Conecte-se Conosco

ESPORTES

Palmeiras quebra tabu, vence Furacão e se aproxima do líder

Publicado

em

O Palmeiras luta pelo título do Campeonato Brasileiro. Nesta quarta-feira, o Verdão recebeu o Atlético-PR no Allianz Parque e venceu por 2 a 0, triunfo que o aproximou do líder do São Paulo e de quebra ainda derrubou a invencibilidade de nove jogos do Furacão. Willian marcou o primeiro e Moisés, de pênalti, ainda encerrou uma série de cinco penalidades consecutivas desperdiçadas.

O início de jogo foi melhor para o Atlético-PR. Se aproveitando da dificuldade na saída de bola palestina, o Furacão controlou o ímpeto dos mandantes e teve a primeira grande oportunidade, aos 23 minutos, quando o Rubro-Negro achou espaço nas costas de Victor Luis, Marcinho cruzou para a área, e Nikão, sozinho, mandou para fora.

Na noite fria paulistana, com os termômetros marcando 13 graus, o primeiro tempo não chegou a ser morno. A maior vibração das arquibancadas veio com os anúncios de gols do Ceará na derrota, então parcial, do rival Corinthians.

Repetindo a dupla de volantes que escalou contra a Chapecoense, Felipão montou o meio-campo do Palmeiras com Thiago Santos, Felipe Melo e Moisés. Apesar de seguro defensivamente, o setor teve muitos problemas na criação. Com o camisa 5 fixo na marcação, coube ao Pitbull auxiliar Moisés na armação, mas ele teve dificuldades claras em cumprir o papel, inclusive em termos de posicionamento.

Para a etapa final, então, Felipão não teve dúvidas: sacou Thiago Santos, recuou Felipe Melo para sua posição habitual e colocou Bruno Henrique em campo. A alteração mudou a postura da equipe de Luiz Felipe Scolari, e o anúncio de um gol do Atlético-MG contra o São Paulo fez explodir as arquibancadas do Allianz Parque.

Em campo, os atletas, sabendo de que precisavam de apenas um gol para ficar a três pontos do líder do Campeonato Brasileiro, se lançaram ao ataque. Bem ao estilo Felipão, o Alviverde conseguiu abafar o adversário sem sofrer grandes sustos na defesa. Aos poucos, o gol do Maior Campeão do Brasil foi amadurecendo.

Com 19 jogados da etapa final, Felipão colocou Deyverson na vaga de Borja e o Palmeiras ganhou o jogo. O centroavante já entrou em campo alucinado, como de costume, e perseguindo os adversários com a bola. Em uma das pressões do camisa 16, o goleiro Santos quase chutou em cima do palmeirense.

E com seis minutos em campo, Deyverson recebeu lindo passe de Dudu, que teve nova atuação espetacular, e deu ótima enfiada para Willian ficar na cara do gol. Na velocidade, o atacante não foi alcançado por Jonathan e tocou na saída de Santos para balançar as redes e anotar o primeiro gol do jogo.

Até o apito final, o Palmeiras apenas administrou o resultado, mas com direito a demonstrações de categoria. Felipe Melo, pelo segundo jogo consecutivo, aplicou chapéu no adversário, e Dudu também fez drible de efeito sobre os atleticanos.

No minuto final, ainda houve tempo para o Palmeiras quebrar o tabu de pênaltis desperdiçados. Bruno Henrique ganhou dividida e a bola sobrou para Willian, que foi derrubado na área pelo goleiro Santos. Na cobrança, Moisés mandou para as redes e encerrou a sequência de cinco pênaltis consecutivos desperdiçados.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 2 X 0 ATLÉTICO-PR

Local: Estádio Allianz Parque, em São Paulo (SP)
Data: 05 de setembro de 2018, quarta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Marcelo de Lima Henrique (RJ)
Assistentes: Michael Correia e Silbert (RJ) Faria Sisquim (RJ)
Público: 24.601 torcedores
Renda: R$1.263.083,14

Cartões amarelos: Dudu (PALMEIRAS); Renan Lodi, Santos e Wellington (ATLÉTICO-PR)

GOLS
PALMEIRAS: Willian, aos 25, e Moisés, aos 49 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Fernando Prass; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Victor Luis; Thiago Santos (Bruno Henrique), Felipe Melo e Moisés; Willian, Dudu (Jean) e Borja (Deyverson)
Técnico: Luiz Felipe Scolari

ATLÉTICO-PR: Santos; Jonathan (Rony), Zé Ivaldo, Léo Pereira e Renan Lodi (Márcio Azevedo); Wellington, Lucho González e Bruno Nazário (Guilherme); Nikão, Marcinho e Pablo.
Técnico: Tiago Nunes

Paraná, em casa, cede  empate à Chapecoense

No duelo entre dois times desesperados com a situação na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o Paraná Clube cedeu no final da partida o empate em 1 a 1 com a Chapecoense por 1 a 0, na Vila Capanema. Com o resultado, a equipe paranaense segue na lanterna, agora com 16 pontos. Já a Chape, com 22 pontos, é a 19ª colocada.

Depois de um começo de jogo nervoso, com muitos erros, o Tricolor abriu o placar, aos 38 minutos, com Rafael Grampola desviando, aproveitando cobrança de escanteio. No segundo tempo, aos 41 minutos, Diego Torres deixou tudo igual.

Na próxima rodada, o Paraná Clube enfrenta o Santos, domingo, na Vila Capanema, em Curitiba. Já a Chapecoense encara o Flamengo, sábado, no Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro.

O jogo – A partida começou equilibrada, coma as equipes se estudando. Aos três minutos, a equipe catarinense criou a primeira oportunidade, com Doffo recebendo cruzamento e batendo de canela, fraco, pela linha de fundo. O tricolor respondeu aos cinco minutos, com Nadson cruzando e, na sobra de bola, Caio Henrique batendo para fora, sem grande perigo.

O time da casa se mostrava muito nervoso, com muitos passes errados. Aos 14 minutos, Bruno Silva recebeu de Doffo e bateu cruzado, mas ninguém apareceu para completar no meio da área. Um minuto depois, o próprio Doffo resolveu soltar o pé, de longe, isolando a bola. Mais Chape no ataque, aos 20 minutos, com Canteros levantando na medida para Elicarlos, que testou para fora.

Com dificuldade para criar, o Paraná não tinha muitas alternativas e, aos 27 minutos, Alex Santana, sem ter com quem trabalhar, chutou de muito longe, sem direção. Jogada individua de Victor Andrade, aos 32 minutos, terminando em arremate para boa defesa de Richard, em dois empo. O troco veio em cabeçada de Rayan, aso 35 minutos, para Eduardo tirar em cima da linha. Pressão paranista, até que, aos 38 minutos, Vilela desviou cobrança de escanteio e Rafael Grampola apareceu para completar e abrir o placar.

Para a etapa final, a Chapecoense voltou com Marquinhos no lugar de Victor Andrade, que sofreu uma luxação no ombro. O jogo ficou mais truncado, mas com as duas equipes mostrando muita vontade em campo. Aos nove minutos, Igor recebeu bom lançamento pela esquerda e mandou um petardo para Jandrei fazer grande defesa.

O técnico Claudinei Oliveira colocou em campo Deivid para fazer sua estreia. Em seu primeiro lance, o jogador serviu Caio Henrique, que completou por cima da meta. A Chape responde, com Marquinhos, que recebeu de Eduardo e tocou na saída de Richard, que se recuperou e ficou com a bola.

O Tricolor chegou a balançar as redes novamente, com Grampola, mas o árbitro anulou o lance para anotar impedimento. O Paraná administrava bem o resultado, e melhorou a posse de bola no meio-campo após a entrada de Maicosuel. Aos 41 minutos, Diego Torres cobrou falta na entrada da área e deixou tudo igual. Os cerca de 3 mil torcedores presentes mais uma vez saíram desolados da Vila.

PARANÁ 1 X 1 CHAPECOENSE

Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba (PR)
Data: 05 de setembro de 2018, quarta-feira
Horário: 21 horas (de Brasília)
Árbitro: Bruno Arleu de Araujo (RJ)
Assistentes: Luiz Claudio Regazone (RJ) e Carlos Henrique Cardoso de Souza (RJ)
Cartões amarelos : Rayan e Leandro Vilela (Paraná); Bruno Silva, Elicarlos (Chapecoense)

Gols
PARANÁ: Rafael Grampola, aos 38 minutos do primeiro tempo
CHAPECOENSE: Diego Torres, aos 41 minutos do segundo tempo

PARANÁ: Richard; Junior, Rayan, René Santos (Jesiel) e Igor; Leandro Vilela, Alex Santana, Caio Henrique e Nadson (Maicosuel); Carlos (Deivid) e Rafael Grampola
Técnico: Claudinei Oliveira

CHAPECOENSE: Jandrei; Edaurdo, Thyere, Nery Bareiro e Roberto; Elicarlos, Márcio Araújo (Diego Torres), Canteros e Doffo (Capixaba); Victor Andrade (Marquinhos)e Bruno Silva.
Técnico: Guto Ferreira

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual