Conecte-se Conosco

Corrupção

PF PRENDE DEZ DEPUTADOS DO RIO E SECRETÁRIO DE PEZÃO

Publicado

em

Rio de Janeiro – Procuradores da República e agentes da  Polícia Federal estão nas ruas, desde as primeiras horas desta manhã, para cumprir 22 mandados de prisão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). Dez destes mandados são contra deputados estaduais do Rio de Janeiro. Três deles já estão presos. A operação ‘Furna da Onça’ desbarata um esquema de compra de votos com dinheiro de propina e distribuição de cargos cujo início foi no primeiro governo de Sergio Cabral.

A reportagem do jornal O Globo informa que “um ano depois da Operação ‘Cadeia Velha’ , que prendeu o então presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani , e outros dois deputados, novas denúncias de corrupção envolvendo o Parlamento fluminense respaldam agora a Operação ‘Furna da Onça’, que expõe um esquema de compra de votos com dinheiro de propina e distribuição de cargos iniciado no primeiro governo de Sérgio Cabral, em 2007, e mantido até hoje, de acordo com as investigações. Em decisão histórica, cinco desembargadores da 1ª Seção Especializada do TRF-2 assinam os 22 mandados de prisão – o único a não assinar dos seis integrantes estava em licença médica”.

Segundo o jornal, a “operação foi batizada de Furna da Onça em alusão a uma pequena sala, nos fundos do plenário do Palácio Tiradentes, sede da Alerj, onde os deputados se reúnem para conversas reservadas antes e durante as votações”.

A matéria ainda destaca que “em sessão secreta no dia 25, os desembargadores aprovaram por unanimidade as prisões temporárias dos deputados André Corrêa (DEM), Coronel Jairo (Solidariedade), Luiz Martins (PDT), Chiquinho da Mangueira (PSC), Marcelo Simão (PP), Marcos Abrahão (Avante) e Marcos Vinícius Vasconcelos Ferreira, o Neskau (PTB). Também foram aprovadas as prisões preventivas dos deputados Jorge Picciani, Edson Albertassi e Paulo Mello, que já se encontram presos desde novembro do ano passado, por conta da operação anterior – Picciani vai continuar em prisão domiciliar, favorecido por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). O relator dos dois casos, desembargador Abel Gomes, nem sequer precisou ler o voto para ser acompanhado pelos demais colegas”.

Outra reportagem do mesmo jornal aponta ainda que “Affonso Henriques Monnerat Alves da Cruz, atual secretário de Governo de Luiz Fernando Pezão, é um dos alvos da Operação ‘Furna da Onça’, da Polícia Federal, que tem como objetivo cumprir 22 mandados de prisão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2). Dez deles contra deputados estaduais do Rio de Janeiro, sendo que três deles já estão presos. A ação, que aconteceu um ano após a Operação “Cadeia Velha” , que prendeu o então presidente da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Jorge Picciani , e outros dois deputados, xpõe um esquema de compra de votos com dinheiro de propina e distribuição de cargos iniciado no primeiro governo de Sérgio Cabral, em 2007, e mantido até hoje, de acordo com as investigações”.

Corrupção

Temer fica em silêncio durante interrogatório na PF

Publicado

em

Michel Temer e Moreira Franco terão que aguardar decisão sobre Habeas corpus

 Vladimir Platonow / Agência Brasil

Rio de Janeiro- O ex-presidente Michel Temer permaneceu em silêncio durante interrogatório, hoje (22), na Superintendência Regional da Polícia Federal (PF) no Rio de Janeiro, onde está preso desde ontem (21). A informação foi divulgada nesta sexta-feira pela procuradora da República Fabiana Schneider, integrante da força-tarefa da Lava Jato no Rio.

Segundo Fabiana, dos oito presos na operação, apenas o ex-ministro Moreira Franco aceitou falar, negando ter recebido ou oferecido propina. De acordo com a procuradora, Temer apenas informou, por meio de seus advogados, que não iria falar.

Questionada se os fundamentos dos mandados de prisão eram suficientemente sólidos para justificar a prisão de Temer, Moreira e os demais presos, Fabiana disse que sim, por se tratar de membros de uma organização criminosa estável, que vinha ocultando patrimônio e atuando há cerca de 40 anos.

“A força-tarefa do Rio de Janeiro tem sido bastante comedida nos seus pedidos de prisão. Se não houvesse motivos suficientes para prisão preventiva, com toda certeza, nós não faríamos esses pedidos. Nós estamos absolutamente convencidos da necessidade da manutenção da prisão. A gente está falando de uma organização criminosa que assalta o erário há quase 40 anos, em valores muito superiores aos quais estamos acostumados, de R$ 1,8 bilhão, pelo menos”, disse Fabiana.

Segundo a procuradora, uma eventual soltura dos presos, por força de habeas corpus impetrados no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2) poderia atrapalhar as investigações. O TRF2 informou que os pedidos de habeas corpus serão julgados pela 1ª Turma, na próxima quarta-feira (27). “Não é a expectativa que nós temos. Gostaríamos que o nosso pedido continuasse vigente, mas aí é o entendimento de cada magistrado. Pode atrapalhar, tanto que a força-tarefa pediu a prisão”, afirmou Fabiana.

Amigo de Temer diz que decisão do HC na próxima quarta não surpreende

 Vinicius Lisboa

Mariz de Oliveira criticou a prisão de Temer e disse que a decisão se baseia em acusações sobre as quais o ex-presidente não foi ouvido. “Isso é algo absolutamente violento e inusitado”, afirmou.

O advogado disse que não surpreendeu a decisão do desembargador Ivan Athié de adiar a definição sobre o habeas corpus do ex-presidente para quarta-feira (27), quando se reunirá a 1ª Turma Especializada do Tribunal Regional Federal do Rio de Janeiro.

“Não é nada excepcional. Não surpreendeu, nem aborreceu e nem nos tirou a grande esperança de que ele será posto em liberdade”, disse. No mesmo dia, serão decididos os habeas corpus dos demais presos no caso, o que inclui o ex-ministro Moreira Franco.

Segundo o advogado, ele visitou Temer apenas como amigo. Mariz de Oliveira afirmou que a defesa do ex-presidente está a cargo de Eduardo Canelos.

Moreira Franco e Coronel Lima deixam a sede da PF no Rio

Vinicius Lisboa   

Um comboio de carros da Polícia Federal deixou a sede da PF no Rio de Janeiro pouco antes das 16h com o ex-ministro Moreira Franco e o Coronel João Batista Lima Filho. Os dois estavam desde o fim da manhã de hoje (22) na sede da superintendência, onde também está preso o ex-presidente Michel Temer.

Segundo determinação do juiz Marcelo Bretas, Moreira Franco e Coronel Lima cumprem prisão preventiva no Batalhão Especial Prisional da Polícia Militar, em Niterói. Bretas também havia determinado que Temer ficasse na mesma prisão, mas após um pedido da defesa do ex-presidente, ele foi levado para a Superintendência da Polícia Federal, no centro do Rio.

As defesas dos três acusados entraram com pedidos de habeas corpus no Tribunal Regional Federal da Segunda Região (TRF2). A decisão sobre os pedidos será tomada na quarta-feira (27) pela 1ª Turma Especializada de desembargadores do TRF2.

Temer, Moreira Franco e Coronel Lima estão presos desde ontem, quando a PF cumpriu mandados contra os acusados de integrarem uma quadrilha que teve ganhos criminosos durante a construção de Angra 3.

Continue lendo

Corrupção

Força-tarefa da Lava-Jato chega à PF para acompanhar depoimento de Temer

Publicado

em

Eles participarão também da condução dos depoimentos do ex-ministro Moreira Franco e de João Batista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de longa data de Temer

Rodolfo Costa – Enviado especial do Correio Braziliense

 

Rio de Janeiro – Os procuradores da Força-Tarefa da Lava-Jato, no Rio de Janeiro, chegaram à superintendência da Polícia Federal na manhã desta sexta-feira (22/3). Eles participarão da condução dos depoimentos do ex-presidente Michel Temer, do ex-ministro Moreira Franco, e de João Batista Lima Filho, o coronel Lima, amigo de longa data do emedebista. Os três estão presos desde quinta-feira (21/3) após o desbaratamento da Operação Descontaminação.
Às 11h, chegaram os procuradores Eduardo Hage, José Augusto Vagos, Fabiana Schneider e Rodrigo Temóteo. Sem dar muitas declarações à imprensa, apenas acenaram positivamente ao serem questionados sobre a condução dos depoimentos. A ideia é que os testemunhos ocorram individualmente. Cada um dos três pode, no entanto, negar respostas aos questionamentos.
A defesa de Temer no Rio está sendo representada por Thiago Machado. O advogado nega todas as acusações apresentadas contra o ex-presidente, como ele ser chefe de uma organização criminosa que, ao longo de décadas, teria movimentado R$ 1,8 bilhão em propina. A PF ainda não informou se o advogado estará presente para o acompanhamento do depoimento do emedebista.

Continue lendo

Corrupção

Temer e Moreira Franco passaram a primeira noite na prisão e devem depor nesta sexta-feira à PF

Publicado

em

Michel Temer foi preso na manhã de quinta-feira, em São Paulo(foto: AFP/BandTV)

O ex-presidente e o ex-ministro foram presos na quinta-feira pela Operação Descontaminação e aguardam para hoje julgamento de habeas corpus

Isabella Souto/Estado de Minas

A defesa do ex-presidente Michel Temer (MDB) aguarda para esta sexta-feira uma decisão sobre o pedido de habeas corpus portocolado ontem (21) no Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF2). O HC está sendo analisado pelo desembargador federal Iva Athié.  Temer e Moreira Franco, que também foi preso, está na sede daPF, no Rio.
Temer foi preso na manhã dessa quinta-feira(21), em São Paulo, próximo à casa dele. O ex-presidente foi levado ao Rio em uma avião da PF e passou a noite em uma sala de 20 metros quadrados, sem janela, no terceiro andar da sede da instituição, no Centro da capital fluminense. Na sala tem banheiro privativo, ar-condicionado e frigobar e foi adaptada para abrigar o ex-presidente. Um aparelho de televisão deve ser instalado nesta sexta-feira.

Na noite deonte,  Temer recebeu a visita do ex-ministro Carlos Marun – o que gerou polêmica, já que ele não está entre os advogados cadastrados e autorizados a visitar o preso. Ao sair da PF, Marum comentou que Temer ficou “surpreso” e está “indignado” com a prisão. “Mas mantém a confiança na Justiça. Está sendo tratado com respeito”, disse.

O ex-presidente e mais nove pessoas foram presas no âmbito da Operação Descontaminação.

Em entrevista coletiva na tarde de quinta-feira, procuradores do Ministério Público Federal acusaram Temer de liderar uma organização criminosa que teria negociado R$ 1,8 bilhão em propinas. A operação partiu de indícios de irregularidades em contrato para obras da usina nuclear de Angra 3.

Para a defesa do ex-presidente, não foi comprovada qualquer ilegalidade e a prisão foi um “atentado” ao Estado democrático de direito.

O ex-ministro Moreira Franco e João Batista Lima Filho – o coronel Lima, amigo de Temer e dono da Argeplan – estão presos em Unidade Prisional Especial da Polícia Militar de Niterói. Nestes primeiros dias eles ficarão isolados, sem contato com outros presos. Eles também prestarão depoimento à PF nesta sexta-feira.

Ambos estão na mesma unidade prisional do ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão. Moreira Franco e o coronel Lima passarão por avaliações de médicos, psicólogos e dentistas – praxe comum a todos os presos. Eles usarão calção azul e camisa branca e permanecerão com cabelos e barbas aparados, no estilo militar.

Diariamente participarão de suas solenidades: cantar o hino nacional e hasteamento da bandeira nacional.

A princípio, Michel Temer permaneceria no mesmo local, mas a defesa obteve a autorização do juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Criminal, para ficar na sede da Polícia Federal. Na decisão, o magistrado alegou o princípio da isonomia, já que o ex-presidente Luiz inácio Lula da Silva (PT) está preso na Superintendência da PF em Curitiba. (Com agências)


Continue lendo

Destaques

Social Media Auto Publish Powered By : XYZScripts.com