Conecte-se Conosco

PARÁ

No Pará, 500 mil famílias têm perfil para obter a tarifa social de energia: saiba como fazer

Levantamento da Equatorial aponta problemas em 34 mil solicitações rejeitadas: dessas, 12 mil estavam com o Número de Identificação Social (NIS) desatualizado

Foto: Divulgação / Fonte: O Liberal

Publicado

em

No Pará, quase 500 mil famílias têm o perfil para participar do programa Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE), que concede descontos que podem chegar a até 65% na tarifa de energia elétrica, mas elas ainda não estão cadastradas, aponta a Equatorial Pará.

“No entanto, várias solicitações estão sendo indeferidas, pois os clientes não atendem aos critérios do programa”, diz a empresa, após levantamento que aponta mais de 34 mil solicitações foram rejeitadas. Dessas 12 mil estão com o Número de Identificação Social (NIS) desatualizado, sendo este o principal motivo para o indeferimento dos pedidos de cadastro.

“A partir do pedido, a distribuidora faz a confirmação das informações do cliente no banco de dados do Governo Federal, por meio da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social. Caso o NIS esteja desatualizado, o benefício é negado e o cliente é orientado a procurar um dos Centros de Referência de Assistência Social (CRAS) para atualizar o cadastro e depois solicitar novamente a inscrição”, diz o gerente de relacionamento com o cliente da Equatorial Pará, Haroldo Nobre. 

Nobre lembra que, para quem possui o NIS, é obrigatório fazer o recadastramento junto às Prefeituras Municipais a cada dois anos, para que o benefício não seja cancelado. 

Segundo Equatorial, outro fator de desaprovação nos cadastros é a renda, que deve ser de meio salário mínimo por pessoa. “É muito importante que o consumidor atualize seu cadastro sempre que houver alguma mudança, como composição da família ou renda mensal, para evitar a perda do benefício. Lembrando que a renda exigida pelo Governo é de meio salário mínimo por pessoa da família”, esclarece Haroldo Nobre.

“Várias solicitações estão sendo indeferidas, pois os clientes não atendem aos critérios do programa. É muito importante que o consumidor atualize seu cadastro sempre que houver alguma mudança, como composição da família ou renda mensal, para evitar a perda do benefício. Lembrando que a renda exigida pelo Governo é de meio salário mínimo por pessoa da família”, esclarece Haroldo Nobre, gerente de relacionamento com o cliente da Equatorial Pará

Onde e como fazer o cadastro


– A Equatorial Energia Pará disponibiliza o cadastro na Tarifa Social por meio do site da Equatorial;
– Pelo WhatsApp, onde o cliente pode entrar em contato pelo número (91) 3217 8200 e fazer o cadastro de forma rápida e prática com a atendente virtual Clara;
– Pela Central de Atendimento, no 0800 091 0196.

O que é necessário e quem pode ter a Tarifa Social

– Ser inscrito no CadÚnico (que concede o número do NIS) com renda familiar de até meio salário mínimo por pessoa (R$ 522,50);

– Ser idoso ou deficiente que recebe o Benefício da Prestação Continuada (BPC) com renda mensal por pessoa, inferior a um quarto do salário mínimo (R$ 261,25);

– Famílias inscritas no CadÚnico que tenha portador de doença que necessite de aparelhos ligados à energia elétrica de forma continuada, com renda mensal de até 3 (três) salários mínimos;

– Famílias indígenas e quilombolas inscritas no Cadastro Único com renda menor ou igual a meio salário mínimo por pessoa da família ou que possuam, entre seus moradores, algum beneficiário do BPC.

Para informações sobre o NIS 

– Para fazer o cadastro na Tarifa Social, é importante que o NIS esteja ativo;
– Para saber se o cadastro ainda está ativo, o cliente pode ligar para a Central de relacionamento da Secretaria Especial do Desenvolvimento Social do Ministério da Cidadania, no 0800 707 2003;
– Outra alternativa é consultar a validade do NIS pelo aplicativo para smartphones, Meu CadÚnico, disponível para Android e IOS.

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital