Conecte-se Conosco

Cidade

Prefeitura de Belém leva a leilão imóveis com dívida de IPTU

Publicado

em

Desde que foi anunciando no mês passado, que a Prefeitura de Belém, por meio da Procuradoria Geral do Município de Belém, levaria a leilão 73 imóveis que estão com dívidas antigas do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU), 25 proprietários desses imóveis buscaram regularizar suas situações e conseguiram, assim, manter seu patrimônio.

A Prefeitura de Belém, utilizando todos os dispositivos legais que dispõe, leva o restante desses imóveis inadimplentes ao leilão, em duas hastas: nesta terça-feira, 9, e no dia 23 deste mês, na 2ª Vara de Execuções Fiscais de Belém, do Tribunal de Justiça do Estado.

“Nossa intenção é sempre buscar a conciliação e assim, aumentar a arrecadação do município. Nunca desejamos que chegasse à expropriação. Esse processo até chegar ao leilão é longo e muitas chances de regularização foram dadas aos proprietários, mas alguns não acatam as nossas convocações e chegamos ao extremo de ter que leiloar os imóveis em débito com o imposto”, explicou Káritas Rodrigues, chefa da Procuradoria Fiscal do Município, em exercício.

Káritas também alerta que as pessoas podem tentar regularizar suas situações, até amanhã, antes do leilão. “É possível normalizar seus débitos, aproveitando o Programa de Regularização Incentivada, que está concedendo descontos vantajosos aos que buscaram a regularização, que pode ser feita pela internet ou nos postos de atendimento da Secretaria de Finanças, até o dia 19 deste mês de outubro, mas essa informação também precisa ser repassada à Procuradoria Fiscal do Município”, advertiu.

Regularização – Até o próximo dia 19 de outubro deste ano, quem estiver em débito com os impostos fiscais junto ao município de Belém vai poder negociar essas dívidas, com descontos vantajosos, dentro do Programa de Regularização Incentivada (PRI) da Secretaria de Finanças (Sefin).

Esse parcelamento também é extensivo aos donos de imóveis citados para irem a leilão. Para que isso não ocorra, eles precisam somente colocar em dia os débitos que contraíram junto ao município de Belém. Ou podem perder seu patrimônio.

Quem está citado para o leilão e quiser negociar a dívida pode procurar os postos da Sefin ou ainda a sede da Procuradoria Fiscal do Município, localizada na Praça Magalhães, no bairro do Comércio.

Para o titular da Sefin, José Capeloni Júnior, a Prefeitura abriu mais uma vez o PRI, mas alerta que Belém é uma das poucas capitais brasileiras a ter essa prática.

“Antigamente, esse programa de regularização era quase que permanente, mas agora ele tem tempo definido para ser praticado. Entendemos que assim, se fosse um programa contínuo, seria injusto com quem mantém seus tributos municipais em dia. Por isso, a chance de regularização tem data marcada para ser encerrada”, disse Capeloni.

Para quem quiser pagar a dívida à vista, o desconto é de 70% sobre juros e multas. Em até três parcelas, a redução é de 50%; para seis parcelas, desconto de 40%; em doze parcelas, desconto de 30%; e em 24 vezes, o desconto é de 20%.

A negociação à vista ou em até três parcelas pode ser feita diretamente no site da Sefin, em forma de autoatendimento, via internet, por meio do portal da prefeiturabelem.pa.gov.br/sefin

IPTU – Capeloni usa o paralelo de comparar o pagamento do IPTU com quem paga o condomínio de um prédio onde mora. “O que se arrecada com o IPTU reflete diretamente no cuidado da Prefeitura com a cidade. Se essa arrecadação falha, não apenas o devedor sofre as consequências, mas toda a comunidade”, explica.

O secretário mostra que o valor venal dos imóveis em Belém está bastante defasado. “Basta o munícipe olhar seu carnê de IPTU e verá que o valor venal do seu imóvel é bem mais baixo que o valor real dele. E esses dois valores deveriam ser iguais”, continua.

“Belém tem atualmente 428.088 imóveis cadastrados no IPTU. Desses, 161.024 estão isentos por terem sido avaliados, pelo valor venal, em até R$ 51.218,01. Isso já representa 37,6% de imóveis que não recolhem o IPTU e não contribuem com a receita do município. E ainda assim, do restante, a inadimplência chegou a 48%, n o ano passado. Melhoramos um pouco em 2018, com o PRI, mas ainda não chegamos ao ideal”, demonstrou o secretário.

Segundo o relatório 2018 da Frente Nacional dos Prefeitos, no ranking do IPTU, baseado nos números do ano de 2016, nele, Belém, em termos populacionais, é a 11ª cidade do País. “Mas se formos verificar pela arrecadação do IPTU per capta, ou seja, daqueles que pagam esse imposto, Belém cai para a 47ª posição, ficando, praticamente, em último lugar entre as capitais de Estados. E isso é reflexo de um dado histórico, que mostra que as muitas isenções concedidas pelo município de Belém o colocam entre os campeões de renúncia fiscal em todo Brasil”, afirmou.

“Os programas de regularização fiscal ficarão ainda mais raros”, alertou o secretário.  “Mas em compensação, quem paga seus tributos em dia tem boas vantagens. Para o imóvel residencial, quem paga em dia, já vai ter um desconto de 25% para o ano seguinte. Para os imóveis não residenciais, o desconto é de 30%, para os adimplentes. E esses proprietários ainda vãos ter descontos se eles pagarem o IPTU à vista, a primeira de 10% e a segunda, de 7%. Quer dizer, se o contribuinte mantiver o imposto em dia, ele pode ter descontos de até 40% no total”, informou Capeloni.

Leilão – As duas hastas do leilão de imóveis em débito com o IPTU serão nos dias 9 e 23 de outubro, no Fórum Cível de Belém, no bairro da Cidade Velha. São imóveis avaliados entre R$ 27 mil e R$ 620 mil, localizados em Belém e nos distritos de Icoaraci, Outeiro e Mosqueiro. A arrematação será feita por meio de pagamento à vista, pela melhor oferta.

“O débito mais antigo é do ano de 2009 e o mais recente, de 2012. Afirmamos que todos os recursos foram tomados para que não chegássemos ao leilão. Todos os meios de execução fiscal foram tomados, com livre defesa do inadimplente para contestar. Não é uma situação agradável, mas estamos tentando ser justos com quem paga seus impostos em dia”, destacou Káritas Rodrigues.

O leilão será conduzido pela empresa Norte Leilões, cujos detalhes podem ser acessados no site http://www.norteleiloes.com.br

Quem regularizar a situação fiscal dos imóveis deve comunicar imediatamente à Procuradoria Fiscal do Município, para que o imóvel seja retirado da lista dos leiloados.

Serviço:
Programa de Regularização Incentivada (PRI), de taxas do IPTU, ISS e TLPL, até o dia 19 de outubro. À vista ou em três vezes, negociação é via online, no site www.belem.pa.gov.br/sefin. A partir de seis vezes, atendimento presencial nos postos da Sefin na Praça das Mercês, no bairro do Comércio; em Mosqueiro (Praça da Matriz, na Vila, ao lado do Banpará) e em Icoaraci (Agência Distrital, rua Manoel Barata, 900) e também na Estação Cidadania no shopping Pátio Belém e no posto Bel Fácil, no Parque Shopping (avenida Augusto Montenegro). A sede da Procuradoria Fiscal fica no edifício Cosmorama, na Praça Magalhães, em frente à igreja de Nossa Senhora de Santa’Ana, no Comércio.

Por Dedé Mesquita

Continue lendo
Clique para comentar

Cidade

Greve Geral paralisa Educação, bancos e outras classes no Pará

Publicado

em

Com informações Dol Foto: Reprodução/Ricardo Amanajás

Em Belém e pelo interior do Estado, diversas categorias também devem aderir à Greve Geral contra a reforma da Previdência e os cortes de verbas das universidades e Institutos Federais (IFs). Até o fechamento desta edição, professores e trabalhadores da Educação, bancários e demais trabalhadores do serviço público confirmaram presença no protesto contra as mudanças que estão por vir.

Na capital, os trabalhadores técnicos, estudantes e professores da Universidade Federal do Pará (UFPA), Universidade Federal Rural da Amazônia (Ufra), Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará (Unifesspa) e Universidade Federal do Oeste do Pará (Ufopa) estarão concentrados a partir das 10h, na Praça da República, em frente ao prédio do Instituto de Ciências das Artes (ICA), e seguirão em direção

ao Mercado de São Brás.

