internautas, arrematou. Quero dizer a vocês,, feliz dia do Pais. Que os pais possam transformar os seus filhos em homens dignos, para que tenham uma família digna da sociedade brasileira”. Os filho de Mário Couto, incluindo a deputada Cilene Couto, também gravaram mensagens enaltecendo-o.

Continue lendo
Clique para comentar

Eleições 2018 Pará

Mario Couto registra candidatura ao Senado

Publicado

em

Ao apagar das luzes para o encerramento do prazo do registro de candidaturas para as eleições de outubro próximo, o ex-senador, Mario Couto, conseguiu, finalmente, se habilitar para disputar o pleito. Couto fora lançado candidato na convenção do seu partido,  o Progressista, em conjunto com o MDB. Mas. subitamente, seu nome foi retirado da ata que seria encaminhada para a efetivação do registro, ficando apenas os nome do presidente do MDB, senador Jader Barbalho, que concorrerá à reeleição; e o do ex-vice-governador Zequinha Marinho (PSC). Nas redes sociais, Couto publicou um anúncio relativo a 15 de Agos, Adesão do Pará à Independência do Brasil, mas que era uma dica do que iria fazer a seguite: registrar a sua candidatura. Depois disso, publicou também a cópia da sua inscrição junto ao TSE.

Couto pegou santo, com o que classificou de alta traição do MDB e dos dirigentes do PP, João Salame Neto e o seu irmão, deputado Belo Salame. E abriu fogo pesado contra seus supostos traidores, chegando a declara que fora excluído por ter prometido continuar lutando, no Senado, contra a corrupção. “Os Barbalho – disse se referindo ao senador e a seu filho, Helder, que é candidato ao governo do Pará – não podem ouvir a palavra corrupção: são investigados pela Lava Jato e podem ser presos ou usar tornozeleiras eletrônicas”. Beto Salame entrou no meio da questão, dando uma de bombeiro e parece que conseguiu  acalmar os ânimos do ex-senador. Couto chegou a dar com certa a sua ausência no pleito, mas logo depois acenou com a possibilidade de concorrer. Agradeceu o apoio que recebeu de centenas de amigos, por meio da campanha “Volta Mario Couto”, empreendida nas redes sociais, principalmente.

Surpreendentemente, Mário Couto Filho  conseguiu registrar dentro prazo estipulado pelo TSE a sua candidatura ao Senado,  sob o número  111. De posse de seu registro, anunciou que vai se leger para continuar combatendo a corrupção que grassa no país. E que vai apoiar informalmente para o governo do Pará, o candidato do DEM, deputado Márcio Miranda, embora, em tese,  faça parte da coligação do MDB

 

 

Continue lendo

Eleições 2018 Pará

Wlad lança “Nega Lucimar” como sua suplente

Publicado

em

A  corrida a uma das duas vagas  Senado está ficando muito interessante, no Pará. E promete ainda muitas emoções. O burburinho agora é por conta da anunciada candidatura de Lucimar da Costa Rabelo,  mãe do deputado Wladimir Costa (Solidariedade) à suplência do filho.  A novidade vem logo depois que estouraram as desavenças entre o ex-senador Mário Couto (PP)  com o senador Jader Barbalho (MDB). Aguada-se que o impasse seja resolvido  em breve.

Couto  foi indicado na convenção da coligação liderada pelo MDB, mas,  menos de 24 horas depois, foi excluindo da ata, ficando apenas Jader Barbalho e o ex-vice-governador, Zequinha Marinho (PDC).  Comenta-se que a retirada do nome de  Couto deveu-se ao resultado de uma pesquisa não-registrada no  Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que daria Mário Couto praticamente  embolado com Barbalho.

Wladimir Costa com o filho  Yorann Costa

Wladimir Costa  decidiu também concorrer ao Senado, depois conquistado o seu quarto mandato na Câmara, sendo o último conquistado por meio da quota partidária. E ele  parece disposto a ser protagonista e a ter muita visibilidade na campanha que está começando agora, por suas atitude incomuns. Wladimir já  saiu em defesa de Couto, aproveitando para atacar os Barbalho (o senador Jader e seu filho Helder, candidato ao governo do Estado).

Lançado  pelo Partido Solidariedade,  terá como suplente a sua própria mãe, Lucimar da Costa Rabelo, que ele popularizou  como Nega Lucimar.

Sua atuação como parlamentar é marcado pela baixa assiduidade e excentricidade, ficando conhecido pelas cenas cômicas durante sessões decisivas na Câmara, como a distribuição de farinha de mandioca e a soltura de roedores no plenário.

Wladmir Costa votou pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, tendo ficado famoso pelo uso da bandeira enrolada ao pescoço, por citar sua mãezinha Nega Lucimar no discurso, e por soltar confetes no plenário.

Durante o Processo de cassação de Eduardo Cunha, fez parte da chamada “tropa de choque” de Cunha defendendo-o no Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara dos Deputados do Brasil. Em 14 de junho de 2016, mudou seu voto assim que a derrota de Cunha se tornou irreversível com o voto da deputada federal Tia Eron, do PRB da Bahia.

Em 8 de julho de 2016, teve seu mandato cassado pelo TRE do Pará por crime de Caixa dois na sua eleição à Câmara, onde teria sonegado gastos que somaram R$ 410 mil. Como a decisão é em primeira instância, Costa pôde recorrer ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) sem deixar o mandato.

Já no Governo Michel Temer, votou a favor da PEC do Teto dos Gastos Públicos. Em abril de 2017 foi favorável à Reforma Trabalhista.

O deputado também teve destaque na mídia em 2017 por tatuar o nome do presidente Michel Temer (PMDB) em seu ombro e por pedir fotos íntimas a uma mulher desconhecida, por whatsapp, durante a votação da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) a respeito da denúncia contra o presidente Michel Temer (PMDB).

Em agosto de 2017 votou contra o processo em que se pedia abertura de investigação do então presidente Michel Temer, ajudando a arquivar a denúncia do Ministério Público Federal.

Na sessão do dia 25 de outubro de 2017, o deputado, mais uma vez, votou contra o prosseguimento da investigação do então presidente Michel Temer, acusado pelos crimes de obstrução de Justiça e organização criminosa. O resultado da votação livrou o Michel Temer de uma investigação por parte do Supremo Tribunal Federal (STF).  Ex-aliado dos Barbalho, tornou-se inimigo mortal da família proprietária do Grupo Rede Amazônia de Comunicação. Recentemente, envolveu-se em nova polêmica, ao conseguir a nomeação de seu filho  Yorann Costa, para o cargo de delegado federal do Desenvolvimento Agrário do Pará, o jovem, de 22 anos, pediu exoneração da função, depois de uma série de idas e vindas, em que até a sua competência foi questionada na Justiça.

Nega Luciamar mostra pelo filho que defendeu Temer

 

Continue lendo

Eleições 2018 Pará

Blog diz que fator Mário Couto leva Helder a inferno astral

Publicado

em

Candidato ao governo do Pará, Helder Barbalho (MDB)  estaria vivendo um inferno astral por causa de pesquisas e perdas em sua base de apoio.
O bloh “As Falas da das Pólis, do jornalista Diógenas Brandão, afirmou – e não foi desmentido- que o candidato do MDB ao governo do Pará, Helder Barbalho, entrou numa espécie de inferno astral, devido aos resultados de pesquisas internas, sobre intenção de votos, que mostram não só a sua perda de espaço perante o eleitorado como o crescimento de seu principal adversário, Márcio Miranda (DEM). Essas pesquisas teriam sido a razão do alijamento do  ex-senador Mário Couto, da chapa que a coligação liderada pelo MDB, apresentaria para a disputa do Senado, incluindo Couto, o presidente do MDB, senador Jader Barbalho, e o ex-vice-governador, Zequinha Marinho (PSC). A seguir o texto da reportagem publicada por  Diógenes Brandão no blog “As Falas das Pólis”
“Fontes do blog “As Falas das Pólis” ligadas ao staff do ex-ministro Helder Barbalho (MDB), candidato ao governo do Pará,  afirmam que ele amarga uma grande perda e sofre de um mal estar que repercute e contamina os arraiais e partidos da base do MDB.
Fato extremamente relevante foi a perda de apoio do candidato ao senado Mário Couto (PP), que vem dividindo com Jader Barbalho (MDB) as preferências eleitorais ao senado, de acordo com informações obtidas através de pesquisas internas que tem circulado no Pará, nas últimas duas semanas.
Jader teria mostrado-se muito preocupado com o crescimento da candidatura de Mário Couto, uma vez que todos acreditam que o candidato do governador terá um enorme peso eleitoral.
A preocupação de Jader seria a seguinte: é certo de que um candidato que seja prioritário para o governador contará com muita força administrativa, política e econômica do governo.
Então a outra vaga ficaria entre Jáder e Mário Couto, e como Couto vinha crescendo de forma desproporcional, Jader teria avaliado de que corria risco, e a solução encontrada, (supostamente contra a vontade Helder) foi abortar de forma traiçoeira a candidatura Mário Couto com a conivência do PP e dos irmãos Salame, Beto e João.
Este fato colocou imediatamente o candidato Mário Couto em guerra contra os Barbalhos e como consequência, em risco a reeleição do candidato (PP) a deputado federal, uma vez que Mário Couto articulou 42 prefeitos para o apoio a Beto Salame e chegou a ligar para alguns destes, assim que anunciou que estava rompendo relações com a chapa de Helder Barbalho e por tabela, com os Salame.
Fontes do blog afirmam que como presidente de honra do PP, João Salame entrou em campo para garantir a manutenção do apoio de Mário Couto a Beto Salame, irmão de João.
Embora haja tido uma bandeira de paz hasteada, isso não inclui mais o apoio de Mário Couto a Helder Barbalho. Márcio Miranda faturou a conta, informa uma fonte do PP.
Em síntese, os interesses de Jader prevaleceram sobre a tática eleitoral que ampliava a base eleitoral de Helder Barbalho ao governo.
Agora Helder se depara com o crescimento acelerado da candidatura Márcio Miranda.
Para diversas fontes consultadas pelo blog, neste momento, Helder Barbalho vive um inferno astral em sua campanha eleitoral e até suas aparições e agendas de campanha diminuíram.
Além do crescimento do seu principal adversário nas pesquisas e dos problemas em arregimentar a totalidade dos prefeitos e lideranças dos partidos que estão em sua chapa, Helder ouviu e não esquece: Mário Couto prometeu infernizar a vida dos Barbalho nos próximos 60 dias”.

Continue lendo

Destaques