Conecte-se Conosco

BRASIL GERAL

Mulher que ‘sumiu’ de hospital teve morte violenta

Valéria Muniz deixou o hospital sem autorização e foi encontrada morta em uma rua

Foto: Reprodução / Fonte: O Liberal

Publicado

em

Valéria Muniz de Carvalho, de 52 anos, que saiu “escondida dos médicos” do Hospital Salgado Filho, no Rio, teve morte provocada por uma ação violenta, segundo investigações da Polícia Civil.

Ela estava internada no Hospital Salgado Filho, no Méier, com uma fratura no calcanhar. Mas, às 5h da manhã de sábado, 19, ela saiu do local sem que médicos e enfermeiros percebessem.

O motivo de ir ao hospital foi uma fratura no tornozelo que, segundo a paciente, foi ocasionada por uma queda, segundo a Secretaria Municipal de Saúde.

A mulher apareceu morta na rua Rua Miguel Angelo, no Cachambi, bairro vizinho ao Méier. Porém, os familiares só conseguiram confirmar a morte dela quando procuraram o Instituto Médico Legal. O enterro foi na quarta-feira, 23, no cemitério do Pechincha.

“Instauramos inquérito para apurar porque realmente a situação é meio complicada, já estamos avançando na investigação. A gente já conseguiu detectar que a morte foi por ação violenta, mas a gente ainda não conseguiu concluir, estamos a caminho (da conclusão)”, disse o delegado Deoclecio de Assis, titular da 23ª DP (Méier).

Namorado

Ao G1, o namorado de Valéria, Milton de Souza, relatou que o corpo foi encontrado por um motorista de caminhão da Cet-Rio, que acionou a polícia. Milton disse ainda lhe falaram sobre hipótese de assassinato.

“Não consegui ver o laudo, mas não teve realmente marca de tiro nem nada. O que eles me falaram no IML é que ela estava com o queixo inchado, mas eu vi o rosto dela no enterro e estava normal. Tomei coragem pra olhar pra ela e vi que estava normal. O IML também só informou da fratura no pé. Aparentemente, marca de tiro ou de violência, não, realmente não tinha”, disse Milton.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual