Conecte-se Conosco

BELÉM

Prefeitura de Belém mantém atendimento à pessoas em situação de rua durante a pandemia

Foto: Reprodução / Fonte: Agencia Belém

Publicado

em

“Aqui é uma família, eles cuidam muito bem da gente, todos atendem a gente com muito carinho. Me sinto muito bem aqui, porque dificilmente a gente recebe apoio de alguém, e aqui eles nos dão esse apoio”. O relato do Ednilson Rodrigues de 44 anos, é sobre como ele se sente no Centro de Referência Especializado para População em Situação de Rua, de Icoaraci (Centro Pop). A unidade é da Prefeitura de Belém e administrada pela Fundação Papa João XXIII (Funpapa), que atende diariamente pessoas em situação de rua, garantindo os seus direitos de cidadãos.

 Belém conta com duas unidades que oferecem o serviço, uma no bairro de São Brás e a outra na Travessa São Roque, no distrito de Icoaraci. Mesmo em meio a pandemia do novo coronavírus, a Prefeitura mantém os centros de portas abertas, que funcionam das 7h30 às 17h, sendo um espaço de referência para o convívio social e o desenvolvimento de relações de solidariedade, afetividade e respeito. O local funciona como ponto de apoio para pessoas que moram e/ou sobrevivem nas ruas e promove acesso a espaços de guarda de pertences, de higiene pessoal, de alimentação e encaminhamentos para a emissão de documentos.

 Prevenção- Atualmente, novas medidas foram adotadas para evitar a proliferação do vírus. Os assistidos recebem atendimentos diário das equipes do Consultório na Rua, da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma). Eles também receberam uma cartilha que foi criada com orientações de higiene pessoal, além das palestras com os profissionais de saúde. Os alimentos distribuídos no café da manhã, almoço e lanche, temporariamente, não podem ser consumidos no local. Em alguns casos, a pessoa pode  ser encaminhada diretamente para o brigo provisório criado pela Prefeitura, no Ginásio Altino Pimenta, no bairro do Reduto.

 “O nosso atendimento é o acompanhamento social, é a nossa vivência diária com eles, para eles poderem nos passar as demandas e realmente fazer o acompanhamento. Desde o início da manhã eles entram no espaço, eles tomam café, fazem higiene pessoal, higiene do local, passam por atividades sócio educativas que é onde nós conseguimos, subjetivamente, chegar até eles para que eles nos digam as suas necessidades diretas e indiretass”, explicou a assistente social e coordenadora do Centro Pop de Icoaraci, Iacirema Bahia. Ela também ressaltou que mesmo em meio a crise de saúde que o mundo vive, os profissionais mantém os atendimentos de maneira individual para evitar a proliferação da Covid-19. “Neste momento de pandemia, nós não deixamos de atendê-los, como nós não estamos podendo realizar algumas atividades, nós estamos mantendo esse atendimento individualizado com assistente social, orientação, etc…”

 O primeiro Centro Pop foi implantado em 2013, na gestão do Prefeito Zenaldo Coutinho.O serviço pode ser acessado de forma espontânea pela pessoa em situação de rua, a qualquer momento. Pode também ser acessado por encaminhamento do Serviço Especializado em Abordagem Social, por outros serviços da assistência social ou de outra política pública e por órgãos do Sistema Judiciário.

 “Eu fui para às ruas por conta das drogas, tive um recaída muito forte e depois dessa recaída eu fiquei morando na rua. Meus filhos vieram por muitas vezes atrás de mim, mas eu preferi a droga e a rua, foi até que eu conheci o Centro Pop. No começo eu tinha muita vergonha de vir até aqui, depois eu descobri o apoio que eles dão para todos os nós, o apoio social. Eu não queria mais viver essa vida na rua, eles começaram me ajudar, tiraram meus documentos”, completou Ednilson.

  “Quando uma pessoa vai para às ruas, essa pessoa perde todos os valores, tanto sociais, quanto sentimentais, é aí que nós, enquanto Centro Pop, estamos aqui para oferecer e ajudar a resgatar esses valores. Muita gente acha que as pessoas em situação de rua não fazem parte da sociedade, mas eles fazem sim, então a importância é fazer com que essas pessoas passem a ser produtivas e sociáveis, é resgatar essas pessoas para que voltem para a sociedade de uma forma positiva”, disse a coordenadora do local. 

Atendimentos- Somente em 2019, o Centro Pop atendeu mais de mil e duzentas pessoas em situação de rua, com 79.603 serviços de higiene pessoal, atendimentos técnico individual, nutricional, psicossocial e guarda pertences. Serviços que são muito importantes para pessoas como o Marinaldo dos Santos de 51 anos, que nasceu no bairro do Guamá, mora há 30 anos na rua e há seis anos encontrou no Centro Pop de Icoaraci uma nova família.

 “Desde os sete anos de idade eu ajudava minha mãe, engraxava sapato, vendia sacola, só que eu comecei a me envolver com ‘mau camaradagem’, comecei a beber, depois que eu perdi meu pai e minha mãe me deu um choque eu fui para as ruas. Eu tô nas ruas há mais de 30 anos. Teve uma mudança muito grande na minha vida depois que eu comecei a frequentar o Centro Pop. Quando cheguei aqui não tinha meus documentos, eu recebo um atendimento muito bom, alimentação, café da manhã… Esse lugar nos ajuda muito, eu nunca mais tive contato contato com a minha família, então aqui se tornaram uma segunda família para mim”, contou Marinaldo. 

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital