Conecte-se Conosco

ESPORTES

Mesmo com Felipe Melo expulso, Palmeiras avança na Libertadores e pega Colo Colo

Foto: Getty Images

Publicado

em

Palmeiras está nas quartas de final da Libertadores.

Com sustos, mas está…

Nesta quinta-feira, o time comandado por Luiz Felipe Scolari perdeu para o Cerro Porteño, do Paraguai, por 1 a 0, no Allianz Parque, mas passou por 2 a 1 no placar agregado, já que havia vencido em Assunção pelo placar de 2 a 0.

O resultado pode em boa parte ser explicado pela estapafúrdia expulsão do volante Felipe Melo logo aos 5 minutos de partida, depois do camisa 30 dar uma violenta solada na canela do paraguaio Victor Cáceres.

O lance forçou os donos da casa e jogarem praticamente a partida inteira com um homem a menos, o que animou demais os visitantes, que fizeram o gol da vitória com o lateral Arzamendía, aos 11 do segundo tempo.

Nos acréscimos, Deyverson ainda levou outro cartão vermelho direto e a equipe alviverde terminou com nove atletas em campo. No mesmo lance, o Cerro também teve Marcos Cáceres expulso.

O duelo acabou em muita confusão e tendo 11 minutos de acréscimo.

O placar também fez cair a série de nove jogos consecutivos do Verdão sem levar gols. Antes desta quinta-feira, a última vez que o time havia sido vazado foi em 25 de julho, na derrota por 1 a 0 para o Fluminense, pelo Campeonato Brasileiro.

Foi ainda a primeira derrota de Felipão desde que ele assumiu o clube, no final de julho.

Nas quartas, o Palmeiras encara o Colo Colo, do Chile, que, na última quarta-feira, eliminou o Corinthians da competição em plena Arena de Itaquera.

Será o reencontro da equipe alviverde com dois ex-jogadores de passagens vitoriosas: o meia Jorge Valdivia, campeão do Paulista 2008 e da Copa do Brasil 2012, e o atacante Lucas Barrios, que faturou a Copa do Brasil 2015 e o Brasileiro 2016.

O confronto de ida será no Chile, e a volta está marcada para o Brasil.

Essa é a primeira vez que o Verdão alcança este estágio da Libertadores desde 2009, quando passou pelo Sport nas oitavas. Na fase seguinte, porém, acabo caindo para o Nacional-URU.

O JOGO

A torcida palmeirense teve uma desagradável surpresa logo aos 5 minutos de jogo: em um lance na intermediária, o volante Felipe Melo deu uma solada na canela de Victor Cáceres e levou cartão vermelho do árbitro argentino Germán Delfino.

O fato deixou a partida tensa, e, poucos minutos depois, o atacante Churín, da equipe paraguaia, levou cartão amarelo depois de dar uma trombada proposital no goleiro Weverton.

Com um a menos em campo, o Verdão passou a jogar todo recuado, enquanto os paraguaios tentaram ensaiar uma pressão. Aos 17, Escobar arriscou de longe e Weverton fez a defesa, mas deixou a bola escapar. A zaga palestrina acabou afastando.

A resposta dos donos da casa veio aos 26, quando Diogo Barbosa roubou a bola na defesa, carregou até a meia-lua rival e tocou para Willian. O “Bigode” tentou cruzar rasteiro para Borja, que chegava livre no meio para completar, mas acabou errando.

Três minutos depois, o Palmeiras quase marcou de novo em lance semelhante: dessa vez, Borja fez a roubada, arrancou e serviu Willian, que chutou fraco, facilitando a defesa do goleiro Silva.

Até o final da primeira etapa, os paraguaios criaram ótimas chances de abrir o placar, mas desperdiçaram. A mais clara foi com o atacante Ruíz, que recebeu cruzamento rasteiro na marca do pênalti e mandou para fora, mesmo totalmente livre.

Na sequência, Churín recebeu centrada da esquerda, saltou sem marcação e cabeceou fraco, permitindo a Weverton encaixar a bola e salvar a equipe palestrina.

Na volta do intervalo, um susto enorme: Borja e Rodrigo Rojas chocaram cabeças e o atleta do Cerro levou a pior, ficando caído no chão e precisando deixar o Allianz Parque de ambulância.

A tensão no estádio aumentou ainda mais aos 11, quando o lateral esquerdo Arzamendía tentou cruzamento e surpreendeu Weverton, que falhou e viu a bola morrer no fundo de suas redes, acabando com a série de nove jogos seguidos sem levar gol do Verdão.

Imediatamente, o técnico Luiz Felipe Scolari tentou acalmar seu time e reforçar a defesa, tirando o centroavante Borja e colocando em campo o volante Thiago Santos.

Os paraguaios seguiram pressionando, enquanto os donos da casa arriscavam contra-ataques. Em um deles, aos 22, Willian disparou um torpedo de fora da área e exigiu grande defesa do goleiro Silva, que espalmou para escanteio.

Com os atletas do Verdão exaustos de tanto correrem, Felipão fez mais duas trocas: saíram Willian e Moisés, entraram Deyverson e Jean.

Aos trancos e barrancos, o time segurou o placar até o final (com direito a 11 minutos de acréscimo por causa do atendimento médico a Rodrigo Rojas e expulsões de Deyverson e Marcos Cáceres) e conseguiu se classificar, apesar da derrota.

FICHA TÉCNICA
PALMEIRAS 0 x 1 CERRO PORTEÑO-PAR

Local: Allianz Parque, em São Paulo-SP
Data: 30 de agosto de 2018, quinta-feira
Horário: 21h45 horas (de Brasília)
Público: 33.204 paganes
Renda: R$ 2.913.369,38
Árbitro: Germán Delfino (ARG)
Assistentes: Hernán Maidana e Gabriel Chade (ambos ARG)
Cartões amarelos: Edu Dracena (PAL); Palau, Churín, Novick, Escobar e Jorge Rojas (CER)
Cartões vermelhos: Felipe Melo e Deyverson (PAL); Marcos Cáceres (CER)

GOL
CERRO PORTEÑO: Arzamendía, aos 11 minutos do segundo tempo

PALMEIRAS: Weverton; Mayke, Antônio Carlos, Edu Dracena e Diogo Barbosa; Felipe Melo, Bruno Henrique e Moisés (Jean); Dudu, Willian (Deyverson) e Borja (Thiago Santos) Técnico: Luiz Felipe Scolari

CERRO PORTEÑO: Silva; Raúl Cáceres, Marcos Cáceres, Escobar e Arzamendia; Palau, Victor Cáceres (Haedo Valdéz), Rodrigo Rojas (Novick) e Jorge Rojas (Benítez); Ruíz e Churín Técnico: Fernando Jubero

Fonte: Espn

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual