Conecte-se Conosco

CIDADE

Prefeito de Ponta de Pedras viajava em lancha assaltada na baía do Marajó

Publicado

em

A imagem pode conter: 3 pessoas, pessoas em pé

 

Cinco  piratas ou “ratos d’agua” foram presos, na manhã desta-feira, numa ação espetacular da Polícia Militar do Pará, que abortou um  assalto contra 189 passageiros que viajavam de Ponta de Pedras para Belém, no catamarã  “Salmista”. Os piratas sabiam que na embarcação viajava o prefeito daquele município, Pedro Paulo Pamplona, juntamente com sua mulher Alice., além de cinco policias militares à paisana. Ameaçaram matar dois policiais e espancaram os cinco. Houve até tiro dentro do catamarã, sem que ninguém fosse ferido.

A embarcação que saiu de Ponta de Pedras por volta das 6h,  e quando se aproximava de Barcarena foi atacada  pelos meliantes, que estavam fortemente aramados e proveram cenas de terror  entre os  passageiros em plena baía do Marajó.  Mas os cinco bandidos o foram presos por  integrantes do Grupamento Fluvial e Aéreo  da Polícia Militar.  Fortemente armados, os policiais ordenaram que os piratas se rendessem e eles obedeceram. Trazidos para Belém, foram devidamente  encaminhados aos costumes.

Segundo a Segurança Pública e Defesa Social (Segup), por volta da 6h50 a polícia recebeu a denúncia de que um catamarã havia sido abordado por ação pirata. Durante a abordagem foram identificados e presos seis homens envolvidos na ação pirata. Os criminosos foram  encaminhados para a Delegacia Fluvial para autuação em flagrante delito, assim como os passageiros, Dezenas de celulares, objetos de uso pessoal e uma sacola com o dinheiro que os piratas arrecadaram antes da polícia chega, foram apreendidos e devolvidos a seus donos, já em Belém. A polícia também apreendeu as armas que os bandidos portavam para o assalto,

Entre os passageiros, também havia cinco militares e dois  civis, que tentaram intervir na situação, mas acharam por bem acionar as equipes dos Grupamentos Fluvial e Aéreo para proceder as negociações para liberação de passageiros tomados como reféns. Dois bandidos eram de Barcarena e os outros três de Ponta de Pedras mesmo.

O casal Adam Harris Heart, 39, Emily Faith Heart, 37, e suas duas filhas (3 e 7 anos) desapareceram após assalto em balsa no Pará

FAMÍLIA AMERICANA

Assalto a embarcações é uma rotina na baía do Marajó, sobretudo na proximidade de Barcarena, Ponta de Pedras, São Sebastião da Boa Vista, Breves e Afuá. Em novembro do ano passado, o casal americano Adam Heart, de 39 anos, e Emily Heart, de 37, e suas duas filhas foram resgatados na região de Marajó, no Pará. A família havia desaparecido em região fluvial do trajeto de Belém a Macapá, percorrido de balsa no último domingo, 29. Segundo a Polícia Civil paraense, a família foi uma das vítimas de um assalto praticado por piratas à balsa Andorinha, no momento da passagem pelo Rio Furo Grande, ao norte da Ilha do Marajó e já nas proximidades do território amapaense.

BREVES

ia 13 de novembro de 2017, Lucidane Monteiro Galeno, de apelido Lucinho, acusado de comandar uma associação criminosa que atua em assaltos a embarcações na região litorânea de Breves, na ilha do Marajó, foi preso pela Polícia Civil.

De acordo com o delegado Paulo Junqueira, Lucidane é apontado como líder da associação criminosa e foi localizado por volta de 18 horas na sede do município. Ele está com mandado de prisão preventiva decretado pela Justiça.

Nesta sexta-feira  (10), correu um boato de que o prefeito de Breves Toninho Barbosa (MDB) tinha sido sequestrado por piratas. Provavelmente confundiram os municípios, porque que foi vítima de piratas doi o prefeito de Ponta de Pedra, Pedro Paulo Pamplona. Por telefone, Toninho Barbosa, que está em Belém, disse que ficou surpreso com a fake news.

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual