Conecte-se Conosco

ITAITUBA

Moradores de Miritituba denunciam que ação de dragas está destruindo leito do rio Tapajós

Publicado

em

Um vídeo, divulgado nas redes sociais nesta terça-feira (08), o qual ganhou grande repercussão, com centenas de likes e compartilhamentos, mostra moradores do Distrito de Miritituba, em Itaituba, denunciando que a ação de dragas está degradando o leito do rio Tapajós na localidade e, atrelado a isso, dificultando a vida de dezenas de pescadores que dependem da pesca para subsistência.

De acordo com o apresentado no vídeo, a protagonista e moradora de Miritituba, Linda Inês da Silva, relata que a ação diária das dragas, há aproximadamente 2 meses, está resultando no levante de diversas problemáticas que afetam diretamente a natureza e em consequência, os moradores locais. Problemas, como por exemplo, barulho intenso, odor exalante da lama e poluição do rio, uma vez que a cor da água não é mais a mesma que outrora, são alguns dos elecandos. 

Pesca, banho, lavagem de roupa e louça no rio, mais especificamente no lago denominado de “Bem bom”,  que antes realizava-se com frequência, principalmente por moradores ribeirinhos, são algumas das atividades que estão sendo prejudicadas pela ação das dragas às margens do rio Tapajós, no Distrito.

“Os únicos beneficiados aí são os donos dessas dragas. Quer dizer que o Ibama queima as dragas, PC e máquinas de garimpeiros porque estão destruindo o meio ambiente. Quer dizer que esse rio aí não faz parte do meio ambiente? Estão destruindo tudo dentro da cidade e ninguém tá vendo isso” comentou outra, revoltada com a situação.

Posicionamento do Vereador David Salomão
 
Na sessão desta quarta-feira (09), na Câmara Municipal de Itaituba, o vereador David Salomão se posicionou totalmente contrário às ações das dragas, as quais estão ferindo de forma agressiva a natureza, e desconhece quem autorizou a operacionalidade das mesmas, alvo de reivindicações dos moradores locais.

“Diante desta situação, eu acho que é um dever buscar esclarecimentos, de buscar saber quem foi que autorizou essa atividade das dragas nas margens do rio Tapajós. Basta olhar nas imagens, que por si só deixa a gente muito apreensivo. Porque toda atividade é licenciada, mas ela tem que ser feito um protocolo de atendimento. Tá só lama o rio Tapajós, ali” explicou o vereador.
David Salomão, que reiterou em sua fala que não é contra o desenvolvimento econômico na região, mas desde que esteja dentro da legalidade e que não degrade o meio ambiente, já está com requerimento em mãos, para que seja realizada uma audiência pública na Câmara, em que possam participar os órgãos ambientais da esfera Federal, Estadual e Municipal, IBAMA e Ministério do Meio Ambiente, para que o impasse apresentado, possa ser discutido.

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital