Conecte-se Conosco

ESPORTES

Na luta contra rebaixamento, Boa e Paysandu ficam no empate. Veja todos os resultados do sábado

Publicado

em

Com Gazeta Esportiva

Em duelo contra o rebaixamento, que movimentou a 27ª rodada da Série B neste sábado, o Boa Esporte recebeu o Paysandu no Estádio Melão. Ambas as equipes precisavam da vitória para respirar um pouco no Campeonato Brasileiro, no entanto, não saíram do empate e o duelo terminou com o placar de 1 a 1. O gol de empate dos visitantes, porém, foi polêmico, uma vez que saiu de uma cobrança de escanteio, que na verdade deveria ter sido apenas tiro de meta.

Com o resultado, o time da casa vai a 25 pontos e retorna para a lanterna da competição. Para piorar, a diferença para sair do Z4, que poderia ser de dois pontos, volta a ser de cinco. O Papão, por sua vez, vai a 30 pontos e se mantém como o primeiro time fora da zona do rebaixamento.

Na próxima rodada, o Boa Esporte vai a São Paulo enfrentar o São Bento nesta sexta-feira, às 20h30 (de Brasília), no Estádio Walter Ribeiro. No dia seguinte, às 16h (de Brasília), é a vez do Paysandu entrar em ação, quando recebe o Criciúma, na Curuzu.

O jogo

A partida começou agitada com rede balançando logo nos primeiros minutos. Com três minutos de bola rolando, Maicon Silva cometeu falta em cima de Alyson e o Boa pôde chegar pela primeira vez ao ataque. William Barbio mandou a bola para a área na cobrança de falta, mas a cabeçada foi fraca e acabou saindo pela linha de fundo.

Já no campo adversário, aos cinco minutos, em cruzamento para a área, Douglas Baggio tocou de leve de cabeça e a bola sobrou para William Barbio, que só deu um toquinho para o fundo do gol, abrindo o placar para o Boa. Este foi o quinto gol na Série B de Barbio, artilheiro do time na competição.

O Boa tinha o controle do jogo e quase ampliou a vantagem aos oito minutos, após a cobrança da falta pra área. A bola sobrou para o zagueiro Caíque, que pegou desajeitado e mandou por cima da meta.

A equipe da casa ia trocando passes e administrando a vitória parcial, até que levou um susto. Com 13 minutos de jogo, Carandina achou Mike, que recebeu e bateu na saída do goleiro. Fabrício, porém, operou grande defesa, evitando o empate.

Paysandu chega ao empate

Na sequência, o jogo deu uma esfriada e no decorrer do tempo, o Paysandu foi crescendo. O Papão começou a chegar com mais perigo, como aos 28 minutos, Fabrício defendeu chute de Mike e na sobra, Renato Augusto tentou o rebote, mas o goleiro do Boa levou a melhor novamente.

Dois minutos depois, porém, o desfecho foi diferente. Em cobrança do escanteio, Hugo Almeida sobiu sozinho e cabeceou para empatar a partida em Varginha. Contudo, o tento foi polêmico, uma vez que o juiz marcou escanteio, em lance que era para ser tiro de meta.

Novamente, poucas emoções em campo. Tentativas de ambos os lados, mas sem êxito. Apenas aos 43 minutos, Fabrício salvou o Boa mais uma vez. Hugo Almeida recebeu cruzamento e bateu de voleio, mas parou em ótima defesa do goleiro, que ainda mandou o placar de 1 a 1 para o intervalo.

Etapa complementar morna, que esquenta apenas no final

A segunda etapa seguiu com um começo morno. A primeira boa chegada foi apenas com 10 minutos, quando Douglas Baggio arriscou de longe a bola bateu na zaga e o lance terminou em grande defesa de Renan Rocha.

Três minutos depois, mais polêmica no Melão. Hélder Maurílio invadiu a área e foi derrubado por Diego Ivo. O juiz, no entanto, apenas mandou o jogo seguir.

A partida era lenta, sem que nenhum dos dois times conseguisse criar oportunidades de gol. Estas só voltaram a acontecer aos 32 minutos, quando no contra-ataque puxado pelo Boa, Daniel Cruz levantou para Douglas Baggio, que se jogou na bola, mas parou em mais uma defesa de Renan Rocha, que salvou o Papão novamente.

O jogo enfim se agitou e quase o Paysandu conseguiu a virada. Aos 35, Pedro Carmona bateu falta de longe, porém viu Fabrício ir no canto fazer mais uma defesa e salvar o time da casa, para alívio da torcida.

A resposta foi imediata com um contra-ataque. Hélder recebeu no meio, mas quando foi bater, não pegou em cheio e desperdiçou boa chance de colocar o Boa na frente novamente.

Os goleiros continuaram tendo trabalho e salvando suas respectivas equipes. Aos 41 minutos, foi a vez de Fabrício evitar o gol de novo, após boa finalização de Pedro Carmona.

Apesar do agito final, a rede não voltou a balançar e o jogo terminou empatado, resultado ruim para ambas as equipes.

FICHA TÉCNICA
BOA ESPORTE 1 X 1 PAYSANDU

Local: Estádio Melão, em Varginha (MG)
Data: 15 de setembro de 2018, sábado
Horário: 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Antônio Dib Moraes de Sousa (PI)
Assistentes: Rogério de Oliveira Braga e Mauro Cezar Evangelista de Sousa (PI)
Cartões amarelos: Hélder Maurílio, Wiliam Barbio (Boa Esporte); Renato Augusto (Paysandu)
GOLS: BOA ESPORTE: Wiliam Barbio, aos cinco minutos do primeiro tempo. PAYSANDU: Hugo Almeida, aos 30 minutos do primeiro tempo.

BOA ESPORTE: Fabrício; Hélder Maurílio, Caíque, Rodrigão e Jadson; Maycon, Djavan, Bruno Tubarão (Juninho Potiguar), Alyson (Daniel Cruz) (Manoel) e Wiliam Barbio; Douglas Baggio.
Técnico: Ney da Matta

PAYSANDU: Renan Rocha, Maicon Silva, Perema (Guilherme Teixeira), Diego Ivo e Guilherme Santos; Renato Augusto, Willyam (Pedro Carmona) e Nando Carandina; Thomaz (Magno), Mike e Hugo Almeida.
Técnico: João Brigatti

Goiás vence Atlético-GO e cola no líder da Série B

A rodada foi perfeita para o Goiás, que aproveitou o tropeço do líder Fortaleza e do vice-líder CSA para encostar no topo da tabela. O Esmeraldino venceu o clássico contra o Atlético-GO pela 27ª rodada do Campeonato Brasileiro Série B, neste sábado, no estádio Olímpico. Michael e Lucão, que assumiu a artilharia da segunda divisão com 12 gols, marcaram os gols do triunfo de virada. João Paulo abriu o placar para os visitantes.

Com o resultado, a equipe de Ney Franco chega a 45 pontos, assumindo a terceira colocação ao ultrapassar o Dragão – que segue com 43 pontos -, e fica a dois pontos do Fortaleza.

O próximo jogo do Goiás será contra a Ponte Preta, na sexta-feira, às 19h15 (de Brasília), no Olímpico. Já o Atlético-GO recebera o Juventude, na terça-feira, ás 19h15, no estádio Antônio Accioly.

Goiás e Atlético-GO estavam brigando pela terceira colocação da Série B (Foto:Atlético-GO/Divulgação)

O jogo

O time comandado por Ney Franco até tentou começar a partida pressionando, mas a primeira oportunidade de gol foi do Dragão. André Luís tocou para João Paulo, que cruzou na linha de fundo. David Duarte cortou e evitou que Renato Kayser finalizasse cara a cara com o goleiro.

Um minuto depois veio o gol dos visitantes. João Paulo recebeu na intermediária e mandou uma bomba sem chances para o goleiro. A bola bateu na trave e foi para o fundo da meta adversária.

O Goiás deu sua resposta aos 15 minutos com chute de Giovanni de fora da área que foi defendido por Jefferson. O gol de empate veio aos 31. Depois de cruzamento rasteiro para a entrada da área, Michel bateu de pé esquerdo. Após defesa de Marcos, o próprio atacante pegou o rebote e só empurrou para o fundo do gol.

O Esmeraldino voltou bem do intervalo e conseguiu a virada aos seis da segunda etapa. Mchael recebe a bola e tenta tocar para Tiago Luís. A defesa do Dragão não conseguiu afastar e Lucão marcou.

A resposta do Atlético-GO veio aos 12 minutos. João Paulo tabelou com André Luís e finalizou para fora. Já aos 18, Tomas Bastos arrematou de longe e Marcos fez a defesa.

A partida ficou bastante aguerrida e com poucas chances de gol na reta final, mesmo com o time de Claudio Tencati tentando buscar o empate e com os mandantes se aproveitando dos espaços no contra-ataque.

FICHA TÉCNICA
GOIÁS 2 x 1 ATLÉTICO-GO

Local: Estádio Olímpico Pedro Ludovico, em Goiânia (Goiás)
Data: 15 de setembro de 2018, sábado
Horário: 19h (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Michael Correia (RJ) e Silbert Faria Sisiquim (RJ)
Público: 12,652 pessoas presentes
Renda: R$ 209.085,00
Cartões amarelos: Lucão (Goiás) Victor Oliveira (Atlético-GO)
Cartão vermelho: não teve
GOLS:
ATLÉTICO-GO: João Paulo, aos seis do primeiro tempo
GOIÁS: Michael, aos 31 da primeira etapa, e Lucão, aos seis do segundo tempo

GOIÁS: Marcos; Alex Silva, David Duarte, Victor Ramos e Ernandes; Gilberto, Giovanni e Renato Cajá (Ratinho); Michael (Robinho), Lucão e Tiago Luís (Maranhão)
Técnico: Ney Franco

ATLÉTICO-GO: Jefferson; Jonathan, Oliveira, Gilvan e Victor Oliveira (Mascarenhas); Pedro Bambu, Tomas Bastos (Vitinho) e João Paulo; Júlio César (Thiago Santos), Renato Kayzer e André Luís
Técnico: Claudio Tencati

 

Vitória contra CRB tira Brasil de Pelotas da zona de rebaixamento (Foto: Carlos Insaurriaga/Divulgação)

Brasil de Pelotas vence CRB

O Brasil de Pelotas enfim respirou na Série B do Campeonato Brasileiro durante a tarde deste sábado (15). No Estádio Bento de Freitas, em uma partida com raras chegadas consistentes ao campo de ataque, a equipe mandante conseguiu vencer o CRB por 1 a 0.

Com 31 pontos ganhos, o Brasil de Pelotas deixa a zona de rebaixamento à Série C e sobe para a 15ª colocação. O CRB, por sua vez, permanece com os mesmos 29 pontos e, superado pelo adversário gaúcho, passa a ocupar a 17ª posição, a primeira entre os degolados.

Pela 28ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro, às 20h30 (de Brasília) desta sexta-feira, o CRB volta a campo para enfrentar o Coritiba, no Estádio Rei Pelé. O Brasil de Pelotas, por sua vez, pega o Oeste às 16h30 de sábado, novamente no Bento de Freitas.

O primeiro tempo do confronto disputado na tarde deste sábado foi de poucas emoções no Rio Grande do Sul. Com dificuldades na criação, Brasil de Pelotas e CRB praticamente não conseguiram criar oportunidades para inaugurar o marcador na etapa inicial.

Apoiado em bom número por sua torcida, o Brasil de Pelotas chegou com algum perigo na metade do segundo tempo. Em jogada pela direita, Wellinton Júnior avançou e cruzou rasteiro. Michel acelerou pelo meio para completar, mas o zagueiro Anderson Conceição conseguiu desviar pela linha de fundo.

O time da casa buscou mais o jogo e finalmente inaugurou o marcador oito minutos antes do final do tempo regulamentar. Em cobrança de falta pela esquerda, Alex Ruan levantou na área. Após bate-rebate dentro da área, a bola tocou em Michel e terminou nas redes.

FICHA TÉCNICA
BRASIL DE PELOTAS 1 x 0 CRB

Local: Estádio Bento Freitas, Pelotas (RS)
Data: 15 de setembro de 2018 (sábado)
Horário: 16h30 (de Brasília)
Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS)
Assistentes: Eduardo Goncalves da Cruz (MS) e Daiane Caroline Muniz dos Santos (MS)
Cartões amarelos: Nirley e Leandro Leite (BRP); Anderson Conceição, Paulinho, Willians Santana, Elias, Neto Baiano e Diego Rosa (CRB)
Gol:
BRASIL DE PELOTAS: Michel, aos 37 minutos do 2º Tempo

BRASIL DE PELOTAS: Marcelo Pitol; Leandro Camilo, Nirley, Rafael Dumas e Tiago Cametá (Michel Schmoller); Leandro Leite, Itaqui, Alex Ruan, Pereira (Wallace Pernambucano) e Lourency (Wellinton Júnior); Michel
Técnico: Rogério Zimmermann

CRB: João Carlos; Edson Ratinho, Anderson Conceição, Everton Sena e Paulinho; Claudinei, Luiz Otávio, Renan Oliveira (Rafael Costa) e Iago (Diego Rosa); Neto Baiano e Willians Santana (Elias)
Técnico: Doriva

Em jogo quente e de cinco gols, Criciúma bate Avaí no clássico

Criciúma e Avaí protagonizaram uma partida movimentada na tarde deste sábado, no Heriberto Hulse, pela 27ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Melhor para o Tigre, que venceu por 3 a 2, e engatou a terceira vitória consecutiva na competição. O Leão, por sua vez, com o revés, ficará fora do G4 no fim de semana.

No primeiro tempo, o Criciúma foi eficiente, e conseguiu abrir 2 a 0, com Sandro e Elvis. Na etapa complementar, o Avaí conseguiu empatar em menos de dez minutos. Os tentos foram anotados por Rômulo e Daniel Amorim. No entanto, o Tigre conseguiu o desempate na reta final do confronto com Andrew.

Com o resultado, a equipe da casa conseguiu a terceira vitória consecutiva, chegou aos 35 pontos e se afasta cada vez mais da zona de rebaixamento. Os comandados de Geninho, não estarão entre os quatro primeiros ao final desta rodada, o time fechará na sexta colocação, com 42 pontos ganhos, e conheceu a segunda derrota seguida.

Na próxima rodada, o Tigre enfrenta o Paysandu, no próximo sábado às 16h30 (horário de Brasília), no Estádio Curuzu. Já o time de Geninho recebe o Sampaio Corrêa, na mesma data, no Estádio Ressacada.

Tigre bateu o rival Avaí no Heriberto Hulse (Foto: Reprodução/TV)

Criciúma é letal e sai em vantagem

Nos primeiros minutos, o jogo foi muito pegado. A primeira jogada de perigo foi dos donos da casa aos sete minutos. Marlon cobrou falta de muito longe, mas a bola foi direto para fora do gol defendido por Aranha.

Aos poucos, o Avaí foi impondo seu ritmo de jogo e tentava pressionar o rival. Aos 13 minutos, Capa cruzou rasteiro, mas a zaga cortou, já na entrada da pequena área. No entanto, quem inaugurou o placar foi o Criciúma aos 25 minutos. Elvis cobrou falta e o zagueiro Sandro marcou no Heriberto Hulse.

A partir daí, o time comandado por Geninho tentou sair para o jogo, mas não conseguia pressionar muito. Em belo contra-ataque, o Tigre chegou ao segundo gol. Vitor Feijão arrancou e serviu Elvis, o camisa 10 não bobeou e guardou, 2 a 0 no placar.

Precisando do resultado, os visitantes quase diminuíram. Rômulo ganhou de cabeça do zagueiro Sueliton e testou com perigo. Foi o último lance do primeiro tempo, que acabou com a vitória parcial dos donos da casa.

Avaí otém empate, mas perde o jogo

Mal começou a etapa complementar, e o Avaí conseguiu descontar. Rômulo recebeu na entrada da área e de chapa venceu Luiz, recolocando a equipe na partida. Rapidamente, o Tigre respondeu com Elvis em cobrança de escanteio direto para o gol. A bola bateu na trave.

A partida de fato, estava emocionante. Aos sete minutos, a equipe comandada por Geninho conseguiu o empate. Guga cruzou na segunda trave, e Daniel Amorim testou firme no canto, deixando tudo igual.

Os gols do rival acordaram o Criciúma. O desempate quase veio após Elvis levantando para a área, e Liel cabeceou com perigo, a redonda foi para fora. A partida ainda continuava movimentada, qualquer uma das equipes poderia vencer o confronto e sair com os três pontos.

O Tigre seguia persistente e conseguiu o terceiro gol aos 37 minutos. Em bola alçada para a área, Sandro parou em Aranha, mas no rebote, Andrew marcou e desempatou a partida. O Leão pressionou na reta final, mas o goleiro Luiz evitou o empate.

Com o clima quente dentro do campo,os jogadores acabaram perdendo a cabeça no final. Marlon recebeu o cartão vermelho após dar tchau para a torcida do Avaí. Maurino, respondeu colocando a mão no adversário e também foi para o chuveiro antes do apito final, que acabou com vitória do Tigre por 3 a 2.

FICHA TÉCNICA
CRICIÚMA 3 X 2 AVAÍ

Local: Estádio Heriberto Hulse, em Criciúma (SC)
Data: 15 de setembro de 2018, sábado
Horário: 16h30 (horário de Brasília)
Árbitro: Péricles Bassols Pegado Cortez (PE)
Assistentes: Clóvis Amaral da Silva e Cleberson do Nascimento Leite (PE)
Público: 5.399
Renda: 
R$ 95.010,00
Cartões amarelos: 
Sueliton, Elvis e Liel (Criciúma); Betão e Guga (Avaí)
Cartão vermelho: 
Marlon (Criciúma) e Maurinho (Avaí)
Gols: 
CRICIÚMA: Sandro aos 25, Elvis aos 32 minutos do primeiro tempo e Andrew aos 37 do segundo tempo.
AVAÍ: Rômulo aos dois e Daniel Amorim aos sete minutos do segundo tempo

CRICIÚMA: Luiz; Nino, Sandro, Fábio Ferreira (Luiz Fernando) e Sueliton; Liel, Marlon Freitas (Andrew), Elvis e Marlon; Vitor Feijão e Zé Carlos (Joanderson).
Técnico: Mazola Júnior

AVAÍ: Aranha; Airton, Marquinhos Silva (Gabriel Lima), Betão e Guga; Judson, Renato, André Moritz (Maurinho) e Capa; Daniel Amorim (Luanzinho) e Rômulo.
Técnico: Geninho

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual