Conecte-se Conosco

Cidade

Nova etapa de A PROVÍNCIA DO PARÁ é apresentada na igreja CEIA

Publicado

em

Pastor Presidente da Igreja CEIA Jedilson Rodrigues e esposa Pastora Rute Rodrigues / Foto: Reprodução

O pastor presidente Jedilson Rodrigues apresentou o primeiro número desta nova etapa do jornal A Província do Pará, com 142 anos. Foi fundada em 25 de março de 1876, por Antônio Lemos. Em 1947, ressurgiu pelas mãos de Assis Chateaubriand, fundador dos Diários e Emissoras Associados. Hoje, em tempos desafiadores, A PROVÍNCIA DO PARÁ está novamente ressurgindo das cinzas por mim Carlos Santos, e minha amada esposa, Aline Santos. Todos sabem que comecei a vida como camelô, vendendo limão na mão, e, depois, discos até inaugurar em 13 de agosto de 1971, nossa primeira lojinha, a Discolux, com apenas 90 centímetros de largura e 3 metros de fundos. Na verdade, um pé de escada, com o estoque de 8 compactos simples, 33 LPs e os poucos discos que consegui reaver após o “rapa” da prefeitura de Belém ter levado à Central de Polícia, na rua Gaspar Viana com a Praça Dom Macedo Costa.

Agradecemos aos pastores Rute Rodrigues, Dagmar Brito e Miro, bem como todos os membros da igreja CEIA, que nos acolheram com grande amor.
Somos agradecidos a Deus por tudo em nossas vidas!
Toda honra e toda Glória para Nosso Senhor Jesus Cristo.
Com a Rádio Marajoara, a TV Marajoara Digital e agora com A PROVÍNCIA DO PARÁ. Está reabilitado a ser um grupo de comunicação que já foi líder absoluto na capital paraense.

Por: Carlos Santos

Cidade

Morte de Euclides Farias consterna jornalistas paraenses

Publicado

em

O  jornalista Euclides Farias, um dos mais premiados do Jornal Diário do Pará, será sepultado nesta quarta-feira, às 16h,  no Cemitério Parque em Ananindeua. na Grande Belém. O velório está sendo feito na  capela do Recanto da Saudade, na rua Diogo Móia, 1268, Umarizal.  Euclides, de 59 anos, lutava contra a leucemia e não resistiu.

Euclides  tinha 40 anos de profissão e adorava fotografar,  pescar. Era apaixonado pelo jornalismo, tendo trabalhado no jornais Marco Zero, de Macapá (AP), O Liberal, A Província do Pará, Agência Nacional dos Diários Associados (Anda), Rádio Cultura do Pará, Jornal da Tarde (SP), Folha de S. Paulo, e ultimamente era editor da coluna Repórter Diário, no Diário do Pará.

Sua competência profissional foi duplamente reconhecida no ano passado, como “Comunicador do Ano”, no I Prêmio Simineral de Comunicação, e “Personalidade de Comunicação”, na quinta edição do Prêmio Sistema Fiepa de Jornalismo. Dividimos a mesa na festa e nos últimos dias conversamos bastante, ele estava esperançoso com o tratamento a que se submetia. 

Torcedor do Paysandu e do Botafogo,  Euclides Farias deixa saudades e legado na redação do Diário do Pará. Segundo o Diretor de Redação do Diário, Clayton Matos, foi uma honra ter Euclides no quadro jornalístico da empresa. “O Euclides foi, por muitos anos e até o dia de hoje, o titular da principal coluna do Diário: o Repórter Diário. Ele nos consagrou com muitos furos, em várias ocasiões assuntos que renderam manchetes do jornal tamanha a importância daquilo que ele estava bancando. Foi um prazer enorme trabalhar com ele, colaborar com algumas sugestões como fazíamos diariamente, logo cedo, nos debruçando sobre os Diários Oficiais, ou checando alguma denúncia que renderia uma boa nota. Ele valorizou muito bem esse espaço. Vai fazer muita falta. Mas seus ensinamentos, conselhos e o jeito de como fazer uma apuração certeira compõem o legado que ele nos deixou. Foi uma honra tê-lo conosco”, diz Matos.

 No ano passado, além do  Prêmio Sistema Fiepa de Jornalismo, foi também premiado pelo  Sindicato das Indústrias Minerais do Estado do Pará (Simineral), como “Comunicador do Ano”.

O jornalista Gerson Nogueira, amigo de longas datas de Euclides Farias,  escreveu  na sua página no FB: “Duas perdas terríveis para um dia só.
Euclides Farias, amigo de tantas batalhas jornalísticas, companheiro de luta diária por informação no Diário nos últimos anos, um botafoguense de estirpe.
E Ulisses Manaças, grande e sereno líder da luta pelos excluídos do campo, figura ímpar nessa cruzada heroica do MST num dos Estados mais perversos e concentradores de renda da federação.
À sua maneira, ambos farão muita falta. E nós, devastados, choramos suas partidas. A vida (e a morte) nem sempre tem explicações para tudo”.

Os colaboradores do Diário Online, Diário do Pará e todo o Grupo RBA que conviviam diariamente com Euclides Farias, lamentaram o ocorrido e se solidarizam com a família enlutada.

JORNALISTAS LAMENTAM

Todos os profissionais de comunicação do Pará foram pegos de surpresa, nesta terça-feira 14,  com o anúncio da morte do jornalistas Euclides Farias, uma das maiores expressões do jornalismo paraense dos últimos anos. Ele  estava internado há duas semana para tratar de uma leucemia e teria morrido de hemorragia pulmonar.  Dizia-se que era seu caso de saúde era grave, mas Euclides estava reagindo bem. Ainda no Dia dos Pais postou uma foto com o filho Danilo e parecia bem encorajado. A jornalista Marta Brasil, mãe de Danilo, se disse destroçada com a notícia:

– Destroçada com a partida brusca do Euclides Farias de Almeida, jornalista dos mais respeitados dessa cidade e que fazia tratamento contra leucemia no hospital Amazônia. Ele me deu o que tenho de melhor e mais sagrado: nosso filho Danilo Almeida. Foi o melhor pai que alguém podia ter, o mais generoso, alegre, brincalhão, preocupado com o futuro do nosso “neneco”. Que parta com muita luz e serenidade, querido.

 

O Sindicato dos Jornalista do Pará, publicou nota de pesar:

 

NOTA DE PESAR

O Sindicato dos Jornalistas do Estado do Pará (Sinjor-PA) comunica, com pesar, o falecimento, na tarde de hoje (14), do jornalista Euclides Farias.
Euclides, há duas semanas, foi internado em hospital de Belém para iniciar tratamento quimioterápico após ter o diagnóstico de leucemia confirmado.
Macapaense, próximo de completar 60 anos, o jornalista estava prestes a lançar livro de crônicas, trabalhando ainda no jornal Diário do Pará.
O Sinjor-PA se une a amigos e familiares nesse momento, desejando que a paz esteja com todos e ilumine os seus corações.

Amigo de longas datas de Euclides Farias, o chefe da comunicação do governo do Estado, Nélio Palheta, escreveu no Facebook:

– Com grande pesar, registro o falecimento, na tarde desta terça-feira, 14, do amigo Euclides Farias. O jornalista estava internado, há duas semanas, no hospital Amazônia para tratar de uma leucemia. Natural de Macapá, em novembro ele completaria 60 anos de idade.
Refinado cronista, Euclides atuou no Jornal O Liberal e integrava a redação do Jornal Diário do Pará. Entre 2003 a 2006, participou da equipe pioneira da Secretaria de Comubicacão, então Coordenadoria de  Comunicacão Social, atuando como Assessor de Imprensa do governador Simão Jatene.

O escritor e jornalista Edyr Augusto Proença  também no FB: “Muito triste com a partida do Euclides. É tão injusto!”

Rita Soares idem:

– Um dia dos mais tristes. O Euclides Farias nos deixou. Estava tão otimista com o tratamento, mas não resistiu. O corpo será velado no Recanto da Saudade. Euclides deixou a mulher Dani e três filhos: Danilo, Isabela e Gabriela.

Para Ana Maria Delgado, “perdemos pro tempo mais um amigo, o jornalista Euclides Farias. Grande profissional, homem do bem. Parece que tinha alguma coisa na esfera da espiritualidade que não alcançamos. Ele nos presenteando com as suas crônicas, fotografias… histórias que nos faziam rir. Respondia todos os comentários feitos aqui, por mais simples que fossem. É, pescador! Iremos sim, olhar pro horizonte e captar as mais belas imagens. Não largarei a senha do livro. Um abraço pra família, a esposa que nos mantinha informados, Danilo…meu abraço! Triste!

Tito Barata,  atualmente apresentador do programa “Papo no Tucupi”, no Youtube,   foi na mesma linha, claro, planteando o amigo.

– Perdi um grande amigo, o jornalista Euclides Farias. Nos últimos anos ele redigia a principal coluna do jornal “Diário do Pará. Estivemos juntos nos programas Sem Censura e Fogo Cruzado, da TV Cultura do Pará, nos anos 1990.

Trabalhou em vários jornais, inclusive no extinto Jornal da Tarde, do grupo Estadão, em São Paulo, e no governo do Pará como assessor de imprensa

Tinha 40 anos de profissão sem nunca perder a ética, por isso sempre foi respeitado pelos colegas, companheiros de trabalho, e até por políticos das facções contrárias. Tinha fontes em todos os temas.

Se orgulhava de ter sido aluno do poeta Ruy Barata no curso de Letras e Artes da Universidade Federal do Pará. “Aprendi muito com o Ruy”, dizia ele entusiasmado.

Estava organizando um livro com as crônicas que escreveu ao longo do tempo. Crônicas cheias de vida, personagens marcantes e o bom humor, característica que preservava na boa conversa com os amigos.

No ano passado, junto com alguns poetas, escritores e jornalistas, criamos a “Confraria da Palavra”, cujo único objetivo era sacudir e incentivar a literatura que se produz no Pará.

Tínhamos um grupo no whatsapp e vez por outra reuníamos ao vivo na Confraria do Fraga.

Pena que não teve tempo de frequentar o Bar do Parque reinaugurado, do qual era um grande entusiasta. Mas testou uma das novas cadeiras, antes da inauguração, com o poeta Antonio Juraci Siqueira.

Um minuto de silêncio ao querido amigo Euclides, torcedor fiel do Botafogo. Depois, um brinde ao som de Noel, compositor que admirava e ouvia sem cessar.

Siga em paz e caminhe pelo universo com outras pautas e novos desafios.

Sérgio Chene  disse- “Não convivi muito com o Euclides Farias, mas sempre trocávamos informações, contudo foi na dinâmica dos bastidores da política, do jornalismo e de muitos outros setores, que fez dele uma referência importante na minha formação profissional, sobretudo na minha atuação como assessor de comunicação e/ou de imprensa.

Herberrast Marcus Amoras disse:

Ambos de minha geração e com quem tive a honra e orgulho de conviver durante anos, tanto profissionalmente quanto na militância política.

Fica essa terrível sensação de perda; o nó na garganta. Fica também a coragem e dignidade com que enfrentaram a terrível doença que os levou.

Ulisses Manaças, presente companheiro!
Euclides Farias, presente camarada!

E Ana Lúcia Prado: “Duas lágrimas nesta noite estranha. Meu querido Euclides Farias foi encantar o céu com suas crônicas. Ulisses Manaças, liderança fundamental no MST, também se encantou.
A luta continua, companheiro. Voem, meninos! A vida aqui embaixo vai ficar menor”.

Na foto abaixo, Euclides com o filho Danilo, no Dia dos Pais. Nélio Palheta acredita que esta tenha sido a sua derradeira foto.

Sobre velório e sepultamento, ainda não havia informações.

Continue lendo

Cidade

Show não pode parar. Dia 25, a nova edição de A Província

Publicado

em

Uma convergência de fatores positivos contribuiu para o êxito absoluto do relançamento do jornal A PROVÍNCIA DO PARÁ, impresso, a partir do sábado 11, e da versão online, que foi lançada no dia 6 passado. Em primeiro lugar, destaca-se  o simbolismo que o jornal carrega, que prima pela imparcialidade e pela pluralidade em seu noticiário. O novo proprietário do título, o empresário Carlos Santos e sua mulher Aline Santos garante que nunca se afastará dessa linha editorial, até porque os outros veículos já tomaram suas posição a favor de A ou B e contra B ou A. Outro favor fundamental foi é a busca do melhor conteúdo para oferecer aos leitores. O professor Santos, da Universidade Federal do Pará, ligou para a redação e não conteve a sua emoção. “Ficou muito feliz com esse retorno de A Província. Belém, há muito, se ressentia de um jornal imparcial., que tenha lá suas preferências mas não as imponha a seus leitores; que dê opção de leitura e de escolha”, assinalou, fazendo questão de observar que não é da mesma família de Carlos Santos.

Passados 16 ano da última vez que A PROVÍNCIA DO PARÁ havia circulação, em 2002, os antigos leitores procuram pelas sessão que costumavam ler. Mas, na medida do possível, restaurando uma a uma, embora isso só seja possível simbolicamnte, pois a maioria dos companheiro que manteve viva a chamada do bom jornalismo na empresas nos últimos 40 anos, praticamente já morreram todos. Mas o bom é que deixaram exemplo e que são imitados pelas novas gerações. Este show não pode parar!

Continue lendo

Cidade

Hospital de Marabá comemora o Dia dos Pais

Publicado

em

O Dia dos Pais, domingo (12), foi comemorado no Hospital Municipal de Marabá (HMM) com ações de atenção à humanização do atendimento hospitalar, para pacientes e servidores daquela unidade, oferecendo-lhes lanche e uma lembrancinha.

Segundo a diretora administrativa do HMM, Eliana Moreira Brito, a comemoração contou com música ao vivo, por meio do Ministério de Louvor da Igreja Adventista. O quarteto cantou durante o lanche, no refeitório daquele hospital. O espaço foi devidamente decorado para a ocasião.

Foram oferecidas cerca de 300 lembranças personalizadas com o nome do hospital, sendo 200 canecas, destinadas em parte aos servidores e 100 canetas, direcionadas para os pacientes que, devido à saúde debilitada, receberam o lanche e brindes nos próprios leitos.

Continue lendo

Destaques