“Todas as agências de bancos públicos e privados, em todo o Estado do Pará, estarão fechadas. Nossa categoria decidiu, de forma soberana e unânime, aderir à greve geral convocada pela CUT (Central Única dos Trabalhadores) e todas as demais centrais sindicais, como estratégia de luta da classe trabalhadora para derrotar o projeto de reforma da previdência do governo Bolsonaro e defender o direito à aposentadoria, assim como para lutar contra as privatizações e defender a existência dos bancos públicos. Portanto, reforçamos o chamado aos bancários e bancárias para fortalecer esse movimento em todas as regiões do nosso estado”, destaca o presidente do Sindicato dos Bancários do Pará, Gilmar Santos.

BARRADOS

Os rodoviários iriam decidir se cruzariam os braços ou não em adesão à meia-noite, mas uma decisão em caráter liminar da Justiça do Trabalho pode inviabilizar a paralisação. A decisão é da desembargadora Alda Maria de Pinho Couto, do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª Região (TRT8), e voltada ao Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Estado do Pará e o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários em Empresas de Transportes de Passageiros nos Municípios
de Ananindeua e Marituba.

Em caso de desobediência ou descumprimento, o sindicato estará sujeito a pagamento de multa diária no valor de R$ 100 mil,
sem prejuízo da responsabilização civil e criminal.

Na liminar, além de exigir 90% da frota, determina também que atendam com um número necessário de funcionários para prestar o serviço de transportes. No entanto, se não for apresentada a quantidade suficiente de empregados, as empresas deverão providenciar a complementação de pessoal, além de comunicar esse fato ao sindicato profissional respectivo e à Presidência do TRT8 para as providências legais cabíveis.

Continue lendo

Cidade

Liminar impede paralisação de rodoviários em dia de greve geral

Publicado

em

Com informações o Liberal Foto: Fábio Costa

Após a confirmação de que os trabalhadores rodoviários de Belém, Ananindeua e Marituba participariam da greve geral contra a reforma da previdência, marcada para esta sexta-feira (14), a justiça do trabalho condeu liminar, em pedido do Sindicato das Empresas de Transportes de Passageiros de Belém(Setransbel), para que a paralisação da categoria não aconteça.

Na decisão, a desembargadora do trabalho, Alda Maria Couto, do Tribunal Regional do Trabalho da 8ª região (TRT-8), obriga que os sindicatos garantam ao menos 90% da frota de ônibus nas ruas, para a prestação dos serviços de transporte coletivo. Caso os sindicatos [Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários do Estado do Pará e o Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários em Empresas de Transportes de Passageiros nos Municípios de Ananindeua e Marituba] descumbram, deverão arcar com multa diária no valor de R$100 mil.

 

 

 

Continue lendo

Cidade

Justiça afasta secretário de urbanismo e engenheiro eletricista da Semurb.

Publicado

em

Foto: Reprodução / Com informações Zedudu

Edmar Cruz Lima não é mais o secretário de Urbanismo do município de Parauapebas. Seu afastamento se deu em razão de o Ministério Público do Estado do Pará ter ajuizado Ação de Improbidade Administrativa em desfavor de Edmar; do engenheiro eletricista Elton Nunes, servidor efetivo lotado na Secretaria Municipal de Urbanismo (Semurb); e de outras pessoas.

Na ação, o MP pede o afastamento do gestor por supostas irregularidades no processo licitatório de número 3/2017-04, da Semurb, cujo objeto era a aquisição de lâmpadas de LED no valor global de R$ 100.695.449,40.

Pela decisão, proferida pelo magistrado Lauro Fontes Júnior, titular da Vara de Fazenda da Comarca de Parauapebas, Edmar Cruz e Elton Nunes (este fiscal do contrato das lâmpadas) foram afastados dos cargos, tiveram seus bens bloqueados e estão impedidos de frequentar o prédio da Prefeitura de Parauapebas e seus órgãos até ulterior deliberação. Eles também estão impedidos de retirar qualquer documento desses ambientes.

O juiz manda dar ciência ao prefeito municipal Darci Lermen, a fim de garantir o efetivo cumprimento da sentença, e determina que todo e qualquer pagamento, pendente ou não, inclusive liquidado, relacionado ao contrato das lâmpadas LED, seja suspenso até decisão definitiva.

Continue lendo

Destaque