Conecte-se Conosco

EDUCAÇÃO

Programas incentivam futuros profissionais a seguir a carreira docente

Foto: Reprodução /Fonte: Agência Pará

Publicado

em

Estudantes engajados na graduação, que se dedicam à monitoria ou iniciação científica, possuem um perfil profissional diferenciado. Por meio desses programas ofertados na Universidade do Estado do Pará (Uepa), os discentes podem desenvolver competência pedagógica e profissional para se destacarem no mercado de trabalho.

Um exemplo disso são os egressos aprovados no concurso público da Prefeitura Municipal de Ananindeua, cujo resultado foi publicado no último semestre. Os ex-discentes da Uepa são formados nos cursos de Licenciatura em Pedagogia, Física, Geografia e História, e foram admitidos no certame para vagas de professores na Educação Infantil, no Ensino Fundamental e Médio.

Formada em 2018, no curso de Licenciatura em Pedagogia, Ellen Rayane de Sousa Ramos é uma das aprovadas para a vaga de professora do Ensino Fundamental. A admissão ocorreu no primeiro ano após ter concluído o curso superior, quando atuou na monitoria e extensão acadêmica no Centro de Ciências Sociais e Educação (CCSE) da Uepa. “Depois de ter sido bolsista do Pibid (Programa Institucional de Bolsas de Iniciação à Docência) e, também, monitora dentro da instituição, digo sempre que a monitoria nas disciplinas pedagógicas são um diferencial para a composição curricular como profissional”, comentou a egressa da universidade.

Já Williene de Souza Nobre conseguiu duas vitórias em 2019: se formar em Licenciatura em Pedagogia e passar no concurso. Ela, agora, também é professora do Ensino Fundamental do município de Ananindeua. Após anos de estudo, ela relembra a trajetória acadêmica vinculada a atuações na monitoria e no trabalho voluntário com a Residência Pedagógica.

“Isso me fez, com certeza, uma profissional melhor, pois o estímulo que o trabalho como monitora me deu abriu diversas oportunidades, por meio da conciliação do trabalho na monitoria com outros voluntários, um deles foi na Residência Pedagógica. Tudo isso convergiu e me rendeu um leque de conhecimentos e de vivências que me transformaram na profissional que sou hoje”, afirmou a ex-discente da instituição.

“A monitoria é o exercício da docência e a iniciação científica é o momento de aprendizado da prática de pesquisa, portanto, nós, como professores da Uepa, precisamos incentivar os discentes a transitarem por esses programas institucionais tão importantes para a formação profissional e acadêmica”, explicou a coordenadora da Licenciatura em Pedagogia, professora Ceila Moraes, sobre os egressos aprovados no concurso público da Prefeitura de Ananindeua e o comprometimento durante a trajetória acadêmica.

Incentivo e acompanhamento – O tripé ensino, pesquisa e extensão desenvolvido pela Uepa permite que a formação acadêmica possa ser aperfeiçoada, por meio da convergência entre teoria e prática. A vivência de metodologias laboratoriais é a base para formar profissionais com habilidades interdisciplinares e com engajamento crítico, por meio das práticas de extensão ou monitoria.

“O programa de monitoria da Uepa destina-se a ampliar espaços de aprendizagem e a estimular o interesse pelo magistério superior, aprimorando a qualidade do ensino. Dessa forma, nossos alunos da graduação têm contato direto com o dia a dia do professor ao acompanhá-lo nas disciplinas em todas as etapas como: planejamento, leitura dos textos, execução das aulas, correção das provas, atividades, lançamento das notas e outros”, comentou a titular da Coordenação de Apoio e Orientação Pedagógica (Caop) do CCSE, Damásia Nascimento.

As instituições do saber científico são espaços de formação dos profissionais que irão compor social, econômica e politicamente a sociedade. Daí a importância de acompanhar o aluno, não apenas durante a graduação, mas após esta etapa, em diferentes âmbitos profissionais, como explica a assessora pedagógica da Coad do Centro de Educação da Uepa, Deborah Ferreira.

“Avaliar o percurso dos que ingressam na Uepa é muito importante para a jornada dos discentes dentro da instituição e, também, para que possamos ter menos evasão das graduações e mais conclusões de curso, além de auxiliar esse aluno a encontrar qual a melhor possibilidade de atuação a partir da sua formação”, acredita.

Continue lendo
Clique para comentar

EDUCAÇÃO

Matrículas na educação infantil aumentam 12,6% nos últimos cinco anos

Publicado

em

Foto: Reprodução / Fonte: Com informações do Ministério da Educação

ais brasileirinhos de 0 a 6 anos estão na escola. Nos últimos cinco anos, o número de matrículas na educação infantil aumentou 12,6%. No ano passado, eram 8.972.778 em creches e pré-escolas. Em 2015, foram registrados 7.972.230 alunos. Os dados são do Censo Escolar 2019, realizado anualmente pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), vinculado ao Ministério da Educação (MEC).

O levantamento aponta que o crescimento foi impulsionado pelas matrículas em creches, com 167,8 mil registros a mais em 2019 do que em 2018, ou seja, uma variação de 4,7%. Em 2015, as matrículas em creches cresceram 23,2%.

A rede municipal de ensino concentra a maior parte das matrículas da educação infantil: 71,4%. Em seguida, vem a rede privada, com 27,9% do total. Das matrículas da rede privada, 29,4% pertencem a instituições particulares, comunitárias, confessionais e filantrópicas conveniadas com o poder público.

Na análise da educação infantil por localidade, foi levantado que 10,5% das matrículas encontra-se na zona rural, e a quase totalidade (96,8%) das matrículas são atendidas por estabelecimentos da rede pública. O censo apurou que 13,2% das crianças que frequentam a pré-escola estão na zona rural, e 6,7% estão matriculadas nas creches rurais.

Censo Escolar

O Censo Escolar é uma pesquisa estatística que tem por objetivo oferecer um diagnóstico sobre a educação básica brasileira. Coordenado pelo Inep, é realizado em regime de colaboração entre a União, os estados, o Distrito Federal e os municípios.

A pesquisa é declaratória, de abrangência nacional e coleta informações de todas as escolas públicas e privadas, suas respectivas turmas, gestores, profissionais escolares e alunos de todas as etapas e modalidades de ensino: ensino regular, educação especial, educação de jovens e adultos e educação profissional.

Todos os resultados do Censo Escolar 2019 estão disponíveis para consulta no portal do Inep, incluindo notas e sinopses estatísticas, resumo técnico, microdados e indicadores da educação básica.

Continue lendo

EDUCAÇÃO

Prouni 2020: Candidatos terão até 28/02 para comprovar informações

Publicado

em

Prouni divulga resultados da segunda chamada — Foto: Reprodução/Prouni/MEC

Candidatos terão até o dia 28 de fevereiro para comprovar as informações junto às instituições.

O Ministério da Educação (MEC) divulgou nesta terça-feira (18) o resultado da segunda chamada do Programa Universidade para Todos (Prouni) .

Para consultar, é preciso acessar o site do Prouni: http://siteprouni.mec.gov.br/

Os candidatos terão até 28 de fevereiro para entregar os documentos que comprovem o cumprimento dos requisitos.

De acordo com o MEC, quem ainda não foi pré-selecionados, nem na primeira e nem na segunda chamada, poderá manifestar interesse na lista de espera entre os dias 6 e 9 de março (veja abaixo o calendário).

O Prouni oferece bolsas de estudo parciais e integrais em cursos de graduação de instituições particulares no Brasil.

Para concorrer às bolsas, era necessário ter feito o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2019 e tirado, no mínimo, 450 pontos na média da prova. Quem zerou a redação está eliminado do processo.

A atual edição do Prouni vai selecionar estudantes para 251.139 bolsas parciais e integrais para faculdades privadas com base nas notas do Enem.

Cronograma do Prouni 2020

  • Segunda chamada: 18 de fevereiro de 2020
  • Entrega dos documentos para garantir a matrícula: 18 a 28 de fevereiro de 2020
  • Adesão à lista de espera: 6 a 9 de março de 2020

O Prouni é um sistema que seleciona candidatos do Enem para vagas em cursos de graduação de instituições privadas com bolsa de estudos parcial ou integral, segundo a nota do exame.

Cada candidato pode selecionar até duas opções de curso durante o período de inscrições pela internet.

Ao final da seleção, os candidatos aprovados devem levar até as instituições os documentos para comprovar que atendem os requisitos de bolsistas.

Quem pode se inscrever no Prouni?

Para participar, o candidato precisa ter feito a edição 2019 do Enem e não pode ter um diploma do ensino superior. Também é preciso se enquadrar em um dos seguintes critérios de renda:

Para concorrer às bolsas integrais: renda familiar bruta mensal per capita de até 1,5 salário mínimo (R$ 1558,5 – pelo salario mínimo nacional)

Para concorrer às bolsas parciais: renda familiar bruta mensal per capita de até 3 salários mínimos (R$ 3117 – pelo salario mínimo nacional)

Além disso, é preciso se encaixar em pelo menos uma das seguintes situações:

  • ter cursado o ensino médio completamente em escola pública
  • ter cursado o ensino médio completamente em escola privada, desde que na condição de bolsista integral
  • ter cursado o ensino médio parcialmente em escola privada, desde que na condição de bolsista integral
  • ser portador de uma deficiência
  • ser professor do quadro permanente de uma escola pública (nesse caso, o critério de renda familiar não se aplica)
Justiça libera divulgação do resultado do Sisu e inscrições do Prouni

Justiça libera divulgação do resultado do Sisu e inscrições do Prouni

Antonio Gois: ‘As pessoas precisam voltar a confiar no Prouni e no Sisu’

Antonio Gois: ‘As pessoas precisam voltar a confiar no Prouni e no Sisu’

Continue lendo

EDUCAÇÃO

MEC busca alternativa para voltar a emitir carteira de estudante

Publicado

em

Fonte: (Agência Brasil) Foto: Agencia Brasil

O Ministério da Educação (MEC) informou hoje (17) que busca alternativas para garantir aos estudantes a emissão gratuita de carteirinha que permite acesso com meia-entrada a eventos culturais e esportivos.

Desde ontem (16) está suspensa a emissão, pelo MEC, da ID Estudantil, após o prazo da Medida Provisória 895/2019, que institui carteira virtual, ter expirado sem a apreciação pelo Congresso Nacional.

De acordo com o MEC, as 325.746 IDs estudantis já emitidas continuarão valendo, até sua data de expiração. “O aplicativo da ID Estudantil está disponível para alteração de foto (por até 5 vezes ao ano) e reativação da conta, caso o estudante troque o aparelho celular”, informou o ministério à Agência Brasil.

Segundo o MEC, o objetivo da ID Estudantil é oferecer uma alternativa à carteirinha de plástico que continua sendo emitida por entidades como União Nacional de Estudantes (UNE) e União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (Ubes), a um custo de R$ 35.

 De acordo com a UNE, estudantes de baixa renda podem receber o documento gratuitamente, desde que comprovem renda familiar per capita de até um salário mínimo e meio.

(Agência Brasil)

Continue lendo

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Corpes Digital