Conecte-se Conosco

Segurança

PM do Pará já tem novo comanda: coronel PM José Dilson Melo de Souza JR.

Publicado

em

 

A Polícia Militar do Pará realizou, nesta terça-feira (8), na sede do Comando Geral da instituição, na rodovia Augusto Montenegro, em Belém, a solenidade de transmissão do cargo de Comandante Geral da PMPA. A cerimônia contou com a presença do governador Helder Barbalho e demais autoridades do Estado.

O novo comandante da PD, Helder e a Prmeira dama, Daniela Barbalho 

No evento militar, o 52º comandante geral da PMPA, coronel PM José Dilson Melo de Souza Júnior, assumiu oficialmente o mais alto posto da corporação. Com 27 anos de efetivo de serviço, Dilson Júnior traz na bagagem experiências operacionais em Belém, Região Metropolitana e interior paraense com destaque para os comandos da Capital (CPC) e da Região Metropolitana (CPRM), além de ter atuado como Corregedor Geral e Diretor de Ensino e Instrução (DEI) da Polícia Militar do Pará.

Desafios – Sob o comando de Dilson Júnior, a PM, alinhada às diretrizes do Governo Helder Barbalho, terá a missão de intensificar o policiamento em 36 cidades paraenses, onde estão concentrados 80% dos casos de homicídios e roubos do Estado. Belém, Ananindeua, Marituba, Abaetetuba, Castanhal e Marabá são exemplos dessa concentração de delitos, quantificados pelo setor estatístico da corporação.

Helder cumprimenta o novo comandante da PM

 

Efetivo, SOS PM e construção de unidades habitacionais

Outra ação importante anunciada pelo novo comandante, será o incremento do número do efetivo, a ser feito por meio do pagamento das jornadas extraordinárias aos militares que estiverem no momento de folga. Outra novidade é o lançamento do aplicativo “SOS PM”, recurso tecnológico de prevenção e de resguardo da integridade física de policiais e o reforço nas capacitações de autoproteção. A nova gestão também fará o lançamento de licitação para a construção de unidades habitacionais em Belém, Marabá e Santarém por meio de financiamento via Caixa Econômica Federal (CEF).

Presença – Outro projeto a ser desenvolvido pela nova gestão será o “PM Presente”, ação em que policiais da área administrativa, fora do expediente, atuarão em pontos estratégicos da cidade com grande circulação de pessoas, no período das 17h às 23 horas. Sessenta viaturas, utilizadas no trabalho administrativo da instituição, serão empregadas no reforço logístico destas ações ostensivas. O projeto está previsto para ser lançado no próximo dia 12, na Avenida Visconde de Souza Franco, em Belém.

“A sociedade paraense pode esperar muito trabalho e muita dedicação da nova gestão da Polícia Militar. Nosso objetivo maior é desenvolver ações de enfrentamento à criminalidade, diuturnamente,com técnica e inteligência policial. E, para isso, nosso planejamento prioriza o reforço do efetivo e a garantia de melhores condições de trabalho aos nossos policiais”, frisou o comandante Dilson Júnior.

Durante a solenidade, o governador Helder Barbalho anunciou algumas ações que serão adotadas para combater a criminalidade e implementar a atuação da Polícia Militar na capital e interior do Estado. Ele informou que já solicitou ao Governo Federal o apoio do efetivo da Força Nacional para intensificar o policiamento nas regiões de maior incidência de crimes. “Também vamos viabilizar a criação de um plano habitacional e de programas de proteção, não apenas para os policiais militares, mas também para a sua família”, ressaltou.

Currículo – Com 47 anos, o coronel QOPM José Dilson Melo de Souza Júnior ingressou nos quadros da PMPA em 1992. Ele é bacharel em Direito (Universidade da Amazônia) e mestre em Segurança Pública (Universidade Federal do Pará). Ao final do Curso de Formação de Oficiais (CFO), Dilson Júnior se destacou como o primeiro lugar do curso, o que lhe rendeu a medalha “General Ferreira Coelho”.

Também alcançou a primeira colocação no Curso de Aperfeiçoamento de Oficiais (CAO) e no Curso Superior de Polícia (CSP), sendo o primeiro oficial da Polícia Militar paraense a alcançar a Tríplice Coroa, ou seja, os três primeiros lugares nos cursos obrigatórios da carreira de oficial da PM. Nos 27 anos de corporação, o militar recebeu várias medalhas de honra ao mérito, entre as quais a de 200 anos da PMPA (2018), Coronel Cândido Mariano, patrono da PMAM (2017), Tiradentes e TJE (2015) e Coronel Fontoura (2014).

Até chegar ao posto de comandante geral da PM, o coronel Dilson Júnior desenvolveu inúmeras funções na corporação, desde 1994, quando começou com a atividade de instrutor de pelotão na Academia de Polícia Militar “Coronel Fontoura”. Dilson Júnior atuou como ajudante de ordens, chefe do Centro Estratégico do Comando de Missões Especiais (CME), comandante da 6ª Zona de Policiamento (Comércio), subcomandante do 5º BPM (Castanhal), comandante do 20º BPM (Guamá), 10º BPM (Icoaraci) e 12º BPM (Santa Izabel do Pará). Exerceu ainda a função de comandante do Comando de Policiamento da Região Metropolitana (CPRM), comandante do Comando de Policiamento da Capital (CPC), Corregedor Geral e diretor de Ensino e Instrução da PM.

Taiane Figueiredo/Ag. Pará

Continue lendo
Clique para comentar

Segurança

Policiamento ostensivo recebe 60 viaturas da área administrativa

Publicado

em

Helder Barbalho lançou, na tarde deste sábado (12), em Belém, a operação "Polícia Mais Forte", que consiste no fortalecimento da Polícia Militar do Pará (PM-PA) por meio da melhoria das condições de trabalho dos agentes de segurança

O governador Helder Barbalho lançou, na tarde deste sábado (12), em Belém, a operação “Polícia Mais Forte”, que consiste no fortalecimento da Polícia Militar do Pará (PM-PA) por meio da melhoria das condições de trabalho dos agentes de segurança e, consequentemente, a melhoria do serviço prestado à população.

Durante o ato, foram entregues 60 viaturas para reforçar o policiamento em Belém e região metropolitana no período de 17h às 23h, horário apontado pelas estatísticas da corporação como o mais crítico para a realização de crimes. Até então, todos esses carros davam apoio exclusivo em ações da área administrativa da PM-PA.

O redirecionamento das viaturas faz parte de uma diretriz do governo Helder Barbalho, que determinou a otimização dos recursos e eficiência nos gastos públicos. “Fui eleito para servir à população, para fazer mais gastando menos, com eficiência e transparência. Esta iniciativa, seguramente, representa aquilo que a população espera: que o Estado trabalhe para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, que pagam impostos e têm o direito de receber os serviços essenciais com eficiência”, ressaltou.

Helder Barbalho também anunciou a redução nos índices dos crimes de homicídio e roubo, medidos nos dez primeiros dias do ano e comparados ao mesmo período de 2018. Segundo o governador, houve um recuo de cerca de 38% nas ocorrências de homicídios e de 43% nos roubos praticados em todo o Estado. “Atribuímos isso à ampliação do efetivo nas ruas. Nós tivemos um incremento de 400 policiais a mais desde o dia dois de janeiro. Esses policiais estão sendo espalhados nos bairros e comunidades que, estatisticamente, apresentam os maiores índices de violência. Com a presença da polícia; com as ações que estamos desenvolvendo, de maneira preventiva, ostensiva e repressiva; e com a inteligência de investigação, estamos construindo números que, seguramente, ao longo do tempo, farão com que o cidadão deste Estado possa viver com mais tranquilidade”, finalizou.

O comandante da PM-PA, coronel Dilson Júnior, informou que as viaturas incorporadas ao policiamento ostensivo, a partir da tarde deste sábado, representam um incremento de mais de 50% no número de veículos que normalmente eram utilizados nesse trabalho na Região Metropolitana de Belém. “Elas vão ser posicionadas em locais estratégicos, nos grandes corredores, próximas a paradas de ônibus, shoppings e locais de grande circulação de público para inibir essas ocorrências e justamente no horário em que mais se precisa. Além disso, estamos convocando 700 novos policiais remanescentes de concursos públicos passados, os quais, a partir de abril ou maio já devem estar nas ruas para reforçar o nosso contingente”, completou.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Uálame Machado, falou sobre as ações que estão sendo implementadas para também garantir mais segurança aos policias. Entre elas, a construção de conjuntos habitacionais voltados para os agentes e financiados a baixo custo já está sendo analisada. “Há um reclame antigo dos policiais da necessidade de ter um local para morar onde eles e suas famílias se sintam seguros. Muitas vezes o policial enfrenta a criminalidade no dia a dia e, depois, volta para casa, onde, muitas vezes, é vizinho do próprio criminoso. Nós já estamos com projetos prontos e vamos apresentar ao governador, que é muito sensível à causa, para que possamos começar as tratativas e dar início às obras de pelo menos 200 unidades ainda neste primeiro semestre”, afirmou.

O vice-prefeito de Belém, Orlando Reis, que também prestigiou o evento, parabenizou a atitude do governo do Estado, ao destinar as viaturas para reforçar o policiamento na capital no dia em que Belém completa 403 anos. “Desejo que daqui para frente nossa cidade possa se consolidar cada vez mais como a metrópole da Amazônia e, para isso, a presença do Estado, como se demonstra aqui, no ato de entrega das viaturas, é fundamental”, salientou.
As medidas já estão agradando não apenas aos policiais, mas também aos cidadãos paraenses, que clamam por mais segurança no ir e vir.

O presidente da Federação Nacional dos Motociclistas Profissionais (Fenamoto-Pará), Alessandro Félix, disse que, hoje, há cerca de 80 mil motociclistas profissionais em todo o Pará, dos quais 12 mil apenas na Região Metropolitana. “Nós, mototaxistas e motoboys, precisamos e queremos cada vez mais fiscalizações e abordagens policiais, para que a gente possa trabalhar com tranquilidade e também passar essa sensação aos que usam nossos serviços. A sociedade tem que ter a polícia como parceira. É só assim que vamos vencer a criminalidade”, opinou.

Por Elck Oliveira/AG. Pará

Helder vai a velório de PM assassinado

No sábado (12), pela manhã,  foi velado e sepultado o Sargento da Polícia Militar, Max Pedro da Silva Ferreira, de 48 anos. Ele tinha 24 anos de corporação e foi assassinado na última quinta-feira (11), no distrito de Mosqueiro. O PM deixou esposa e três filhos, um de 14, outro de 9 e o mais novo de 7 anos. O governador Helder Barbalho, o comandante geral da PM, Dilson Jr, o Secretario de Segurança Pública, Ualame Machado e o delegado-geral da polícia civil, Alberto Teixeira, estiveram presentes.

O PM foi assassinado por volta das 17h, no bairro do Carananduba. Segundo a corporação, os assaltantes queriam a arma do policial. Ele foi morto com vários tiros na cabeça e morreu na hora. Um dos responsáveis pelo crime morreu e o outro está foragido.

Para o comandante do 25º Batalhão da Polícia Militar (BPM), de Mosqueiro, Wilson Araújo, a atitude do governador é muito importante para a corporação. “Eu não lembro de ver um governador fazer isso: deixar os seus afazeres, que sabemos que são muitos, para estar no velório e no enterro de um policial militar. Para nós, essa é a atitude mais nobre que se poderia ter”, disse.

O Sargento Max nasceu em Mosqueiro e foi da turma de formação de oficiais do distrito. A tia do PM, Valmira Amador, de 54 anos, disse que a presença do governador demonstra o comprometimento dele com o povo do estado do Pará. “Todos que estão aqui votaram nele e a presença dele aqui mostra que acertamos na escolha. Esse foi o primeiro assassinato de PM em Mosqueiro e ele estava aqui. Que ele continue assim, porque queremos que ele seja o nosso governador por oito anos”, disse.

O governador Helder Barbalho destacou a celeridade com que a polícia respondeu ao crime. “Em oito horas um dos responsáveis morreu em confronto com a polícia e os outros já foram identificados. Estamos empenhados em levar paz para o povo do Pará”, afirmou.

Helder confirmou que o governo estará ao lado da polícia no enfrentamento à criminalidade e que a identificação dos envolvidos neste crime já é um resultado efetivo desse novo modelo de gestão da segurança pública. “Todo e qualquer crime, envolvendo um agente de segurança ou qualquer cidadão, terá resposta rápida, tanto aos esclarecimentos quanto as estratégias de ostensividade. Os primeiros 10 dias de governo já demonstram a redução de crimes, seja de homicídios ou roubos”, concluiu.

O Secretário de Segurança Pública, Ualame Machado destacou a importância de todos os presentes. “Se o governador é presente, a equipe dele também têm que ser. Não só na última homenagem ao Sargento Max, mas também em todas as ações do Estado. A gente que estar perto da tropa, passando o recado e o que a gente quer falar para a população é que nós estamos trabalhando para reduzir esses índices. Nós já temos um comparativo com 2018, a redução é significativa, mas não basta a gente reduzir os números, a gente quer que a população sinta a diferença”, disse.

O comandante geral da PM, Dilson Jr, por sua vez, falou do quanto ficou agradecido pela presença do governo no enterro . “Nunca vimos isso e sabemos que isso mostra que os próximos quatro anos representam uma nova era para a segurança pública no Estado do Pará. Um tempo de paz para a população, que começa com a realização de concurso público, que o governador prometeu fazer”.

O delegado-geral da Polícia Civil, Alberto Teixeira, destacou algumas ações importantes como investimentos em inteligência e aumento do efetivo para que a criminalidade seja reduzida. Também já existe a previsão de concurso público para aumentar o efetivo. “Hoje temos 16 mil homens, quando deveríamos ter 32 mil. O governador se comprometeu a incorporar 1.800 homens policiais/ano.

 

Continue lendo

Segurança

Helder intensifica ações de segurança no 1º dia de governo

Publicado

em

A ação, que envolve cerca de 400 agentes, foi deflagrada às 9 horas, do Portal da Amazônia, com a presença do Governador Estadual. Mais de 50 viaturas estão sendo empregadas na ação.

O reforço das ações policiais anunciadas pelo novo governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, teve início nas primeiras horas da manhã desta quarta-feira (2). Uma ação integrada da Secretaria de Estado de Segurança Pública (Segup), envolvendo agentes da Polícia Militar, Cavalaria, Ronda Tática Metropolitana (Rotam), Grupamento Aéreo de Segurança Pública (Graesp), Polícia Civil, Grupamento Fluvial, Corpo de Bombeiros Militar, Superintendência do Sistema Penitenciário (Susipe), Diretoria de Prevenção, Guardas Municipais, entre outros, levam o reforço da segurança para os bairros Benguí, Cabanagem, Guamá e Terra-Firme. A ação, que envolve cerca de 400 agentes, foi deflagrada às 9 horas, do Portal da Amazônia, com a presença do Governador Estadual. Mais de 50 viaturas estão sendo empregadas na ação.

Esta programação não tem relação com a chacina ocorrida na tarde-noite do dia de ano, quando cinco rapazes foram executados por homens encapuzados no bairro da Cabanagem. Até hoje (2), a Segup não havia confirmado nenhuma relação entre a chacina e o assassinato do Cabo Ortega ocorrido na semana passada. Helder também confirmou que vai pedir ao presidente Jair Bolsonaro a liberação de pelo menos 500 homens da Força Nacional para ajudar a combater a violência em todos os 144 municípios do Pará.

Além da presença de autoridades e dos chefes de comando policiais, Helder Barbalho participou do ato que deu início a ação na capital.

Ações policiais anunciadas pelo novo governador  Helder Barbalho tiveram  início nas primeiras horas da manhã

De acordo com o governador, os trabalhos serão intensifica dos e realizados de forma contínua, agindo sempre com o sistema de inteligência e tecnologia para coibir as ações criminosas.

A ação e os locais escolhidos para receber o reforço foram definidos no último dia 31 de dezembro, em reunião com o governador e titulares da pasta de segurança pública. A expectativa é manter a presença das forças policiais a fim de proporcionar a paz à população do Estado.

“Vamos trabalhar para garantir que esta página seja virada no Pará. Que onde comunidades estejam dominadas pelo tráfico ou pela milícia, isso não ocorra mais. Estamos certos de que o planejamento feito está correto. O bairro da Cabanagem, por exemplo, já tinha sido um dos escolhidos para o início das ações de ostensividade e contar com a presença dos agentes de segurança. Não é possível que continuemos a viver com o temor de carro prata, carro preto, milícias de tráfico sem que o Estado use de pulso firme, de pulso forte para combater isso. Por isso fiz questão de estar aqui hoje, ao lado da tropa, e fazer dessa questão meu primeiro ato de governo. Quero demonstrar para a sociedade que podemos promover a paz, envolvendo e mobilizando todo o governo, inclusive solicitando formalmente o pedido da força nacional”, ressaltou Helder .

Além da capital, seis municípios terão a segurança reforçada simultaneamente. São eles: Castanhal, Abaetetuba, Marabá, Santarém, Altamira e Redenção. No restante do Estado, a segurança segue com o policiamento ordinário.

“Trinta e seis municípios compõem mais de 80% dos índices de criminalidade, de acordo com dados estatísticos oficiais do ano de 2018. Partindo desses números, a nossa estratégia está montada para fazer esse enfrentamento”, complementou o governador.

A Diretoria de Prevenção da Segup, Diprev fará o contato com moradores das áreas atingidas pela ação a fim de ouvir os anseios da comunidade e, posteriormente, levar serviços oferecidos pelas instituições do Estado, como emissão de RGs, atendimento médico e dentário, entre outros. A atuação da área de prevenção ocorre hoje nos bairros da Cabanagem e Terra-firme.

Inteligência – O desencadeamento da ação policial será acompanhada pelo Centro Integrado de Comando e Controle, instalado no Centro Estadual Integrado de Inteligência (CEII).

“Essa é uma ação initerrupta. Vamos continuamente avaliar se ela irá mudar de local, se mudará a forma, como está sendo aplicada, mas nunca se dará por encerrada”, finalizou o secretário Adjunto da Segup, Coronel Arthur Moraes.

Cléo Soares / Agência Pará

A reunião com gestores da área da segurança pública para traçar ações nos primeiros dias do mandato de Helder Barbalho

Definidas ações  de segurança pública

O novo governador do Estado do Pará, Helder Barbalho, esteve reunido na manhã da última segunda-feira (31), com os futuros gestores da área da segurança pública, pasta que terá prioridade em sua gestão, para traçar ações imediatas que começarão a ser realizadas durante os primeiros dias de seu mandato. A reunião ocorreu no plenário da Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), em Belém.

O processo do pedido de apoio da Força Nacional, uma das principais demandas citadas durante a campanha eleitoral, também foi debatida durante o encontro. Além disso, foram estabelecidas as primeiras ações concretas de segurança que poderão ser observadas ao longo dos primeiros dias de janeiro, com a realização de blitz, abordagens policiais, cumprimento de mandados de prisão e outras ações em áreas que apresentam os maiores índices de violência nos últimos meses, com base nas estatísticas e manchas criminais. O fortalecimento e a valorização dos agentes de segurança pública também foram pautas da reunião.

“Nós estamos trabalhando preventivamente no planejamento para que desde o início de nossa gestão tenhamos ações que possam fazer a mudança necessária com maior presença dos agentes de segurança, com iniciativas que valorizem a informação, a estratégia, em diversas frentes de combate à violência no nosso Estado. Por isso, estão todos aqui os representantes da área da segurança de forma transversal para fazer esse planejamento e permitir um novo tempo para o futuro do Pará”, anunciou Helder Barbalho.

Helder coordena as ações com o secretário Ualame Machado

Quanto à presença da Força Nacional, o governador ressaltou a importância não só da presença da tropa federal, como a integração dela aos agentes de segurança locais. “No dia 2 de janeiro, nós solicitaremos oficialmente a Força Nacional para que o Governo Federal possa trazer essa força para se somar à Polícia Militar, Polícia Civil, guardas municipais e demais órgãos da área da segurança”, reforçou.

Os instrumentos de inteligência e análise criminal, por meio do Centro Estadual Integrado de Inteligência (CEII), serão potencializados com base nas estatísticas, de forma que ações sejam desenvolvidas com foco no combate à criminalidade. Já começaram a ser avaliados, de maneira técnica, os números e as estatísticas de bairros e municípios que têm a maior incidência de violência, seja em números absolutos ou proporcionais. A partir dos dados, começarão as jornadas de enfrentamento, que contarão com mais de 350 policiais, entre militares e civis.

Para as ações de combate à violência com base nas análises iniciais técnicas, foram identificados os bairros do Benguí, Cabanagem, Guamá e Terra Firme, em Belém, e os municípios de Marituba, Abaetetuba, Castanhal, Marabá, Altamira, assim como serão realizadas ações de reforço em Santarém e Redenção.

“Mais de 35 cidades representam hoje cerca de 80% da criminalidade. O nosso ponto central é garantir que, com essas informações, possamos iniciar a estratégica de enfrentamento de crimes comuns, de tráfico de drogas, milícias e outros tipos de crime, para que possamos garantir a paz aos cidadãos”, declarou Helder.

Valorização de agentes públicos

Diante dos números alarmantes, o governador ressaltou ainda que na sua gestão os agentes de segurança pública serão valorizados e terão uma maior estrutura para desenvolver o trabalho com eficácia e ter também a tranquilidade garantida aos seus familiares.

“Precisamos fazer com que a tropa consiga se sentir valorizada. Para isso não apenas o processo de remuneração, mas também garantir às famílias políticas públicas habitacionais para que todos possam estar protegidos, elevando assim a autoestima dos agentes de segurança pública. Estar aqui é uma declaração clara que estarei lado a lado com os agentes, para que nós possamos fazer, efetivamente, priorizar a questão da segurança no nosso Estado”, concluiu o novo governador.

Helder Barbalho anunciou ainda que o efetivo da Polícia Militar, Civil e dos Bombeiros é restrito e, diante desta realidade, é preciso ter foco e planejamento para iniciar as ações nos locais onde a violência seja mais alarmante. Em relação ao quantitativo de efetivo, ele afirmou também que terá aumento de agentes, fazendo com que aqueles que estão em atividades meio e administrativa em outros órgãos, sejam redirecionados para ter mais gente trabalhando nas ruas e oferecendo segurança à população.

Por Governo do Estado do Pará

Continue lendo

Segurança

Investimentos e redução da criminalidade marcaram o ano na segurança pública do Pará

Publicado

em

No município de Ponta de Pedras, no Arquipélago do Marajó, a Unidade Integrada (foto) Pro Paz (UIPP) do estado, foi uma das obras entregues beneficiando cerca de 30 mil moradores, que passaram a a contar com os serviços oferecidos pela UIPP, dentre eles o atendimento integrado das policias Civil e Militar, além do Corpo de Bombeiros Militar. FOTO: CRISTINO MARTINS / AG. PARÁ DATA: 29.12.2016 PONTA DE PEDRAS - PARÁ

O Sistema de Segurança Pública do Estado do Pará encerra o ano de 2018 com investimentos e inaugurações pontuais. No início de outubro, foi entregue o Centro Estadual Integrado de Inteligência. O CEII é o local onde serão recebidas informações em tempo real dos 144 municípios, e repassadas para o Centro Integrado de Comando e Controle Nacional, em Brasília.

O Centro vai ajudar no trabalho da segurança pública do Estado e auxiliar nas ações e mecanismos de colaboração com o Sistema de Justiça Criminal, dando amplitude na capacidade de identificação das causas e fatores da criminalidade, trabalhando de forma integrada com instituições municipais e federais, além de ajudar nas ações especializadas para a obtenção de dados e produção de conhecimentos. Tem o objetivo de subsidiar as investigações policiais e o planejamento operacional, assim como assessorar as autoridades dos órgãos integrantes quanto às políticas de enfrentamento da criminalidade organizada.

Unidade de Maracanã

Proteção às mulheres – Em 26 de outubro deste ano, o Governo do Estado entregou a 15ª unidade Pro Paz Mulher em Ananindeua, Região Metropolitana de Belém. O espaço visa ampliar o atendimento humanizado e integral às mulheres em situação de violência de gênero.

Assim como nas demais unidades do programa, dentro do novo espaço, situado na Cidade Nova 5, WE 31, Número 1112, estão trabalhando de forma integrada: delegacia de polícia civil, polícia militar, assistência social, psicologia, serviço médico e de perícia. Com isso, as mulheres de qualquer idade têm atendimento amplo dentro do mesmo prédio, sem necessidade de deslocamentos para outras unidades de atendimento. No prédio há, inclusive, uma brinquedoteca para atender às crianças que geralmente acompanham as mulheres durante o atendimento.

Na delegacia são registradas, em média, de seis a dez ocorrências diariamente. No mês de novembro, foram registradas cerca de 200, entre elas, aproximadamente 150 medidas protetivas foram deferidas. O local funciona 24 horas, com quatro equipes de plantão, incluindo uma delegada, uma escrivã e três investigadoras.

Com menos de dois meses de funcionamento do novo espaço Pro Paz Mulher, o balanço é positivo. “Ananindeua é um local que necessitava muito da criação de uma delegacia da mulher já que antes era necessário o deslocamento até Belém para prestar depoimento. Muitas desistiam, acabavam indo a uma seccional, desmotivadas pela distância. Mas agora elas têm atendimento especializado e humano próximo a sua residência. Isso é tranquilizador, inclusive para nós”, disse a delegada Ana Paula Chaves.

Reconhecimento internacional – O programa Pro Paz Mulher concedeu ao Pará reconhecimento nacional e internacional por ter sido pioneiro no Brasil ao adotar uma concepção de trabalho que agrega, em um único espaço, todos os serviços necessários a uma assistência imediata, humanizada e eficaz às vítimas de violência doméstica, familiar ou sexual. Os policiais que atuam nessas unidades já vêm treinados, desde a academia, nesse tipo de atendimento especializado e continuam se capacitando.

Desde 2004, quando surgiu, o programa oferece acolhimento psicossocial especializado; garante os direitos básicos relacionados à saúde física, emocional, mental e reprodutiva; previne DSTs/Aids e gravidez decorrente de estupro, através de medidas profiláticas, nos casos detectados até 72 horas; também interrompe a gravidez decorrente de violência sexual, conforme a legislação, promovendo a cidadania de mulheres, crianças e adolescentes.

O Pará está na vanguarda deste formato de atendimento, pois é o único da federação a ofertar tratamento integrado a mulheres, crianças e adolescentes da capital e do interior, por meio do Pro Paz Integrado.

O Pro Paz Mulher, de março de 2012 a setembro de 2018, já atendeu 30.558 casos de violência e é referência no Brasil no combate à violência contra a mulher, quanto contra crianças e adolescentes, com o Pro Paz Integrado. A implantação do projeto vem ajudando a reduzir a revitimização, dando suporte para a superação dos traumas das vítimas e seus familiares, além de incentivar as denúncias.

Números da Segurança Pública

Segundo dados da Secretaria de Planejamento (Seplan) o investimento financeiro realizado pelo Governo do Pará em 2018 foi de quase R$ 7 bilhões em todas as regiões de integração até o final de novembro. Os valores foram distribuídos por meio dos programas: Segurança Pública, Cidadania e Direitos Humanos, Manutenção da Gestão e Governança para resultados.

De acordo com um relatório enviado pela Secretaria de Estado de Segurança Pública e Defesa Social (Segup), hoje o Pará possui 71 Unidades Integradas Pro Paz (UIPPs) e sete estão em construção. A UIPP é um modelo inovador de fazer Segurança Pública e garantir direitos no Estado do Pará, pois promove a articulação entre o poder público estadual e a comunidade para a integração de ações públicas de proteção e inclusão social, com base na cultura da Paz e na filosofia de Polícia Comunitária – tanto o Estado quanto a população local devem ser protagonistas na resolução de conflitos que afetam a segurança pública, acentuam problemas relativos à criminalidade e dificultam o propósito de melhorar a qualidade de vida dos cidadãos.

Mais números

Dez aeronaves estão a serviço do Estado, sendo nove tripuláveis e uma não tripulável. Das nove, seis são helicópteros e três são aviões. A não tripulável é conhecida como RPA (Aeronave Remotamente Pilotada).

O Centro de Perícias Científicas Renato Chaves teve cinco novas unidades regionais e cinco unidades reformadas.

Na Polícia Militar do Pará, foram entregues, após o mês de junho, 342 viaturas 4 rodas e 604 viaturas duas rodas.

A corporação investiu um pouco mais de R$14 milhões para aquisição de fardamento por seus militares. Em junho foi entregue a 1ª Companhia Independente de Missões Especiais – 1ª CIME, em Marabá.

Duas reformas estão em andamento: No Centro de Instrução e Aperfeiçoamento de Praças – CFAP; e no 2º Batalhão de Polícia Militar – 2º BPM)

O 7º Batalhão de Polícia Militar – 7º BPM , em Redenção, já inaugurado.

Valorização profissional – Por trás dos números, a Polícia Militar do Pará evidenciou a preocupação com a valorização dos seus profissionais. Em 2018, foram 49 oficiais e 625 praças promovidos.

Foi dobrado o valor da gratificação da jornada operacional extraordinária, para desestimular o policial militar a atuar fora de serviço;

Houve o aumento e renovação da frota, com cerca de 850 veículos e 750 motocicletas.

Os investimentos em armamentos e equipamentos tiveram quase 10 mil coletes balísticos, 3,6 mil pistolas, 402 espingardas calibre 12,7 mil carabinas ponto 40 e 250 fuzis 7.62 e 5.56, possibilitando que as guarnições embarcadas tenham à disposição uma arma longa para o patrulhamento das cidades e enfrentamento aos criminosos;

Além disso, foram criadas unidades como o 26° BPM em Outeiro, o 30° BPM em Ananindeua, o 34° BPM em Marabá e o 35° BPM em Santarém; e as 1ª e 2ª Companhias Independentes de Missões Especiais em Marabá e Santarém, respectivamente;

Houve também a formação de pessoal com 1.951 novos soldados formados no mês de julho. Atualmente, 550 estão frequentando o Curso de Formação e 400 reservistas foram convocados.

No Departamento de Trânsito do Pará ( Detran), foram entregues 13 viaturas quatro rodas e houve 15 reformas/ construções de unidades de atendimento. Quatorze estão em andamento.

Susipe –  Na Superintendência do Sistema Penitenciário do Estado do Pará (Susipe), houve a aquisição de 58 novos veículos, entre carros-celas e caminhonetes.

Foram entregues depois de junho, 26.520 uniformes para detentos nas seguintes unidades prisionais: Unidade Básica de Saúde do Complexo de Santa Izabel, Centro de Recuperação Regional de Paragominas (306 vagas) e Cadeia Pública para Jovens e Adultos (603 vagas), além de outras oito novas unidades prisionais com obras em andamento, nos municípios de: Parauapebas, Redenção, Abaetetuba, Tucuruí, Vitória do Xingu e Tomé-Açu.

Reformas de unidades prisionais em andamento: Centro de Recuperação Penitenciário Pará I (CRPP I), Presídio Estadual Metropolitano III (PEM III), Centro de Detenção Provisória de Icoaraci (CDPI), Centro de Recuperação Regional de Itaituba (CRRI) e Colônia Penal Agrícola de Santa Izabel (CPASI).

“Todos esses investimentos nos possibilitaram uma redução nas estatísticas da criminalidade. Os homicídios letais e intencionais (homicídio, latrocínio e lesão corporal seguida de morte) reduziram 5% em 2018, em comparação a 2017. O Governo Federal tem uma proposta no Plano Nacional de Segurança Pública de uma redução de 3,55% ao ano e nós reduzimos 5%. Além disso, reduzimos mais de 20% os casos de roubos” destaca o secretário de Segurança Pública do Estado, Luiz Fernandes Rocha.

Por Syanne Neno /Ag. Pará

Continue lendo

Facebook

Propaganda

Destaques