Conecte-se Conosco

Sem categoria

PT apoia Helder Barbalho e pode tirar votos de Haddad

Paulo Rocha salda dívida com MDB depois de ter dito que a legenda traiu o PT para derrubar Dilma

Publicado

em

 

 

Derrotado no 1º turno e depois de dizer que o MDB traiu o PT para derrubar Dilma Rousseff, o senador Paulo Rocha, sem ouvir a base, leva executiva estadual petista para o colo de Helder Barbalho, o que pode custar caro a Fernando Haddad

 

O candidato derrotado ao governo do estado do Pará, o senador Paulo Rocha (PT)P, depois de ter declarado que o MDB traiu o seu partido, ao participar do complô que retirou do poder a ex-presidente Dilma Rousseff, anuncia que vai apoiar, o candidato Helder Barbalho (MDB) no segundo turno das eleições no Pará.

 

O anúncio foi feito nesta quinta-feira (11) pela executiva estadual do PT, causando perplexidade e indignação e muitos eleitores, filiados ou não PT, que esperavam, na pior das hipóteses, que o partido fosse ter uma postura de neutralidade, mais digna para quem se viu traído como disse o senador nos debates na campanha do primeiro turno.

“A polarização do segundo turno das eleições no Brasil nos coloca em confrontação com um projeto que representa uma política de destruição do ideário de nação iniciado em 2003. Trata-se de uma disputa entre a democracia contra o autoritarismo, da civilização contra a barbárie, da preservação dos direitos sociais contra a manutenção de privilégios. Assim, a partir do debate de ampliação e fortalecimento da campanha Haddad Presidente no Pará; de acolhimento dos pontos centrais do programa de governo apresentado por Paulo Rocha no primeiro turno das eleições; e da defesa incondicional das liberdades e do estado democrático de direito, deliberamos apoiar à candidatura de Helder no segundo turno das eleições”, relata a executiva do PT, certamente envergonhada da sua decisão que fará o candidato à presidência da República, Fernando Haddad, perder muito votos no Pará e, talvez, a até a eleição para Jair Bolsonaro (PSL), que é o principal alvo das críticas da Executiva estadual petista.

Helder Barbalho vai disputar o cargo ao governo do Pará no segundo turno das eleições contra o deputado e presidente da Assembleia Legislativa, Márcio Miranda. O resultado só foi confirmado com 97% das urnas apuradas, por volta das 21h15 do domingo (7), dia da votação;

Paulo Rocha (PT) foi o terceiro colocado, com 17,05%, como sempre indicaram as pesquisas de intenção de coto mandas realizar por A Província do Pará, pelo Instituto Doxa. Ou seja, o mau desempenho do petista não foi surpresa, como surpresa foi a sua decisão de apoiar o  candidato do partido que ele mesmo diz ter traído  a confiança do PT. Muitos entendem o apoio esdrúxulo do PT ao seu algoz, e argumentam  que Paulo Rocha aderiu ao MDB por um pleito de gratidão: ele  só é senador porque foi ajudado, em 2014, pelo líder do MDB, Jader Barbalho, pai de Helder. Por isso, agora nem considerou o fato de pai e filho estarem na mira da Lava Jato, acusados de receber  propinas milionárias de empreiteiras, como foi dito em delações premiadas à Polícia Federal e a autoridades da Lava Jato. Aliás, esse caso  pode leva-los a ser presos, conforme previsão do ex-senador Mário Couto, que também se sentiu traído pela dupla do MDB.

No primeiro turno, Helder obteve 1.825.708 votos, que representaram 47,69% dos válidos. Márcio Miranda, 1.156.680, ou 30,21% do total. A adesão da Executiva do PT ao MDB não significa que a base petista vá aderir também. Geralmente, o eleitores são mais criteriosos e têm mais vergonha na cara que os dirigentes partidários. Este só miram as vantagens pessoais e são capazes de pisar até na própria mãe para subir na vida. Os eleitores petistas ou simpatizante de Lula, Dilma etc., mão esuecem ca caras de quem votou pelo impeachman da presidenta.

 

 

 

Continue lendo
Clique para comentar

Copyright © 2018. A Província do Pará Todos Direitos Reservados . Desenvolvido por Ideia Virtual